Ainda sabemos reconhecer o mal?  Entre ciência, filosofia e teologia

Ainda sabemos reconhecer o mal? Entre ciência, filosofia e teologia

foto JW/Unsplash

Roma (NEV), 3 de maio de 2022 – “Ainda sabemos reconhecer o mal? Reflexões sobre o mal entre ciência, filosofia e teologia”. Este é o título da conferência promovida e organizada pelo Centro Cultural Protestante de Turim. Marcação presencial ou direto no FaceBook nos dias 5, 6 e 7 de maio de 2022.

Esta conferência sobre o tema do mal nasceu de uma intuição do pároco Paulo Ribet, Presidente do Comitê Científico do Centro Cultural Protestante de Turim. “Começamos há três anos, no outono de 2019, com uma conferência semelhante intitulada Dire Dio oggi. Como Deus é dito e pensado nas sociedades contemporâneas – explica Ribet, questionado pela Agência NEV -. Continuando com a reflexão, quase que natural pensar no oposto de Deus, ou seja, no mal. Especialmente desde que a pandemia de covid começou em 2020. A guerra na Ucrânia agora torna esta questão dramaticamente atual”.

O Comitê Científico decidiu ampliar a discussão. “O tema de Deus e o tema do mal estão entrelaçados – continua o pároco -. Ainda sabemos reconhecer o mal? Continua sendo um grande quebra-cabeça. A conferência não pretende dar uma resposta absoluta, mas tentará dar uma contribuição. O bem e o mal viajam juntos. A ideia de respeito ao outro, por exemplo, traz consigo a ideia de que está tudo bem, até o próprio mal. De alguma forma, no final, isso leva a uma incapacidade de apreender distinções éticas e, portanto, também à impossibilidade de ter perspectivas para o futuro”.

Perguntas e reflexões para entender as perspectivas futuras

A reflexão sobre este tema parte de uma espécie de “caminho de aproximação”, continua Ribet. De reuniões para pregadores locais sobre o tema do pecado, em colaboração com a Faculdade de Teologia Valdense. Aos estudos bíblicos sobre a figura de Jó. São palcos de uma reflexão sobre inquietações pessoais e coletivas que envolvem profundamente a dimensão humana. Recentemente, relata o pároco, nasceu uma coordenação de centros culturais em chave protestante e interdenominacional, que envolve, entre outras coisas, Turim, Milão, Bérgamo, Florença, Sondrio. Esses caminhos podem ser um estímulo para um estudo mais aprofundado.

“Tenho a impressão – conclui Paolo Ribet – de que a questão atual e angustiante da guerra será abordada. Como lidamos com a questão do mal, em geral, também nos diz como lidamos com nosso futuro. De que perspectiva lidamos com o problema ucraniano? Para onde queremos ir? Fazer perguntas pode nos ajudar a entender diferentes perspectivas.”

O Centro Cultural está diretamente envolvido no processamento. Entre os oradores contam-se, aliás, alguns representantes da Comissão Científica, como por exemplo Pepino Ortolevaprofessor de Ciências da Comunicação, e Clare Simonigh, professor de mídia e cultura visual, ambos da Universidade de Torino. Além disso, Daniele Garrone, professor de Antigo Testamento na Faculdade Valdense de Teologia em Roma, bem como presidente da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI). Garrone falará sobre “Como falar do mal sem simplificações, e sem argumentar”.

Estrutura da conferência

O cartaz da conferência diz: “A primeira sessão será dedicada a Dor. É o mal que se manifesta como um poder estrangeiro e inimigo, obscuro e pouco inteligível, que, como estamos a viver – com a pandemia, com a guerra – nos ataca, nos invade, perante o que muitas vezes somos desarmados. A segunda sessão será dedicada a Mal e religiões. Representantes de algumas das grandes religiões e especialistas em assuntos bíblicos ajudarão a esclarecer a visão das religiões sobre este assunto. A terceira sessão será dedicada a A violência. Esta sessão pretende examinar os males pelos quais os seres humanos são diretamente responsáveis, examinando os aspectos jurídicos, políticos e econômicos das desigualdades e injustiças, a crise ambiental iminente, a violência que, de formas cada vez mais difundidas, é exercida através da mídia. A quarta sessão intitulada Um mal, muitos males, males infinitos? ele puxará os fios da discussão ao resumir e organizar as perspectivas que surgiram”.

A conferência pode ser acompanhada online na página do Facebook “Centro Culturale Protestante di Torino”. As atas da conferência serão então publicadas na revista Protestantesimo.

Descarregue aqui o folheto.


RESUMO DO PROGRAMA


Quinta-feira, 5 de maio, das 14h30 às 18h30

Dor

caixas de som

  • Enzo Bianchi: O enigma do mal
  • Sérgio Maná: Deus e o Mal: ​​Uma Perspectiva Teológica
  • Pepino Ortoleva: Mal em todos os lugares, mal invisível
  • Paolo Vineis: O mal pode ser prevenido

Apresenta e modera: Paulo Ribet


Sexta-feira, 6 de maio, das 9h30 às 12h30

Mal e religiões

caixas de som

  • Ariel Di Porto: As declinações do mal na tradição judaica
  • Swamini Hamsananda Giri: Dharma e adharma. A finitude do mal
  • Eric Noffke: Eu vi Satanás cair do céu como um raio!» (Lucas 10,18) Mas então para onde ele foi?
  • Fulvio Ferrario: Adeus Agostinho? Notas sobre a doutrina do pecado original

Moderado: maria bonafede


Sexta-feira, 6 de maio, das 14h30 às 18h30

A violência

caixas de som

  • Clare Simonigh: O lado escuro da tela. A mídia e a experiência do mal
  • Gabriela Lettini: Maldade e Lesão Moral
  • Christoph Wulf: O mal não intencional no antropoceno e as tentativas de lidar com ele
  • John Balcet: Mercado e poder: o mal na economia

Moderado: Mauro Belcastro


Sábado, 7 de maio, das 9h30 às 12h30

Um mal, muitos males, males infinitos?

caixas de som

  • Simon Strong: Qual é o sentido de falar sobre o mal hoje?
  • Cláudio Ciancio: Remoção e reconhecimento do mal
  • Daniele Garrone: Como falar do mal sem simplificações e sem argumentar
  • Carlo Galli: Qual mal para qual política?

Modera e conclui: Frederico Vercellone

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Você não está sozinho!  Evangelização e direitos das mulheres

Você não está sozinho! Evangelização e direitos das mulheres

Roma (NEV), 3 de maio de 2023 – Os direitos das mulheres estão no centro da Semana de Evangelização 2023, organizada pela Comissão para a Evangelização das Igrejas Metodistas e Valdenses e pelo Departamento de Evangelização da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI). O evento tem como slogan "Você não está sozinho!” e pretende conscientizar sobre a situação de opressão e violência que muitas mulheres vivem no mundo, inclusive na Itália. “Este ano pensamos em propor uma evangelização “corporificada”, concreta e específica, na qual o anúncio do evangelho libertador se liga a realidades concretas”, explicou. Mário Cignoni, coordenador da Comissão. Isto porque, como afirma o flyer criado para a ocasião, se “o cristianismo é um caminho de liberdade e libertação em Cristo”, não é apenas numa “perspetiva distante no tempo que remete para outra dimensão: Cristo liberta-nos aqui e agora com a sua Palavra”. A Semana tem um evento principal associado que acontecerá em verona, sábado, 6 de maio. Estão previstos dois encontros ao ar livre, na Ponte Pietra e uma terceira final às 16h00 na templo valdense na via Duomo 4, na esquina com a via Pigna. Uma brochura produzida pela Comissão de Evangelização O programa inclui a apresentação de algumas figuras femininas da Bíblia, começando pelas "mulheres da genealogia de Jesus, ou seja, as 'mulheres que conduzem a Cristo'", para depois se debruçar sobre a situação da mulher em algumas zonas do mundo, como Irã e Afeganistão, sem esquecer a Itália onde "ainda há um longo caminho a percorrer em termos de igualdade efetiva entre homens e mulheres", voltou a explicar Cignoni. O folheto afirma o direito das mulheres em todos os lugares “à autodeterminação, a viver livremente seguindo suas escolhas políticas e religiosas, sua orientação sexual e o estilo de vida que preferirem. Afirmamos seu direito à educação e ao entretenimento, de trabalhar e ser independente, de amar e ser amado, seu direito de ser feliz”. A reunião do sábado, dia 6, faz parte de um fim de semana cheio de eventos para a igreja valdense de Verona que inclui, de 5 a 7 de maio, a exposição “A Palavra Escrita”, exposição da Bíblia organizada pela Sociedade Bíblica da Itália (SBI); Sexta-feira 5, "... dizendo o Nome de Deus", leituras dos "Diários" de Etty Hillesum, editados por Lorenzo Gobbi e Mario Cignoni, com música original de Gianmaria Rizzardi executado pelo autor; Domingo, 7, “A polifonia do povo de Deus, concerto do Coro Ecumênico de Verona. ...

Ler artigo
Plante uma semente.  Inscrições abertas para o 6º encontro nacional da ecocomunidade

Plante uma semente. Inscrições abertas para o 6º encontro nacional da ecocomunidade

Roma (NEV), 1º de julho de 2022 – Estão abertas as inscrições para o 6º encontro de ecocomunidades. Organizado pela Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), será realizado em Nápoles de 4 a 6 de novembro. Uma parte do programa também poderá ser usada remotamente. A GLAM convida todas as comunidades e indivíduos interessados ​​a se registrarem e participarem, presencialmente ou virtualmente. O título desta edição é "Plantando uma semente". GLAM escreve na apresentação do evento: “Os sinais das mudanças climáticas e os danos da poluição não afetam apenas o ciclo da água e a biodiversidade terrestre e marinha, mas, de maneira mais geral, destacam a porosidade e, portanto, a interdependência da vida. Por esta razão, religiões e credos em todo o mundo estão trabalhando para pressionar governos e tomadores de decisões econômicas a tomarem decisões responsáveis ​​com força ainda maior. Nos campos da energia e da alimentação, a guerra na Europa e a gestão da saúde fizeram uma escolha crucial e neste cume as igrejas se comprometem a fazer a sua parte. 'Andar a falar', o acompanhamento das palavras é imperativo”. A GLAM questiona-se, e questiona-se, como “Ser uma eco-comunidade, num período de exacerbação dos desafios para as relações humanas e o seu impacto no meio ambiente”. Plano O programa, ainda em andamento, abre com uma conferência pública sobre ecoteologia (sexta-feira, 4 às 18h30) com Kirsten Thiele E Hanz Gutiérrez. Moderado Briga Gerard. Sábado, 5 de novembro, pela manhã, mesa redonda sobre "Energia e transição alimentar - soberania alimentar e conversão do consumo". eles moderam Pierpaolo Nunzio E Maria Elena Lacquaniti, coordenador do GLAM. À mesa, Gianni Apetecchi sobre "O estado das escolhas energéticas para a indústria e os cidadãos". Emanuele De Gasperis sobre "Fazendas, nutrição animal, importações". Maria Elena Lacquaniti sobre "Animais e guerra". Haverá também a exibição de um vídeo da Zâmbia sobre exportações, mudanças climáticas e dependência alimentar. A seguir, o depoimento de um agricultor e um momento de debate. À tarde, a palavra às eco-comunidades. Moderado Francesca Evangelista. Após a introdução de Gerardo Litigio, segue-se uma troca de experiências. Além disso, serão apresentados os projetos GLAM mais recentes. Entre eles, a Campanha do plástico descartável e o projeto Corredores Ecológicos para insetos polinizadores. O programa termina no domingo, 6 de novembro, com uma celebração pública do Dia da ONU para a Prevenção da Exploração do Meio Ambiente na Guerra e nos Conflitos Armados, precedida de culto na igreja luterana de Nápoles. Para informações e inscrições escreva [email protected] GLAM e eco-comunidades A Comissão GLAM está a serviço de comunidades e indivíduos que pretendem abordar questões ambientais e ecológicas a partir de uma perspectiva de fé. Entre suas atividades, está a construção de redes, dentro e fora das igrejas, em nível nacional e internacional. Um dos focos da GLAM é o trabalho para mulheres comunidade ecológica. Existem eco comunidades "iniciadas", "em andamento" e "graduadas", com base na adesão a um determinado limite de 40 critérios ambientais sobre: ​​culto e outros momentos litúrgicos. Trabalhos de manutenção visando a economia de energia. Eliminação de plástico. Educação e implementação de comportamentos virtuosos na administração, compras, uso de energia, mobilidade e gestão de resíduos. Até a verificação da ética dos bancos em que insistem as contas correntes das igrejas. O comunidade ecológica em Itália, algumas dezenas candidataram-se ao diploma GLAM, num universo de mais de uma centena de simpatizantes. ...

Ler artigo
“Uma nova comunidade onde as diferenças são respeitadas e valorizadas”

“Uma nova comunidade onde as diferenças são respeitadas e valorizadas”

Foto Laura Caffagnini Roma (NEV), 3 de agosto de 2021 - Concluiu-se a 57ª jornada de formação da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) realizada em Camaldoli, na província de Arezzo, de 25 a 31 de julho de 2021. Este é o título da sessão: “'Contarás a teu filho' (Ex 13,8). As palavras de fé na sucessão das gerações. Uma busca ecumênica (I)”. A reunião contou com uma grande participação de jovens: estudantes, seminaristas, catequistas que trabalham em suas respectivas igrejas. Ao final da reunião, em diálogo com o presidente da SAE Pedro Stefanio pregador valdense Erica Sfredda ele disse: “Chegamos com nossas histórias e bagagem pesada e bebemos das mesmas fontes. Ecumenismo é ter um novo estilo de vida aberto aos outros, aos migrantes, aos colegas; é uma nova forma de encarar a vida”. A SAE escreve no comunicado de imprensa que relata os últimos dias de trabalho: "A comunidade cristã é também uma comunidade de profetas onde as vozes se respeitam, não se impõem, se compõem e se submetem ao discernimento mútuo em vista da construção de o crescimento de todo o corpo de Cristo". Este é o coração da meditação Maria Paola Rimoldi, membro do grupo teológico SAE. O teólogo pentecostal, propondo o "canto e contra-canto" do livro do profeta Joel (cap.3,1) e dos Atos dos Apóstolos (cap.2,16-17) mostrou como "a Escritura comenta a dentro de si ensinando-nos a abordar o texto e a abrir-nos a novas descobertas e relações a partir dele”. Profecia e colaboração A boa notícia válida para todos os tempos, continua a SAE, é que “diante da falibilidade do ser humano e do seu pedido de arrependimento, a resposta do Senhor supera todas as expectativas. Seu próprio espírito, o Ruach, será aspergido sobre toda a 'carne'. O Espírito rompe a realidade para reconstruir uma nova visão das coisas. E fundar uma nova comunidade na qual as diferenças sejam respeitadas e valorizadas. Onde as palavras ressoam na linguagem de cada um e são compreensíveis para todos e para todos, seja qual for a sua origem. Isso também é verdade hoje, continua Rimoldi, de forma inclusiva como Joel profetiza. Tanto filhas como filhos, nomeados individualmente, receberam a investidura de porta-vozes da Palavra de Deus”. O teólogo sublinha ainda: “com a vinda do Espírito, jovens e velhos não são colocados num plano vertical, mas num plano de contiguidade e colaboração. Todos são chamados ao mesmo tempo e caminham juntos num espaço horizontal de respeito, admiração e igual partilha em que cada um enriquece o outro com o fruto do seu dom”. A profecia que Paulo recomenda a todos (1 Coríntios 14): “é um espírito de denúncia de todos os opressores. Espírito de revelação mostrando a vontade de Deus para o bem de nossas vidas. É um espírito de consolação que encoraja e conforta os que estão fracos e cansados. Ser profético envolve um esforço, um compromisso constante”. O testemunho de Valeria Khadija Collina A tarde contou com a presença Valéria Khadija Colinaentrevistado pelo editor-chefe da Avvenire Ricardo Maccioni. A mulher, mãe do jovem Youssef Zaghba morto pela polícia em Londres em 3 de junho de 2017 após causar a morte de oito pessoas, ele relembrou os acontecimentos na história da família. “A coragem de contar esta história – escreve a SAE – é a mesma com que Valéria Collina conta a sua própria história e a do seu filho em prisões juvenis a quem foi vítima da radicalização e parou a um passo do abismo. A mulher aceitou participar num projecto dedicado aos jovens atraídos pelo terrorismo e compromete-se a estudar os textos sagrados do Islão, a fazer uma releitura feminista dos mesmos e a transmitir o tema do diálogo inter-religioso através do teatro, disciplina a que dedicado como estudante universitário". Shabat O dia terminou com a liturgia ecumênica no átrio da igreja do Mosteiro seguida da entrada do Shabat, com o acendimento das velas pelo professor Laura Voghera Luzzattoesposa do inesquecível Amós Luzzattoque faleceu em 2020, um estudioso judeu simpatizante da SAE, e a oração de kidush recitado por Sandro Ventura por Shir Hadash, congregação de Florença da Federação Italiana para o Judaísmo Progressista (FIEP). Para mais detalhes: Leia os artigos do NEV sobre SAE. Acesse o canal do SAE no Youtube. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.