Afeganistão, 300 refugiados chegando por corredores humanitários

Afeganistão, 300 refugiados chegando por corredores humanitários

Desenho de Francesco Piobbichi, operador da Mediterranean Hope – Federação de Igrejas Evangélicas na Itália

Roma (NEV), 25 de julho de 2022 – Na quarta-feira, 27 de julho, 230 refugiados afegãos que estavam refugiados no Paquistão desde agosto passado chegarão em um voo de Islamabad. Sua entrada na Itália é possível graças ao memorando de entendimento com o Estado italiano, assinado em 4 de novembro de 2021 pela Comunidade de Sant’Egidio, a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, a Tavola Valdese, Arci, Caritas Italiana, OIM, INMP e ACNUR.

Junto com outras chegadas do Irã – previstas para hoje, 25 de julho, e quinta-feira, 28 de julho – mais de 300 refugiados afegãos serão acolhidos em nosso país graças aos corredores humanitários, um projeto totalmente apoiado pelas associações proponentes e possível graças à generosidade e ao compromisso livre e voluntário de muitos cidadãos italianos, que ofereceram suas casas para acolher, mas também congregações religiosas, ONGs e diversos sujeitos da sociedade civil. Entre eles, a Solidaire, que em colaboração com a Open Arms, contribuiu para a organização do voo desde o Paquistão.

Às 16h da quarta-feira, 27 de julho, em Fiumicino, será realizada a recepção aos refugiados e uma coletiva de imprensa com a participação de:

Marina Serena, Vice-Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional

marco impagliazzopresidente da Comunidade de Sant’Egidio

Daniele Garronepresidente da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália

Alessandra Trottamoderador da Mesa Valdense

Filipe MiragliaGerente Nacional de Imigração da Arci

Valentina BrinisBraços abertos

Sylvan AdamsCEO Israel – Premier Tech

O credenciamento deve ser feito até terça-feira, 26 de julho, às 11h, enviando um e-mail para [email protected], anexando uma cópia de um documento de identificação (não o cartão profissional) e indicando o jornal e qualquer placa de carro para acessar o estacionamento do Terminal 5. O acesso à imprensa será permitido até às 15h00.

Roma, 25 de julho de 2022


AQUI o protocolo do Afeganistão

AQUI o comunicado de imprensa da Farnesina e da Viminale

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Conselho Ecumênico: uma Assembleia sem barreiras

Conselho Ecumênico: uma Assembleia sem barreiras

A atuação de Karen Abou Nader e Fadi El Halabi. Foto Hillert/WCC Karlsruhe (NEV), 6 de setembro de 2022 - "Afirmar a plenitude da vida" é o tema que caracterizou ontem, 5 de setembro, na XI Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). e sob diversos pontos de vista, inclusive o da deficiência. Esta a decorrer em Karlsruhe na Alemanha (31 de agosto - 8 de setembro de 2022), é uma Assembleia sem barreiras, físicas ou mentais, em que a presença de pessoas com deficiência não causa constrangimento nem limita a participação. Pessoas com deficiência estão presentes entre os participantes, entre os palestrantes e também entre os artistas performáticos desempenho apresentações teatrais, musicais e até de dança como é o caso Fadi El Halabi que se apresentaram juntos Karen Abu Nader (veja a foto acima). Além disso, todas as intervenções no plenário são traduzidas para a linguagem gestual em grandes ecrãs. Uma tradução simultânea em língua de sinais. Foto Sean Hawkey/WCC “Nem sempre foi assim”, explica um pastor da região do Caribe em uma das Grupos iniciais, os grupos de cerca de 20/30 participantes que se reúnem todos os dias, após a plenária da manhã, para compartilhar impressões e reflexões sobre os temas discutidos. “Em 1998, na Assembléia da CEC em Harare, Zimbábue, havia 12 pessoas com deficiência entre os delegados e ninguém estava preparado para recebê-los. Demorou 20 anos para que as coisas mudassem e para que fosse organizada uma assembléia que levasse verdadeiramente em conta as necessidades de todos”. O texto bíblico do dia, João 9, suscitou mais reflexão no Grupo de Escolha. Na história do Evangelho, quando os discípulos de Jesus encontram um homem cego de nascença, perguntam ao seu Mestre: "Quem pecou, ​​ele ou seus pais, para ser assim?" “A dos discípulos é a pergunta errada – explica um jovem pastor anglicano paraplégico -. Uma pergunta que dá por certo um erro, uma falta, um pecado: procurar um culpado para explicar a situação de deficiência em que se encontra o homem”. No entanto, Jesus dá a resposta certa a uma pergunta errada: “Nem ele pecou, ​​nem seus pais; mas é assim que as obras de Deus podem ser manifestadas nele. “Esta resposta de Jesus – continua o jovem pastor – me permitiu fazer a pergunta certa sobre mim e sobre todos os outros: como, com a minha deficiência, a obra de Deus pode se manifestar em mim?” Porém, a glória de Deus não se manifesta em um milagre de cura, mas de inclusão. “Há muitas pessoas que estão dispostas a orar para que uma pessoa 'se cure'. Mas a deficiência veio para ficar! A obra de Deus é mostrar a todos o caminho neste mundo, fazer com que todos se sintam não do lado do problema, mas do lado da solução. Afirmar a plenitude da vida é fazer parte de um mundo que também dá às pessoas com deficiência a oportunidade de contribuir para o bem comum”. Participantes na pré-assembléia de pessoas com deficiência Foi o que afirmaram os participantes da pré-Assembleia das pessoas com deficiência, realizada em Karlsruhe nos dias imediatamente anteriores à Assembleia. A pré-montagem, através do Rede ecumênica pelos direitos das pessoas com deficiência (EDAN) sublinhou como "as pessoas com deficiência são portadoras de dons concedidos por Deus e reafirmou a importância de que esses dons sejam disponibilizados para todo o Corpo de Cristo", a igreja. “O amor de Cristo é inclusivo e não deixa ninguém para trás. Barreiras arquitetônicas e mentais empobrecem as igrejas, porque se você exclui alguém, todo o Corpo de Cristo fica prejudicado”. ...

Ler artigo
Cristãos contra a tortura.  Relatório internacional publicado

Cristãos contra a tortura. Relatório internacional publicado

Imagem retirada do relatório 2021 da Federação Internacional da ACAT (FIACAT) Roma (NEV), 13 de maio de 2022 – A Ação dos Cristãos pela Abolição da Tortura (ACAT) compartilhou o relatório de atividades de 2021 da Federação Internacional da ACAT (FIACAT). A FIACAT é uma ONG, observadora nas Nações Unidas, no Conselho da Europa e na Comissão Africana dos Direitos Humanos e dos Povos. O relatório fala, entre outras coisas, dos programas de abolição da pena de morte e de luta contra a prisão preventiva abusiva em África. Passados ​​cerca de nove anos de implementação, escreve a Federação, “é tempo de fazer um balanço”. O relatório “Seis países africanos aboliram a pena de morte por lei (República do Congo, Madagascar, Guiné, Burkina Faso, Chade, Serra Leoa). Isso eleva seu número total no continente para 23”, diz o site da ACAT. Ao nível da prisão preventiva abusiva, “foram tramitados 7.216 autos. E 4.762 foram objeto de decisões judiciais desde o início do programa. Os resultados são satisfatórios, embora se esperasse um maior progresso para acabar com a superlotação prisional, em particular por meio do uso de medidas alternativas”. Além disso, a FIACAT está agora investigando questões de migração na Europa e suas fronteiras. Fá-lo através do projeto transmedia jogos de sombra, realizado com o ACAT italiano e belga. São muitas as colaborações a nível institucional e não governamental, com um compromisso crescente para o futuro “pela construção de um mundo sem tortura nem pena de morte”. 2021 foi também o ano da atribuição do prémio Cássia Sóentregue em 9 de dezembro em Barcelona à FIACAT por sua luta pelos direitos humanos e seu caráter ecumênico. Por fim, escreva os ACATs: “Como não se alegrar com a libertação de Germain Rukuki após quatro anos de detenção arbitrária? Este é o lugar certo para agradecer especialmente a forte mobilização dos membros da rede FIACAT". Leia o artigo completo e baixe o relatório em inglês ou francês clicando AQUI. UM GATO A filial italiana da Ação dos Cristãos pela Abolição da Tortura se inspira no pastor valdense Túlio Vinay. Vinay foi um dos primeiros na Europa a denunciar a violência sofrida pelos presos políticos no Vietnã. A ACAT Italia foi formalmente fundada na primavera de 1987, graças à contribuição da igreja valdense de Roma e do movimento "Renascimento Cristão". Desde o início, a ACAT optou por operar em uma base ecumênica, reunindo protestantes, católicos, ortodoxos e outras confissões cristãs dispostas a rezar e agir juntos. Desde 2008, a ACAT instituiu um prêmio de graduação para teses sobre tortura e pena de morte com o apoio do Otto per mille das igrejas metodista e valdense. A ACAT Italia faz parte da FIACAT. ...

Ler artigo
Líderes evangélicos no Fórum Inter-religioso do G20 na Itália

Líderes evangélicos no Fórum Inter-religioso do G20 na Itália

foto: Joshua Eckstein, unsplash Roma (NEV), 6 de setembro de 2021 – Líderes protestantes de todo o mundo participarão do Fórum Inter-religioso do G20, que acontecerá na Itália na próxima semana. O Secretário Geral Interino do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) Ioan Sauca participará do Fórum Inter-religioso do G20, que será realizado em Bolonha, de 12 a 14 de setembro. Sauca intervirá em particular numa sessão intitulada “O ecumenismo cristão é um modelo?”. Os palestrantes, conforme consta em nota no site do CMI, discutirão “o ecumenismo cristão como um modelo praticável para os muçulmanos; na unidade cristã como uma ameaça ou uma oportunidade; e sobre como delinear o tema do conflito na teologia ecumênica”. A reunião será co-presidida por Cláudio Paravati, diretor do centro de estudos e da revista Comparisons. Um representante da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas também falará. Outros palestrantes convidados para a sessão são: Khazhak Barsamianlegado papal da Europa Ocidental e representante da Igreja Armênia junto à Santa Sé; Luca Ferracciinvestigador filiado na Fundação para as Ciências da Religião; Martin Jungesecretário-geral da Federação Luterana Mundial, Kurt Kochpresidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos e Christian Kriegerpresidente do Conselho de Igrejas da Europa (KEK). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.