Bouchard.  As condolências das igrejas pentecostais

Bouchard. As condolências das igrejas pentecostais

Roma (NEV), 29 de julho de 2020 – O presidente da Federação das Igrejas Pentecostais, pároco carmim napolitanoenviado ao pároco Luca Maria Negrocomo representante da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), uma mensagem de “proximidade fraterna e amiga” depois de saber da morte do pároco George Bouchard.

No texto da carta, Napolitano recorda a “presença multifacetada no mundo evangélico (de Giorgio Bouchard) e as várias funções desempenhadas ao mais alto nível, incluindo as de gestão (que) muitas vezes o colocam em contacto com o mundo pentecostal para o qual, ao longo tempo, ele teve uma abertura significativa ao encorajar colaborações operacionais com o mundo reformado”.

“Com ele desaparece um protagonista da vida evangélica de nosso país entre os mais comprometidos em termos de diálogo social e político – escreveu Napolitano – certamente deixando um vazio, mas também um exemplo que o consigna à história com emoção e afeto”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Vinte Anos do Artigo 21 – Nev

Vinte Anos do Artigo 21 – Nev

foto não salpicada Roma (NEV/Riforma.it), 4 de julho de 2022 – A noite Article21 será realizada hoje, 4 de julho, em Roma, na Casa Internazionale delle Donne, para celebrar os primeiros vinte anos da associação que reúne jornalistas, escritores, diretores, juristas para promover o princípio da liberdade de expressão. “Um momento compartilhado com muitos amigos para repassar as muitas batalhas e iniciativas em defesa da liberdade de expressão na Itália e no mundo” e para discutir os compromissos atuais e futuros. Vamos comemorar juntos #20anosArt21 no@CasaIntDonne_Rm na via della Lungara 19 a #Roma.Para inscrições tem ativo o IBAN IT19D0335901600100000106255, registado na associação #Item21Via Adolfo Ravà, 106 – 00142 Roma. Esperamos que muitos de vocês venham! — article21.info (@Artventuno) 3 de julho de 2022 “Vinte anos e tantas coisas por dizer, caminhos por percorrer – continua no site do Artigo 21, livre para… –, ideias para pôr em circulação e ideais para defender. O Artigo 21 entra em seu auge e relança os temas que caracterizam o negócio desde o primeiro dia. Ou seja, aquela “fixação” pela liberdade de expressão que, no entanto, não coincide com “sinal verde para os insultos”. De 2002 até hoje muitas coisas aconteceram ao nosso redor, dentro de nós, graças a nós ou apesar de nós, a Associação Artigo 21 cresceu graças à contribuição e atenção de um mundo que não coincide com o dos jornalistas e que tem ajudou-nos a iluminar as periferias geográficas, sociais, econômicas e a contar o que muitos não quiseram ver ou contar na Itália e no mundo. Por isso, o aniversário do Artigo 21 (que foi precisamente no último dia 27 de fevereiro) foi uma longa comemoração, estendida aos círculos regionais e com a presença de associações, órgãos, universidades, fundações e colaboradores, parte de uma grande família que sulca a liberdade e o respeito para o outro. "Os vinte anos do Artigo 21 celebrados oficialmente no dia 4 de julho não serão uma ocasião meramente simbólica - especifica o porta-voz nacional Elisa Maríncola –. Com a memória deste longo e intenso período juntos e com cada uma das iniciativas nacionais e sobretudo locais, pretendemos relançar as campanhas que temos promovido, partilhado com outras realidades e que continuamos a relançar porque a emergência democrática não parece terminam na Itália e no mundo, e a implementação dos princípios constitucionais ainda requer uma longa jornada e o compromisso de todos nós por muito tempo”. Artigo 21 "nunca sofreu de ciúmes de siglas e organização, nunca aspirou ser" o primeiro ", melhor ser o último - escreve Joseph Giulietti, um dos fundadores e ainda mentor do Artigo 21 sobre Liberdade e Justiça – mas chegando à linha de chegada junto com as tantas diversidades e diferenças, sem as quais haveria apenas o coro de pensamento único. Então, quando tivemos que defender a Constituição e nos opor às mordaças, junto com a Federação Nacional da Imprensa, decidimos reunir todos na Piazza del Popolo em Roma, sem bandeiras partidárias, sem espírito corporativo, todos unidos atrás de uma enorme bandeira tricolor e com a Constituição em mãos”. Eles estarão presentes para a Federação das Igrejas Evangélicas na Itália Gian Mario Gillio da Reforma e porta-voz do Círculo Piemonte do Artigo 21 (gerente de relações externas da Fcei e diretor-gerente da agência de imprensa Nev), Cláudio Paravatidiretor do Confronti e apresentador da coluna Rai3 Protestantismo. ...

Ler artigo
FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes.  Roberto Mellone

FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes. Roberto Mellone

O Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), triênio 2018/2021, imagem de arquivo Roma (NEV), 25 de outubro de 2021 – Em vista da Assembleia no final do mês, quando o atual Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) terminará seu mandato e um novo Conselho e um novo presidente serão ser eleito, reunimos o testemunho de serviço nestes anos de trabalho ao Conselho da Federação, àqueles que, ou seja, têm orientado o caminho da FCEI. Pedimos assim aos vereadores e vereadores cessantes que nos falassem do passado, através de um balanço da experiência feita, e um olhar para o futuro. O Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), triênio 2018/2021, imagem de arquivo O primeiro protagonista desta série de artigos é Roberto Mellonetesoureiro cessante da FCEI. Qual é a sua avaliação desta experiência? “Definitivamente um balanço positivo. A nível estritamente pessoal e espiritual foi uma experiência verdadeiramente enriquecedora: pelas muitas pessoas que conheci nas várias missões, por ter podido trabalhar com irmãs e irmãos de outras confissões evangélicas, por ter dado um modesto mas espero útil contributo às atividades da FCEI. A nível mais institucional, nestes seis anos (dois triénios), tenho visto e contribuído para o desenvolvimento de inúmeras iniciativas ao tocar nos muitos e diversificados sectores de actividade desenvolvidos pela FCEI. Da formação à liberdade religiosa, da área migratória à resposta de emergência em emergências humanitárias, da informação jornalística à produção de rádio e televisão. O que me ajudou muito desde o início foi o ambiente em que se desenvolviam os trabalhos do nosso conselho: colaboração e fraternidade que nos permitia unir forças e desenvolver o diálogo interno nas melhores condições possíveis. A responsabilidade de tesoureiro deu-me também a oportunidade de conhecer os mecanismos de funcionamento da máquina organizativa da FCEI. O primeiro ano, talvez o mais cansativo, foi dedicado a conhecer os pontos fracos da administração e a iniciar algumas reformas internas que foram sendo aperfeiçoadas e implementadas nos anos seguintes. Excelente relacionamento com os colaboradores, amplamente renovado durante o mandato, e com a cooperativa Martin Luther King nosso precioso parceiro nas missões da Mediterranean Hope, o serviço aos migrantes da FCEI". Que testemunho você tem vontade de deixar para aqueles que virão depois de você? “Gostaria de desejar ao próximo ecônomo os meus melhores votos por um serviço exigente e responsável. O suporte da equipe e o relacionamento próximo com o profissional externo são duas ferramentas fundamentais para que tudo funcione bem. A estrutura financeira e patrimonial é a de um órgão eficiente e deve ser consolidada com um trabalho de planejamento e controle que deve envolver todos os serviços da federação. O novo conselho também terá que estudar os reflexos da reforma das entidades do terceiro setor na vida da FCEI. Já foi iniciado um estudo sobre os custos e benefícios de nossa possível adesão e estamos deixando um laudo técnico do profissional que nos atendeu até o momento. A um nível mais geral, desejo aos novos diretores e ao novo presidente a capacidade de criar o clima de trabalho positivo que, como já disse na minha experiência, é essencial para a concretização dos nossos projetos. Com a ajuda do Senhor”. ...

Ler artigo
Estão em curso em Roma as reuniões da Comissão Metodista-Católica Romana

Estão em curso em Roma as reuniões da Comissão Metodista-Católica Romana

Os dois co-presidentes da Comissão: o católico Shane Mackinley e o metodista Edgardo Colon-Emeric (foto christianunity.va) Roma (NEV), 3 de outubro de 2022 – A XII série de encontros de diálogo teológico da Comissão Internacional Metodista-Católica Romana (MERCIC) começou esta manhã com um culto na igreja metodista de Ponte Sant'Angelo, em Roma. Hospedado pelo Escritório Ecumênico Metodista de Roma (MEOR) – cujo diretor, pároco Matthew Lafertyé também co-secretário do MERCIC -, a Comissão abordará o tema da unidade e missão nos próximos cinco anos. O culto de abertura ofereceu a liturgia da Renovação da Aliança, tradição metodista introduzida pelo fundador do movimento, João Wesley (1703-1791). Nesta ocasião, o pároco da igreja da Ponte Sant'Angelo dirigiu suas saudações à Comissão, Daniel Pratt Morris-Chapmano moderador da Mesa Valdense, Alessandra Trottae o presidente da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, Daniele Garrone. As reuniões da Comissão, nomeada conjuntamente pelo Conselho Metodista Mundial e pelo Dicastério do Vaticano para a promoção da unidade dos cristãos, durarão até 8 de outubro próximo. A Comissão é co-presidida pelo pastor metodista Edgardo Colon-Emericreitor da Duke Divinity School (EUA) e por Mons. Shane Mackinlay da diocese de Sandhurst (Austrália). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.