O Conselho da FCEI visita a Casa das Culturas de Scicli

O Conselho da FCEI visita a Casa das Culturas de Scicli

Roma (NEV), 23 de junho de 2023 – A partir de hoje, o Conselho da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália visita Scicli, na Casa das Culturas, um dos projetos do programa de refugiados e migrantes da mesma federação de protestantes.

Nos próximos dias, os vereadores se encontrarão com os operadores, voluntários e associações que gravitam em torno da estrutura nascida na cidade da província de Ragusa em 2014. O centro acolhe atualmente trinta pessoas que chegaram à Itália pelos corredores humanitários, um dos as iniciativas das igrejas evangélicas, com Tavola Valdese, Diaconia Waldens e graças à contribuição do Otto per mille Waldensian, um dos principais financiadores.

No passado mês de janeiro, todo o corpo executivo da FCEI visitou as instalações de Rosarno e nos próximos meses vai também conhecer os outros polos da Mediterranean Hope “no terreno”.


O Conselho da FCEI é o órgão executivo da Federação. Reúne-se pelo menos 6 vezes por ano e é responsável pela condução dos negócios e administração do dia-a-dia. O Conselho é responsável pela execução das resoluções da Assembleia para a prossecução dos fins da Federação; gere a relação laboral com os colaboradores, o funcionamento dos gabinetes e serviços; administra o património da FCEI, elabora os balanços a submeter à aprovação anual da Assembleia, recebe e prepara os pedidos de admissão à FCEI a submeter à aprovação da Assembleia. Eleito a cada três anos por maioria de votos da Assembleia, o Conselho é composto pelo Presidente e seis conselheiros. Os membros do Conselho em exercício, eleitos pela XX Assembleia, são: Richard Kofi Ampofo (Metodista), Maria Antonieta Caggiano (luterana), Pedro Ciaccio (Metodista), Free Ciuffreda(valdense), Sara Comparatti (batista), Luca Longo (Exército da Salvação). o presidente é Daniele Garrone (valdense).


Aqui um serviço do protestantismo na Casa das Culturas de Scicli.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

79º Festival de Cinema.  Em Veneza Júri INTERFILM para o diálogo inter-religioso

79º Festival de Cinema. Em Veneza Júri INTERFILM para o diálogo inter-religioso

Roma (NEV), 31 de agosto de 2022 – Começa o 79º Festival Internacional de Cinema de Veneza. É uma edição particular, pois comemora 90 anos de atividade. O festival de cinema mais antigo do mundo, aliás, teve início em 7 de agosto de 1932, com a exibição de “Dr. Jekyll e Mr. Hyde”. É, aliás, a Exposição que entrega aos Catherine Deneuve o primeiro Leão de Ouro de sua carreira. Além disso, a Bienal de Veneza anunciou duas iniciativas de solidariedade para diretores, cineastas e artistas presos ou encarcerados em todo o mundo no ano passado, com o objetivo de conscientizar a mídia, governos e organizações humanitárias. São 73 novos longas na Seleção Oficial. 16 curtas-metragens e 2 séries de TV. Muitos eventos paralelos, filmes restaurados, documentários, com uma representação total de 56 países. O Júri Internacional INTERFILM Também este ano está presente em Veneza o Júri Internacional INTERFILM, que reúne as associações europeias de cinema protestante e vai atribuir o "Prémio para a promoção do diálogo inter-religioso". O pastor e “teólogo pop” Pedro Ciaccio, Presidente da Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi" – membro italiano da INTERFILM – faz parte do Júri. Com ele também Alina Gabriela Birzache (Reino Unido), Robert K. Johnston (EUA), Jolyon Mitchell (Escócia/Reino Unido, Presidente), Daria Pezzoli-Olgiati (Suíço). Ciaccio diz: “Chegamos à 11ª edição deste Prêmio para o diálogo religioso. A Associação de Cinema Protestante teve um papel fundamental para dar vida a este prémio, pela sua fundação. É um fato muito importante porque em Veneza, ao contrário de outras festas, não há júri ecumênico”. Como a Associação “Roberto Sbaffi”, ainda recorda Ciaccio, costuma-se organizar uma iniciativa na cidade. “Parece um pouco alienante – diz o pároco – porque uma Veneza mais habitual corresponde a um Lido decorado com luzes e tapetes vermelhos para o Festival de Cinema. Em vez disso, a cidade vive, quase Apesar de A exibição". Esta é a exibição habitual organizada pela Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi", juntamente com a Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) de Veneza, a Igreja Valdense e Metodista de Veneza, a União da Diáspora das Igrejas Metodistas e Valdenses. CENTO E OITO O filme que está sendo assistido é “CENTOOTTO”, de José Bellasalma, Michael Lipori E Cláudio Paravati. Marcação para quarta-feira, 7 de setembro de 2022, às 17h00, na Casa del Cinema, no Palazzo Mocenigo San Stae 1990 (Sestiere S. Croce Veneza). Segue-se uma discussão com o diretor Giuseppe Bellasalma. Apresentar e coordenar Alessandra Cecchetto (SAE Veneza). Produzido pela Fai Cisl, organização sindical do setor agroalimentar, e pela ConfrontiKino, o filme acompanha o sequestro em 2020 pelas autoridades líbias de 18 pescadores de Mazara del Vallo. Eles serão libertados após 108 dias de cativeiro. Diz o convite: “Apresentado no ano passado na Exposição do Lido, mas pouco difundido nos circuitos oficiais, o documentário assenta nas vozes dos protagonistas e das suas famílias, que esperavam angustiados pela libertação dos seus entes queridos. Uma das muitas histórias que evidenciam as muitas contradições entre as duas margens do Mediterrâneo”. Entrada gratuita até durarem os lugares. Reserva recomendada em 041 2747140. Para informações sobre o filme: [email protected] – INTERFILM Fundado em 1955 por inúmeras associações de cinema protestantes na Europa, atualmente inclui membros protestantes, ortodoxos e anglicanos, além de judeus. Em colaboração com seu parceiro católico SIGNIS, organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes, como Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim, Locarno (www.inter-film.org). ...

Ler artigo
Mattarella em Torre Pellice em agosto.  O sonho pró-europeu nasceu aqui.

Mattarella em Torre Pellice em agosto. O sonho pró-europeu nasceu aqui.

A placa será inaugurada na manhã de quinta-feira, 31 de agosto, na Torre Pellice, na presença do Presidente da República, Sérgio Mattarella, com um dia dividido em dois momentos distintos: um envolverá instituições civis locais e outro será dedicado à Igreja Valdense, realidade histórica do protestantismo reformado. À tarde continuaremos com uma conferência histórica promovida pela Prefeitura e pela Fundação Centro Cultural Valdense. A conferência, intitulada “A Europa de Altiero Spinelli. O importante legado de um federalista”, terá lugar no Teatro del Forte pelas 16h30. “Será um dia histórico não apenas para a comunidade de Torre Pellice, mas para toda a área de Pinerolo e os vales valdenses do Piemonte. – declara o Prefeito de Torre Pellice, Mark Cogno –. A presença e atenção do Presidente para pequenas comunidades como a nossa nos honra e nos fortalece em nossas ações diárias. Oitenta anos depois de 1943, a presença do Presidente adquirirá um significado ainda mais profundo para o nosso território graças aos valores democráticos e republicanos consagrados na nossa Constituição". "Estamos honrados com a visita do Presidente Mattarella em uma ocasião tão significativa para uma Igreja que sempre combinou uma fé vivida à luz do Evangelho de Jesus Cristo com um compromisso civil apaixonado – declara o moderador do Tavola Valdese, Alessandra Trotta –. Um tipo de compromisso que para toda uma geração de jovens valdenses em nossos vales e em outros lugares, exatamente oitenta anos atrás, também se tornou dramaticamente um compromisso de resistir ao nazifascismo, guiado por uma visão ampla de uma Itália e uma Europa fundadas em princípios de liberdade e a democracia, respeitadores da pluralidade de ideias e valores, amantes da paz e orientados para a promoção da solidariedade e dos direitos humanos". Recorde-se que entre 26 e 28 de agosto de 1943, a reunião de fundação da seção italiana do Movimento Federalista Europeu foi realizada na casa milanesa de Rollier, com a presença de Spinelli. O próprio Spinelli será então convidado de Rollier, alguns dias depois, na Torre Pellice onde, há oitenta anos, proferiu aquele primeiro discurso histórico. Uma utopia concreta e um projeto ainda por concretizar, portanto, a ideia de uma Europa federalista conheceu, de facto, um momento chave com o Manifesto Ventotene (escrito em 1941 por Ernesto Rossi e Spinelli), mas teve também uma passagem fundamental na Torre Fur. Alguns meses depois, em 19 de dezembro de 1943, encontramos Rollier em Chivasso, onde um grupo misto de antifascistas do Vale de Aosta e representantes dos vales valdenses se reuniram para redigir a chamada "Declaração de Chivasso". Reivindicava um federalismo que reconhecesse as pequenas autonomias culturais e linguísticas como expressões de liberdade face a uma visão autoritária e centralista do Estado. O mesmo grupo valdense que inspirou este documento desempenhou um papel importante na organização das "Jornadas Teológicas de Ciabàs" (1-2 de setembro de 1945) cujo tema era, precisamente, "Ecumenismo cristão e federalismo europeu". Leia Chiesavaldese.org ...

Ler artigo
75º Festival de Locarno.  Júri ecumênico premia Contos da Casa Púrpura

75º Festival de Locarno. Júri ecumênico premia Contos da Casa Púrpura

Roma (NEV), 16 de agosto de 2022 – O Prêmio Ecumênico do Júri em Locarno vai para o filme “Contos da Casa Púrpura”, dirigido por Abbas Fahdel. o filme com Nour Ballouk (título original "Hikayat elbeit elorjowani" é filmado entre Líbano, Iraque e França. O festival de cinema aconteceu de 3 a 13 de agosto. O júri ecumênico formado pela INTERFILM (parte protestante) e SIGNIS (parte católica) concedeu o prêmio com esta motivação: “O filme nos oferece a perspectiva pessoal e poética de um casal de artistas sobre a história e o presente de um país dilacerado. Ao mesmo tempo, mostra que a vida cotidiana continua. E que a arte e a beleza têm um papel fundamental nisso”. O júri ecuménico distinguiu ainda o filme “Tengo sueños eléctricos”, realizado por Valentina Maurel, (Bélgica, França, Costa Rica). O filme acompanha a trajetória de uma jovem adolescente que vive em uma família dominada e abalada por separações e violência, mas também pelo amor. Membros do júri ecumênico: Anne DagallierFrança Linde FröhlichAlemanha Lukáš JirsaRepública Tcheca (presidente) Anne-Beatrice Schwabsuíço O Júri Ecumênico O Júri Ecumênico está presente no Festival de Cinema de Locarno desde 1973. Indicado conjuntamente pela INTERFILM, entidade protestante internacional para o cinema, e pela Signis, associação católica mundial de comunicação, seleciona obras que destacam valores religiosos, humanos e sociais. O prêmio consiste em 20.000 francos suíços para a distribuição do filme, doados pelas igrejas reformadas e pela Igreja Católica da Suíça. INTERFILM Fundada em 1955 por numerosas associações de filmes protestantes na Europa. Em colaboração com o parceiro católico SIGNIS, organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes (Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim). Em Veneza, os júris da SIGNIS e da INTERFILM são separados. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.