15 de janeiro, Domingo das Igrejas em Missão (CEVAA)

15 de janeiro, Domingo das Igrejas em Missão (CEVAA)

Um grupo de trabalho durante o seminário na Côte d’Ivoire sobre a revitalização dos programas missionários, Foto Isaac Tovihoudji / CEVAA – 2022

Roma (NEV), 10 de janeiro de 2023 – 15 de janeiro de 2023 é o domingo dedicado às Igrejas em missão (Comunidade Evangélica de Ação Apostólica-CEVAA).

É um compromisso anual que envolve as igrejas metodista e valdense com uma arrecadação especial. Quem quiser apoiar a iniciativa pode ir a todas as igrejas metodistas ou valdenses da Itália e participar do culto no próximo domingo.

A CEVAA nasceu nos anos pós-coloniais para acompanhar as igrejas de muitos países do hemisfério sul rumo a um processo de crescimento e autonomia. A Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense também faz parte dela como membro fundador.

Há alguns meses, o presidente do Comitê Italiano da CEVAA é o pastor valdense Gabriel Bertin.

Numa análise aprofundada da Reforma, Sara Tourn recolhe o testemunho: “Gostaríamos de propor no outono a segunda edição do seminário de 2019 com curadoria do pastor valdense Daniele Bouchard e de Annelise Maire da igreja de Lausanne, que começou nos contando sobre as origens e a história da animação teológica, um dos pilares do CEVAA”, disse Bertin. “Gostaríamos de trabalhar um tema específico: a missão, que caracterizou a CEVAA desde o seu início, tendo nascido como uma comunhão de igrejas que quis quebrar a dinâmica missionária ‘do Norte ao Sul do mundo’ para criar um espaço de encontro e troca entre iguais entre igrejas irmãs ao redor do mundo. Nos últimos anos a CEVAA vem refletindo, junto com as Igrejas membros, sobre seus próprios projetos missionários e sobre a própria ideia de missão. Envolvendo comunidades e crentes individuais”, disse o pastor. E concluiu: “Esse é para mim um dos pontos fundamentais do CEVAA: transformar o que poderiam ser paredes em pontes, estradas e pontos de encontro”.


CEVAA

A CEVAA organiza reuniões, assembleias e seminários em várias partes do mundo. A organização está presente em 24 países e 4 continentes. Em www.chiesavaldese.org/riserv/cevaa/cevaa.php você pode baixar os dois manuais de animação teológica. Também está disponível a pedido a mais recente coleção de textos de fé da Igreja Universal “Wide your tent”, as anteriores, a coleção de canções e orações “50 ans ensemble” publicadas para o meio século da CEVAA (2021).

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Protestantes europeus: livres, conectados, engajados

Protestantes europeus: livres, conectados, engajados

Roma (NEV), 5 de setembro de 2018 - "Libertados - conectados - comprometidos". Estas são as três palavras-chave que acompanharão os trabalhos da VIII Assembleia Geral da Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa (CCPE), programada para Basileia (Suíça) de 13 a 18 de setembro próximo. O encontro trará à cidade suíça representantes de 94 igrejas luteranas, metodistas, reformadas e unidas do continente que discutirão as prioridades futuras do corpo intraprotestante. Entre os temas da agenda: pluralismo religioso na Europa, migração e comunhão eclesial, relações ecumênicas, teologia da diáspora, aprendizagem ao longo da vida. Os documentos que instruem as várias sessões estão disponíveis no site da Assembleia. O logotipo da Assembleia do CCPE A escolha da cidade de Basileia não é acidental: com esta Assembleia o CCPE regressa, por assim dizer, a casa. O CCPE nasceu, de fato, em torno da Concórdia assinada em 1973 em Leuenberg, cidade próxima à Basileia, documento que recompôs as divergências doutrinárias que dividiam luteranos e protestantes reformados, sobretudo em torno do entendimento da Ceia do Senhor. Através do Acordo de Leuenberg, o CCPE é um exemplo de sucesso do ecumenismo da “unidade na diversidade”. As igrejas da comunhão, enquanto permanecem independentes, reconhecem os ministérios, sacramentos e membros da igreja uns dos outros. Gottfried Locher Ao longo dos séculos, como recorda o pároco Gottfried Locherpresidente da Federação das Igrejas Protestantes da Suíça (FCES) e membro da Presidência do CCPE, Basileia foi também um "importante centro cosmopolita da Reforma Protestante e do humanismo europeu", sede de um Concílio (1431-1481), e mais recentemente, e significativamente para o diálogo entre as igrejas de nossos dias, acolheu a Primeira Assembleia Ecumênica Européia em 1989. A dimensão ecumênica da Assembleia será marcada também pela presença de Andrew Riccardifundador da Comunidade de Sant'Egidio, convidado a proferir uma das principais palestras da sessão. Da Itália, o pároco estará presente na Assembleia Pawel Gajewskimembro suplente do Conselho do CCPE, e sabina baral para a Igreja Evangélica Valdense, a pastora Mirella Manocchiopresidente da Obra das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), e o pároco Heiner Bludaureitor da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI). ...

Ler artigo
O relatório das Igrejas europeias: “Rezar é uma vacina”

O relatório das Igrejas europeias: “Rezar é uma vacina”

Foto da capa do CEC Report 2020: Mike DuBose/UM News Roma (NEV), 5 de julho de 2021 – A Conferência das Igrejas Europeias (KEK) publicou seu Relatório Anual de 2020. O relatório, intitulado “Viver com esperança em tempos de pandemia” (Viver na esperança em tempos de pandemia) analisa as atividades do CEC durante o “ano tumultuado da pandemia de covid-19”. Em particular, são descritos na publicação os projetos significativos que expressam a visão do CEC na perspectiva da esperança e do testemunho. O relatório está disponível em inglês, francês e alemão. É possível saber mais sobre as iniciativas realizadas pelas Igrejas europeias na área da paz e reconciliação. De eclesiologia e missão. Do diálogo com as instituições europeias, da política e legislação da União Europeia. Dos direitos humanos. Do cuidado da criação e do desenvolvimento sustentável. E de novo: ciência, novas tecnologias, educação. De democracia e diversidade. Bem como migração e asilo. Na apresentação do relatório, o Presidente do CEC, pároco Christian Krieger e o Secretário-Geral da CEC, Jørgen Skov Sørensen, escrevem que “apesar dos obstáculos, o CEC ainda conseguiu alcançar resultados em quase todas as áreas em 2020. Reuniões, eventos e encontros presenciais foram em grande parte cancelados ou adiados. No entanto, como nossas Igrejas membros têm feito, encontramos formas e ferramentas alternativas para levar o trabalho adiante”. 2020 “foi um ano de muitas orações – continuam os líderes religiosos -. Rezar juntos tornou-se uma vacina poderosa contra a perda da esperança, contra a ausência de resiliência comunitária e contra a falta de sustentabilidade humana”. Baixe o CEC Report 2020: inglês, francês e alemão. Para maiores informações: Naveen QayyumGestor de Comunicações: [email protected] – www.ceceurope.org – FB www.facebook.com/ceceurope – Twitter @ceceurope – You Tube Conferência das Igrejas Europeias ...

Ler artigo
Em memória de Lidia Pöet, primeira advogada na Itália

Em memória de Lidia Pöet, primeira advogada na Itália

Fotos do blog O centro Roma (NEV), 28 de julho de 2021 – A primeira mulher advogada na Itália foi uma valdense, Lidia Pöet. Hoje, em Turim, será nomeado um parque infantil em sua memória, dentro dos jardins "Nicola Grosa", localizados entre Corso Inglese e Corso Vittorio Emanuele II e via Falcone e via Cavalli. Prefeito estará presente na solenidade Chiara AppendinoVice-presidente adjunto da Câmara Municipal Enzo Lavoltao presidente do Distrito 3, Frances Troiseo presidente do Conselho da Ordem dos Advogados de Turim, Simona Grabi. “Lidia Poët foi a primeira mulher inscrita na ordem profissional dos advogados – lê-se no site da administração da capital piemontesa -. Tendo obtido o seu diploma com nota máxima em 17 de junho de 1881, com uma tese sobre o direito de voto das mulheres, tendo concluído o estágio e aprovado o exame de qualificação para a advocacia, Lidia Poët em 1883 obteve o registro na Ordem dos Advogados e Procuradores de Turim . Registro cancelado por sentença da Corte de Apelação de Turim, confirmada pela Corte de Cassação e, definitivamente, na Corte de Apelação. Por fim, o advogado Poët só conseguirá o registro na Ordem em 1920, aos 65 anos, após a aprovação no Parlamento da Lei Sacchi, que autorizava oficialmente as mulheres a ingressarem em cargos públicos”. Aqui é possível ouvir o episódio do ciclo "Vidas que não são tuas - Espíritos livres", elaborado pela revista e centro de estudos Confronti para a Rádio Rai Tre, editado pela Marzia Coronatique conta a história da valdense Lidia Pöet. “A primeira aluna a cruzar o limiar de uma universidade de direito italiana e contra a opinião dos que pensam bem sempre exerceu e colocou suas habilidades jurídicas à disposição dos mais fracos – lê-se na apresentação do podcast Confronti -. Durante sua vida agitada, Pöet cruzou caminhos César Lombroso, Victor Hugo, Paul Verlain, Guy del Maupassant, Gianni Agnelli…Cada uma delas ficou maravilhada com o seu profissionalismo e brilhantismo, numa época em que o fórum era frequentado exclusivamente por homens”. Lídia Poët, de família valdense, nasceu em Traverse, povoado de Perrero em Val Germanasca (TO), em 1855. Formou-se professora em 1878 e matriculou-se, contra a vontade do pai, na Faculdade de Direito da Universidade de Turim. Formou-se em 1881 com uma tese sobre a condição da mulher na sociedade, com especial atenção à questão do voto feminino. Ela é a primeira mulher na Itália a se formar em direito. Ele passa nos exames para se tornar procurador-geral e se inscreve para ser admitido na Ordem dos Advogados. A Ordem dos Advogados de Turim se divide, mas permite que Poët se registre. Decisão impugnada pelo procurador do Rei no Tribunal da Relação, que, invocando razões legais devido à falta de regras sobre o exercício da profissão pelo sexo feminino, bloqueia tudo. O recurso de Poët foi indeferido, mas ela exerceu a profissão, mais ou menos informalmente, em Pinerolo com o irmão advogado, dedicando-se sobretudo à defesa dos menores e nunca deixando de travar as batalhas pela emancipação feminina. Os anos passam, a Grande Guerra estoura, os homens deixam suas casas vazias e os deveres públicos descobertos. Para as mulheres, esta trágica circunstância torna-se uma oportunidade para afirmar a sua centralidade na sociedade e, em 1919, a lei que abre as carreiras profissionais às mulheres fotografa uma realidade já em curso. Em 1920, Lidia Poët, agora com sessenta e quatro anos, tornou-se a primeira advogada da Itália. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.