Kingston, apelo ecumênico pela paz

Kingston, apelo ecumênico pela paz

Kingston, Jamaica

Roma (NEV), 23 de março de 2011 – Ao som de um hino composto para a ocasião, a cerimônia de lançamento da Convocação Ecumênica Internacional pela Paz, convocada na capital da ilha caribenha pelo Conselho da Conferência Ecumênica de Igrejas (CEC) de 17 a 25 de maio próximo. A cerimônia, organizada pelo Conselho de Igrejas da Jamaica e pela Conferência de Igrejas do Caribe (CCC), foi aberta pelo arcebispo católico Donald Reece, presidente do CCC: “A Jamaica é um lugar adequado para refletir sobre a paz, porque aqui sabemos bem o que significa marchar da violência para a paz”, disse Reece referindo-se à história de violência de toda a região do Caribe marcada pelo tráfico de escravos e pelos contratos de servidão. Apesar desta história passada, nenhum ser humano “é chamado ao ódio e à guerra, mas a experimentar a unidade e a paz”.

No discurso principal da reunião, Mathews George Chunakara, diretor do programa de assuntos internacionais do CMI, destacou como a Convocação de Kingston está fortemente enraizada na experiência da Década para derrotar a violência (2001-2010), patrocinada pelo CMI. “Kingston representa o ápice da Década – sublinhou Chunakara -, bem como mais uma oportunidade para as igrejas renovarem seu compromisso com a não-violência e a paz justa”. , que recordou os muitos momentos que caracterizarão a Convocação de maio: não só conferências e grupos de estudo, mas também o plantio de árvores e um concerto pela paz. Um momento que vai unir as igrejas ao redor do mundo é o Domingo da Paz, convocado para o dia 22 de maio, durante o qual os cultos das igrejas de todos os continentes rezarão com as palavras de uma oração composta pelas igrejas caribenhas para a ocasião.

Os protestantes italianos também estarão presentes na Convocação pela Paz em Kingston, representados pela Pastora Letizia Tomassone, vice-presidente da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália. (www.overcomingviolence.org/). Tomassone também estará entre os palestrantes do seminário “Ousando a paz pela fé”, que será realizado em Roma no sábado, 2 e domingo, 3 de abril, com o título “Além da violência”. À margem do seminário, que também terá intervenções do teólogo adventista Hans Gutierrez e Tonio Dall’Olio da associação “Libera” e membro do conselho da Mesa da Paz, a reunião dos delegados italianos será realizada na Convocação de Kingston.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Bíblia e arredores, o primeiro episódio do podcast SIE

Bíblia e arredores, o primeiro episódio do podcast SIE

Roma (NEV), 12 de maio de 2021 - "A Bíblia e seus arredores" é a nova coluna de podcast de histórias bíblicas e mais com curadoria do Serviço de Educação e Educação (SIE) da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) em colaboração com Nev - Imprensa da Agência FCEI e revista infantil “L'Amico dei fanciulli”. Mais uma ferramenta pensada para acompanhar o trabalho das catequeses das igrejas evangélicas por meio da escuta. Começaremos refazendo os episódios bíblicos propostos na unidade “Amigos de Jesus” da revista “Catetese” n. 2/2020 para continuar com outras histórias bíblicas ou atuais, em colaboração com "L'Amico dei fanciulli". Neste primeiro episódio, o episódio bíblico - narrado no Evangelho segundo Lucas - em que Jesus, na sua longa viagem de Nazaré a Jerusalém, encontra os discípulos que se tornarão "pescadores de homens". As vozes de Simona Mastroianni, Dafne Marzoli, Elisa Baglieri E Ulrike Jourdan e a musica de Ilaria Castaldo. Para ouvir os outros podcasts do NEV, aqui o perfil do speaker com todos os episódios. ...

Ler artigo
Torre Pellice, berço da Europa.  O primeiro dia #senzasinodo

Torre Pellice, berço da Europa. O primeiro dia #senzasinodo

A crônica da primeira noite pública da revista #senzasinodo e o vídeo completo da inauguração dos eventos que acontecem na Torre Pellice até 30 de agosto A moderadora da Mesa Valdense Alessandra Trotta, na reunião de abertura da resenha #senzasinodo Roma (NEV/Riforma.it), 25 de agosto de 2020 – Ontem à noite, segunda-feira, 24 de agosto, aconteceu a primeira noite de «Gerações e Regenerações», a semana organizada pelas igrejas metodistas e valdenses da província de Turim. Ele fala sobre isso neste artigo sobre Reforma Gian Mario Gillio. Neste link você pode acompanhar a web ao vivo da resenha #senzasinodo, ler e baixar o programa completo dos encontros que acontecerão até o próximo domingo nos vales valdenses.Aqui está o vídeo completo da inauguração na segunda-feira, 24 de agosto: artigo anteriorSemana #semsínodo. Recomeçar da escuta para reconstruir o paísPróximo artigoSemana #semsínodo. Trotta: estamos aqui para inovação, cooperação e desenvolvimento Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
“Vamos nos juntar à voz daqueles que lutam nas ruas do mundo”

“Vamos nos juntar à voz daqueles que lutam nas ruas do mundo”

Najla Kassab prega do púlpito de Lutero em Wittenberg Roma (NEV), 31 de outubro de 2019 - O presidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (WCRC) Najla Kassab, o primeiro pároco eleito para o cargo e ex-representante do Sínodo Evangélico Nacional da Síria e Líbano, emitiu uma mensagem para o Dia da Reforma, que é comemorado em 31 de outubro em todo o mundo. Reproduzimo-lo na íntegra a seguir. Das ruas de Beirute, em meio a uma crise política, eu os saúdo hoje enquanto lembramos e celebramos o Dia da Reforma. Uma das lições mais fortes que a Reforma nos ensinou é a responsabilidade: que cada pessoa e líderes são responsáveis ​​perante a comunidade. Não há autoridade acima da responsabilidade. Por meio da prestação de contas, reformamos juntos e garantimos que nosso ministério e líderes trabalhem pelo Reino de Deus, pela justiça para todos. Se levamos a sério o desafio da Reforma permanente, de manter viva a Reforma, devemos aumentar a responsabilidade. Hoje muitas ruas ao redor do mundo estão em greve, em Beirute, Hong Kong, Iraque, Chile ou em outros lugares. As pessoas decidiram não se calar mais e os jovens arriscaram-se a ir às ruas pedir aos seus líderes que assumam a responsabilidade por uma vida digna para todos, levantando o seu grito contra a corrupção. Sim, os líderes devem ser responsabilizados e o que é injusto deve ser enfatizado. Apesar de cada país ter suas próprias causas de injustiça, o fator comum é que os jovens têm a coragem de falar e até de pagar um preço. É hora de pensarmos juntos como a mudança pode acontecer, seja ela gradual ou radical. O silêncio está entre as principais causas de injustiça, assim como a mentalidade de que não devo suportar problemas que não me digam respeito diretamente. Hoje, novamente, nossa Confissão de Acra nos lembra que questões de justiça econômica e ecológica não são apenas questões sociais, políticas e morais, mas são parte integrante da fé. Ser fiel à aliança de Deus exige que cada cristão e igreja se posicione contra as atuais injustiças econômicas e ambientais "vendo através dos olhos de pessoas desamparadas e sofredoras". As Igrejas e a sociedade são chamadas a ouvir o grito das pessoas que sofrem e a ferida da própria criação, superconsumida e desvalorizada pela atual economia global. Hoje o desafio é continuar denunciando a injustiça econômica, falar e usar nossa imaginação juntos para um futuro melhor. Hoje me refiro ao Testemunho de Wittenberg, com o qual nos comprometemos há dois anos com nossos irmãos e irmãs luteranos, dizendo juntos: Juntos, desejamos uma imaginação renovada do que significa ser igreja em comunhão – para o nosso mundo, em nosso tempo. Precisamos de novas imaginações para viver juntos, de forma a abraçar nossa unidade não apenas como um dom, mas também como um chamado. Precisamos de uma nova imaginação para sonhar com um mundo diferente, um mundo onde prevaleçam a justiça, a paz e a reconciliação. Precisamos de uma nova imaginação para praticar uma espiritualidade de resistência e uma visão profética, uma espiritualidade a serviço da vida, uma espiritualidade moldada pela missão de Deus. Neste dia unimos nossas vozes a todos aqueles que lutam nas ruas do mundo. Somos chamados a lembrar, com a força de “ficar aqui” pelos nossos valores, tendo fé, que independente de quantos somos, podemos fazer a diferença. Martinho Lutero ele nos encorajou a dizer “Aqui estou, não posso fazer outra coisa” mesmo quando isso significava pagar um preço. Hoje acrescentamos às palavras de Lutero: "Aqui falo". Acreditamos que podemos fazer a diferença e nos comprometemos com uma reforma que continua (sempre reformanda, ou seja, sempre reformada). em Cristo, Najla KassabPresidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (WCRC) ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.