O Pacto de Silêncio de Laura Wandel vence o Prêmio Tertio Millennio

O Pacto de Silêncio de Laura Wandel vence o Prêmio Tertio Millennio

Um frame do filme “O pacto do silêncio” de Laura Wandel, vencedor da XXVI edição do Tertio Millennio Film Fest

Roma (NEV), 21 de novembro de 2022 – Encerrou a XXVI edição do Tertio Millennio Film Fest (TMFF), festival de cinema de diálogo inter-religioso. O TMFF conta com o patrocínio de três Dicastérios da Santa Sé e de várias entidades e organizações, entre as quais a Associação de Cinema Protestante “Roberto Sbaffi”. O festival envolve as comunidades católica, protestante, judaica, islâmica, hindu e budista. Título desta edição: “A volta de Caim?”.

Os prémios do TMFF

“A Aliança do Silêncio” por Laura Wandel é o melhor filme. “Lili Alone” de Zou Jing é o melhor curta-metragem. Menção especial para “Aqueles dois – Edda e Galeazzo Ciano” de Wilma Labate e para “Warsha” de Dania Bdeir. Também foram premiados o Prêmio da Crítica e o Prêmio do Júri New Sguardi (clique aqui para ler todos os prêmios).

COMPETIÇÃO DE LONGA-METRAGEM

O júri das longas-metragens é presidido por Susanna Nicchiarelli e é composto por: Thomas TorelliDelegado da União Budista Italiana. Marina PipernoDelegado da União das Comunidades Judaicas Italianas (UCEI). Wael FarouqDelegado da Comunidade Religiosa Islâmica Italiana (COREIS), Adam AntonacciDelegado da Associação de Cinema Protestante.

Prêmio Tertio Millennio Film Fest de melhor longa-metragem para “O Pacto do Silêncio”, de Laura Wandel.

Motivação:

“Por nos ter mergulhado no mundo de uma menina, por nos ter contado como a infância pode ser atormentada e por nos ter oferecido, no final, um vislumbre de luz, uma luz necessária”.

Menção especial para “Quei due – Edda e Galeazzo Ciano” de Wilma Labate:

“Pela habilidade e inventividade com que cruza a história pessoal e a memória coletiva, narrando as personagens num crescendo dramático de circunstâncias de grande relevância e interesse”.

COMPETIÇÃO DE CURTAS

O júri da curta-metragem é presidido por Cyrus De Caro e é composto por: Vittorio Emanuele AgostinelliDelegado Pátio dos Gentios. jade brunoDelegado da União Budista Italiana. Adam BerardiDelegado da Comunidade Religiosa Islâmica Italiana (COREIS). Naomi Evelyn HondreaDelegado da Associação de Cinema Protestante.

Prêmio Tertio Millennio Film Fest de melhor curta-metragem para “Lili Alone” de Zou Jing.

Motivação:

“Por ter conseguido contar com delicadeza, respeito e amor por uma personagem feminina forte e frágil ao mesmo tempo, pela pureza do olhar cinematográfico com que destaca as sombras até nos aspectos mais concretos de um distante e no ao mesmo tempo realidade muito próxima; por ter tirado corajosamente e sem julgamento o véu de um assunto que pode ser divisivo, colocando no centro a mesma pessoa que muitas vezes – em situações em que as mulheres se veem vendendo seus corpos – se perde. Por fim, por nos fazer refletir sobre os diferentes valores dados à vida e sobre as respostas de uma única mulher com quem não podemos fazer nada além de simpatizar; decidimos premiar Lili Alone como melhor curta-metragem: uma obra que, graças ao realismo do olhar, à crueza da direção e ao rigor com que o autor a encena, nos faz viver um drama sem querer consolar ou absolver , mas tem o mérito de nos deixar inquietos e cheios de dúvidas”.

Menção especial para “Warsha” de Dania Bdeir:

“Por conseguir mostrar uma visão bem-sucedida da rotina de um dia típico de um protagonista que esconde sua verdadeira essência até se ver dominando a cidade do alto de um perigoso guindaste e se abandonando ao chamado da música.

Pela habilidade com que o curta-metragem consegue prender o espectador desde os primeiros quadros, com um ritmo crescente que o mantém colado por toda a duração. E porque a narrativa fala ao discurso atual sobre a fluidez do género ao colocá-lo num contexto em que é visto como um pecado ou uma coisa proibida, queremos recompensar Warsha com uma menção.

Mohammed é um sírio que vive no Líbano, um trabalhador que adoraria se maquiar e dançar de macacão justo e salto agulha; isso não compromete sua devoção a Deus, demonstrada com a oração no guindaste, no final do curta. É o retrato de todos nós, cada um com as suas nuances, compromissos e aparentes contradições”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

As laranjas solidárias da Etika estão de volta

As laranjas solidárias da Etika estão de volta

Roma (NEV), 10 de novembro de 2022 - As laranjas solidárias do projeto Etika da Mediterranean Hope (MH), o programa de refugiados e migrantes da Federação de Igrejas Evangélicas na Itália, estão de volta, em colaboração com o Sos Rosarno e o Mani e Cooperativa Terra.“Esperança do Mediterrâneo – explica marta bernardini, coordenadora do MS – continua suas atividades na planície de Gioia Tauro pela defesa dos direitos dos trabalhadores trabalhistas. Continuam os projetos Luci su Rosarno e Fora do escuro, por meio dos quais foram distribuídos no ano passado dispositivos de iluminação para 600 bicicletas e 700 jaquetas com faixas refletoras de alta visibilidade para a segurança dos trabalhadores que trafegam pelas estradas para chegar aos campos escuros e perigosos. "A novidade deste ano foi “a abertura de um albergue social em San Ferdinando (RC). O Dambe So Social Hostel - que na língua Bambarà significa "casa da dignidade" - foi inaugurado em fevereiro de 2022, e foi concebido como uma casa ecológica que acolhe trabalhadores na época dos citrinos e apoia, durante o verão, roteiros de turismo solidário . Na Piana di Gioia Tauro, onde o MH opera desde 2019, "83% dos trabalhadores trabalham em condições de exploração e vivem em situações de privação: interferência do crime organizado, contratações ilegais, condições extremas de trabalho edesumano, salários abaixo do salário mínimo, degradação ambiental e habitacional. Neste contexto, o Dambe So está em condições de acolher em segurança, dignidade e legalidade 20 trabalhadores que contribuem para os custos da habitação com uma quota sustentável. O Hostel é assim parcialmente autofinanciado pelos seus residentes e pela taxa de adesão que é aplicada na venda de laranjas da marca Etika”.A Etika é, assim, a marca de uma cadeia de compras solidária que “no ano passado conseguiu distribuir 100.000 kg de laranjas produzidas pela cooperativa Mani e Terra, ligada à Sos Rosarno. A rede de compras envolveu muitas igrejas protestantes italianas e estrangeiras. Para os produtores que procuram conciliar o respeito pelos direitos dos trabalhadores, pelo ambiente e pela responsabilidade social das empresas, estas compras são muito importantes porque permitem contrariar a concorrência imposta pelos mercados com contínuas reduções de preços”. Ainda este ano, portanto, a proposta da Mediterranean Hope para quem compra laranjas Etika é "um preço que inclui o acréscimo de uma "taxa social" de 10% para apoiar as práticas solidárias realizadas pelo MH no Piana di Gioia Tauro, antes de tudo o albergue social. Ao adquirir laranjas Etika – conclui Bernardini – você estará, portanto, apoiando diretamente projetos sociais, demonstrando que é possível construir um mecanismo que, conforme prevê nossa Constituição, preconiza a responsabilidade social empresarial, garantindo dignidade e respeito aos trabalhadores”.Para encomendas escreva para [email protected] referindo o ficheiro excel a solicitar e enviar. Para qualquer outro esclarecimento sobre os projetos de MH na Calábria, escreva para [email protected]. Informações e materiais: Rosarno Film Festival, "ousar inventar o futuro" ETIKA_brochure_ENG Carta de campanha Etika 22-23 ...

Ler artigo
SAE.  A 55ª Sessão terminou em Assis

SAE. A 55ª Sessão terminou em Assis

Roma (NEV), 8 de agosto de 2018 – A 55ª Sessão de Formação Ecumênica da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) foi concluída no último sábado, em Assis, com o tema “As Igrejas diante da riqueza, da pobreza e dos bens da terra. Uma busca ecumênica”, tema que também será explorado na sessão do próximo ano. A última mesa redonda, intitulada "Testemunhando o Evangelho em sociedades com desigualdades econômicas", teve como palestrantes Erio Castelluccibispo da diocese de Modena-Nonantola, e pároco batista Lydia Maggi. As igrejas podem fazer muito: educar na cultura da doação, na clarividência no uso dos bens, no apoio financeiro não especulativo, na solidariedade com os pobres, os fracos, os últimos, os indefesos. “Esta ação de proximidade e caridade é a melhor verificação da qualidade da nossa fé, tanto a nível pessoal como a nível comunitário” declarou Castellucci. Lidia Maggi, como afirma o comunicado final da SAE, comparou a igreja a "uma mulher que há muito tempo vem perdendo energia vital e sangrando até a morte na tentativa de viver e gerar um futuro, que não ousa transgredir, agir com coragem e criatividade, 'tocar no manto' para ser curado. A Igreja é também semelhante à primeira geração de discípulos, que sob a cruz assistem atônitos à morte de Jesus, cujo rosto hoje é o de um refugiado de guerras e desastres climáticos, de uma menina vítima do tráfico, de um desempregado sem futuro”. . Maggi também dirigiu um convite às igrejas “para que recuperem a coragem de testemunhar o evangelho juntos no mundo sem atalhos. A partir de si mesmo, na consciência de que o cerne da justiça econômica, da partilha dos bens, é questão de vida e morte e imperativo de justiça social para a Igreja”. As conclusões da 55ª sessão foram confiadas ao presidente da SAE Pedro Stefani está em Maria Luísa Sgargetta que retomou os temas: o financiamento das igrejas, as afirmações fundamentais das Escrituras sobre a riqueza, a relação entre as religiões e a economia. Entre outras coisas, os participantes aprovaram uma moção em favor de mulheres e homens migrantes. ...

Ler artigo
Para a Semana da Liberdade

Para a Semana da Liberdade

Roma (NEV), 7 de fevereiro de 2023 – Aproxima-se a Semana da Liberdade promovida pela Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Dedicada aos temas dos direitos e da laicidade, a Semana decorre em torno do 17 de fevereiro, data em que ocorre o aniversário da concessão dos direitos civis aos valdenses, em decorrência da Carta-Patente expedida pelo rei Carlo Alberto, em 1848. Algumas semanas depois, em 29 de março de 1848, os mesmos direitos foram concedidos aos judeus. Até esta data, os valdenses eram proibidos de frequentar escolas públicas e de exercer profissões liberais (exceto notário e médico, mas exclusivamente para outros valdenses). Fora de seu "gueto alpino", os valdenses não podiam nem mesmo possuir imóveis. O dia 17 de fevereiro não é apenas um dia de comemoração para os valdenses e para todos os protestantes, mas também uma data simbólica. Na verdade, representa o primeiro passo da liberdade religiosa na Itália. EU'Assembleia Geral da FCEIentre outras coisas, relançou em 2018 a proposta de estabelecer o dia 17 de fevereiro como o Dia Nacional da Liberdade de Consciência, Pensamento e Religião. Inúmeras iniciativas estão previstas durante a Semana da Liberdade, presencial e online. Haverá também as tradicionais fogueiras, que são acesas nos vales valdenses e em outras localidades italianas onde os valdenses estão presentes. Dentre os principais eventos, destacamos a conferência "Pluralismo religioso, fundamentalismos, democraciasprogramado para sexta-feira 17 de fevereiro e sábado 18 de fevereiro em Roma (respectivamente no Salão da Igreja Valdense na via Marianna Dionigi e na Biblioteca Jurídica Central do Palácio da Justiça). O evento de dois dias é promovido pela Fundação Lelio e Lisli Basso, o Centro de Estudos e Revista Confronti, a Biblioteca Jurídica Central, a revista Questione Giustizia e a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. Primeiro atendimento, por ordem de horário, aquele agendado pelo Fundação do Centro Cultural Valdense da Torre Pellice (Turim). Aqui estão os detalhes: FACEBOOK / YOUTUBE – quarta-feira 8, no contexto de “A noite dos incêndios valdenses. noite de direitos“reunião sobre o tema "A noite dos fogos, a conquista das Liberdades“. Com Stephen Tallia, Bruna Peyrot E David Rosso. Às 17h30 no canal do YouTube e na página do Facebook da Fundação Centro Cultural Valdense. Para saber mais: Vá para a guia NEV. 17 DE FEVEREIRO PARA OS VALDENSES Para saber os demais agendamentos para o Dia da Liberdade 2023: SIGA O LOGO EM Agenda evangélica e ecumênica (nev.it) ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.