#PapalVisit.  Uma cruz para simbolizar a dignidade das pessoas com deficiência

#PapalVisit. Uma cruz para simbolizar a dignidade das pessoas com deficiência

Foto CEC/Albin Hillert

Roma (NEV), 21 de junho de 2018 – Uma cruz de madeira decorada com símbolos de deficiência é o presente que Papa Francisco recebeu esta tarde durante sua visita ao Conselho Mundial de Igrejas (CMI) em Genebra.

O escultor queniano fez isso Karim Okiki, surdo e mudo desde os três anos de idade. “Gostaria que esta cruz fosse não apenas um presente para o Papa Francisco, mas também um apelo a todos os cristãos para que mudem sua atitude em relação às pessoas com deficiência. Nós também somos de fato criados à imagem de Deus”, explicou o artista.

Okiki reproduziu nos braços da cruz os símbolos dos cegos, surdos e deficientes físicos, e no centro o símbolo da língua de sinais.

Artista Karim Okiki no trabalho. Foto WCC/Albin Hillert

A troca de presentes aconteceu no início da tarde no jardim do Instituto Ecumênico de Bossey, onde o Papa Francisco almoçou junto com o secretário geral do CMI, pároco Olav Fykse Tveite aos membros do Comitê Central do organismo ecumênico mundial.

O Bossey Ecumenical Institute é um centro internacional do CMI para a promoção do encontro, diálogo e formação, fundado em 1946. A cada ano, recebe estudantes e pesquisadores de todo o mundo para períodos de especialização em teologia ecumênica, missiologia e ética social .

A visita do Papa Francisco ao CMI continua esta tarde, no Centro Ecumênico de Genebra, com um encontro oficial com os membros do Comitê Central do CMI.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

“Paz é viver em harmonia com a Criação”.  2 de abril dia da não-violência

“Paz é viver em harmonia com a Criação”. 2 de abril dia da não-violência

Roma (NEV), 1º de abril de 2023 - A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) adere ao dia 2 de abril dedicado à difusão da cultura da não violência e contra a propaganda de guerra profusa pela mídia e social. O dia é promovido por Europa pela Paz. “A mensagem que pretendemos lançar é: 'Paz é viver em harmonia com a Criação, respeitando todas as suas partes, vivas e não vivas, amando e protegendo a biodiversidade'”, escreve a GLAM em nota divulgada hoje. Acima, o manifesto pela paz que a GLAM criou com fotos de oásis para insetos polinizadores que aderem à iniciativa “Corredores ecológicos, caminhos ecumênicos“. O convite para ingressar no projeto é de Maria Elena LacquanitiCoordenadora da Comissão GLAM, juntamente com todo o grupo de trabalho. ...

Ler artigo
Diário da Assembléia-Sínodo Batista, Metodista e Valdense

Diário da Assembléia-Sínodo Batista, Metodista e Valdense

Roma (NEV), 22 de agosto de 2022 – No coração dos vales valdenses no Piemonte, mais precisamente na Torre Pellice, as vozes protestantes das igrejas batista, metodista e valdense se entrelaçam. Reunidas aqui desde domingo, 21 de agosto, as delegações trabalham para fazer um balanço de mais de 30 anos de colaboração. E lançar as bases para o futuro, sob a bandeira de oportunidades cada vez maiores de intercâmbio, encontro, reconhecimento mútuo e unidade de propósito. Os temas: problemas éticos colocados pela ciência. Fé, gênero e sexualidade. Adoração e liturgia. Relações Ecumênicas. Formação Pastoral. Estas igrejas reformadas estão a fazer um caminho simultaneamente voltado para fora, através de trabalhos diaconais, serviços pessoais, relações de ajuda, apoio e cuidado, luta contra a pobreza e a injustiça, construindo uma cultura sobre temas ecológicos e teológicos… E um caminho para dentro, de renovação das respectivas identidades, para alimentar as respectivas raízes. Como ele observa Sara Tourn em seu editorial sobre Riforma, é também "o momento de olhar 'para dentro' e, falando de colaborações territoriais, formação, multiculturalismo, e depois batismo, evangelização, tentar responder à pergunta básica: como e por que continuar esta comunhão viagem”. O trabalho em andamento na Torre Pellice em uma sessão conjunta batista, metodista e valdense está repleto de debates e reflexões. A votação de uma moção programática final está marcada para amanhã. Existem muitas iniciativas paralelas. Abaixo estão os links para mais informações. “Deus é um artista. Deus é um poeta" – A apresentação do livro de Paulo rico "Deus. Apologia”, narrado por Pedro Ciaccio. É o décimo segundo volume da editora Claudiana “I libri di Paolo Ricca”. O autor foi apresentado pelo pastor batista Lydia Maggi, que apresentou o texto, escreve Ciaccio, “como uma mão estendida, que conta sinteticamente o mundo que tentou emancipar-se de Deus e da visão de Deus das outras religiões. No meio há uma reflexão que olha para o horizonte bíblico, para recuperar uma 'gramática' para falar de Deus”. Autismo: um "espectro" que não assusta - De Samuel Rev. Na consulta pré-sinodal “Frontiere Diaconali” foi explorado o tema dos transtornos do espectro do autismo. Organizado pela Diaconia Valdense. Jovem de idade e de espírito – De Gian Mario Gillio. O pré-sínodo da Federação da Juventude Evangélica na Itália (FGEI). Música, jogos, ideias… e a “beleza de mil vozes”. Descolonizando o olhar sobre as migrações – De Cláudio Geymonat. Pré-Sínodo da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. ...

Ler artigo
“Uma pessoa que acredita em Deus”

“Uma pessoa que acredita em Deus”

Foto de Pietro Romeo/Reforma Roma (NEV), 8 de março de 2023 – 10 anos de papa Francisco. A escolha do nome, ligada a um percurso de pobreza. A cruz de ferro em vez de ouro. Apelo urbi et orbi como "Bispo de Roma". O chamado evangélico ao amor e à misericórdia. A sensação de que uma "transição" estava prestes a se abrir no cristianismo. Esses são apenas alguns dos elementos que caracterizaram as reações do mundo ao novo papa em 2013. Há dez anos, o boletim do NEV e o semanário Riforma reuniram as vozes das igrejas protestantes italianas, européias, mundiais e especialmente latino-americanas. Na celebração do início do pontificado, no Vaticano, estiveram presentes 33 delegações de igrejas cristãs e do movimento ecumênico. Ao assentamento, pela primeira vez desde o cisma de 1054, também Bartolomeu I, o Patriarca de Constantinopla. E depois, entre outros, Olav Fykse Tveitentão Secretário Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), representantes da Federação Luterana Mundial (WLF), da Aliança Batista Mundial e da Conferência das Igrejas Européias (KEK). O teólogo valdense Paulo rico comentou assim a homilia: “Ternura, amor, atenção ao outro. Todos os temas evangélicos. Belas palavras, que fazem bem a todos nós precisamente porque são as palavras do Evangelho”. O então moderador da Mesa Valdense, pastor Eugênio Bernardini, escreveu uma carta a Francisco, que começava com "Querido irmão em Cristo". E lembrou-se das semelhanças entre Francisco de Assis E Valdo de Lyon, que na mesma época compartilhou "a ideia de uma Igreja a serviço dos humildes e excluídos, inspirada e renovada pela Palavra de Deus". Bergoglio já conhecia a igreja valdense, que com a emigração do Piemonte se estabeleceu há mais de um século entre a Argentina e o Uruguai. Uma intensa amizade também ligou Jorge Mario Bergoglio ao pastor valdense Norberto Bertonque faleceu em 2010. Entre as reações do início do pontificado, a agência NEV recebeu também a do pároco maria bonafedeque esteve no Conselho da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), do pastor batista Gabriela Liodo teólogo Fulvio Ferrario. É um editorial de Sérgio Rostagno, com o emblemático título “Francesco?”. Falou-se de luzes e sombras, das ambiguidades relativas às relações com a ditadura na Argentina, mas também de sobriedade, de esperanças de ecumenismo e de caminhos comuns para a afirmação dos direitos humanos e o combate à pobreza. Pedimos ao pároco Massimo Aquilanteentão presidente da FCEI, para nos contar sobre o clima daquele momento. “Lembro-me de três coisas desse período – diz Aquilante -. Imediatamente após a eleição, houve reações cautelosas no mundo protestante que, no entanto, destacou como novidade a eleição de um papa que vem do sul e seu conhecimento dos pentecostais da América Latina. Além disso, houve muitos comentários sobre a escolha de chamar-se Francisco por um jesuíta. A segunda lembrança está relacionada à conferência com Lúcio Caracciolo, Paulo Naso, Núncio Galantino – presidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI) – e outros. Limes havia lançado uma edição monográfica dedicada a Bergoglio. Descobriu-se que o Papa Francisco é uma pessoa que “acredita em Deus”. Como se dissesse que este papa não era simplesmente um político, como Woytila, ou um católico ortodoxo, como Ratzinger. Bergoglio é, portanto, um crente 'normal'. Isso me impressionou e gostaria de confirmá-lo, por exemplo, pensando nas meditações matinais que o Papa Francisco fez durante a pandemia. Como protestantes, podemos ser tentados a não ouvir um papa precisamente “como papa”, mas me parece que Bergoglio é acima de tudo um homem de fé, e algumas de suas escolhas o demonstram. Portanto, um fio nos liga que diz respeito à nossa pertença comum a Jesus Cristo. Em terceiro lugar, gostaria de recordar a visita histórica do Papa Francisco ao templo valdense de Turim, onde pediu perdão aos valdenses à Igreja Católica. Gesto que trouxe consigo críticas e oposição interna, que foi seguido por outros, confirmando sua atenção e sensibilidade para com o mundo evangélico e evangélico”. Em suma, poucos meses depois do Sínodo dos Bispos e na sequência do que se pode definir como um percurso sinodal sem precedentes, pode-se dizer que o balanço de dez anos de pontificado do Papa Francisco é positivo. Aquilante conclui: “Esperávamos uma pessoa que pudesse fazer uma mudança no caminho ecumênico. Depois de dez anos, ele tenta novamente, tendo no coração os temas da misericórdia e da caridade. Os bispos têm uma grande consciência histórica, agora trata-se de levar esta mensagem até a base do catolicismo, especialmente italiano, para uma profunda transformação da teologia e da espiritualidade. Como crentes, de fato, devemos tentar superar as contradições entre altos pronunciamentos, por um lado, e uma população cristã que nem sempre está em sintonia com os tempos, por outro”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.