COP28 à vista.  Entrevista com Irene Abra

COP28 à vista. Entrevista com Irene Abra

Roma (NEV), 14 de agosto de 2023 – Irene Abbra é membro da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Além disso, foi embaixadora do clima do Conselho Metodista Europeu e é representante da campanha global Clima SIM, liderada por jovens cristãos entre 18 e 30 anos. Pedimos a ela que conhecesse as novidades e os compromissos em vista da próxima Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28). Esta é a 28ª conferência do clima e será realizada de 30 de novembro a 12 de dezembro de 2023 na Expo City, Dubai.

Em uma recente reunião do GLAM, você falou sobre seus próximos compromissos para a COP28. Você pode nos dar alguma antecipação?

Estamos pensando em um evento que possa ser uma oportunidade de discussão, encontro e confronto sobre os temas que serão tratados durante a COP28. A ideia é reunir online e envolver vários atores-chave da sociedade civil, dando espaço a testemunhos e experiências sobre sustentabilidade e ação climática. Esta Conferência é particular, antes de tudo pela localização. Estando em Dubai, de fato, acho que será interessante ver como os vários lobistas, principalmente os do petróleo, tentarão se fazer ouvir. Espero sinceramente que, como sociedade civil, como igrejas, como ativistas, também nós possamos nos fazer ouvir. Felizmente as igrejas participam da COP28, elas estão lá e podem fazer suas vozes serem ouvidas.

GLAM falou em julho sobre o quanto a mídia italiana está “tratando mal” a questão climática. O que você acha?

O tema das mudanças climáticas ainda hoje é tratado superficialmente, e até negado, até mesmo por representantes das instituições. Acho que o que vivemos nos últimos meses e nas últimas semanas é uma evidência clara de que existe uma crise climática em curso. Basta dizer que algumas pessoas, tanto do norte quanto do sul, tiveram que colocar suas vidas em espera e começar do zero, tentando retomar a vida depois do que aconteceu devido ao clima. Um pensamento comum a todos os jovens, penso eu, é como é realmente frustrante ter que viver em um país que dificilmente pode garantir um futuro. Se continuarmos neste ritmo, como podemos ter uma ideia, um pensamento positivo sobre o nosso futuro? Nossos políticos negam a evidência de um problema, de uma emergência que ainda vivemos. Isso pode nos roubar nosso futuro, nossas esperanças. A comunicação e a precisão na escolha das palavras são essenciais, sobretudo nesta altura, porque ajudam a sensibilizar as pessoas para estas questões que afetam o futuro de todos.

Este ano ela será novamente embaixadora do clima e ativa na campanha Clima SIM: o que ela fará nessa função e como as igrejas da FCEI podem ajudar?

Tanto como referente da Itália quanto como referente do GLAM, um dos meus objetivos é aumentar a presença de jovens cristãos para a sustentabilidade, no ativismo climático. É essencial ter representação e ter uma voz unida quando se trata de justiça climática e crise climática. Portanto, um dos objetivos que nos propusemos como movimento Clima SIM é certamente fortalecer a rede de jovens local e globalmente. Acima de tudo, queremos ser ecumênicos. Somos um movimento que une a diversidade e inclui diversas vozes cristãs. Entre as palavras-chave do nosso compromisso: networking; conhecer diferentes redes juvenis e redes cristãs na Itália; criar um grupo mais forte e estável que também pode ser ouvido como uma voz italiana em nível global.

Deste ponto de vista, as igrejas podem certamente ser o nosso melhor suporte, numa perspetiva de intergeracionalidade, tema fundamental quando falamos de futuro, reunindo também experiências passadas, em termos de ensino e soluções, numa comparação aberta. Nossas igrejas também podem nos apoiar por meio de projetos, convidando pessoas que possam compartilhar suas experiências, ativistas. Por fim, podem também tentar ajudar-nos a pensar juntos em soluções concretas, em boas práticas que podemos implementar nas diferentes realidades eclesiais existentes.

Em breve haverá o Sínodo Valdense. Que mensagem você gostaria de compartilhar neste importante encontro para as igrejas metodista e valdense?

Uma mensagem que gostaria de deixar ao Sínodo Valdense é a de nos distanciarmos um pouco mais de nossas realidades locais e continuarmos a ser promotores desses temas. Fizemos muito progresso nos últimos anos e seria muito importante garantir que nossas vozes, como igrejas valdenses e metodistas, possam alcançar tanto a sociedade civil quanto os líderes políticos e, portanto, nosso governo. Outra mensagem muito importante que gostaria de lançar diz respeito ao diálogo entre as gerações e à necessidade da presença dos jovens também nos processos decisórios de nossas igrejas.

Veja também:

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O relatório das Igrejas europeias: “Rezar é uma vacina”

O relatório das Igrejas europeias: “Rezar é uma vacina”

Foto da capa do CEC Report 2020: Mike DuBose/UM News Roma (NEV), 5 de julho de 2021 – A Conferência das Igrejas Europeias (KEK) publicou seu Relatório Anual de 2020. O relatório, intitulado “Viver com esperança em tempos de pandemia” (Viver na esperança em tempos de pandemia) analisa as atividades do CEC durante o “ano tumultuado da pandemia de covid-19”. Em particular, são descritos na publicação os projetos significativos que expressam a visão do CEC na perspectiva da esperança e do testemunho. O relatório está disponível em inglês, francês e alemão. É possível saber mais sobre as iniciativas realizadas pelas Igrejas europeias na área da paz e reconciliação. De eclesiologia e missão. Do diálogo com as instituições europeias, da política e legislação da União Europeia. Dos direitos humanos. Do cuidado da criação e do desenvolvimento sustentável. E de novo: ciência, novas tecnologias, educação. De democracia e diversidade. Bem como migração e asilo. Na apresentação do relatório, o Presidente do CEC, pároco Christian Krieger e o Secretário-Geral da CEC, Jørgen Skov Sørensen, escrevem que “apesar dos obstáculos, o CEC ainda conseguiu alcançar resultados em quase todas as áreas em 2020. Reuniões, eventos e encontros presenciais foram em grande parte cancelados ou adiados. No entanto, como nossas Igrejas membros têm feito, encontramos formas e ferramentas alternativas para levar o trabalho adiante”. 2020 “foi um ano de muitas orações – continuam os líderes religiosos -. Rezar juntos tornou-se uma vacina poderosa contra a perda da esperança, contra a ausência de resiliência comunitária e contra a falta de sustentabilidade humana”. Baixe o CEC Report 2020: inglês, francês e alemão. Para maiores informações: Naveen QayyumGestor de Comunicações: [email protected] – www.ceceurope.org – FB www.facebook.com/ceceurope – Twitter @ceceurope – You Tube Conferência das Igrejas Europeias ...

Ler artigo
XXIII Tertio Millennio Film.  Prêmio para “Um tradutor”

XXIII Tertio Millennio Film. Prêmio para “Um tradutor”

Roma (NEV), 23 de dezembro de 2019 – O filme de Rodrigo e Sebastián Barriuso "Un traductor" venceu a XXIII edição do Tertio Millennio Film Fest, o festival do diálogo inter-religioso. O filme é inspirado na história real do pai do diretor. O Júri Inter-religioso, presidido por Fariborz Kamkariera formado por representantes de várias religiões, entre eles o pastor valdense Marco Fornerone. O Festival, este ano intitulado “Eu sou você é. Reconhecendo-se como diferentes”, realizou-se em Roma de 10 a 13 de dezembro. O Júri atribuiu ainda uma menção honrosa a “As Andorinhas de Cabul” De Zabou Breitman E Eléa Gobé Mévellec. O Júri Inter-religioso para curtas-metragens, presidido por Phaim Bhuiyanem vez disso, concedeu o primeiro prêmio a “milady” De Júlia Tivelli E Flávia Scardinique conquistou também o Prémio Juventude, atribuído pelas escolas envolvidas no projeto "Nati nel Tertio Millennio" criado com o contributo do MIUR e do MiBACT, com curadoria de Ângela D'Arrigo. Finalmente, pela primeira vez, o Prêmio Outfield, um reconhecimento que reúne os mais importantes festivais nacionais de cinema e espiritualidade (Tertio Millennio Film Fest, Religion Today de Trento e Popoli e Religioni de Terni). O Prémio Fuoricampo é atribuído ao filme italiano do ano que melhor desenvolve a temática do sagrado, do divino, do transcendente e do invisível. Ganhou esta primeira edição”senhor demônio” De Pupi Avati. O festival contou com a presença de mais de dois mil espectadores. Entre os destaques: o diálogo em memória de Robert Bresson com a viúva Mylene Bresson E João Amelio; a reunião de 13 de dezembro entre Giuseppe Tornatoreprimeiro vencedor do Prêmio Bresson, e o cardeal Gianfranco Ravasi, Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura e fundador do Pátio dos Gentios; o encontro com na escavaçãojornalista sob tutela da Avvenire, que apresentou um dos nove filmes em competição, "The Remains", um documentário sobre migrantes de Natalie Borgers. “A chamada emergência migratória é a poeira que você esconde debaixo do tapete para não ver a enormidade do tráfico ilícito – disse Scavo, comentando a investigação -. A Itália é a nação que mais exporta bombas para a África. Embora não tenhamos uma percepção direta de quanto a guerra rende, há controvérsias sobre por que os migrantes chegam”. FORMA. Um tradutor. Canadá, Cuba – 2018 Após o desastre nuclear de Chernobyl, a Ucrânia pede ajuda ao mundo. Entre 1990 e 2011, chegaram a Cuba cerca de 25.000 crianças, muitas delas com câncer, deformações, problemas musculares e dermatológicos, altos níveis de estresse pós-traumático. Malin, professor de literatura russa em Havana, é designado para atuar como intérprete entre os médicos cubanos e as crianças. Forçado a lidar com a dor, Malin fica cada vez mais deprimido, até conhecer uma criança especial. Enquanto isso, o Muro de Berlim cai e Cuba entra em uma profunda crise econômica. O Tertio Millennio Film Fest é organizado pela Fundação Ente dello Spettacolo com o patrocínio do Pontifício Conselho para a Cultura, do Dicastério para a Comunicação da Santa Sé, do Escritório Nacional para as Comunicações Sociais da Conferência Episcopal Italiana (CEI), do Departamento de crescimento cultural do Município de Roma e da Região do Lácio, sob a direção artística de Marina Sanna (vice-diretor da Rivista del Cinematografo) e do Gianluca Arnone (coordenador editorial da Fondazione Ente dello Spettacolo). ...

Ler artigo
Oscar 2022, a lição de uma noite

Oscar 2022, a lição de uma noite

Roma (NEV), 28 de março de 2022 - "O triunfo do politicamente incorreto, como se não houvesse civilização", de um lado e "a delicadeza" de um filme como "Drive my car" do outro. Então o pastor metodista Pedro Ciacciopresidente da Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi", comentou, in loco, a noite do Oscar e em especial a bofetada de Will Smith para o apresentador Chris Rockque fez uma piada sobre o cabelo da esposa de Smith, Jada Pinkettsofrendo de alopecia. Sobre o episódio acima, para Ciaccio foi a representação de “Um quadro burguês, para dizer a verdade. O pior desta noite foram, na minha opinião, as desculpas de Will Smith, que não se desculpou com a esposa, como se ela devesse agradecê-lo por esta cena”. Ciaccio com o diretor de Drive my car Voltando ao cinema propriamente dito, segundo Ciaccio "o filme que ganhou o prêmio de melhor filme estrangeiro, "Drive my car", dirigido pelo diretor Ryusuke Hamaguchi, é um dos filmes mais interessantes e bonitos dos últimos anos. Porque consegue juntar os fios das diferentes formas de fazer cinema, conjugar o teatro com a literatura, e muito mais. Ser visto. E em termos de relação entre os gêneros, mas também de violência, é exatamente o oposto da terrível cena da noite passada entre Smith e Rock”. Em julho passado, o júri ecumênico do Festival de Cinema de Cannes já havia premiado o filme japonês baseado em uma história de Haruki Murakami. O filme também ganhou o prêmio de Melhor Roteiro em Cannes. É “um filme muito delicado e comovente, com um elenco internacional, que fala de autoaceitação e perdão”, disse-nos Peter Ciaccio. O júri ecuménico do Festival Francês, instituído em 1974, é nomeado pelas associações cinematográficas Signis e Interfilm, para escolher e premiar filmes de cariz social e espiritual, constituído por três católicos e três protestantes, cujo presidente da última edição do Festival revisão era um irlandês. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.