metodistas e valdenses.  Colabore pela saúde, justiça e sustentabilidade

metodistas e valdenses. Colabore pela saúde, justiça e sustentabilidade

Torre Pellice (To) (SSSMV/10), 30 de agosto de 2020 – Os eventos da semana “Gerações e Regeneração. Cuidar de pessoas, memórias e territórios”. Uma rica revisão realizada nos vales valdenses, na província de Turim, nos dias habitualmente dedicados ao Sínodo das igrejas metodistas e valdenses, adiado este ano devido ao coronavírus.

Em suas saudações finais, o moderador da Mesa Valdense, diácono Alessandra Trottaagradeceu a todas as pessoas que participaram e colaboraram na semana.

“Foi uma semana intensa e espero que todos tenhamos tirado dela alento para continuarmos a travar ‘boas lutas’ – disse Alessandra Trotta na sua intervenção, na qual sublinhou a interligação entre todos os seres humanos -. Uma das questões mais relevantes hoje é a contabilização do dinheiro que os cidadãos nos confiam por meio do Otto per mille”. Este ano a Mesa não pôde fazê-lo diante do Sínodo, que foi adiado para o próximo ano. Mas esta semana o #senzasinodo e o encontro de hoje em particular, explicou o moderador, é uma forma de “retribuir às igrejas e aos cidadãos o que estamos fazendo. Podemos dizer oficialmente que analisámos todos os pedidos e atribuímos regularmente as verbas, cuja distribuição será, como sempre, tornada pública através do site, cerca de metade Setembro”.

Em 2020 os recursos ascenderam a quase 43 milhões de euros “pelos quais voltamos a agradecer”, disse Trotta. é sobre o 3,2% das escolhas dos italianos. Quanto aos pedidos de financiamento de projetos apresentados através da plataforma online, já chegaram 4671, mais uns bons 500 do que no ano anterior, apesar de o número de candidaturas que cada promotor podia apresentar ter sido fixado no máximo de 2 projetos. 3.000 dessas solicitações passaram pela fase preliminar formal e foram financiadas 1243 projetos, dos quais 452 no estrangeiro e 791 em Itália, em todas as áreas de intervenção.

Com relação aos setores que foram particularmente financiados, continuou o moderador, o mO maior número de projetos apoiados diz respeito ao mmelhoria das condições de vida das pessoas com deficiência física e mental, acompanhar projetos de crianças e adolescentes, projetos culturais e de saúde e por último, em termos percentuais, os relativos ao acolhimento e inclusão de refugiados e migrantes.

“Precisamente em um ano tão particular – concluiu o moderador – decidimos manter em alta a atenção à normalidade, mantendo a variedade de destinações dos projetos, para promover o desenvolvimento na direção de uma maior justiça social, da proteção dos direitos dos mais vulneráveis, sustentabilidade ambiental e participação democrática”.

Durante a semana “#senzasinodo”, numerosos convidados, especialistas e testemunhas falaram sobre os temas de administração territorial, justiça social, direitos das mulheres, direitos dos trabalhadores agrícolas e depois novamente sobre pregação, pastoral e diaconia, sobre o direito à moradia , sobre a infância, sobre informações em tempos de covid e sobre como a pandemia está afetando a vida das pessoas e comunidades. Para saber mais sobre o conteúdo e rever as intervenções propostas pelas igrejas metodista e valdense, as gravações e reportagens de todos os dias estão disponíveis no youtube ou na rádio Beckwith. Surge um quadro em que é fundamental colaborar com as instituições, igrejas e comunidades para a saúde, a justiça e a sustentabilidade na base da interligação e da cooperação. Portanto, esta é a agenda para os próximos meses.

Entre os protagonistas destes dias, o presidente do Parlamento Europeu David Sassolivice-presidente da região da Emilia Romagna Elly Schleinos prefeitos dos vales, o sociólogo Maurizio Ambrosinio jornalista Sara Maniseraativista social e sindical Aboubakar Soumahoro, Dora Bognandi para a Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) e Gabriella Rusticipresidente da Federação de Mulheres Evangélicas Valdenses e Metodistas (FFEVM), Donatella Baruspara a Fundação Umberto Veronesi, Sabrina Gianninijornalista investigativo da RAI3, Diretor Geral da ASL To3 Flávio Boraso e muitos outros. Momentos artísticos não faltaram, incluindo o show da cantora e atriz Christian Voglino e o concerto de Fabíola Alemão com música de Johann Sebastian Bach para violino solo.


Todos os insights desta semana estão disponíveis nesta página.

FACTSHEET Igrejas metodistas e valdenses na Itália

Parceiros de mídia: www.rbe.it – www.riforma.it

Assessoria de Imprensa: NEV-Agência de Imprensa de Notícias Evangélicas – www.nev.it – Twitter: @nev_it – FB: @AgenziaNEV – [email protected] (NEVCS/35)

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Sínodo Luterano.  Wolfgang Prader segue Georg Schedereit

Sínodo Luterano. Wolfgang Prader segue Georg Schedereit

Wolfgang Prader, foto de arquivo - CELI Roma (NEV CS/42), 10 de outubro de 2020 – Wolfgang Prader, membro da comunidade de Bolzano da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI), é o novo presidente do Sínodo Luterano. Prader foi eleito durante a 1ª sessão do XXIII Sínodo, aberta ontem em Roma e que se encerrará no domingo, 11 de outubro. Um sínodo presencial, que reúne cerca de 50 sinodais das 15 comunidades do CELI no cumprimento dos regulamentos anti-covid, com programa reduzido e sem convidados externos. foto CELI Após o relatório de despedida do presidente cessante Georg Schedereitque renunciou a uma segunda candidatura por motivos de saúde, o Sínodo elegeu a nova presidência na pessoa de Wolfgang Prader, ex-vice-presidente do CELI. Ingrid Pfrommerpresidente da Comunidade de Turim e tesoureiro cessante do CELI, assumiu a vice-presidência. Wolfgang Prader, como especialista em TI, pretende desenvolver o tema da igreja digital, um dos temas em discussão durante o curto Sínodo 2020. Os membros do Sínodo também falarão sobre a pandemia, a queda de assinaturas para o Otto por mil luteranos efetivos membros do CELI, da possibilidade de viver, ou reviver, a igreja como “comunidade e partilha, também graças às novas tecnologias. Uma tarefa emocionante e exigente aguarda a nova presidência”, declaram os luteranos. No dia 10 de outubro, os membros sinodais elegem também os três membros leigos do Consistório. O representante legal do CELI, Cordelia Vitielloconcorre a uma renomeação, enquanto os outros dois membros leigos do consistório, Ingrid Pfrommer e Ângelo Ruggierieles não reaplicaram. “Vejo o Sínodo como uma espécie de confederação – afirma o presidente cessante, Georg Schedereit -; Não vejo o CELI como uma igreja compacta com uma única doutrina e uma única visão. Muitas pessoas que decidiram ingressar neste nosso mundo luterano ao longo dos anos não são 100% luteranas. O CELI vive dessa multiplicidade evangélica que transcende fronteiras e doutrinas. Temos entre nossos membros sul-americanos, holandeses, suíços, reformados, luteranos, calvinistas, seguidores de Zuínglio, ex-católicos... 'Ser cristão não significa falar de Jesus Cristo, mas viver como ele viveu', disse Zwingli. A cada um do seu jeito. E por falar em 'Escolher = Wählen' (título desta sessão do Sínodo, ed.), direi também no meu relatório – conclui Schedereit -: penso que somos chamados a escolher entre a esperança e o desespero, a confiança e a desconfiança, filantropia e misantropia, veracidade e hipocrisia, auto-ironia e auto-elevação, humor e narcisismo, fechamento e abertura ao mundo, fé e medo". Leia a entrevista completa com o presidente cessante no site do CELI: "Uma faculdade de vida protestante aplicada". Para mais informações clique aqui. www.chiesaluterana.it – [email protected] – Chefe de Comunicação CELI/ Kommunikations-Beauftragte ELKI: Nicole Dominique Steiner – Mob. +39 335 7053215 ...

Ler artigo
O desaparecimento de Giovanni Mottura

O desaparecimento de Giovanni Mottura

O de Panzieri e seu grupo - entre eles muitos evangélicos - era um socialismo "libertário"; certamente atento ao papel da classe trabalhadora, mas não estritamente operário; “pragmática”, no sentido de vincular teoria e compromisso, método e experimentação. O cadernos vermelhos eles constituíram uma referência importante para uma geração de evangélicos que, em alguns casos, assumiriam papéis importantes na vida da Igreja Valdense. Eles também foram uma escola que posteriormente levou Giovanni a se medir contra os tumultuados fenômenos sociais da década de 1960, começando com a imigração para Turim e as lutas dos trabalhadores e dos estudantes. Fê-lo a partir de dentro, com participação militante e compromisso. Em anos que correram muito rápido, a perspectiva de mudança social e política foi muito concreta e, em um país que se polarizava, até as igrejas evangélicas foram atravessadas por debates e tensões. Foram os anos de estudo da imigração em Turim onde chegaram as "Nápoles", da colaboração com juventude evangélica e outras revistas como Investigação, uma revista que combinava compromisso político e análise social; trocas intelectuais com Vittorio Rieser e Enrico Pugliese, Maria Imaculada Macioti mas também Mario Miegge, Giorgio Bouchard e outros expoentes do protestantismo italiano. Com a atenção cautelosa, mas benevolente dos anciãos, uma nova geração de intelectuais leigos, teólogos e pastores assumiu o tema da mudança social e até mesmo da "revolução" como uma questão teológica. Revista juventude evangélicadirigido por Giorgio Bouchard primeiro e Marco Rostan mais tarde, tornou-se o centro de uma linha teológica e política para a qual Mottura também deu uma importante contribuição. A sua foi, por exemplo, uma formulação destinada a perdurar no tempo e a desencadear uma enxurrada de reações contrárias e escandalizadas: “Nós nos confessamos cristãos, nos declaramos marxistas”. Para alguns, essa fórmula reduzia a fé a uma ideologia política temporária, pregando um fundamentalismo de "esquerda" pouco compartilhado na base das igrejas. Na realidade, essa frase - à qual Giovanni frequentemente voltava em várias entrevistas, mesmo décadas depois - significava outra coisa. Em outras palavras, ele pretendia afirmar e reiterar a alteridade entre o nível teológico da confissão de fé e o nível histórico e político da declaração política; não invocou a síntese, mas, ao contrário, enfatizou uma distinção tipicamente barthiana entre o nível absoluto da revelação cristã e o nível relativo e contingente da opção política e ideológica. Os vestígios dessa época permanecem num volume de Gabriel De Ceccocom prefácio de Giovanni, publicado pela Claudiana em 2011, e uma longa entrevista em vídeo produzido pela Sérgio Veludo intitulado “Aqueles que fizeram isso”. Nos anos seguintes, sua carreira acadêmica, enriquecida por estudos e viagens aos Estados Unidos, trouxe Giovanni de Portici para a escola de sociologia agrícola em Manlio Rossi Doria, onde produziu importantes estudos sobre a agricultura meridional. Na Universidade de Modena e Reggio, onde concluiu a sua carreira académica, Giovanni foi dos primeiros a lidar com os imigrantes e, em particular, com as parcelas do mercado de trabalho que abrangem: funcionais à produção mas rejeitadas a nível social. Não poucas vezes Giovanni colocou suas habilidades à disposição das igrejas evangélicas: isso aconteceu nos anos de intervenção da Federação das igrejas evangélicas na Itália (FCEI) após o terremoto de Irpinia, quando uma frutífera reflexão sobre o Sul e o novo desafios que colocou; mais recentemente em várias conferências da FCEI sobre imigração, a última na Calábria - em Rosarno - em outubro de 2019. Na ocasião, as igrejas evangélicas lançaram um projeto de trabalho original para combater a contratação ilegal, apoiar a economia ecológica e legal, restaurar as condições sociais e habitacionais dignidade aos migrantes engajados na cadeia agrícola. João estava lá. Leia em Riforma.it ...

Ler artigo
Mensageiros da Esperança – Nev

Mensageiros da Esperança – Nev

Roma (NEV), 29 de dezembro de 2021 – Em sua primeira mensagem de Ano Novo como Secretária Geral da Federação Luterana Mundial, a pastora e teóloga Anne Burghardt encoraja as igrejas a serem "arautos da esperança no mundo de hoje", colocando "a fé em ação", contribuindo para a inclusão e lutando pela unidade. “Que Deus conforte todas as pessoas que sofrem e todos aqueles que lutam contra a pandemia e suas consequências. […] Oramos pelo fim da violência, injustiça e opressão […] Cristo nos encoraja a cruzar com coragem o limiar de 2022. Levados por seu amor, entramos no novo ano sabendo que ele está conosco todos os dias. Livres do medo e do desespero poderemos partilhar com os outros os dons que recebemos: ser luz no mundo e para o mundo, servir o próximo, difundir a paz e a reconciliação e defender a dignidade humana onde quer que estejamos, seja o que for as circunstâncias, seja qual for a necessidade. Devemos acolher-nos uns aos outros, como Cristo nos acolheu (Rm 15,7), sem nos afastar nem separar. Somos chamados não a ser mensageiros de exclusão, mas de inclusão; não os que contribuem para a fragmentação, mas os que lutam pela unidade”, lê-se no texto do Pr. Burghardt. Aqui o texto completo da mensagem, em inglês. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.