Estamos prontos, e você?

Estamos prontos, e você?

Roma (NEV), 9 de maio de 2022 – “Estamos prontos e vocês?” é a campanha lançada hoje pela revista e centro de estudos Confronti, pela Coordenação Nacional das Novas Gerações Italianas (CONNGI) e pelos Italianos Sem Cidadania, para pedir que a lei da cidadania, conhecida como “Ius Scholae”, seja votada no Parlamento até o final da legislatura.

Os signatários da campanha acreditam que “chegou a hora de as forças políticas que se disseram a favor da lei, muitas vezes fazendo dela uma bandeira, tomarem as providências necessárias para serem coerentes com os compromissos assumidos”.A campanha começa com uma carta aberta ao Primeiro-Ministro, Mario Draghi, e às forças políticas que compõem o governo dispostas a votar a lei. Entre os primeiros signatários Edith Bruck, Oliviero Toscani, Paolo Fresu, Gad Lerner, Luigi Manconi, Igiaba Scego, Corrado Augias, Maurizio Ambrosini, Valerio Carocci, Orchestra of Piazza Vittorio, Little Orchestra of Tor Pignattara, Roberto Zaccaria, Mohamed Keita, Giacomo Marramao. Após o lançamento, a campanha de recolha de assinaturas vai continuar com o objetivo de envolver o maior número possível de cidadãos. O apelo diz: “Pedimos que nos ouçam e dêem o passo que há anos hesitam em dar: aprovar uma lei que nos reconheça como seus concidadãos, irmãs e irmãos de uma República que na sua Constituição reconhece os direitos fundamentais direitos de todos os cidadãos “sem distinção de sexo, raça, língua, religião, opiniões políticas, condições pessoais e sociais” (Art.3)”.

“Aguardamos a resposta da política – declararam os promotores da campanha –, mas não apenas com as declarações de circunstância: desta vez esperamos que a lei seja agendada no Parlamento o mais rapidamente possível e levada a votação. No dia que a gente votar, aí a gente vai fazer uma grande festa na praça com todo mundo, inclusive os políticos. Até então, permanecemos vigilantes e esperando.”

A lei, se entrasse em vigor, permitiria que homens e mulheres muito jovens, que cresceram e estudaram na Itália durante anos, adquirissem a cidadania italiana. “Centenas de milhares de pessoas, de estudantes, à espera de poder dar o seu contributo para o crescimento do país como cidadãos; e nós com eles”, concluíram os promotores.

Você pode se inscrever na campanha acessando o site www.noisiamoprontievoi.it.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Palermo, a popular clínica de psicoterapia abre suas portas

Palermo, a popular clínica de psicoterapia abre suas portas

Roma (NEV), 28 de março de 2023 – Chama-se clínica de psicoterapia popular e será apresentada à cidade no dia 4 de abril, das 10h30 às 12h30, no Ex Noviciado de San Mattia ai Crociferi, na via Torremuzza, em Palermo. A nova realidade pretende promover projetos de saúde mental na área de Palermo e surge da sinergia entre a Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência - Casa Buoni Fanciulli - Istituto Don Calabria, o Centro Diaconal "La Noce" - Istituto Valdese, a Cooperativa “La Panormitana” e a Fundação “San Giuseppe dei falegnami” – braços operacionais da Cáritas Diocesana de Palermo – e a Associação Maghweb. “A clínica nasceu de uma necessidade manifestada pelo território”, explica Ana Maria CullottaPresidente da associação Ambulatorio Popolare di Psicoterapia "As realidades que deram vida ao projeto recebem pedidos contínuos de orientação nos serviços, por isso a rede de parceiros e os profissionais envolvidos querem colocar suas habilidades à disposição, colocando-se a serviço de aqueles que têm menos chances, mas encontram coragem e força para externar um pedido de ajuda expressando a necessidade de apoio”. A clínica ficará instalada nos espaços da Casa San Francesco, em vicolo Infermeria dei Cappuccini, no bairro de Ballarò, e oferecerá cursos de psicoterapia e psicoterapia acessíveis a todos, trabalhando em rede com os serviços já existentes na área. "Graças à composição do grupo clínico com diferentes formações e especializações - explicam os promotores da iniciativa - a clínica vai poder prestar serviços em diferentes áreas de intervenção: problemas psicológicos individuais e de casal, apoio à parentalidade, entrevistas a toda a família integrantes de pessoas com deficiência, transtornos mentais, doenças orgânicas graves, crônicas estressantes; entrevista para apoiar a qualidade de vida na velhice. A clínica pretende garantir a possibilidade de acesso a um percurso psicoterapêutico a todos os cidadãos e localidades: os serviços prestados não têm um preço fixo e permitem-lhe contribuir de acordo com a sua disponibilidade financeira. As entrevistas cognitivas serão gratuitas e qualquer remuneração para as sessões subsequentes será acordada de acordo com as possibilidades econômicas. Para marcar uma consulta será possível enviar uma mensagem de whatsapp ou ligar para +39 377 085 2443. ...

Ler artigo
Pequenos valdenses crescem – Nev

Pequenos valdenses crescem – Nev

Torre Pellice (NEV), 24 de agosto de 2023 – “Gostaríamos de uma igreja com escorregas e plantas no interior. Gostaríamos que todos pudessem dar a sua opinião, eliminação dos trabalhos de casa, cidades mais coloridas”. O “Sínodo para as crianças” reunido recentemente em Torre Pellice apresentou os seus pedidos precisos à assembleia homóloga dos adultos no final da tarde de 24 de Agosto. Sobre o que é isso? A carta com os pedidos do Sínodo das Crianças Traversari Gesine, coordenadora do grupo de trabalho para a organização do Sínodo sobre as crianças, nomeada pelo Conselho Valdense por mandato do Sínodo do ano passado, e mãe de três crianças que participaram no projeto, explica: “O grupo de trabalho era composto por 5 pessoas. A ideia surgiu do fato de uma menina, num sínodo passado, ter perguntado aos seus pais: “Mas onde está o meu sínodo?”. Daí a vontade de responder e organizar o Sínodo das Crianças. Procurámos, portanto, pensar no que poderia ser, promover um percurso que fosse mais do que babysitting, mas sim uma atividade pensada na perspetiva das crianças. Foram-lhes propostos temas como a participação democrática, falavam de direitos e liberdades, e também da comunhão entre eles. Para nós, adultos, que participamos no Sínodo Valdense é também um momento em que nos reencontramos e estamos juntos todos os anos, portanto paralelamente a iniciativa para os mais pequenos é um investimento nas relações entre eles e, mais importante ainda, neles gostam muito". Dezesseis crianças de toda a Itália, com idades entre 5 e 13 anos, participam do Sínodo para as crianças, pela manhã há "cultini", ou momentos de oração, depois visitas e itinerários: foram convidados da Rádio Beckwith, em Villa Holland, participou de diversas oficinas, visitou o museu valdense, jogou jogos e realizou inúmeras atividades práticas. Fizemos algumas perguntas aos pequenos participantes desta versão reduzida do corpo executivo das igrejas valdenses. O que é o Sínodo? “Um momento em que os adultos se encontram e discutem coisas importantes na igreja”, explica Matteo, 10 anos, de Veneza. Quem é Jesus? “Ele é o Filho de Deus, é como um amigo e nos protege e morreu por nós, para que sejamos livres”. Do que você gostou mais? “Encontrar as outras crianças”, acrescenta outro pequeno sinodal. Para Martina, 9 anos, de Verona, o Sínodo das crianças está indo “bem”, ela não sabe do que menos gostou porque “tudo é lindo”. Sobre os adultos, ele sabe que “eles trocam informações, escolhem se querem mudar algumas coisas ou não... Os bancos deveriam ser trocados, porque são assentos do século XIX”. Quem são os valdenses? “Outra religião que não tem Papa, não tem padres, a mulher pode fazer tudo... Uma pastora é como um padre, só mulher, e pode casar”. Voltando ao mundo dos adultos, “propusemos atividades adaptadas à idade das crianças, paralelamente ao Sínodo dos adultos, procurando seguir os temas propostos pela assembleia dos “grandes”, e os mais pequenos mostraram que saiba como se sentir bem todos juntos. É uma experiência muito positiva”, afirma Miriam Bufapsicoterapeuta, um dos animadores do Sínodo dos pequenos, junto com um grupo de voluntários. «No Sínodo anterior, em 2022, foi aprovado um ato em que era solicitada a organização deste espaço – acrescenta Daniele Parisiprofessora e membro do grupo de trabalho que idealizou a iniciativa - que já não se tratava apenas de uma babá para permitir que deputados, párocos e pastoras com crianças participassem no Sínodo, mas também uma forma de devolver às crianças e às meninas um momento central na vida da nossa igreja”. No final da tarde de quinta-feira, 24 de agosto, os meninos e meninas do Sínodo foram recebidos na sala sinodal, onde apresentaram a sua carta repleta de propostas. Resultado? Uma ovação de pé e uma moção votada em tempo recorde: o Sínodo das Crianças estará lá novamente no próximo ano. Para saber mais: Um Sínodo “amigo das crianças”, Reforma28/07/2023 As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo
“Estar enraizado no novo”.  Um documento ecumênico pós-Covid

“Estar enraizado no novo”. Um documento ecumênico pós-Covid

Roma (NEV), 21 de julho de 2020 - Até o presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), pároco Luca Maria Negro, aderiu a "Criar raízes no novo", o documento ecumênico para a era pós-Covid elaborado e proposto por um grupo de "cidadãos e cidadãs pertencentes a diferentes confissões cristãs" em Milão. O objetivo do documento é ajudar as comunidades a se questionarem e se comprometerem, tanto políticas quanto teologicamente, no rescaldo da pandemia, partindo da convicção de que a experiência que vivemos "com seu forte impacto traumático, mesmo na morte, tornou deixar cair a máscara ao tempo do passado recente, para nos mostrar os aspectos claramente patológicos do nosso estilo de vida pessoal e colectivo". “A pandemia pôs a nu o facto de vivermos juntos numa casa comum”, lê-se no texto, o que leva os redatores a sublinhar a interdependência que vivemos no nosso planeta e a pensar em termos de cooperação e solidariedade enraizada na justiça, na cuidado e sustentabilidade, em poucas palavras no que aprendemos a chamar de "ecologia integral". Entre a vontade de regressar à “normalidade” e a de enveredar por um caminho de regeneração, que caracterizou a era Covid, o documento exorta-nos a aproveitar “os kairòs, o momento certo, para agir e fazer bom uso dos nossos dons”. serviço do bem comum, fazendo a nossa parte, evitando sufocar prematuramente o desejo de renascer devido ao chamado insidioso de voltar à doentia 'normalidade' de antes". São cinco temas, Velha e Nova Pobreza-Refugiados, Migrantes e Cidadania-Saúde-Crise Ambiental, Cuidado e Salvaguarda da Criação-Europa, declinados segundo a ordem análises/compromisso/pedidos, que são analisados ​​e levados ao conhecimento do leitor . O documento também contém uma oração e uma seção bibliográfica que reúne artigos e documentos elaborados por diferentes entidades ou pesquisadores e especialistas nestes temas. Leia todo o documento AQUI. Para inscrições, escreva para [email protected] ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.