Mattarella em Torre Pellice em agosto.  O sonho pró-europeu nasceu aqui.

Mattarella em Torre Pellice em agosto. O sonho pró-europeu nasceu aqui.

A placa será inaugurada na manhã de quinta-feira, 31 de agosto, na Torre Pellice, na presença do Presidente da República, Sérgio Mattarella, com um dia dividido em dois momentos distintos: um envolverá instituições civis locais e outro será dedicado à Igreja Valdense, realidade histórica do protestantismo reformado. À tarde continuaremos com uma conferência histórica promovida pela Prefeitura e pela Fundação Centro Cultural Valdense. A conferência, intitulada “A Europa de Altiero Spinelli. O importante legado de um federalista”, terá lugar no Teatro del Forte pelas 16h30.

“Será um dia histórico não apenas para a comunidade de Torre Pellice, mas para toda a área de Pinerolo e os vales valdenses do Piemonte. – declara o Prefeito de Torre Pellice, Mark Cogno –. A presença e atenção do Presidente para pequenas comunidades como a nossa nos honra e nos fortalece em nossas ações diárias. Oitenta anos depois de 1943, a presença do Presidente adquirirá um significado ainda mais profundo para o nosso território graças aos valores democráticos e republicanos consagrados na nossa Constituição”.

“Estamos honrados com a visita do Presidente Mattarella em uma ocasião tão significativa para uma Igreja que sempre combinou uma fé vivida à luz do Evangelho de Jesus Cristo com um compromisso civil apaixonado – declara o moderador do Tavola Valdese, Alessandra Trotta –. Um tipo de compromisso que para toda uma geração de jovens valdenses em nossos vales e em outros lugares, exatamente oitenta anos atrás, também se tornou dramaticamente um compromisso de resistir ao nazifascismo, guiado por uma visão ampla de uma Itália e uma Europa fundadas em princípios de liberdade e a democracia, respeitadores da pluralidade de ideias e valores, amantes da paz e orientados para a promoção da solidariedade e dos direitos humanos”.

Recorde-se que entre 26 e 28 de agosto de 1943, a reunião de fundação da seção italiana do Movimento Federalista Europeu foi realizada na casa milanesa de Rollier, com a presença de Spinelli. O próprio Spinelli será então convidado de Rollier, alguns dias depois, na Torre Pellice onde, há oitenta anos, proferiu aquele primeiro discurso histórico.

Uma utopia concreta e um projeto ainda por concretizar, portanto, a ideia de uma Europa federalista conheceu, de facto, um momento chave com o Manifesto Ventotene (escrito em 1941 por Ernesto Rossi e Spinelli), mas teve também uma passagem fundamental na Torre Fur.

Alguns meses depois, em 19 de dezembro de 1943, encontramos Rollier em Chivasso, onde um grupo misto de antifascistas do Vale de Aosta e representantes dos vales valdenses se reuniram para redigir a chamada “Declaração de Chivasso”. Reivindicava um federalismo que reconhecesse as pequenas autonomias culturais e linguísticas como expressões de liberdade face a uma visão autoritária e centralista do Estado. O mesmo grupo valdense que inspirou este documento desempenhou um papel importante na organização das “Jornadas Teológicas de Ciabàs” (1-2 de setembro de 1945) cujo tema era, precisamente, “Ecumenismo cristão e federalismo europeu”.

Leia Chiesavaldese.org

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Em Palermo, novos projetos de La Noce para jovens e adolescentes

Em Palermo, novos projetos de La Noce para jovens e adolescentes

Roma (NEV), 10 de outubro de 2022 – Nasceu em Palermo um novo serviço ambulatorial de diagnóstico e tratamento que garantirá intervenção precoce, acolhimento imediato, terapias adequadas e prevenção de patologias relacionadas ao vício em smartphones e outros dispositivos. Há poucos dias foi inaugurada a primeira clínica de psicoterapia do projeto In-Addiction apoiado pela Fondazione con il Sud nos espaços do Centro Diaconal "La Noce". "Estamos muito felizes em oferecer este serviço - declarou o Diretor do Centro Diaconal "A Nogueira", Ana Ponente – que a partir de dois bairros importantes como Noce e Ballarò chegará ao resto da cidade. Podem aceder ao ambulatório raparigas e rapazes, raparigas e rapazes entre os 9 e os 17 anos: esta é uma iniciativa importante para esta faixa etária e faremos o possível para responder às necessidades que vão sendo manifestadas pelas escolas, serviços sociais e de saúde, fazendo-o de forma contínua". Hoje, segunda-feira, 10 de outubro, às 16h, está previsto o corte da fita no bairro Ballarò, onde em vicolo Infermeria dei Cappuccini 3, o Instituto Don Calabria lançará o serviço de escuta e treinamento para adolescentes e pais, abrindo as portas da segunda clínica também na Albergaria. “Para nós não é simplesmente um projeto, é uma missão que não teríamos levado em consideração se não tivéssemos em mente um projeto de longo prazo para oferecer à comunidade”, comentou o Diretor da Ópera Don Calabria Social Área, Roberto Manhã - Uma iniciativa de proximidade e rede que nos permitirá identificar bolsões de desconforto e intervir gratuitamente sobre eles”. O Conselheiro de Atividades Sociais do Município de Palermo também esteve presente no corte inaugural Rosa Penino. Os dois ramos estarão abertos ao público 3 vezes por semana e geridos em sinergia pelos especialistas e psicoterapeutas do Centro Diaconal "La Noce" (via Evangelista di Blasi, 16; informações e contactos 375 7083456 ou escrevendo para [email protected]) e do Instituto Don Calabria (Casa San Francesco in vicolo Infermeria dei Cappuccini, 3; 3898528698, [email protected]). O serviço, explicam os promotores da iniciativa, “vai oferecer apoio a adolescentes e pré-adolescentes que expressem o seu desconforto por desenvolverem comportamentos problemáticos relacionados com a utilização da rede e dispositivos associados ou que possam interferir no seu percurso de desenvolvimento, e oferece aconselhamento psicológico para fenômenos como prevaricações digitais, cyberbullying ou difamação, manifestações não ligadas ao vício, mas relacionadas a uma exposição incorreta e protegida da rede que pode ter repercussões no desenvolvimento psicológico de meninos e meninas”. ...

Ler artigo
Os Magos, imagem da universalidade do chamado divino

Os Magos, imagem da universalidade do chamado divino

Unsplash foto Roma (NEV), 18 de janeiro de 2022 – Acabaram de terminar as festividades natalinas, mas de 18 a 25 de janeiro a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos nos oferece novamente um tema natalino, o da estrela avistada pelos Magos: “No oriente nós viu sua estrela aparecer e viemos aqui para honrá-lo” (Mateus 2:2). Por mais de meio século, o material para a Semana de Oração pela Unidade foi preparado conjuntamente por Protestantes, Ortodoxos e Católicos através do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, em colaboração com as igrejas de um determinado país ou região do mundo. Este ano, a Semana foi preparada com a ajuda do Conselho das Igrejas Cristãs do Oriente Médio. E a escolha do tema não é acidental. Com efeito, como lemos na introdução teológico-pastoral, "enquanto no Ocidente muitos cristãos celebram solenemente o Natal, para muitos orientais a festa mais antiga, e ainda a principal, é a Epifania, ou seja, quando a salvação de Deus foi revelada aos as nações. Essa ênfase no teofaniaou seja, do evento [alle nazioni] é, em certo sentido, o tesouro que os cristãos do Oriente Médio podem oferecer aos seus irmãos e irmãs no mundo inteiro”. A introdução destaca vários aspectos do tema da estrela da Epifania. Eu gostaria de levar dois. O primeiro é "a universalidade do chamado divino simbolizado pela luz da estrela que brilha do leste... Os Magos nos revelam a unidade de todos os povos queridos por Deus. Eles viajam de países distantes e representam culturas diferentes, mas todos são movidos pelo desejo de ver e conhecer o Rei recém-nascido”. Ao mesmo tempo, os Magos são símbolo da diversidade dos cristãos: "Embora pertençam a diversas culturas, raças e línguas" e - devo acrescentar - a diversas confissões - "os cristãos partilham uma comum busca de Cristo e um comum desejo de adorá-lo", apesar de sua diversidade. O segundo aspecto é a homenagem que os Magos prestam a Jesus, oferecendo-lhe vários dons que, "desde os primeiros tempos do cristianismo, foram entendidos como sinais dos vários aspectos da identidade de Cristo: o ouro pela sua realeza, o incenso pela sua divindade e a mirra que prenuncia a sua morte. Esta diversidade de dons dá-nos uma imagem da percepção particular que as várias tradições cristãs têm da pessoa e da obra de Jesus: quando os cristãos se reúnem e abrem os seus tesouros e os seus corações em homenagem a Cristo, enriquecem-se com a partilha dos dons de essas diferentes perspectivas. Por outras palavras, cada encontro ecuménico é semelhante à adoração dos Magos: oferecemos-nos a Deus e uns aos outros ao mesmo tempo, com os dons específicos que Deus concedeu a cada uma das nossas tradições cristãs. ...

Ler artigo
FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes.  Ilaria Castaldo

FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes. Ilaria Castaldo

Roma (NEV), 26 de outubro de 2021 – Em vista da Assembleia que se realizará dentro de alguns dias, quando o atual Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) encerrará seu mandato e um novo Conselho e um novo presidente será eleito , reunimos o testemunho de serviço nestes anos de trabalho no Conselho da Federação, àqueles que, ou seja, têm orientado o caminho da FCEI. Pedimos assim aos vereadores e vereadores cessantes que nos falassem do passado, através de um balanço da experiência feita, e um olhar para o futuro. O Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), triênio 2018/2021, imagem de arquivo É hora de Ilaria Castaldotenente auxiliar do Exército de Salvação, atualmente responsável pela Casa Vacanze Concordia e pela comunidade local de Forio d'Ischia. Qual é a sua avaliação desta experiência? “O balanço desta experiência é absolutamente positivo. Lembro-me dos Assizes em que fui eleito: cheguei a Pomezia quando realmente não sabia nada sobre a FCEI. A única coisa que me deu coragem na época foi ver rostos conhecidos aqui e ali, já que a família de minha mãe é valdense. De resto, era tudo para perceber… Mas naqueles dias, ouvindo o relatório trienal e assistindo às várias sessões pensei que gostaria de mais Exército de Salvação na FCEI e mais FCEI no Exército de Salvação. Desde o primeiro Concílio em Roma, tentei entender o que realmente era a FCEI e qual o papel que o Exército poderia desempenhar em tudo isso. Nos últimos anos trabalhamos muito, em programas, mas também em unidade e possíveis interações. Foram anos de viragem para algumas questões e foi emocionante ter a sensação de contribuir para os progressos, conquistas e mudanças que aconteceram. Como representante de uma igreja que sempre luta com a falta de meios financeiros, foi bom ajudar e contribuir para a criação, design e implementação de uma série de projetos que agora estão em pleno andamento. Esses anos foram uma grande oportunidade para ampliar meu horizonte no cenário evangélico da FCEI. Tive oportunidade de visitar algumas das nossas realidades, de constatar a inventividade, espírito e vontade dos nossos coordenadores e operadores. Tentei ajudar a aumentar a conscientização sobre o FCEI em minha comunidade e talvez também o Exército de Salvação no FCEI. Que testemunho você tem vontade de deixar para aqueles que virão depois de você? A quem me substituir no Conselho como representante do Exército, gostaria de recomendar que "estejam lá". Muitas vezes ser minoria pode te levar a dar um passo atrás, mas acho que a beleza da FCEI é que somos um condomínio de igrejas que procuram ser uma família para fazer o bem ao próximo e a nós mesmos. Isso é algo que vale a pena gastar dinheiro. É maravilhoso que, com nossas particularidades, possamos trabalhar juntos, nos conhecer, nos enriquecer e atender às necessidades dos outros. Todos nós temos algo para dar. Em geral, no próximo Concílio gostaria de dizer duas coisas. Estrategicamente, estar junto é mais inteligente: juntos temos mais chances de sermos relevantes e mais eficazes nas ações que realizamos. Em um mundo onde há exclusões de todo tipo em benefício de uma uniformidade que cheira a achatamento, a ideia de igrejas com ideias e posicionamentos diferentes em alguns campos, mas que saibam planejar, dialogar e trabalhar juntas é uma realidade que vale a pena defender. E quero concluir repetindo o que venho dizendo há algum tempo: não esqueçamos de dizer, sempre que tivermos oportunidade, o que nos move. O que chamamos de "testemunho" deve ser explícito, transmitido, explicado como 1 Pedro 3:15 diz "Estai sempre prontos para dar conta da esperança que há em vós". Fazemos muitas coisas importantes e bonitas com profissionalismo e cuidado: seria muito triste se não disséssemos que somos motivados e movidos pelo amor por excelência: aquele demonstrado por Deus através de Jesus Cristo. Bom trabalho para todos vocês!". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.