Construindo a paz na transição ecológica

Construindo a paz na transição ecológica

Detalhe do cartaz do XIX Seminário de Estudos sobre a Custódia da Criação

Roma (NEV), 11 de abril de 2023 – Daniele Garrone, presidente da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), é convidado como palestrante no 19º Seminário de Estudos sobre a Custódia da Criação intitulado “Construindo a Paz na Transição Ecológica”. Garrone, que também é pároco e estudioso da Bíblia, propõe uma intervenção a partir do salmo “O amor e a verdade se encontrarão, a justiça e a paz se beijarão”. Juntamente com os outros oradores, traçará “um amplo horizonte de referência, indicando algumas coordenadas bíblicas no signo da expressão shalom – lê-se no folheto – explorando as muitas relações que existem entre a guerra e a degradação ambiental”.

Mônica Lugatodelegada da LUMSA para a Rede de Universidades pela Paz, falará sobre “Paz e meio ambiente: a contribuição do direito internacional”. Enrico Giovannini, ex-ministro do Trabalho e Políticas Sociais, professor de Desenvolvimento Sustentável, Estatística e Economia da Tor Vergata, falará sobre o Plano Nacional de Recuperação e Resiliência, com uma palestra intitulada “PNRR e além: oportunidades para a transição ecológica”. Moderado Alessandra Vischi da Universidade Católica do Sagrado Coração de Brescia.

“Trata-se de oferecer algumas chaves interpretativas para compreender como a guerra e a crise ecológica se alimentam e – vice-versa – uma ação clarividente pela casa comum pode ser sinérgica com uma ação positiva pela paz”, escrevem ainda os organizadores, que acrescenta: “O que significa trabalhar pela paz no Antropoceno? E, por outro lado, como cuidar da casa comum num tempo marcado pela guerra? O XIX seminário sobre a Custódia da Criação pretende colocar-se na encruzilhada dessas duas questões”.

O Seminário estará aberto de Maurice Gardini, presidente da Confcooperativa. Seguir-se-á a leitura do Cântico das Criaturas de Francisco de Assis, com a voz de Margarida Mazzucco, atriz principal do filme “Chiara”. Apresenta: don Bruno Bignami, diretora do Escritório Nacional de Problemas Sociais e Trabalho do CEI. Seguem-se apresentações e debate. À tarde, dois “espaços de discernimento para a transição ecológica”. Um sobre a emergência hídrica, introduzido por Justin Mezzalira (Veneto Agricultura). Coordenada Mateus Mascia da Fundação Lanza. A outra, sobre energia e solo, com Stefano Masini, responsável pela Área de Meio Ambiente da Coldiretti. Coordenada Marco Marchetti da Universidade de Molise. Segue-se uma assembléia plenária moderada pelo teólogo Simone Morandini e as conclusões, como contribuição aos canteiros de obras de Betânia do caminho sinodal da Igreja italiana, de dom Juliano Savinadiretor do Escritório Nacional de Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso (UNEDI) do CEI.

A nomeação é para sexta-feira, 14 de abril de 2023, em Roma, na sede nacional da Confcooperative (Via Torino, 146 em Roma). Organizado pelos dois escritórios nacionais da Conferência Episcopal Italiana (CEI), o dos problemas sociais e do trabalho e o do ecumenismo e do diálogo inter-religioso, em colaboração com a Fondazione Ente Spettacolo, o seminário representa “uma contribuição aos canteiros de obras sinodais da igreja italiana ”. Para mais detalhes clique aqui.

Faça o download do cartaz: Folheto-Seminário Criado 2023

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Política, rumo às eleições, valdenses: que prevaleça “o bem das cidades”

Política, rumo às eleições, valdenses: que prevaleça “o bem das cidades”

O culto de abertura do Sínodo 2022. Foto de Daniele Vola Torre Pellice (TO), 26 de agosto de 2022 – A um mês das eleições políticas, o Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense, reunido em Torre Pellice (Turim), manifesta sua preocupação com a tendência à radicalização entendida como recusa ao diálogo e a demonização do adversário político e hoje aprovou uma moção para expressar uma "oração pelo bem da cidade" (Jeremias 29). O Sínodo não se pronuncia sobre o mérito do voto - segundo a sua tradição secular e respeitando as distintas áreas entre Igreja e Estado - e ao mesmo tempo espera dos eleitores e eleitores, especialmente dos cristãos, que a sua livre escolha na urna nasce de um discernimento responsável. Por fim, os Valdenses, conscientes de que muitos não votam porque não têm cidadania, têm pedido a favor do alargamento do direito à cidadania, conscientes de que as escolhas pessoais também recaem sobre aqueles que (ainda) não têm direito à escolher. AQUI O TEXTO COMPLETO do Ato do Sínodo_elections_text.docx ...

Ler artigo
O direito à saúde no centro do Sínodo Valdense

O direito à saúde no centro do Sínodo Valdense

Torre Pellice (nev/sv06), 24 de agosto de 2023 – O direito à saúde para todos, de Norte a Sul, sem desigualdades, com maior atenção às pessoas mais vulneráveis, às novas formas de pobreza, aos cidadãos marginalizados. Isto foi discutido hoje no Sínodo Valdense em curso em Torre Pellice (TO), numa conferência de imprensa sobre os temas da agenda dos deputados reunidos nos vales valdenses. O órgão de decisão das igrejas Metodista e Valdense aprovou de facto uma lei intitulada "Para uma igualdade saudável", que sublinha a importância do serviço nacional de saúde. Ao mesmo tempo, para os valdenses é essencial proteger a saúde pública como elemento fundador da democracia. Diante, portanto, dos cortes previstos para este setor, as igrejas valdenses pedem uma inversão de tendência e uma relação entre Regiões e Estado que possa reduzir e não aumentar o fosso entre Norte e Sul, como poderia fazer a autonomia diferenciada. “Segundo o Sínodo, a questão da relação entre público e privado precisa ser revista – disse Daniel Massa, membro da Comissão Sinodal para a Diaconia (CSD - Diaconia Valdense) - no sentido de que cerca de 10 milhões de pessoas neste país têm uma 'sociedade mútua externa' não é apenas um elemento impróprio porque o acesso deveria ser a um sistema universal, mas também enfraquece o próprio sistema de serviço público. O sistema público universalista deve permanecer no centro”. “Até no assunto da saúde física e mental das pessoas – declarou Ciuffreda Grátisoncologista, membro do Conselho da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, deputado ao Sínodo Valdense - estamos comprometidos como leigos com uma sociedade aberta e inclusiva, que não deixa ninguém para trás e fazemos isso em nome de Jesus Cristo que menos se importava e interpretou a sua ação terapêutica em sentido amplo como sinal e contribuição eficaz para o advento do reino de Deus aqui e agora“. Amanhã, último dia do Sínodo, o Serviço Nacional de Saúde (SSN) como bem a preservar e valorizar estará também no centro de uma agenda ad hoc, ontem apresentada, que volta a falar do direito à saúde, no face a um desmantelamento contínuo do SSN e à sua privatização. Este texto refere-se também ao carácter universal desta área da vida das pessoas e sublinha a importância do serviço público de saúde, que aliás deveria ser ainda mais apoiado pelas instituições, em termos económicos e não só, também para uniformizar os serviços e o desempenho cuidados de saúde em diferentes regiões. Para rever a conferência de imprensa de hoje e todos os materiais do Sínodo: www.nev.it; www.rbe.it; www.riforma.it; www.chiesavaldese.it ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.