Nasce o Observatório Inter-religioso sobre a violência contra a mulher

Nasce o Observatório Inter-religioso sobre a violência contra a mulher

Roma (NEV), 25 de fevereiro de 2019 – O primeiro observatório inter-religioso sobre a violência contra as mulheres será oficialmente estabelecido na quinta-feira, 14 de março, em Bolonha.

22 mulheres de várias tradições religiosas (cristãs protestantes – luteranas, metodistas, valdenses, batistas, adventistas, pentecostais -, católicas, ortodoxas, judaicas, islâmicas, hindus, budistas) redigiram um Memorando de Entendimento que assumirá a forma de iniciativas culturais, sensibilizar e monitorar a questão da violência contra a mulher. Entre eles também Dora Bognandi, Adventista, presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI).

A ideia vem de longe. Em 9 de março de 2015, representantes de dez denominações cristãs assinaram no Senado um Apelo Ecumênico contra a violência contra as mulheres. “Um ato de responsabilidade, promovido pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), motivado pela consideração de que a violência contra as mulheres é um gesto contra todo ser humano e contra o próprio Deus. E da crença de que as comunidades cristãs devem se comprometer a promover internamente uma educação que liberte os homens da ânsia de cometer violência contra as mulheres e apoie a dignidade, os direitos e o papel das mulheres em todas as esferas da vida, privada e pública ” lê-se no comunicado de imprensa dos promotores.

Relançado durante os dias das mesas redondas inter-religiosas em Bolonha entre 2016 e 2018, os temas do Apelo permaneceram vivos e, graças ao trabalho de Paula Cavallarichefe da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) de Bolonha, encontrou um novo impulso na promoção deste novo órgão nacional, “voltado para o diálogo inter-religioso e intercultural, a discussão, a educação de gênero, a prática e a manifestação de mulheres e homens sobre o problema violência contra a mulher, que não é uma emergência, mas um problema estrutural”.

Encontro na quinta-feira, 14 de março, em Bolonha, na Fundação João XXIII de Ciências Religiosas (via San Vitale, 114). A assembleia do grupo constituinte terá lugar pelas 15h00; seguir-se-á a assinatura do Memorando de Entendimento e uma conferência de imprensa.

Para informações: Paola Cavallari: tel. 3280027288

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

17 de fevereiro.  “Partido da Liberdade de Todos”

17 de fevereiro. “Partido da Liberdade de Todos”

Roma (NEV CS/05), 17 de fevereiro de 2020 - "Para os protestantes italianos, este é o Dia da Liberdade: não apenas a nossa liberdade, mas a de todos". Estas são as palavras de Luca Maria Negro, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) no dia em que celebramos o 172º aniversário das Cartas-Patente com as quais o Rei da Sardenha, Carlo Alberto, concedeu direitos civis aos seus Sujeitos protestantes, os valdenses. No mês seguinte, ele também os concedeu aos judeus. E os evangélicos italianos dedicam este ano a Semana da Liberdade (por volta de 17 de fevereiro) ao tema do antissemitismo. A Mole Antonelliana, em Turim, iluminada para 17 de fevereiro “Um fenômeno que se reacende perigosamente na Itália, na Europa e no mundo – continuou Negro -. Os dados são alarmantes: os atos de ódio contra os judeus estão aumentando, começando com ataques verbais, especialmente online, profanação de cemitérios e lápides, pedras de tropeço arrancadas, casas marcadas com escritos difamatórios”. A FCEI preparou um compêndio para esta Semana da Liberdade, Contra o anti-semitismo e a cultura do ódio, como ferramenta de reflexão e análise para as igrejas federadas. “A Federação propõe partir das pedras de tropeço porque elas nos permitem recordar – sublinhou o Presidente Negro -. Eles nos fazem tropeçar em nome das vítimas, na trágica história da Shoah, em discursos cheios de preconceitos antissemitas”. O presidente da FCEI lembrou também que como cristãos devemos tropeçar no fato de que a inimizade contra os judeus, ideológica antes mesmo de praticada, foi alimentada no seio do cristianismo e que fez parte da bagagem 'normal' de ' qualquer 'cristão. “A tarefa de reconhecer e eliminar visões antijudaicas é ecumênica. Esperamos que os cristãos das várias confissões também na Itália se unam para denunciar o anti-semitismo e dialogar com os judeus, nossos irmãos mais velhos na fé” concluiu Negro. ...

Ler artigo
Empatia.  Escuta, dúvida, misericórdia

Empatia. Escuta, dúvida, misericórdia

Pablo Picasso. Menina com pomba (detalhe) 1901. Imagem escolhida pela Comissão para a Globalização do Meio Ambiente para a Temporada da Criação 2022 Dossiê sobre empatia Roma (NEV), 21 de junho de 2022 – Está pronto o Dossiê da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) para o Tempo da Criação 2022. Título: “Empatia. Escuta, dúvida, misericórdia”. O documento contém ideias homiléticas, meditações, liturgias, materiais e percepções. É dirigido a todas as igrejas federadas, mas não só. Cada pessoa e comunidade interessada no período litúrgico conhecido como "Tempo da Criação" poderá encontrar nas páginas do Dossiê alimento para reflexão e ferramentas preciosas para compartilhar. O "Tempo da Criação" é um período litúrgico ecumênico que começa todos os anos em 1º de setembro e termina em 4 de outubro, e que teve seus primeiros passos com a Assembleia Ecumênica Européia em Graz (Áustria) em 1997. a Comissão GLAM da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália vem propondo um dossiê temático, este ano justamente sobre o tema da empatia. “Este Dossiê – lê-se na introdução –, tal como o anterior, está marcado temática e conteúdo pelos vestígios dos tempos que investiram a população mundial desde 2020 ao nível da saúde e da estabilidade do tecido social, este último especialmente no Norte Global. A sustentabilidade da globalização, na fase de recuperação dos fluxos de mercadorias perturbados pelas políticas de contenção do vírus, recebe mais um golpe com a guerra na Ucrânia: para a Europa a conversão das energias fósseis é ainda mais urgente. Num clima tão carregado de tensões e ameaças, GLAM apresenta a proposta de reflexão sobre a categoria da empatia, um possível auxílio para estabelecer relações menos esquemáticas". GLAM também fala de humanidade, dignidade, emoções e sentimentos. E observa que a 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), intitulada “O amor de Cristo move o mundo rumo à reconciliação e à unidade”, acontecerá precisamente na fase inicial do Tempo da Criação. É nesta linha de amor que a GLAM pretende dar o seu contributo. Para baixar o Dossiê completo, clique abaixo: Dossiê TDC 2022 – EMPATIA Introdução – Comissão de Globalização e Meio Ambiente Sugestões homiléticas, meditações Empatia ecológica? A necessidade de uma nova linguagemHanz Gutiérrez Quem é sábio e inteligente entre vocês?Tiago 3, 13-18Antonella Visintin Rotigni Elementos empáticos na BíbliaAndreas Köhn Liturgias Maria Elena Lacquaniti Materiais A empatia como ferramenta para olhar e ver a criaçãoTheresa Isenburg Andar com os pés nos sapatosMaria Elena Lacquaniti Entrevista com Antonella Scuderi e Ivano De Gasperis, um casal empático na vida, na fé, na sociedadeEditado por Maria Elena Lacquaniti Empatia na era da tecnologia de massaBriga Gerard Empatia, natureza, o humano e a féÉmile Florio Precisamos compartilhar o pão da democracia, da liberdade e dos direitos humanosMaurício Bolognetti Para saber mais Jean-Philippe Faure – Céline Girardet, Empatia, No coração da comunicação não violentaPaul Krieg ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.