Religiões pela Paz.  A 10ª Assembleia Mundial será realizada na Alemanha em agosto de 2019

Religiões pela Paz. A 10ª Assembleia Mundial será realizada na Alemanha em agosto de 2019

Roma (NEV), 14 de agosto de 2018 – Religiões pela Paz (RfP) convocará sua décima assembleia mundial em Lindau (Alemanha), de 20 a 23 de agosto de 2019. Título do evento, “Cuidando de nosso futuro comum” e verá o participação de cerca de 700 representantes religiosos – mulheres, homens e jovens, incluindo as mais altas autoridades institucionais e religiosas, até ativistas de base.

“Os desafios atuais de conflito violento e extremismo, violações dos direitos humanos, pobreza e ameaças à terra ocorrem em meio a uma crescente crise de confiança nas instituições políticas e econômicas. Até a noção de ‘verdade’ é contestada e a comunicação é muitas vezes manipulada para fins comerciais ou políticos”, lê-se no comunicado de imprensa da RfP, que sublinha o papel fundamental da ação multirreligiosa na resolução de conflitos violentos, para uma cidadania inclusiva e a proteção da terra.

A RfP é uma organização multirreligiosa com sede em Nova York que opera em 90 países ao redor do mundo.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

na terra como no céu!

na terra como no céu!

"Cidade Santa com Herald" por Brian Whelan - Creative Commons Roma (NEV), 25 de dezembro de 2022 - Publicamos o sermão do professor Henrique Benedito foi ao ar no episódio de Natal de culto evangélico, a transmissão da RADIO1 RAI produzida pela Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). A tradução do texto bíblico é de responsabilidade do pregador. Feliz Natal! Feliz Natal, porque o Natal é bom. Não somos nós que somos bons; é a bondade de Deus, é a bondade do Criador que investe as criaturas, 2022 anos atrás como esta manhã. Porque o anjo do Senhor passou por seu país, sua cidade, sua metrópole esta noite. Passou na sua vida, tanto na das pessoas que você ama quanto na das pessoas que você não gosta, hostil. Ele passou por cima de seus medos, seus arrependimentos, suas frustrações; como transmitiu suas alegrias, seus entusiasmos e suas aspirações. Ele não é um anjo de berço, não desce pela chaminé como o Papai Noel; nem sequer é o anjo exterminador do apocalipse: é um anjo que percorre o mundo – o mundo conhecido no tempo de Jesus e o descoberto desde então. É um Anjo sem nome, mas que tem um nome: Jesus, o Salvador. E Jesus não desce das estrelas como um marciano em uma nave espacial, mas pousa na terra como todos nós: desde o ventre de sua mãe. um parto ar livre, na noite; uma semente de esperança, um grito que se tornará um grito na cruz e uma promessa cumprida de ressurreição. O anjo passou mas sua passagem não passa, ele está presente e é o futuro de todos e de todos dois milênios depois. Vamos cantar nossa exultação! * * * * * * Domínio público da imagem “Enquanto José e Maria, sua noiva, estavam em Belém para o censo ordenado por César Augusto, chegou a hora de dar à luz a Maria: E ela deu à luz o seu filho primogênito, enrolou-o e colocou-o numa manjedoura, porque não havia lugar na hospedaria. Havia naquela região pastores que pernoitavam nos campos a cuidar dos seus rebanhos. O anjo do Senhor surgiu diante deles, e a glória do Senhor brilhou ao redor deles. Ficaram apavorados, mas o anjo lhes disse: Não temais, porque vos anuncio uma grande alegria que está destinada a todo o povo da cidade de Davi: hoje vos nasceu um Salvador, que é o Cristo, o Cavalheiro. E isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido, enfaixado e colocado numa manjedoura. E num instante uma multidão do exército celestial juntou-se ao anjo, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens em quem Deus se agrada.”. (Lucas 2:1-14). * * * * * * Um anjo, pastores. Esta é a primeira epifania, não a dos Magos! Epifania, ou seja, manifestação do alto, instantânea. Jesus nasce incógnito, mas permanece assim por alguns momentos. Aqui está outra epifania, na verdade outro anúncio. O anjo anuncia mas não há ninguém anunciado, Maria, como no Evangelho de Lucas no capítulo anterior; e não há sequer aquele anunciado, José, como no Evangelho de Mateus. Há uma multidão indistinta, os pastores, que não têm nome como o anjo não tem nome. Depois disso ampliação na manjedoura, nossa história de Natal usa a teleobjetiva e aponta para o céu: o que há para ver no céu, no meio da noite? Pouco ou nada! Dá para ver o escuro, talvez até estivesse nublado porque o cometa dos Magos não faz parte da nossa narrativa!. Ou melhor, aqui o cometa é um anjo com um megafone; ele fala para uma massa desqualificada que está ali quase por engano, certamente por acaso e em todo caso por motivos puramente profissionais. Eles teriam preferido ficar aquecidos em suas camas como nós na noite de Natal, mas não há cães pastores na Bíblia, então os pastores fazem o trabalho noturno, trabalho canino! Nômades por natureza como os Magos por cultura; nômades não por contingência, como Maria e José chamados de volta a Belém por um censo imperial. São eles, os pastores, os primeiros destinatários da boa nova, e também da invocação que, trinta anos depois, Jesus não deixará de repetir: "Não tenha medo“! Sim, porque a boa notícia, boas notícias, então como agora eles são assustadores. Estamos tão equipados para os maus! E aqui um exército celeste se soma ao anjo, de modo que os leitores, os ouvintes - os radiouvitores que somos hoje - encontram-se suspensos entre duas multidões: a celeste, os anjos, e a terrestre, os pastores. Multidões correlacionadas pelo anúncio salvífico e salutar do nascimento de Jesus. A cena ilustra pela primeira vez a conexão feita pelo próprio Jesus no "Pai Nosso" com a fórmula "tanto no céu como na terra”. Aqui estão as primeiras testemunhas da glória e da graça de Deus para os homens, diz o nosso Evangelho, os homens em quem Ele se compraz. Seu protótipo são os pastores sonolentos e desavisados ​​abaixo, completos com um rebanho encolhido pelo frio esperando o amanhecer. Mas há um problema, um grande problema: Deus escolheu, escolheu como primeiras testemunhas do cristianismo nascente, pastores que não poderiam testemunhar em nenhum tribunal rabínico. Na época, os pastores eram considerados a priori portadores de testemunhos falsos e, se não falsos, duvidosos. Sem educação, muitas vezes analfabetos, eles eram acusados ​​pela reputação popular de roubar as ovelhas uns dos outros e, de fato, faziam isso regularmente. Mentirosos profissionais! E depois, com a desculpa das ovelhas, nem foram à missa nem ao culto... desculpepara a sinagoga! Mas quem são esses pastores abençoados, até agora sem nome? Bem, agora podemos arriscar um nome: estes pastores… são vocês, sou eu, somos nós, somos vocês. Deus não chama os qualificados, ele qualifica os chamados! E começou imediatamente, desde a noite de Natal, a favorecer não as canelas de um santo, não os pastorinhos do presépio, mas os humanos que procuram abrigo e paz numa noite incómoda, esperando muitas vezes sem saber - porque já não sabem esperança - por uma palavra, uma luz, uma voz que os liberte da escravidão de uma escuridão rotina. Eles estão, como nós, ao lado de Maria, José e Jesus.Sim, somos nós, esta manhã, o presépio vivo, chamados a testemunhar porque finalmente dignos da fé, embora indignos; chamados a ser, pela graça de Deus, o que não sabíamos e não esperávamos ser. Feliz Natal! * * * * * * Henrique Benedito Confessamos a fé cristã com as palavras de suas primeiras testemunhas. Com João Batista"Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Com André: "Nós encontramos o messias”. Com Natanael: “Mestre, tu és o filho de Deus, o rei de Israel”. Com os samaritanos, os hereges: “Sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo”. Com Pedro: "Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo”. Com Marta: "Tu és o Cristo, o Filho de Deus, aquele que vem ao mundo”. Com Tomé, o apóstolo da dúvida: “Meu Senhor e meu Deus”. Que suas palavras, confiadas à eternidade, habitem nossos corações e se unam às nossas para anunciar graça, paz e salvação a todos. Porque Jesus, dirá Pedro no Pentecostes, veio para abençoar a humanidade. Recebamos esta benção hoje, amanhã e sempre, desça sobre nós como o orvalho do monte Hermon. Amém ...

Ler artigo
#SPUC2020.  Oração ecumênica unidade cristã na África

#SPUC2020. Oração ecumênica unidade cristã na África

Foto de Albin Hillert/FLM Roma (NEV), 24 de janeiro de 2020 - Também os cristãos na África se uniram às celebrações ecumênicas e aos momentos de oração por ocasião da anual Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, celebrada em todo o mundo de 18 a 25 de janeiro. Em Nairóbi, líderes religiosos, indivíduos, órgãos ecumênicos e representantes de organizações religiosas oraram juntos na Catedral Anglicana de Todos os Santos em um culto do "Movimento Ecumênico Internacional". Angeline Okola, coordenadora do programa do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), da Rede Ecumênica de Defensores da Deficiência de Nairóbi, disse que a bondade é um atributo fundamental da humanidade que supera todas as divisões. “Como parte das atividades desta semana, exortamos o corpo de Cristo a mostrar essa bondade às pessoas com deficiência, ouvindo, conversando e interagindo conosco. Isso fortalecerá nosso sentimento de pertencer ao corpo unido de Cristo”. Innocent Maganya, professor da Tangaza University College em Nairóbi, presidente do Movimento Ecumênico Internacional do Quênia, em um comunicado, pediu às igrejas, como parte de seu testemunho ecumênico, que demonstrem bondade em um mundo que experimenta experiências sociais, políticas, econômicas e espirituais. Sublinhou que o Quénia acolheu "muitos estrangeiros", incluindo refugiados da Somália, Sudão do Sul, Etiópia, Burundi, Ruanda e República Democrática do Congo. O bispo católico romano Alfred Rotich, presidente da Comissão de Ecumenismo na Conferência dos Bispos Católicos do Quênia, enfatizou a compaixão, humildade e amor, proferindo o sermão durante o serviço realizado na Catedral Anglicana. Segundo Rotich, as igrejas e os cristãos têm o mandato de abrir suas portas e receber os outros porque são feitos à imagem de Deus: “Eles saberão que somos cristãos se abrirmos nossas portas”, disse o bispo. ...

Ler artigo
“Não há futuro sem fraternidade e solidariedade”

“Não há futuro sem fraternidade e solidariedade”

Desenho de Anna Contessini retirado de www.cipax-roma.it/galleria_contessini/index.html Roma (NEV), 23 de outubro de 2019 - "Não há futuro sem fraternidade e solidariedade" é o título da XVIII Jornada Ecumênica do Diálogo Cristão-Islâmico, que será celebrada em toda a Itália no dia 27 de outubro. As igrejas protestantes também participam do dia. Nascido da ideia de um grupo de intelectuais, religiosos e professores universitários em 2001, no rescaldo da tragédia das Torres Gémeas, o Dia produz todos os anos um apelo ao diálogo com o Islão para uma sociedade pluralista, acolhedora e que respeita o ser humano direitos e os valores democráticos e compartilhados de paz, justiça e convivência civil. O apelo para a décima oitava Jornada Ecumênica do Diálogo Cristão-Islâmico, disponível AQUI em italiano, árabe, inglês e francês, foi elaborado por um comitê promotor nacional, que convida a concordar com o texto. “A humanidade parece estar presa em uma espiral sem fim de guerra. Os apelos à paz e à fraternidade humana, que vêm também de importantes organismos religiosos internacionais e de líderes espirituais individuais das principais religiões do mundo, são deixados de lado e desprezados», lê-se no apelo, que se inspira no Evangelho e no Alcorão. Os signatários denunciam a criminalização da solidariedade, a guerra aos refugiados e o racismo cada vez mais violento e agressivo: “Nossa Constituição e a Declaração Universal dos Direitos Humanos são cada vez mais espezinhadas pelas exigências da propaganda e do consenso em clima de campanha eleitoral perene – e conclui -. Estamos vivendo uma fase crucial. É necessário, superando contrastes estéreis, não cair na exasperação e na ansiedade, promovendo contínua e coerentemente até ações mínimas, mas compartilháveis, que fortaleçam o diálogo entre as religiões e a unidade dos homens e mulheres de boa vontade”. Entre as nomeações, destacamos as seguintes iniciativas. PARMA, sexta-feira, 25 de outubro. Por iniciativa da Comunidade Islâmica de Parma e da sua província e do Conselho das Igrejas Cristãs (Adventistas do Sétimo Dia, Católicas, Metodistas, Ortodoxas de San Nectario, Igrejas Ortodoxas Romenas), reuniram-se com Mohamed Amin Attarkirepresentante do Centro Islâmico de Parma, e Antonio Cuciniello, arabista e islamólogo da Universidade Católica do Sagrado Coração de Milão. A discussão seguirá. Participam da iniciativa o grupo da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) de Parma e a associação Viandanti. Às 20h30 no Centro Islâmico na via Campanini 6 (zona industrial na via Mantova). CHIAVARI, sexta-feira, 25 de outubro. Diálogo a duas vozes, moderado pelo pároco batista Martin Ibarracom Frei Lorenzo Raniero, dos Frades Menores, professor do Estudo Teológico San Bernardino de Verona, e Izzedine Elzir, Imam de Florença e ex-presidente da União das Comunidades Islâmicas da Itália (UCOII). Aos 21 no Auditório San Francesco di Chiavari na Piazza Matteotti. Paralelamente à iniciativa, a exposição "Francesco e o Sultão - O encontro na outra margem" com curadoria da Fundação Encontro de Amizade entre os Povos de Rimini, montada em Chiavari de 23 a 27 de outubro no foyer do Auditório e em Rapallo de 29 a 31 de Outubro no Liceo “Da Vigo – Nicoloso”, na sucursal de Clarisse. TURIM, domingo, 27 de outubro. “1219-2019 passos da fraternidade”. Em 1219 aconteceu o histórico encontro entre São Francisco de Assis e o sultão Al-Malik al-Kāmil. O dia é organizado pela Rede de Diálogo Cristão-Islâmico de Turim, que inclui mesquitas, igrejas cristãs de todas as denominações, incluindo batistas, valdenses e luteranas, associações religiosas e numerosas, grupos, centros culturais. Às 18h30, no Teatro Cardeal Massaia, na via Sospelo 32/c, o aniversário será celebrado com orações, leituras, discursos, cantos e testemunhos. Entre os convidados, Sonia Ristortoteólogo, professor de religião e imã Abdullah Tchinada Mesquita Sesto, Milão. Para informações: [email protected] – Aqui o Evento Facebook Outros eventos acontecerão em outras cidades, incluindo Pisa, Faenza, Vicenza e Verona. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.