Jesus precisa de muitos “Pedros”.  Primeira vez na história

Jesus precisa de muitos “Pedros”. Primeira vez na história

Uma colagem de quadros do vídeo do Vatican Media sobre a Lectio Petri em 22 de novembro de 2022

Roma (NEV), 24 de novembro de 2022 – Um fato histórico. Um pastor valdense teve liberdade de expressão em São Pedro pela primeira vez na história da Basílica. Ele é o teólogo Paulo ricoconvidado pelo cardeal Gianfranco Ravasi por ocasião de um Lectio Petri. Com Ricca, também o teólogo leigo ortodoxo, Dimitrios Keramidas e o católico Dario Vitali. O teólogo Cettina Militello moderou a reunião, realizada no último dia 22 de novembro.

Paolo Ricca falou sobre a interpretação do versículo bíblico: “sobre esta pedra edificarei a minha igreja”. O “Tu es Petrus”, diz o teólogo, está junto com o “Tu es Christus” do versículo 16.você é Petrus é o eco de Tu es Christus que Pedro acaba de pronunciar a respeito de Jesus.Estas duas declarações, afirma Paolo Ricca, são inseparáveis.

“O Tu es Christus é a mãe de Você é Petrus. Pedro na verdade se chamava Simão. Jesus muda de nome (como Jacó, cujo nome Deus muda para Israel). Jesus diz: ‘agora o teu nome será Pedro, porque tu és uma rocha e sobre esta pedra quero edificar a minha igreja’. Pedra? Peter? – Ricca se pergunta – Mas você conhece Pietro? Era tudo menos uma pedra. Generoso, sim. Impulsivo, mas que terá que chorar amargamente por si mesmo, porque ele mesmo negará seu mestre a quem tanto amou três vezes. Pedra? Sim rocha, com suas contradições, como nós, com nossas contradições fomos chamados para uma tarefa maior que nós, como a de Pedro. Jesus transforma este jovem, que não era uma rocha, em uma rocha. E porque? Porque ele é o primeiro de todos, na verdade Matteo o chama protos, em grego. A primeira em que sentido?”

Em que sentido, então, Pedro é o primeiro? Ricca responde: “ele é o primeiro a dizer Tu es Christus. Ninguém havia dito isso. Ninguém havia notado, talvez ninguém tivesse coragem de dizê-lo. Essa é a primazia, se quisermos chamar assim”. E conclui dizendo:

“Peter é o primeiro, mas não é o único. O Jesus ressuscitado chamará Paulo, que fundará muitas igrejas sobre o mesmo fundamento de Pedro, isto é, sobre Tu es Christus. E eu me pergunto se Jesus não quer fazer muitos pequenos ‘Pedros’ de nós também. Jesus precisa de muitos ‘Pedros’, um não é suficiente. E talvez esta noite queira fazer de nós também pequenos ‘Pedros’, pedrinhas domésticas sobre as quais Ele, Jesus, quer construir a sua Igreja.

A igreja cristã não nasceu nas basílicas, nasceu nos lares, a primeira forma da igreja cristã é a igreja doméstica. E então esta poderia ser a Lectio Petri. Um ensinamento. Jesus precisa de muitos pequenos ‘Pedros’ para a sua Igreja numa Europa largamente secularizada, e também nesta cidade”.

Estas são as palavras do teólogo, que falou “diante do altar que carrega as relíquias de Pedro, que com certa arrogância arquitetônica nos lembra a primazia” disse Militello apresentando Ricca. Que começou com um agradecimento solene, cujas palavras foram: “Queridos irmãos e irmãs, não posso começar este discurso sem agradecer a fundação do fundo do meu coração Fratres Omnes pelo convite para participar deste Lectio Petri. Certamente é a primeira vez na história milenar desta Basílica que um pastor da igreja valdense, como eu, fala aqui, recebe a palavra, em liberdade e fraternidade. Isso nunca havia acontecido na história. É um fato absolutamente novo, uma daquelas novidades de que fala o profeta Isaías, que Deus cria na história do seu povo. Uma daquelas primícias do Espírito mencionadas pelo apóstolo Paulo. E o que não vemos aqui hoje. E o que é essa novidade? É a Igreja ecumênica que avança e se forma hoje, também aqui, nesta Basílica tão significativa de todos os pontos de vista para toda a cristandade. Aqui mesmo a igreja ecumênica, ou seja, a igreja de todos os cristãos, toma forma. Torne-se visível. É uma coisa extraordinária, algo que só podemos agradecer a Deus que não se cansa de criar coisas novas, mesmo e precisamente no nosso tempo. É realmente a igreja do fratres omnes acima de todos os cristãos. Sempre fomos, fratres omnesmas só em nosso tempo estamos percebendo, aos poucos, e alguns ainda não perceberam”.

Diferentes comentários nas redes sociais, com centenas de compartilhamentos e interações. Entre as postagens, destacamos a de Paulo Sassi“querido amigo da Comunidade de Sant’Egidio”, como o próprio Ricca o chama.

“Entre a cadeira de Pedro e o pálio de Bernini, Paolo Ricca falou ‘em liberdade e fraternidade’, com paixão e emoção” comentou em sua página no Facebook.

Aqui o vídeo completo da Lectio.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Luteranos.  A igreja luterana de Veneza reabre

Luteranos. A igreja luterana de Veneza reabre

Escola do Anjo da Guarda (Veneza) Roma (NEV), 9 de outubro de 2013 – Em 13 de outubro, após 15 meses fechada para reformas, reabre a igreja que abriga a comunidade protestante mais antiga da Itália: a comunidade luterana de Veneza. Para a ocasião foi organizada uma festa com concerto do coro gospel Joysingers. O anúncio foi feito pelo pastor da igreja, Bernd S. Prigge, que lembra: “Em junho passado, grandes pedaços do teto caíram e a igreja teve que ser fechada. Os especialistas viram as consequências do terrível terremoto na Emilia Romagna que foi sentido até dentro da cidade lagunar”. A extensa restauração do teto da igreja levou dez meses e custou 250.000 euros, disse Prigge. Foi financiado por várias instituições eclesiásticas, como o Comitê Nacional Alemão da Federação Luterana Mundial (FLM), a Igreja Evangélica Luterana de Hanover, a Gustav-Adolf-Werk e a Igreja Evangélica Luterana da Itália (CELI). “Também houve apoio do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha e de muitos doadores privados na Itália e no exterior. No entanto, a grande quantia de 100.000 euros teve que ser doada pela própria comunidade”, explicou o pároco luterano de Veneza. Em 1813, o comerciante alemão Sebastian von Heinzelmann comprou a atual igreja e a doou à comunidade. Antes disso, os cultos eram celebrados clandestinamente na casa comercial alemã – o Fondaco dei Tedeschi – perto da Ponte Rialto. O próprio Martinho Lutero já havia escrito cartas em 1543 aos protestantes de Veneza dando-lhes coragem diante da ameaça da Inquisição. A igreja, que antigamente era uma escola da Confraria do Anjo da Guarda, tem algumas obras de arte interessantes, incluindo um Ticiano e um retrato de Lutero por Lucas Cranach. ...

Ler artigo
religiões e meio ambiente na comunidade local

religiões e meio ambiente na comunidade local

Detalhe da capa do volume "O Deus dos migrantes. Pluralismo, conflito, integração" publicado por Il Mulino e editado por Maurizio Ambrosini, Paolo Naso e Claudio Paravati Roma (NEV), 11 de outubro de 2019 - A terceira edição do Festival "DÒSTI" abre hoje em Brescia, uma revisão de eventos culturais intitulada "O sopro da Terra: religiões e meio ambiente na comunidade local". Numerosos encontros em vários locais da cidade, entre os quais destacamos os de sábado, 12 de outubro, com participação protestante. Às 10h no Salone Vanvitelliano no Palazzo Loggia, é realizada a reunião pública com os representantes das religiões e cultos em Brescia "Ética ambiental e religiões", que contará com a presença de Anna Bossi E Cláudio Garrone do grupo “Gallo Verde”* da igreja valdense de Milão, juntamente com representantes das comunidades islâmica, católica, hindu, judaica, budista e ortodoxa. Às 18h, no Centro Multicultural Etnosocial de Artes (CARME), haverá a apresentação do livro “O Deus dos Migrantes. Pluralismo, conflito, integração” editado por Il Mulino e editado por Maurizio Ambrosini, Paulo Naso E Cláudio Paravati. O volume apresenta três pesquisas inéditas sobre os imãs das mesquitas italianas, sobre os ortodoxos romenos e sobre as diferentes faces do cristianismo entre os imigrantes milaneses. Paolo Naso falará, entre outros assuntos, sobre o tema das igrejas étnicas e dos espaços cívicos. Atendimento na sala Santi Filippo e Giacomo na via delle Battaglie 61. O festival inclui ainda debates com escolas, exposições, concertos, leituras animadas para crianças, e termina no domingo, dia 13 de outubro, com a exibição do filme “Ressurreição” (Bélgica, 2018, 110'), de Kristof Hoornaert, introduzido por uma discussão interdenominacional sobre "Fraternidade, redenção, terra". Seguir-se-á a entrega do Prémio Dòsti 2019 e provas interculturais. O evento acontecerá em vários locais da cidade. Todos os eventos têm entrada gratuita. Para informações: [email protected] * Nascido na Alemanha em 2001 com o intuito de gerar um sistema de gestão ambiental específico para realidades eclesiásticas, o projeto Gruner Gockel (em italiano exatamente “Gallo Verde“) tem visto a adesão de dezenas de igrejas, protestantes, católicas e ortodoxas, em vários países europeus. Na Itália, a igreja valdense de Milão foi a primeira a obter a certificação. ...

Ler artigo
Pela primeira vez na Itália uma delegação de luteranos alemães

Pela primeira vez na Itália uma delegação de luteranos alemães

Roma (NEV), 19 de janeiro de 2011 – Milão, Roma e Cidade do Vaticano: estas são as etapas da grande delegação da Igreja Evangélica Luterana Unida na Alemanha (VELKD) que a partir de amanhã, 20 de janeiro, estará na Itália em visita oficial ao ensina relações ecumênicas. Não é por acaso que a visita, a primeira do gênero, ocorre em conjunção com a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos e haverá muitos momentos de oração e reflexão com representantes da Igreja Católica. A agenda lotada da delegação liderada pelo bispo da igreja da Baviera, Johannes Friedrich, presidente da Conferência Episcopal Luterana da Alemanha, inclui - entre muitos compromissos - uma audiência privada com o Papa Bento XVI no sábado, 22 de janeiro, reuniões com o Pontifício Conselho para a promoção da unidade dos cristãos e com a Comunidade de Sant'Egidio, enquanto nos dias anteriores a delegação se reunirá em Milão com o Cardeal Dionigi Tettamanzi, a Comissão diocesana para o ecumenismo e o diálogo e o Conselho das Igrejas Cristãs de Milão. A delegação, composta por 19 pessoas, será acolhida pelos representantes da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI): momentos de partilha com as comunidades luteranas locais e conferências públicas serão realizadas tanto em Roma como em Milão. De destacar são o plantio de duas "árvores de Lutero" – respectivamente em Roma na Basílica de San Paolo fuori le Mura e em Milão na Basílica de San Marco – uma iniciativa que faz parte dos preparativos para o 500º aniversário da Reforma em 2017 ( veja a notícia a seguir) Para o pastor Holger Milkau, reitor do CELI, a visita da VELKD - entidade que reúne cerca de 11 milhões de luteranos na Alemanha - é "um evento de extrema importância". Em nota divulgada pelo CELI, ele declarou: “Para uma realidade minoritária e estatutariamente bilíngue (italiano-alemão) como a Igreja Luterana na Itália, esta visita tem um significado intrínseco de grande fraternidade e proximidade concreta. E, precisamente pelo forte espírito ecuménico e pelos objectivos que a acompanham, assume uma importância ainda maior, cinco séculos depois da passagem de Lutero a Roma e num momento histórico mundial em que é incontornável um diálogo cada vez mais aberto e contínuo entre as suas várias componentes necessidade de todo o mundo cristão. Esta é uma convicção consolidada pela nossa experiência de uma Igreja com origem na Alemanha, quotidiana em Itália e ponto de observação sobre a bacia do Mediterrâneo e sobre os temas teológicos, religiosos e sociais que muitas vezes determinam os seus acontecimentos”. A visita da delegação do VELKD terminará no dia 25 de janeiro com a participação nas vésperas da ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.