Corredores humanitários do Afeganistão, 217 refugiados chegaram a Roma hoje

Corredores humanitários do Afeganistão, 217 refugiados chegaram a Roma hoje

Desenho de Francesco Piobbichi, equipe, programa Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Protestantes na Itália (FCEI)

Roma (NEV), 27 de julho de 2022 – 217 refugiados afegãos que estavam refugiados no Paquistão desde agosto passado chegaram hoje, quarta-feira, 27 de julho, em um voo de Islamabad. Sua entrada na Itália foi possível graças ao memorando de entendimento com o Estado italiano, assinado em 4 de novembro de 2021 pela Comunidade de Sant’Egidio, a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, a Tavola Valdese, Arci, Caritas Italiana, OIM, INMP e ACNUR.

Juntamente com outras chegadas do Irão – no passado dia 25 de Julho e amanhã, quinta-feira 28 de Julho – serão mais de 300 refugiados afegãos que serão acolhidos no nosso país graças aos corredores humanitários, um projecto totalmente apoiado pelas associações proponentes e possível graças ao generosidade e ao compromisso livre e voluntário de muitos cidadãos italianos, que ofereceram suas casas para acolher, mas também congregações religiosas, ONGs e diversos sujeitos da sociedade civil. Entre eles, a Solidaire, que em colaboração com a Open Arms, contribuiu para a organização do voo desde o Paquistão.

Esta tarde, em Fiumicino, por ocasião da recepção dos refugiados, foi realizada uma coletiva de imprensa com a participação de: Marina Serena, Vice-Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional; marco impagliazzopresidente da Comunidade de Sant’Egidio; Daniele Garronepresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália; Alessandra Trottamoderador da Mesa Valdense; Filipe MiragliaGerente Nacional de Imigração da Arci; Valentina Brinis, Braços abertos; Sylvan Adams, CEO Israel – Premier Tech.

AQUI os vídeos e fotos do evento.

AQUI o vídeo da conferência de imprensa:

“Como governo italiano, assumimos o compromisso de não abandonar o povo afegão”, disse ele Marina Serena, Vice-Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional. “A situação humanitária é muito grave, especialmente para mulheres e meninas, que não puderam voltar à escola. Não podemos permitir que as crianças afegãs percam seu futuro. O governo italiano continuará, com seus parceiros e agências internacionais, levando ajuda humanitária ao Afeganistão e aos países vizinhos. Temos o dever de acolher aqueles que virão à Itália graças aos corredores humanitários, que são fruto do trabalho da sociedade civil italiana, que pôs em movimento e que, graças à colaboração dos Ministérios do Interior e das Relações Exteriores Assuntos, conseguiram esta primeira chegada”.

Daniele Garronepresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália e Alessandra Trottamoderador da Mesa Valdense, declara: “Até os evangélicos acolhem com alegria os beneficiários deste corredor humanitário para os refugiados afegãos. Não tínhamos esquecido deles. A chegada de hoje resulta do empenho conjunto de associações e instituições que têm trabalhado em conjunto para desenvolver e alargar a boa prática dos corredores humanitários inaugurados em 2016, e desde então também propostos às instituições europeias como política estruturante de gestão de refugiados. A dimensão ecumênica, que vê juntos evangélicos e católicos, é particularmente significativa para nós. Hoje damos as boas-vindas aos refugiados afegãos, assim como no passado recebemos os da Síria e da Líbia. Nestes dias estamos também empenhados em ações de apoio aos que fugiram da Ucrânia, convictos de que não se pode fazer distinção entre europeus e não europeus e que todos os refugiados que fogem da guerra e da perseguição merecem um destino seguro, sem distinguir a sua origem ou o seu identidade religiosa. Pelo contrário, esperamos que o acolhimento dispensado à população que foge da Ucrânia marque uma mudança de rumo, político e cultural, em relação aos refugiados de todas as outras nacionalidades e de todas as origens. Também esperamos poder abrir um corredor da Bósnia para refugiados literalmente presos ao longo da rota dos Bálcãs. Operando também em Lampedusa e vendo em primeira mão os efeitos até trágicos da migração irregular, reafirmamos a urgência de um plano europeu para a abertura de vias legais e seguras tanto para os migrantes como para os requerentes de asilo, para que aqueles que fogem ou migram nunca corram mais riscos sua vida. Agradecemos às igrejas da Federação, às igrejas irmãs no exterior, às entidades e associações que contribuem para este resultado, bem como aos contribuintes que optam por destinar o Otto per mille à Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense: seu gesto é também um contributo essencial para a concretização deste projeto de hospitalidade. Do nosso jeitinho, estamos sempre prontos e dispostos a fazer a nossa parte”.

Quanto à cota de pessoas acolhidas pelas igrejas protestantes, o Serviço de Inclusão da Diaconia Valdense acolherá, para esta primeira chegada, 15 pessoas, incluindo 3 famílias, na Sicília, Campânia, Lombardia e Piemonte. As pessoas serão acomodadas em apartamentos e inseridas em projetos de acolhimento generalizado para iniciar um processo de integração e resgate de sua autonomia.

“Não esquecemos o sofrimento dos afegãos! Hoje se cumpre uma promessa para 300 refugiados afegãos: a de não abandoná-los após a volta ao poder dos talibãs em agosto passado”, declarou em coletiva de imprensa marco impagliazzo, presidente da Comunidade de Sant’Egidio. “Estamos felizes em recebê-los e iniciar para todos eles o já testado processo de integração dos corredores humanitários. Estas pessoas serão acolhidas, em várias cidades, pelas nossas comunidades, mas também por cidadãos e congregações religiosas que quiseram abrir as portas das suas casas. Enquanto milhões de pessoas que fogem de guerras, fome e mudanças climáticas em busca de um futuro correm o risco de desaparecer dos holofotes ou se tornar objeto de exploração política, a Itália mostra sua face humana e acolhedora, graças a corredores humanitários e uma sinergia virtuosa entre sociedade civil e instituições “.

Filipe Miragliagerente de imigração da Arci Nazionale, disse:
“A Arci está muito feliz por participar pela primeira vez nos corredores humanitários: se essas pessoas que chegaram hoje de avião, acolhidas por nós e pela Itália com generosidade, tivessem partido sozinhas em busca de proteção e tivessem chegado às fronteiras da UE , recorrendo aos traficantes como 99% das pessoas que fogem são obrigadas a fazer, nós os chamaríamos desdenhosamente de “ilegais” e eles correriam o risco de acabar nos campos de concentração líbios que apoiamos, ou rejeitados em nossas fronteiras terrestres, como acontece todos os dias violando todos os leis e convenções internacionais. É por isso que queremos apoiar e investir, também para demonstrar que existem alternativas, em todas as formas de acesso legal e seguro como os corredores humanitários. Agradecemos à rede nacional dos Arci Refuge Circles, que oferecerá hospitalidade material e apoio aos beneficiários deste corredor humanitário, e ao Instituto Budista Italiano Soka Gakkai que decidiu dar prioridade com os fundos 8×1000 para intervenções de acolhimento e inclusão para as pessoas que fogem do regime afegão”.

Para Enrique Pineyro, da ONG Solidaire: “A viagem tem um valor muito alto para nós porque estamos acompanhando pessoas que querem fugir do local onde moram porque ali correm perigo. Entre casamentos forçados, a impossibilidade de estudar, a impossibilidade de sair de casa sozinha, as mulheres no Afeganistão vivem numa condição desumana. Ser capaz de ajudá-los a viver uma vida normal é muito gratificante.”

Acampamentos do Oscar, fundador da Open Arms, disse: “Eu nunca poderia imaginar, muito menos em 2015, quando começamos a resgatar pessoas que fugiam da guerra na Síria pelo Mar Egeu, que hoje eu estaria no aeroporto de Islamabad, ajudando na criação de uma organização humanitária corredor que trará mulheres e meninas afegãs para a segurança, neste caso na Itália. Isso foi possível graças à colaboração de muitas organizações e graças ao avião disponibilizado pela ONG Solidaire. Para nós que estamos habituados ao salvamento marítimo em condições difíceis, é um orgulho poder evacuar estas pessoas por vias seguras e legais. Continuaremos no mar, mas também é importante tentar evitar sofrimentos desnecessários facilitando de todas as formas esses corredores humanitários. A Open Arms and Solidaire continuará a fazê-lo sempre que possível.”

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Otto per mille Waldensian, a campanha de comunicação de 2 de maio

Otto per mille Waldensian, a campanha de comunicação de 2 de maio

Roma (NEV), 22 de abril de 2022 – Pessoas, as "pessoas comuns", no centro da campanha de comunicação de 2022 do Otto per mille Waldensian, que começará na segunda-feira, 2 de maio, na TV, no rádio, nos cartazes de muitas cidades italianas e na web. “No último ano – declara Manuela Vinay, chefe do escritório Otto per mille - prestamos mais atenção aos comentários recebidos 22nas mídias sociais e percebemos que as pessoas, os contribuintes italianos, tinham muito a dizer sobre nós. Então resolvemos dar a palavra a eles e foi lindo principalmente porque são pessoas comuns, não atores. Nunca deixa de me surpreender que as pessoas pensem tanto de nós. É lindo também porque somos todos iguais mas diferentes e diferentes e é no campo dos direitos, da inclusão, da defesa dos mais fracos, na luta contra a discriminação, nos valores universais que nos encontramos lado a lado”. Aqui estão algumas fotos dos bastidores durante as filmagens: ...

Ler artigo
#sinodovaldese.  A saudação de Mons.  Maurício Malvestiti

#sinodovaldese. A saudação de Mons. Maurício Malvestiti

Torre Pellice (Turim), 27 de agosto de 2018 (SSSMV/05)- "Irmãos e irmãs valdenses e metodistas, considero um autêntico dom do Único Senhor compartilhar este encontro em Torre Pellice". Assim começou Mons. Maurício Malvestitibispo de Lodi, em seu discurso esta manhã ao Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense, reunido em Torre Pellice (Turim). Malvestiti, acompanhado pelo diretor do Escritório Nacional da CEI para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso (UNEDI), dom Christian Bettegatrouxe saudações do cartão. Walter Bassettipresidente da CEI, e do bispo Ambrogio Spreaficopresidente da Comissão de Ecumenismo e Diálogo da CEI. Entre os vários temas em discussão no Sínodo, Malvestiti abordou "a delicada situação migratória" na Itália e na Europa. “Trata-se de uma preocupação pastoral compartilhada pelos bispos italianos”, disse Malvestiti, “que exige prudência e realismo, sem nunca sufocar a fantasia segura e a tradição de solidariedade, que animam profundamente nosso país”. “Reavivar as responsabilidades dos organismos públicos, a todos os níveis, é também nosso dever – prosseguiu o bispo -, e estamos igualmente empenhados em despertar as consciências dos crentes para que imprimam estes valores, e as correspondentes boas práticas, na sociedade de hoje, tanto a “sensação ordinária dos crentes, que incansavelmente e sem distinção abrem o coração e as mãos ao próximo, segundo o mais autêntico espírito evangélico”. Malvestiti também recordou e se associou ao “abraço da esperança” que o Sínodo ofereceu à cidade de Gênova através da arrecadação do culto inaugural doada aos desabrigados da ponte Morandi e a disponibilização de dois alojamentos para os que perderam suas casas. A agência de notícias evangélica NEV-news estará presente como Sala de Imprensa do Sínodo a partir de sábado, 25 de agosto, na “Casa Valdese” de Torre Pellice, na via Beckwith 2, tel. 0121.950035 cel. 342 113 4700, – (www.nev.it – Twitter: @nev_it – FB: @AgenziaNEV). #Sínodo ValdenseFACTSHEET Igrejas metodistas e valdenses na Itália (NEV/CS05) www.chiesavaldese.org – www.rbe.it – www.riforma.it ...

Ler artigo
UNEDI.  Uma criação a ser preservada

UNEDI. Uma criação a ser preservada

Foto de Sharon McCutcheon - Unsplash Roma (NEV), 13 de novembro de 2018 - A conferência nacional sobre o tema da Criação intitulada "Que seu coração guarde meus preceitos (Provérbios 3.1)" acontecerá em Milão de 19 a 21 de novembro de 2018. Uma criação a ser guardada, por crentes responsáveis, em resposta à palavra de Deus”. O programa é resultado de uma colaboração entre representantes de várias igrejas; de fato, juntamente com o Escritório Nacional para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso (UNEDI) da Conferência Episcopal Italiana (CEI), que promove a iniciativa, a Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), a Arquidiocese Ortodoxa da Itália e Malta de o Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, a Igreja Apostólica Armênia, a Diocese Ortodoxa Copta de São Jorge – Roma, a Igreja da Inglaterra e a Diocese Ortodoxa Romena da Itália. O encontro visa propor uma reflexão comum sobre uma possível proposta prática a ser implementada em conjunto nas comunidades locais, como cristãos na Itália e a elaboração de um apelo final, no estilo de uma carta à sociedade civil e política italiana. O programa inclui intervenções de representantes das várias igrejas sobre os temas do ecumenismo e da ecologia. O pastor Peter Pavlovich da Igreja Luterana Eslovaca refletirá sobre o tema “Da solidariedade à denúncia de caminhos errados. Os erros do homem recai sobre o próprio homem e, no entanto, ele continua a cometer erros”. A pastora valdense Letizia Tomassone intervirá com um relatório intitulado “Da denúncia à proposta de um novo caminho. Olhares de esperança em vista de uma maior consciência”. No dia 20 de novembro será realizada uma noite pública no Patriarcado Ecumênico da igreja de San Martino in Greco, moderada por Mariachiara Biagionijornalista do SIR, do qual participarão Luciano Gualzettidiretor da Cáritas Ambrosiana, Emanuele De Gasperisrepresentante da igreja batista e veterinário, o arquimandrita Atenágoras Fasiolo do Patriarcado Ecumênico. À noite, serão apresentadas experiências relacionadas a boas práticas ambientais e ecumenismo. As conclusões serão confiadas a Monsenhor Ambrogio Spreafico, presidente da Comissão de Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso da CEI; o pastor Luca Maria Negro, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália; pai Ionut Comanresponsável pelo ecumenismo da Diocese Ortodoxa Romena da Itália. A nomeação faz parte de um caminho ecumênico retomado em 2016 em Trento, após um longo intervalo das conferências nacionais sobre o Pai Nosso de 1999 e sobre as bem-aventuranças de 2003. A conferência acontecerá no Novotel Milano Nord Ca' Granda, Viale Suzzani 13, 20162 – Milão. Baixe o folder da conferência Milan-2018 ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.