11 de junho.  Culto Educacional e Educacional Domingo

11 de junho. Culto Educacional e Educacional Domingo

Detalhe de uma imagem para a “Escola Dominical”, revista editada pelo Serviço de Educação e Educação (SIE) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI)

Roma (NEV), 7 de junho de 2023 – No próximo dia 11 de junho é o domingo dedicado à Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). O acervo arrecadado durante os cultos das igrejas Valdenses e Metodistas presentes na Itália irá para o sustento das atividades do Serviço de Educação e Educação (SIE).

A SIE se ocupa da educação bíblica e da formação das novas gerações por meio de materiais, conferências, seminários e colaborações na Itália e no exterior, com enfoque não confessional e interdisciplinar. Entre outras coisas, a SIE edita a revista “La scuola Domenicale”, para apoiar o ensino nas escolas dominicais italianas e também nas escolas públicas da Suíça de língua italiana.

“Queremos agradecer a todas as pessoas que apoiaram e apoiam o trabalho teológico, pedagógico e intercultural da SIE. Nosso serviço coloca meninos e meninas no centro, cria um diálogo intergeracional ativo e atento aos valores universais, conecta pessoas e ideias, nas igrejas como na vida cotidiana – disse o coordenador do SIE, Gian Mario Gillio -. Obrigado, portanto, àqueles que nos apoiarão indo aos cultos nas igrejas metodista e valdense no próximo domingo, mas também àqueles que nos ajudam dia a dia na elaboração e compartilhamento de conhecimento, como aconteceu no recente encontro de formação em Igrejas e intercultura”.

A SIE também desenvolve ferramentas para a participação ativa de meninos e meninas em momentos de canto, oração e reflexão bíblica. Trata da formação bíblica e atualização em metodologias de ensino bíblico para meninos e meninas. Finalmente, mantém contato com as igrejas da FCEI e com outras realidades do mundo evangélico, na Itália e no exterior. A “Catequese” é uma revista semestral que abrange uma faixa etária de 3 a 13 anos e busca narrar a história bíblica com metodologias que possam acolher e estimular os questionamentos de meninos e meninas sobre Deus, o mundo, sobre a vida e a fé, respeitando as diferenças presentes nas diversas fases do desenvolvimento cognitivo. Para mais informações, clique aqui.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Homossexualidade, a Igreja Valdense escolhe direitos e aceitação

Homossexualidade, a Igreja Valdense escolhe direitos e aceitação

Roma (NEV/chiesavaldese.org), 25 de novembro de 2022 - "Sobre o assunto de receber e abençoar casais homossexuais, a Igreja Valdense expressou repetidamente uma posição clara e cristalina". Assim, o moderador do Tavola Valdese, Alessandra Trottaintervém nas declarações do senador Lúcio Malan (expoente dos Irmãos da Itália e membro da Igreja Valdense) sobre o tema dos direitos dos casais homoafetivos também em relação à Bíblia, para responder àqueles que se perguntam por que a Igreja Valdense não fala. “Vamos decepcionar todos aqueles que esperam a censura pública do senador Malan. A censura não faz parte do nosso jeito de ser igreja – diz Trotta -. Mas isso não significa que nossa Igreja não fale. A nossa Igreja fala através dos pronunciamentos oficiais do nosso Sínodo que, ao final de um amplo e participativo processo de discussão e partilha, expressou uma posição cristalina sobre o tema do acolhimento e bênção dos casais homossexuais e não o fez por ceder ao 'espírito do mundo', mas colocando-se com seriedade e sentido de responsabilidade diante da Palavra, com um questionamento atento das Escrituras e confiando na guia do Espírito Santo; em outras palavras, como crentes". Trotta continua: “Nossa Igreja também fala através da prática diária de compromisso das igrejas locais, de centros de reunião e treinamento (como o ecumênico da Ágape), de nossos trabalhos diaconais; e, por último, mas não menos importante, com os inúmeros projetos de acolhimento, apoio, inclusão plena e proteção dos direitos das pessoas discriminadas por sua orientação sexual ou identidade de gênero. E faz tudo isto suportado todos os anos também pela quota de oito por mil que muitos contribuintes nos atribuem, com a confiança no uso que dela fazemos. Temos a humilde e confiante convicção de que a continuidade deste compromisso concreto é e deve continuar a ser a única resposta possível a dar neste momento, face a posições pessoais que não comprometem a nossa Igreja e não implicam uma mudança das próprias convicções e compromisso, em palavras e ações concretas, para batalhas civis que continuarão a nos distinguir na linha de nossa fé. 'Palavras' diferentes dessas seriam incompreensíveis também e sobretudo para os membros das igrejas valdenses e metodistas que não compartilham da interpretação da Bíblia de seu irmão Lúcio Malan e, no entanto, não acreditam que a Igreja possa se constituir como um tribunal das consciências, mesmo onde expressa ideias em contraste com as assumidas oficialmente pela própria Igreja". A análise de Trotta se estende: "Ao mesmo tempo, aproveito para dizer uma palavra sobre o debate da mídia de hoje que vê um mal-entendido, para não mencionar um ridículo do significado profundo da Bíblia, tanto do Novo Testamento quanto do Antigo Testamento. ou Bíblia Hebraica. A cultura bíblica em sua totalidade (sem cesuras perigosas entre Antigo e Novo Testamento) contribuiu substancialmente para a abordagem jurídica de hoje, marcada pelo reconhecimento e defesa dos direitos humanos e proteção dos mais fracos, acolhimento e assistência universal de quem é marginalizado e quem sofre. A Bíblia não é um código de leis para ser aplicado como um manual de instruções, mas é o rastro de um caminho de fé que sublinha a importância da relação entre os seres humanos e destes com Deus; caminho continuado hoje por milhões de mulheres e homens. A própria Bíblia defende-se de uma interpretação unívoca e superficial ao relatar posições em dialética entre si, promovendo assim o diálogo ao longo do caminho como possibilidade de seguir o Deus de Israel e Jesus, por isso as Escrituras ainda desempenham um papel fundamental na vida. hoje das pessoas e das Igrejas, que nela encontram sobretudo um anúncio de graça e de salvação para todos e todos". ...

Ler artigo
O Concílio Ecumênico pediu: “Unidade, reconciliação, justiça e paz”

O Concílio Ecumênico pediu: “Unidade, reconciliação, justiça e paz”

Foto: Albin Hillert/WCC Roma (NEV), 18 de maio de 2022 – Uma pré-assembleia interortodoxa realizada na semana passada afirmou “a máxima importância do amor” e lançou “um apelo à unidade, reconciliação, justiça e paz”. Isso é o que pode ser lido em uma declaração conjunta dos 50 participantes, que incluíam delegados de 20 igrejas ortodoxas orientais. O objetivo da consulta, organizada pelo Metropolita Vasilios de Constantia e Ammochostos da Igreja Ortodoxa de Chipre, foi articular a perspectiva Ortodoxa sobre o tema e subtemas da 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), agendada para final de agosto a primeiro de setembro na Alemanha, em Karlsruhe, preparar os delegados para sua plena participação e expressar suas expectativas em vista dos próximos compromissos internacionais. "Na teologia ortodoxa, o amor tem a maior importância", diz o comunicado. “Como ortodoxos, estamos comprometidos com o objetivo da unidade eucarística, que tem sido a visão do CMI desde o seu início”, continua o texto. “O apelo à unidade, à reconciliação, à justiça e à paz continua a ser a nossa missão hoje, pois o nosso Senhor encarnado convida-nos a permanecer no seu amor, guardando os seus mandamentos…” A mensagem conjunta recorda ainda que o encontro decorreu "numa terra apostólica", oferecendo aos participantes "a oportunidade de rezar juntos e de mergulhar na herança cristã bimilenar da ilha de Chipre", e também "de se informarem dos problemas de vida e da dor contínua que a ocupação turca tem causado à população local, uma ocupação que ainda mantém a ilha mediterrânea dividida. "A delegação da Igreja Ortodoxa Russa informou o corpo do confronto armado na Ucrânia", diz finalmente o comunicado. “Os membros da reunião tiveram a oportunidade de discutir a atitude da Igreja local diante desta dolorosa situação e compartilharam suas profundas preocupações sobre os desenvolvimentos na região, rezaram pela paz e expressaram a esperança de que o tema "O amor de Cristo impulsiona o mundo à reconciliação e à unidade", escolhida para a próxima Assembleia, é outra inspiração que pode guiar esta região sangrenta e outras feridas por guerras no mundo, rumo à paz e à superação de todas as divisões". ...

Ler artigo
Homolesbobitransfobia, protestantes defendem associação ucraniana

Homolesbobitransfobia, protestantes defendem associação ucraniana

Cecilie Johnsen, unsplash Roma (NEV), 16 de maio de 2022 - A Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, como parte da subscrição para a população que foge da Ucrânia, decidiu alocar uma quantia a ser destinada à ONG Insight, que lida com os direitos das pessoas lésbicas, gay, bissexual, transgênero e queer. É uma das iniciativas promovidas pelas igrejas protestantes às vésperas do Dia Mundial contra a homossexualidade e a transfobia, que é comemorado amanhã, 17 de maio. “Nossas igrejas – declara marta bernardini, coordenadora do Mediterranean Hope, programa de migrantes e refugiados da FCEI - estão envolvidos em muitas iniciativas para 17 de maio e, portanto, também queríamos apoiar aqueles na Ucrânia que lidam com a homolesbobitransfobia. Na verdade, é importante proteger pessoas ainda mais vulneráveis ​​e perseguidas em contextos de guerra. O que estamos tentando promover é um olhar interseccional sobre a questão dos refugiados, ou seja, que considere também as dinâmicas de gênero, poder, classe e etnia”. Entre outros compromissos, será realizada em Palermo a Vigília Ecumênica pela Superação da Homotransfobia de 2022. "Pelo 16º ano consecutivo - lê-se na apresentação do evento - cristãos de diferentes confissões se reúnem para lembrar as vítimas da discriminação por orientação sexual e gênero identidade.A comissão organizadora das vigílias pela superação da homotransfobia em Palermo decidiu estar presente e renovar o compromisso de nos unir espiritualmente em uma oração coletiva”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.