17 de maio, Dia Internacional contra a omobilesbotransfobia

17 de maio, Dia Internacional contra a omobilesbotransfobia

Foto tirada de

Roma (NEV), 10 de maio de 2023 – 17 de maio é o Dia Internacional de Luta contra a Homobilesbotransfobia. Várias iniciativas e vigílias em toda a Itália também envolverão as igrejas.

Uma liturgia foi elaborada pela Comissão Batista, Metodista e Valdense “FeGeSe – Fé, Gênero e Sexualidade”, em colaboração com a Rede Evangélica Fé e Homossexualidade (REFO). O versículo escolhido este ano foi retirado do Evangelho segundo Mateus 10,40: “Quem vos recebe, a mim me recebe, e quem me recebe, acolhe aquele que me enviou”. Este versículo da Bíblia une todas as vigílias e cultos de superação da homotransfobia que acontecerão no mês de maio de 2023.

Na apresentação da documentação litúrgica (que contém leituras bíblicas, orações e hinos), lemos: “Como se sabe, em 17 de maio de 1990 a Organização Mundial da Saúde (OMS) eliminou a homossexualidade da lista de doenças mentais, mas, apesar disso, demorou faltam ainda quatro anos para a decisão se tornar operacional, com a posterior edição do Dsm (Manual Diagnóstico e Estatístico das Perturbações Mentais, 1994). Em 2007, na sequência de algumas declarações das autoridades polacas contra a comunidade LGBT, a União Europeia instituiu oficialmente o dia contra a homofobia no seu território”.

Precisamente neste período em que se tenta limitar severamente os espaços democráticos, e no campo dos direitos civis há um fechamento cada vez mais forte às famílias homoafetivas, negando direitos adquiridos para o reconhecimento dos filhos nascidos em famílias homoafetivas, pedimos a todos vocês pastores, pastoras e comunidades que organizem reuniões, vigílias, cultos no dia da luta e contraste com a homossexualbotransfobia porque amor é amor e todos somos filhas e filhos de Deus independente de gênero e orientação sexual . O acolhimento e a inclusão são fundamentais para a vida cristã.

Assinado fraternalmente e fraternalmente em Cristo pelo coordenador Daniela di Carlo e pelo coordenador Jorge Rainellia liturgia está à disposição de todas as igrejas e interessados ​​(para informações: [email protected]).

“É um texto que convida as igrejas à inclusão. Vivemos um momento difícil e complexo onde cresce a discriminação combinada com o ódio social – escreveu o presidente da União Evangélica Batista Cristã da Itália João Paulo Arquidiácono em carta de apresentação às igrejas –. Aqueles que experimentam medos, discriminações e obstáculos odiosos no acesso a direitos em vários contextos sociais (família, escola, redes sociais, trabalho) todos os dias precisam ser reconhecidos precisamente no contexto em que vivem. Isso possibilita a resiliência, ou seja, a possibilidade de uma resistência não violenta e positiva para o bem-estar da sociedade e ao mesmo tempo a valorização da pessoa nas diversas relações humanas”.


Entre as nomeações, destacamos:

domingo 14 de maio

Vigílias contra a homotransfobia. A igreja cristã e metodista de Vomero e a igreja valdense de Nápolesjuntamente com a Federação da Juventude Evangélica da Itália (FGEI), convidam para o culto dominical contra a homofobia e a transfobia em suas respectivas igrejas.

Milão. 10h30, culto dominical contra a homotransfobia na igreja batista da Via Pinamonte.

Terça-feira, 16 de maio

“Quem vos acolhe, acolhe-me a mim”. Génova, 20h45, igreja de San Pietro in Banchi na Piazza Banchi. Vigília de oração pela superação da homofobia, transfobia e intolerância com Pe. Gianni Grondona, Vigário Episcopal da Arquidiocese de Gênova; Haim Cipriani, rabino; Lino Gabbiano, pastor batista; William Jourdan, pastor valdense; padre Marco Torre e padre Stefano Curotto da diocese de Chiavari. Promove o Grupo Bethel de Cristãos LGBTQ+ com o apoio da coordenação Liguria Rainbow.

quarta-feira, 17 de maio

“Não existe macho nem fêmea”. Turim, 21h, templo valdense em Corso Vittorio. A Igreja Valdense com Arcigay Turin Ottavio Mai e Turin Pride, noite de testemunhos. Descarregue aqui o folheto.

Assistir. Trieste, 19h45 na Igreja Evangélica Metodista e Valdense em Scala dei Giganti, 1 perto da Piazza Goldoni. Vigília ecumênica de oração e música pela celebração da diversidade, para ajudar a construir uma sociedade plural. Organizado pela Associação Progetto Rùah, cristãos LGBT de Friuli Venezia Giulia e Veneto Oriental.

“Quem vos acolhe, acolhe-me a mim”. Alexandria21h, na Igreja Evangélica Metodista de C.so Borsalino 24. Vigília pela superação da homotransfobia.

Assistir. Gravina na Puglia, 19h, na Igreja Batista Evangélica Cristã na via Alcide De Gasperi 20h. “Coloco o meu arco na nuvem e ele servirá de sinal da aliança entre mim e a terra” (Gênesis 9:13)

domingo 21 de maio

Culto de domingo contra a homotransbifobia. Milão10h45, na Igreja Valdense.

sábado, 27 de maio

Vigília que reúne os diversos grupos, crentes homossexuais da Igreja Católica, escoteiros e igrejas evangélicas. Nápoles, 18h, igreja valdense na via dei Cimbri. No próximo ano, por alternância, será realizada na igreja católica.

Outros agendamentos AQUI.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Relatório sobre o estado dos direitos na Itália

Relatório sobre o estado dos direitos na Itália

Roma (NEV), 7 de dezembro de 2022 – Foi apresentado o relatório anual sobre o estado dos direitos na Itália, editado pela associação A good right e com a contribuição do Otto per mille Waldensian. O conteúdo da publicação foi ilustrado no último dia 5 de dezembro, em coletiva de imprensa na Câmara, que contou com a presença dos parlamentares Ouidad Bakkali, Rachele Scarpa, Cecilia d'Elia, Susanna Camusso e o deputado Ricardo Magi. O advogado Ilaria Valenzi, representante legal da FCEI, que cuida e trata da parte sobre o pluralismo religioso há vários anos, explicou: "O relatório sobre o estado dos direitos que A Buon Right elabora todos os anos - estamos agora há nove anos antigo - é uma ferramenta importante tanto para monitorar o estado de saúde dos direitos na Itália quanto para as propostas que podem surgir deste relatório para implementar a proteção quando necessário e para chamar a atenção da política e das instituições para a necessidade de não deixar nenhum direito e , acima de tudo, qualquer pessoa, de volta. Na verdade, o relatório também lança luz sobre questões que correm o risco de serem marginais ou ausentes do debate público. O relatório também aborda os direitos de forma interseccional, destacando os pontos de contato entre os diferentes direitos e sua contaminação mútua. Assim, por exemplo, falar de pluralismo religioso não pode ser separado de lidar também com questões de gênero, imigração, cidadania. Os oito por mil da mesa valdense continuam a acreditar neste projeto e a apoiá-lo com convicção”. AQUI o texto completo do Manifesto do Parlamento dos Direitos. Aqui está o link para a transmissão ao vivo da reunião: ...

Ler artigo
Sínodo 2023. Alessandra Trotta: o Evangelho no centro

Sínodo 2023. Alessandra Trotta: o Evangelho no centro

Roma (NEV), 18 de agosto de 2023 – No coração dos vales valdenses, tudo está pronto para acolher os deputados do Sínodo. Em Torre Pellice, na província de Turim, chegam os vários representantes de toda a Itália e também do estrangeiro para este evento anual que representa o órgão máximo de governo da Igreja Evangélica Valdense – União das Igrejas Metodistas e Valdenses.O presidente do Sínodo, juntamente com a assembleia sinodal, construirão a agenda para o próximo ano. A democracia vivida e o Evangelho, o debate e a discussão sobre as linhas a seguir e sobre o compromisso eclesial e diaconal, estes são os fundamentos do Sínodo. O moderador, diácono Alessandra Trottasublinha algumas das palavras-chave sobre as quais se constrói o trabalho quotidiano das igrejas: visão de futuro, pluralidade de ministérios, colaboração e interligação, compromisso diaconal e humanitário, direitos, liberdade, aceitação. No relatório inicial que abrirá os trabalhos do Sínodo, consta também um memorando relativo ao 8 de Setembro de 1943, data em que o armistício de Cassibile com os anglo-americanos lançou as bases para o fim da história monárquica e liberal da Itália durante o Risorgimento. E deu impulso aos primeiros actos de resistência à ocupação nazi, resistência que de alguma forma representou o início da gestação daquilo que mais tarde se tornaria a república constitucional. “O dia 8 de setembro de 1943 também foi um momento fatídico para a nossa igreja. Foi realizado um sínodo muito curto, mas muito intenso pela qualidade do confronto entre diferentes visões teológicas, diferentes sensibilidades espirituais e posições políticas eclesiásticas” declarou Alessandra Trotta. Nesse contexto, continua o moderador, “algumas escolhas cruciais amadureceram para a vida de uma igreja que quer sempre colocar o evangelho no centro como instância crítica, que também encoraja a não se calar diante de tudo o que contradiz o seu coração”. . Uma Igreja que depois quis preparar-se para dar um contributo para a reconstrução do país, a começar pelas suas instituições democráticas. Esta importante passagem será recordada durante o Sínodo com um vídeo e uma pequena exposição”. A moderadora da Mesa Valdense Alessandra Trotta será convidada do Culto Evangélico no próximo domingo | Rai Radio 1 entrevistado por Gian Mário Gillio. O olhar civil da Igreja Valdense também será sublinhado por ocasião da visita do Presidente da República, Sérgio Mattarellano próximo dia 31 de agosto, por ocasião da inauguração de uma placa comemorativa da figura de Altiero Spinelli. Convidado na Torre Pellice da família valdense Mário Alberto Rollier, membro do Action Party, Spinelli, que há apenas oitenta anos em Torre Pellice fez o seu primeiro discurso como líder do Movimento Federalista Europeu, foi uma figura central na difusão da ideia do europeísmo. Entre 26 e 28 de agosto de 1943, a reunião de fundação da seção italiana do Movimento foi realizada na casa milanesa de Rollier, segundo um comunicado da Igreja Valdense. Para saber mais: A Europa de Rollier, um federalista valdense ...

Ler artigo
#PapalVisit em Genebra.  O Papa esperado no Conselho Ecumênico para o #WCC70

#PapalVisit em Genebra. O Papa esperado no Conselho Ecumênico para o #WCC70

Roma (NEV), 12 de junho de 2018 - Mais de 400 jornalistas de todo o mundo se registraram na assessoria de imprensa do Conselho Mundial de Igrejas (CEC) em Genebra para a visita de Papa Francisco no próximo dia 21 de junho na sede do CMI por ocasião das comemorações do 70º aniversário do corpo ecumênico que reúne 348 igrejas anglicanas, evangélicas, ortodoxas e veteratas de todo o mundo. O anúncio foi feito esta manhã em Roma durante um briefing com a imprensa, Marianne EjderstenDiretor de Comunicações do CMI, ilustrando o símbolo do dia, o barco do ecumenismo com a inscrição "oikoumene", nascido na década de trinta do século passado, e desde a fundação do CMI em 1948 em Amsterdã, a "marca " do diálogo ecumênico. Padre também falou durante coletiva de imprensa Andrzej Choromanski do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (PCPUC). São numerosas as linhas de colaboração entre a Santa Sé e o CMI (do qual a Igreja Católica não é membro) e delineadas pelo Padre Andrzej, incluindo trabalhos práticos no campo do acolhimento de refugiados e migrantes, missão e evangelização, diálogo sobre temas teológicos, questões doutrinárias e éticas, proteção ambiental, cooperação inter-religiosa, bem como educação e treinamento ecumênico, por meio do Instituto Ecumênico de Bossey (Genebra), onde Papa Francisco e o pastor Olav Fykse Tveit, secretário-geral do CMI, no dia 21 de junho – após a oração ecumênica que acontecerá na capela do Centro Ecumênico – os presentes serão trocados. O pastor Tveit, luterano de origem norueguesa, será acompanhado pelo moderador e dois vice-moderadores do CMI, respectivamente o teólogo anglicano originário do Quênia Agnes Aubomo metropolitano Genádios de Sassima do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, e o bispo metodista dos Estados Unidos Mary Ann Swenson. Instituto Ecumênico de Bossey (Genebra) “O nosso é um caminho comum no caminho da unidade, da paz e da justiça”, acrescentou Ejdersten, sublinhando assim o tema do dia e da oração ecuménica “Caminhando, rezando, trabalhando juntos”: “Acolhendo o Papa Francisco no CMI de Genebra significa celebrar juntos este caminho, uma peregrinação que realizamos há 70 anos e que em 2018 celebramos todos os dias”. Será possível acompanhar no site do CEC em transmissão ao vivo todo o evento no dia 21 de junho, incluindo a coletiva de imprensa às 14h com o pastor Tveit e o cartão. Kurt Kochbem como a missa que acontecerá no Palexpo de Genebra com o Papa Francisco e que já está esgotada (41.000 ingressos vendidos). o de Papa Bergoglio será a terceira visita de um pontífice ao CMI, depois da de Paulo VI em 1969 e por João Paulo II em 1984. Comparado a esses anos, a atitude da Igreja Católica mudou muito, observou Pe. Andrzej. Enfatizando a excelente colaboração estabelecida nos últimos anos entre o CMI e a Santa Sé, disse: “não nos consideramos mais como inimigos, mas como irmãos e irmãs em Cristo. Este é talvez o resultado mais concreto de nosso caminho ecumênico”. Entre os sinais de esperança que vão nessa direção, Marianne Ejdersten citou o exemplo dos corredores humanitários realizados em espírito ecumênico pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) e pela Comunidade de Sant'Egidio. “Um forte testemunho que se concretiza sobretudo no trabalho com os mais vulneráveis, refugiados e migrantes principalmente”, pressionou Ejdersten. E, continuando no assunto, padre Andrzej antecipou a conferência sobre “Migração, xenofobia e populismo” que acontecerá de 12 a 15 de setembro em Roma, promovida conjuntamente pelo CMI e pelo Dicastério vaticano para o Desenvolvimento Humano Integral. a visita de Papa Francisco será precedido em Genebra pelos trabalhos do Comitê Central do CMI - composto por 150 delegados de igrejas de todo o mundo que se reúnem a cada dois anos - e que será realizado de 15 a 20 de junho no Centro Ecumênico e que concluirá com um declaração o final. Para mais informações sobre o 70º aniversário do CMI (hashtags: #WCC70) veja aqui. EU'hashtags para a visita do Papa Francisco a Genebra em 21 de junho é #PapalVisit. Para a ocasião, o CEC preparou aqui uma página em italiano. O perfil do Twitter do CEC é @oikoumene e a do secretário geral é @OlavTveit. Consulte aqui a ficha informativa do CEC. O e-mail da assessoria de imprensa do CMI é [email protected]. Da Itália, integrante da equipe de comunicação do CMI para a visita papal é o jornalista Gaëlle Courtens da assessoria de imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (info: [email protected]). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.