Novo corredor humanitário do Líbano

Novo corredor humanitário do Líbano

Desenho de Francesco Piobbichi, equipe, programa Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Protestantes na Itália (FCEI)

Roma (NEV), 25 de março de 2022 – Enquanto o drama da guerra na Ucrânia está em curso, os corredores humanitários continuam a salvar os refugiados vítimas de outro conflito que dura mais de 11 anos, o da Síria. Um caminho de salvação que se mostra ainda mais importante neste momento diante da atual e grave crise internacional. 85 refugiados sírios que vivem há muitos anos em campos de refugiados no Vale do Bekaa e no norte do Líbano e que nos últimos meses sofreram um agravamento das suas condições de vida não só devido à pandemia mas também à gravíssima situação política, económica e social crise que este país atravessa.

A este primeiro grupo juntar-se-ão mais 20 pessoas, cuja chegada está prevista para 28 de março, num total de 105 pessoas. Entre eles, 38 são menores de idade: algumas crianças doentes para as quais o tratamento não é mais garantido no Líbano e jovens que nunca puderam frequentar a escola nos últimos anos. Antes da partida, todos os refugiados receberam a vacina anti-Covid 19 graças ao corpo médico e de enfermagem da Defesa, que trabalham no país sob a coordenação do Comando Operacional da Cúpula de Forças Conjuntas (COVI).. Sua entrada na Itália foi possível através dos corredores humanitários promovidos pela Comunidade de Sant’Egidio, a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália e a Tavola Valdese, em acordo com os Ministérios do Interior e das Relações Exteriores, que desde fevereiro de 2016 trouxeram em nosso país mais de 2150 pessoas. Ao todo, mais de 4.400 requerentes de asilo chegaram à Europa pelos corredores humanitários.

As famílias que chegaram esta manhã serão também acolhidas por associações, freguesias, comunidades e cidadãos individuais em várias regiões italianas (Piemonte, Lombardia, Vêneto, Emília, Toscana, Lazio, Sicília) e será lançado em um caminho de integração: para menores através de matrícula imediata na escola e para adultos, imediatamente comaprendizagem da língua italiana e, uma vez obtido o estatuto de refugiado, entrada no mundo do trabalho. Os corredores humanitários, inteiramente autofinanciados (a partir da arrecadação de Sant’Egidio e dos 8 por mil da Mesa Valdense) e criados graças a uma ampla rede de acolhimento, representam um Melhores Práticas para todos aqueles que são forçados a deixar suas casas para escapar do horror das guerras que combinam solidariedade e segurança.

Daniele Garrone, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, declarou: “Novas emergências e abertura de novas frentes não eliminam as consequências de outras tragédias e não atenuam a necessidade de apoiar aqueles que buscam em outro lugar novas chances de vida ou mesmo de sobrevivência. Este é o sentido da chegada de refugiados da Síria, pelo sempre ativo corredor humanitário do Líbano”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Otto per mille Waldensian, as diretrizes da chamada de 2022 foram publicadas

Otto per mille Waldensian, as diretrizes da chamada de 2022 foram publicadas

Roma (NEV), 15 de novembro - Foram publicadas as diretrizes do concurso de 2022 para o Otto per mille Valdese, que abrirá de 7 a 27 de janeiro de 2022. A notícia é fornecida pelo site chiesavaldese.org, enquanto no portal www.ottopermillevaldese.org você pode encontrar a documentação e instruções para participar do concurso. Também é possível enviar perguntas para esclarecimentos, cujas respostas serão publicadas na forma de FAQs.A Igreja Evangélica Valdense (União das Igrejas Metodista e Valdense) contribui, como outras confissões religiosas, para a distribuição dos oito por mil fundos do IRPEF e optou por destinar todas as contribuições que lhe são devidas exclusivamente para apoio social, assistencial, humanitário e cultural intervenções , tanto na Itália como no exterior. Para o efeito, todos os anos, é oferecida aos órgãos associativos a oportunidade de apresentarem propostas de projetos com vista à obtenção de um contributo económico.“Sabemos da importância de nossa licitação para a realização de projetos tanto na Itália quanto no exterior – declara Manuela Vinay, chefe do escritório de oito por mil da Tavola Valdese –; os contextos italiano e estrangeiro nos desafiam diariamente com novos desafios relacionados com suas múltiplas necessidades; por isso decidimos, também para este ano, confirmar uma abordagem aberta e inclusiva, mantendo as grandes categorias de apresentação de projetos sem dar indicações de preferências”. Aqui o relatório dos projetos financiados em 2020. artigo anteriorCop26, ainda há muito a fazer pela justiça climáticaPróximo artigoReunião do comitê executivo do Conselho Mundial de Igrejas Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
Uma Constituição para a Terra.  Paz, justiça, cuidado da casa comum

Uma Constituição para a Terra. Paz, justiça, cuidado da casa comum

Foto de John O'Nolan no Unsplash Roma (NEV), 6 de junho de 2023 – O 40º Encontro Nacional das Comunidades Cristãs de Base intitulado “Uma Constituição para a Terra” foi realizado em Pesaro de 2 a 4 de junho. Paz, justiça, cuidado da casa comum”. O tema é inspirado na proposta do filósofo Luigi Ferrajoli, entre os convidados do encontro, que imagina uma espécie de federação dos povos da terra. Uma Constituição, neste sentido, é “a única resposta racional e realista ao mesmo dilema que Thomas hobbes enfrentou quatro séculos atrás. A insegurança geral determinada pela liberdade selvagem do mais forte, ou o pacto de convivência pacífica baseado na proibição da guerra e na garantia da habitabilidade do planeta e, portanto, da vida de todos." lemos na apresentação do volume de Ferrajoli, Por uma Constituição da Terra (Feltrinelli, 2022). A pastora valdense também interveio em Pesaro Letizia Tomassone. “Falei sobre as perspectivas de ecologistas, filósofos e pensadores. Donna Haraway, por exemplo, com sua ideia de 'gerar genealogias' com todos os seres vivos, indica a necessidade de estarmos atentos às redes vitais que nos influenciam e que influenciamos”, explica Tomassone. É também uma consciência espiritual. o filósofo Elena Pulcinirecentemente falecido, em seu livro Entre o cuidado e a justiça. Paixões como um recurso social (Bollati Boringhieri, 2020) fala em vez de "como estar em relação com o outro distante no espaço - estamos falando de um Sul global, de migrantes e refugiados - e com o outro distante no tempo, ou seja, as gerações futuras" continua Tomassone. “Realizar relacionamentos a partir da responsabilidade, do olhar para o outro, do sair de nossas bolhas. Essas são as dinâmicas ilustradas por Pulcini, que também propõe as virtudes verdes. Reconhecer os próprios limites, a sobriedade, abandonar o vício do consumo que todos temos. Entrando naquela dimensão de interdependência global que nos vê como um sujeito junto com outros sujeitos”, diz o pastor. Da discussão emergiu o tema da capacidade de se manter nos espaços intermediários, de “sair de um dualismo que nos faz assumir posições totalmente brancas ou totalmente negras. Suspender temporariamente o julgamento sobre muitas questões, inclusive éticas, não significa tanto deixar de se posicionar, mas ouvir diferentes experiências. E vá além dos obstáculos. A evolução não consiste em condenar ou acolher de forma absoluta. A análise dos diferentes contextos pode nos ajudar a entender melhor, aceitando até ficar na incômoda posição do conflito de opiniões diferentes”, finaliza Letizia Tomassone. Cuidado, paz, liberdade, utopia O 40º Encontro Nacional das Comunidades Cristãs de Base começou com a memória dos que já não existem, para depois evoluir para um ambiente ativo e atento aos desafios e ao futuro. Cerca de 80 pessoas de toda a Itália estiveram presentes, conta ele Christine Mattiello da Comunidade de São Paulo em Roma. Mattiello também é presidente do Interfaith Center for Peace (CIPAX). Foram representados 20 grupos diferentes, incluindo 11 comunidades estruturadas. Entre os palestrantes, além de Ferrajoli e Tomassone, também Sergio Paronetto com uma intervenção sobre paz, justiça, cuidado da casa comum e não-violência. Silvia Zanconatosobre o tema "nomes". Há um tempo para ficar em silêncio, um tempo para falar, e então há um tempo para habitar o silêncio, um tempo para aprender a não nomear. Zanconato imagina uma Eva que "nomeia" todos os elementos que Adão definiu, libertando-os. No fim, Valentina Pazeque falava de utopias, questionando se se deve ou não ceder às críticas daqueles que as consideram inúteis, irrealizáveis, senão francamente perigosas por serem "prometéicas orientadas para uma ordem artificial". O Movimento, que vê grupos muito ativos em nível local, também trabalhou em oficinas sobre utopia, meio ambiente, defesa das árvores e paz. Por fim, foi aprovado um documento intitulado “A paz é a única vitória. Pela construção de um novo humanismo e de uma nova relação com a mãe terra” centrada numa relação de cuidado amoroso, sábio e respeitoso com cada criatura. Para mais informações, clique aqui. ...

Ler artigo
Temporada da Criação 2023. O Dossiê da Comissão GLAM

Temporada da Criação 2023. O Dossiê da Comissão GLAM

A Penitente Madalena de Bartolomé-Esteban Murillo Roma (NEV), 5 de junho de 2023 – Como todos os anos, a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) propõe o "Dossiê para o Tempo da Criação". Este ano o título é “Conversão – abraçando a mudança”. Ele contém materiais litúrgicos e insights que as igrejas e pessoas interessadas podem consultar e usar livremente. O versículo escolhido para acompanhar o tema é retirado de Oséias 6, 1-3. > O ponto de partida que animou as reflexões, explica GLAM, é o documento divulgado pela Assembleia do Conselho Ecumênico de Igrejas (CEC) 2022 “O Planeta Vivo – por uma comunidade global justa e sustentável” que abre com estas palavras: “Juntos acreditamos… a terra é do Senhor e tudo o que ela contém… Uma compreensão antropocêntrica estreita de nossa relação com a Criação, que deve ser revisada em uma compreensão de toda a vida, para alcançar um ecossistema global sustentável. Somos todos interdependentes em toda a criação de Deus.Como o amor de Cristo move o mundo à reconciliação e à unidade, somos chamados à metanóia e a uma relação renovada e justa com a Criação, que se expressa na nossa vida prática”. “Conversão”, escreve GLAM, é “um tema complexo porque está exposto a uma infinidade de temas entre os quais escolhemos alguns: somos chamados a uma conversão à justiça, ao bem-estar global, às fontes renováveis ​​e à linguagem”. Para além dos dossiês anteriores, este ano existe uma secção de testemunhos “que consideramos aberta a contribuições que qualquer pessoa pode enviar e que serão recolhidas juntamente com o dossiê”. Download: Tempo de Criação – Dossiê 2023. O Dossiê GLAM está disponível desde 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, simultaneamente com o lançamento do Guia Oficial das Celebrações do Tempo da Criação 2023. Líderes religiosos ecumênicos de todo o mundo, justamente neste dia, apresentaram o Guia e celebraram a preparação para este tempo litúrgico. O Tempo da Criação acontece de 1º de setembro a 4 de outubro e envolve cristãos de todo o mundo e de todas as tradições, que rezam e agem para proteger o meio ambiente. O título desta edição, mundial, é: "Que a justiça e a paz fluam". Também nesta data, a Comissão Mundial de Igrejas Reformadas (CMCR-WCRC) lançou sua Década pela Justiça Climática. Fê-lo durante um webinar centrado no tema: “Aprender com a terra: testemunhar a justiça climática”. Para mais informações e para compartilhar suas histórias de conversão no Dossiê GLAM, escreva [email protected] ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.