Abruzzo.  Cultura, música e dança em nome da diversidade

Abruzzo. Cultura, música e dança em nome da diversidade

Roma (NEV), 10 de agosto de 2022 – A associação “Amigos da Igreja Valdense de San Giovanni Lipioni” está organizando dois dias sobre diversidade. A nomeação é para os dias 13 e 14 de agosto em San Giovanni Lipioni, na província de Chieti.

São dois dias de festa, para sublinhar a riqueza da diversidade. Além do culto de abertura, está prevista uma conferência intitulada “Diferente de quem?”. Palestrante, Prof. Carlos Mônaco, que falará sobre igualdade e diversidade na história do Ocidente. Seguido por um show de dança e percussão do Senegal. No domingo, 14 de agosto, está programado um workshop Salento pizzica. A exposição “Waldensian experience in San Giovanni Lipioni” também pode ser visitada, até 28 de agosto.

No culto, agendado para sábado, dia 13 de agosto, pelas 10h30, será dedicado um momento à memória de Gianna Scicloneisso com Carmen Trobia em 1967 abriu o caminho para a ordenação pastoral de mulheres. A pastora Sciclone faleceu em junho passado.

O comunicado da iniciativa diz: “Não se pode entender a diversidade sem definir a igualdade. Todos os homens e mulheres nascem iguais. Somos todos iguais perante a Lei – explica Franca Nini, porta-voz do comitê organizador -. Igualdade implica igual dignidade e igualdade de oportunidades sem distinção de nacionalidade, sexo, crença religiosa, opinião política, condições pessoais e sociais. Só existe uma raça humana.”

Serão dois momentos de agregação e diversão, conclui Ninni, “mas também de reflexão sobre o tema da diversidade, visando unir e enriquecer a comunidade”.

Segue abaixo o programa completo.

sábado, 13 de agosto de 2022

10h30 – Culto. Celebre o pastor Luke Elders, com uma lembrança da pastora Gianna Sciclone. c/o Centro Cultural Municipal, antiga Igreja Valdense, Piazza Largo del Popolo, San Giovanni Lipioni (CH)

21h30 – Intervenção de Carlo Monaco, escritor e ensaísta, ex-professor de história e filosofia na Universidade de Bolonha, sobre o tema “Diverso Da Chi? Considerações sobre igualdade e diversidade na história do Ocidente”. Praça Largo del Popolo, San Giovanni Lipioni (CH).

22h30 – Espetáculo de dança e percussão da África Ocidental do grupo “Sunu Africa”. Ritmos, danças, canções e símbolos do Senegal num espetáculo envolvente e colorido. Praça Largo del Popolo, San Giovanni Lipioni (CH).

Domingo, 14 de agosto de 2022

21h30 – Oficina Pizzica Salentina, líder Rita Mônaco. Praça Largo del Popolo, San Giovanni Lipioni (CH).

De 13 a 28 de agosto, a exposição “Experiência Valdense em San Giovanni Lipioni” estará aberta no Centro Cultural Municipal, antiga Igreja Valdense.

Para informações contacte o número 393 2757821 ou 339 7905435 ou envie mensagem na página do Facebook

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Lutero e a Santa Ceia.  História, ontologia e atualidades

Lutero e a Santa Ceia. História, ontologia e atualidades

Roma (NEV), 4 de junho de 2021 – Uma conferência sobre Lutero e a Santa Ceia. Esta é a proposta da Academia de Estudos Luteranos da Itália (ASLI) para os dias 4 e 5 de junho. A conferência, aberta a todos, ocorre eletronicamente no Zoom. Estão previstos 11 relatórios. O tema será abordado sob diferentes perspectivas, a histórico-teológica e a ontológico-ecumênica. Entre os temas: a teologia da Ceia para Lutero. O aprofundamento das questões sacramentais, teológicas, eclesiológicas e terapêuticas. O “sacrifício de intercessão”. Os “desafios” à ontologia dados pelas opções “virtuais” da Santa Ceia. A crítica de Martinho Lutero à doutrina da transubstanciação. Também falaremos sobre Dietrich Bonhoeffer como intérprete da teologia do Sacramento do Altar de Lutero, da Disputa de Marburg (1529) revisitada à luz do Acordo de Leuenberg (1973), e muito mais. Aqui está o programa (para a versão em pdf para impressão clique aqui). Sexta-feira, 4 de junho, 15h Saudações: Frank Buzzi – Presidente da ASLI Italo Pons – membro do Conselho Valdense, Milão Heiner Bludau – Decano da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) Roberto M. Pagani – Responsável pelo serviço Ecumenismo e Diálogo da Diocese de Milão Introdução ao tema: Lubomir Žak – Diretor Científico da ASLI Relações: Johannes SchillingA Gênese e Desenvolvimento da Teologia da Ceia de Lutero Paulo ricoA disputa de Marburg (1529) revisitada à luz do Acordo de Leuenberg (1973) A discussão segue. Retoma às 17h30 Moderador: Michael Cassese Relações: Antonio Sabetta, o realismo sacramental de Lutero. Significado e importância Dieter KampenA Santa Ceia como encontro com o sagrado A discussão segue. Sábado, 5 de junho, 9h Moderador: Markus Krienke Relações: Ângelo MaffeisA crítica de Martinho Lutero à doutrina da transubstanciação Sérgio RostagnoA identificação com Cristo e o crente na Ceia A discussão segue. Ele recomeça às 11 Moderador: Frank Buzzi Relações: Lubomir Žak, O Sacramento do Altar no contexto dos Catecismos de Lutero. Uma leitura teológico-fundamental Michael CasseseA eficácia da Santa Ceia em Lutero: seu valor eclesiológico e terapêutico Markus KrienkeD. Bonhoeffer como intérprete da teologia do Sacramento do Altar de Lutero A discussão segue. Recomeça às 15h30 Moderador: Antonio Sabetta Relações: Mário Galzignato, o vere sacrificium propiciatorium de Trento e o "sacrifício de intercessão" no BEM. As razões para uma equivalência Dietrich KorschÉ possível participar de forma virtual da celebração da Santa Ceia? Desafios à ontologia da Santa Ceia Segue-se uma discussão e uma pausa. Retoma às 17h30 Conclusões: Dieter Kampen e Lubomir Žak (perspectiva histórico-teológica) Paolo Ricca e Franco Buzzi (perspectiva ontológico-ecumênica) ...

Ler artigo
“O cuidado do mundo me preocupa”

“O cuidado do mundo me preocupa”

Roma (NEV), 22 de outubro de 2021 – O 20º Dia do Diálogo Cristão-Islâmico é celebrado em 27 de outubro. O tema e título desta edição especial é "O cuidado do mundo me preocupa". O dia é dedicado à memória do Diretor da revista "Il Dialogo" John Sarubbi, faleceu recentemente. Sarubbi foi um dos promotores da iniciativa, perseguindo tenazmente seus objetivos por vinte anos. Em particular, Sarubbi será lembrado durante a reunião nacional de zoom marcada para 26 de outubro às 20h45. eles participam Brunetto Salvarani, Rosanna Maryam Sirignano, Marisa Iannucci, Letizia Tomassone. Haverá um momento de testemunho gratuito. Para obter o link escreva para [email protected] Leia em Reforma o programa mais detalhado. Várias iniciativas estão planejadas em outras cidades da Itália. O O comitê promotor nacional do Dia Ecumênico do Diálogo Cristão-Islâmico escreve: "A dimensão do cuidado, que ganhou destaque na época da pandemia de Covid-19, continua mais atual do que nunca. Os crentes encontram suas raízes em suas respectivas revelações e tradições religiosas. Reavivando nossa relação com Deus, receberemos força e humildade para honrar um compromisso que nos constitui”. Parafraseando o discurso do Papa Francisco em 5 de março em Ur dei Caldei, o Comitê também declara: “Cabe a nós, cristãos e muçulmanos de hoje, transformar nossos fechamentos identitários em diálogo e confronto vital. Cabe a nós zelar e cuidar da casa comum junto com todos os seus seres vivos. Cabe a nós rejeitar a guerra e fazer a paz. Cabe a nós promover o direito ao cuidado e à alimentação para todos. Cabe a nós proteger os desempregados, libertar os novos escravos e as mulheres exploradas e violentadas. Cabe a nós enxugar as lágrimas, assumir com coragem o caminho traçado por Giovanni e pelos outros criadores do Dia, e celebrá-lo em sua memória olhando para o futuro que já está aqui”. Todos os amigos da paz e do diálogo, todas as comunidades cristãs e muçulmanas, todas as instituições democráticas que têm no coração a defesa da Constituição, concluem os organizadores, são convidadas a mobilizar-se para o dia 27 de outubro, “com uma saudação fraterna de shalom, salaam, paz”. . Breve história do Dia do Diálogo Cristão-Islâmico A Jornada nasceu da iniciativa de um grupo de intelectuais, religiosos e professores universitários que, em 2001, após a tragédia das Torres Gêmeas, decidiram lançar um apelo ao diálogo com o Islã. "Nós, cristãos de várias confissões e leigos, que há anos estamos engajados no árduo processo de diálogo com os muçulmanos italianos ou no trabalho cultural sobre o Islã - disse o primeiro apelo - acreditamos que o horrendo atentado em Nova York e Washington constitui um desafio não apenas contra o Ocidente, mas também contra aquele Islã, majoritariamente em todo o mundo, que se baseia nos valores da paz, da justiça e da convivência civil”. Os promotores pretendiam evitar "um alarme preocupante", nomeadamente que o sucedido poderia "pôr em causa ou travar o diálogo com os nossos irmãos muçulmanos, companheiros de viagem no caminho da construção de uma sociedade pluralista, acolhedora, respeitadora dos direitos humanos e dos valores democráticos ”. Esse convite deu vida ao primeiro dia nacional do Diálogo Cristão-Islâmico na sequência de dois documentos, o conciliar da "Nostra Aetate" e o da "Charta Oecumenica" assinado apenas alguns meses antes em Estrasburgo pelos cristãos europeus. Um Dia que este ano chega à sua vigésima edição e que, já há alguns anos, se realiza no dia 27 de outubro "no espírito de Assis": o primeiro e grande encontro mundial das Religiões pela Paz, desejado pelo Papa João Paulo II em 1986 na cidade úmbria. ...

Ler artigo
“O tempo está se esgotando”

“O tempo está se esgotando”

Foto: Paul Jeffrey/CEC. 2 de setembro de 2022, Karlsruhe, Alemanha. Ativistas chamam atenção para crise climática durante protesto na 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CEC) Roma (NEV), 23 de setembro de 2022 – Enquanto ocorre a greve global pelo clima do movimento Sextas-feiras para o Futuroe em conjunto com a Semana do Clima de Nova York, está ocorrendo a 77ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas. Foi neste contexto que decorreu o debate “Ouvir a voz da Criação: cuidar da criação numa época de emergência climática”. Promovido pelo Escritório Ecumênico das Nações Unidas (EOUN), foi realizado naCentro da Igreja Episcopal de nova York. A EOUN é o ponto de referência do Conselho Mundial de Igrejas (WCE) para as iniciativas de defesa na sede da ONU. Estamos no coração do Tempo da Criação, o tempo litúrgico que se celebra em todo o mundo de 1 de setembro a 4 de outubro. A 77ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas inclui discussões sobre educação, paz, desenvolvimento sustentável e desarmamento nuclear. Justamente por isso, o debate promovido pela EOUN em chave inter-religiosa centrou-se nas mensagens a serem enviadas à ONU e aos líderes políticos mundiais para que “nossa casa terrena comum” esteja verdadeiramente no centro das agendas mundiais. Os oradores, vindos de diferentes contextos religiosos e espirituais, enviaram uma mensagem unificada, partindo de uma pergunta complexa. “Como podemos ouvir a voz da criação – da natureza – individualmente, como corpos religiosos, como tomadores de decisão e formuladores de políticas em nossas sociedades?” Bhagwan. Um grito do Pacífico: "Precisamos de uma transformação social" O pastor James Bhagwan, secretário-geral da Conferência das Igrejas do Pacífico, em uma mensagem em vídeo, pediu o fortalecimento de campanhas, como a de um tratado de não proliferação de combustíveis fósseis. “Temos que nos comprometer seriamente – disse -. Continuamos a lutar para ganhar impulso no financiamento climático, para conter as perdas e danos. Fazer isso é essencial." Bhagwan também pediu soluções eficazes para conter mais danos a um ecossistema já frágil. “Temos que garantir que tudo o que fazemos seja feito no contexto da proteção do meio ambiente. Precisamos de uma transformação social, sabemos disso”. Tal transformação social deve fundamentar políticas, leis e regulamentos, de acordo com Bhagwan. Ele acrescentou: “Essa transformação social fornecerá a vontade política e a vontade empreendedora. Devemos garantir que os países atualmente mais vulneráveis ​​e afetados não contraiam mais dívidas enquanto tentam proteger o meio ambiente”. “Há muito o que fazer e o tempo está acabando”, concluiu. Smith. “Que a criação de Deus seja habitável para as gerações futuras” Ryan Smith, gerente de programa do Escritório Ecumênico nas Nações Unidas e representante do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) na sede das Nações Unidas, falou sobre a “necessidade da comunidade de fé trazer nossa voz única na discussão sobre a crise climática. E trabalhar junto com parceiros religiosos e a comunidade científica para garantir que a criação de Deus seja habitável para as gerações futuras”. A mesa redonda foi precedida por uma oração ecumênica. Para saber mais sobre o trabalho do Escritório Ecumênico nas Nações Unidas, clique AQUI. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.