Adeus a Tina Turner, lenda da música

Adeus a Tina Turner, lenda da música

Roma (NEV), 26 de maio de 2023 – Ela morreu aos 83 anos após uma longa doença, em sua casa em Küsnacht perto de Zurique, a “rainha do rock”, Tina Turner. Seu nome verdadeiro era Anna Mae Bullock. Nascida em Brownsville, no estado do Tennessee, com apenas dez anos já cantava no coral da igreja de sua cidade, onde seu pai Richard era pastor.

Abordando o budismo, a cantora sempre destacou a importância da espiritualidade em sua vida. A ela, além do enorme sucesso mundial no cenário do rock, devemos várias colaborações musicais em chave inter-religiosa.

“Eu pratico meditação budista. Quando fui devastado pelos momentos mais difíceis da minha vida, meditei muito. E vi que isso me ajudou. Eu me sinto em paz comigo mesmo agora. Ainda rezo o Pai Nosso e procuro colocar em prática o que Jesus diz para minha vida. Aproximei-me do budismo porque precisava de um passo adiante, de abordagens e conceitos diferentes. Eu precisava de uma reforma.” Assim disse em janeiro de 2018 Tina Turner para Christian Sannaem entrevista já disponível no Tiscali

“Tina Turner (lê o site da Sokka Gakkai resumindo budismo vivo – mensal da Sgi-USA, entrevista divulgada em agosto de 2018

conhecida mundialmente como a ‘Rainha do Rock’, ela começou a praticar o budismo por Nitiren Daishonin em 1973, em Los Angeles. Este é seu 60º ano na música e seu 45º na prática budista. Ao longo de sua carreira, Tina vendeu mais de duzentos milhões de álbuns e singles em todo o mundo, ganhou oito prêmios Grammy, recebeu o Kennedy Center Honor for Excellence in the Performing Arts e vendeu mais ingressos para seus shows ao vivo do que qualquer outro solista na história da música. . Ela recebeu o prêmio Lifetime Achievement Award da Recording Academy naquele ano.

Na última década, Tina anunciou sua aposentadoria da cena e tornou-se cidadã suíça ao se casar com Erwin Bachseu parceiro por muitos anos.

“Ele fez – continua – vários álbuns de música inter-religiosa em colaboração com seu amigo e cantor Regular Curtifundador da Beyond Foundation”.

Na realidade, ela lembrou quando pressionada pela publicação budista, “não houve nenhuma revelação milagrosa de um dia para o outro. Quando eu estava desesperado, nos piores momentos eu agi Nam-myoho-renge-kyo várias horas por dia e vi que funcionava. Quando me deparei com uma situação difícil, as respostas surgiram dentro de mim e, quando precisei, elas estavam ali. Minhas reações foram apropriadas à situação e senti que vinham de um lugar verdadeiro e profundo da minha vida, que chamamos de sabedoria inata do Buda. Lentamente, comecei a me sentir eu mesma novamente e a ter acesso à minha verdadeira natureza.

Em 1967, ela foi a primeira artista afro-americana e a primeira mulher a aparecer na capa da revista Rolling Stone. Em 1991, a rainha do rock and roll foi incluída no Rock and Roll Hall of Fame. Sua carreira, de mais de meio século, vai dos anos 1960 aos anos 2000.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

“Trabalho, 30 anos de mudanças”

“Trabalho, 30 anos de mudanças”

Roma (NEV), 14 de fevereiro de 2020 – A XXX edição do "Reunião de Mirly" por título "A obra: 30 anos de mudanças”. Inaugurado em 1990, este encontro visa reunir representantes protestantes, mas também católicos, cristãos francófonos da França, Suíça e Itália, para discutir, aprofundar e discutir a questão do trabalho. “Mirly é um acrônimo para 'Mission dans l'industrie de la Région Lyonnaise' (Missão na Indústria da Região de Lyon) – explica Francesca Evangelistado Departamento de Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa da União das Igrejas Adventistas do Sétimo Dia (UICCA). Evangelisti participou da reunião em nome da Globalization Environment Commission (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), da qual a UICCA é membro observador. Mirly nasceu em 1984 no distrito de Duchère em Lyon, por vontade das Igrejas Reformada e Luterana locais, na Mission Populaire (Missão Popular, instituição protestante francesa de ensino e ajuda popular). “Há 25 anos, Mirly oferece cursos de formação para aprendizes de carpinteiro, com o objetivo de conter o grande desemprego que pesava na França nos anos 80 – continua Francesca Evangelisti -. Desde 2016, devido à crescente falta de fundos, o curso foi confiado à missão diocesana. Em 1987, Mirly abriu um balcão para a luta contra o desemprego e a procura de trabalho no 5º arrondissement de Lyon, que ainda hoje está ativo”. Foto Francesca Evangelisti Os dois dias de reuniões contaram com a participação de quase uma centena de delegados e numerosos especialistas, incluindo “Patrick Louisprofessor de Economia de Gestão na Universidade de Lyon; Michael Weillsócio-economista do trabalho, ex-Diretor-Geral Adjunto da Agência Nacional para a Melhoria das Condições de Trabalho (ANACT – Agence nationale pour l'amélioration des conditions de travail); Thierry Rochefort, professor de Socioeconomia do Trabalho na Universidade de Lyon, consultor de emprego para empresas – relatou Evangelisti, ilustrando também os testemunhos de pessoas que enfrentaram grandes mudanças ou dificuldades do ponto de vista do trabalho -. Também ouvimos testemunhos e reflexões teológicas de pastores protestantes Pierre-Olivier Dolinopároco na Missão Popular de Marselha, e de Helene Barbarinque depois de ter trabalhado durante 20 anos como engenheiro e de ter sentido a vocação, é agora pastor aprendiz na igreja de Ouillins". Francesca Evangelisti, em um relatório, resumiu o que emergiu durante a assembléia: "O tema do trabalho é mais atual do que nunca: não basta tê-lo, é preciso também realizar nele as próprias aspirações, aprender o trabalho em equipe, emancipar-se e encontrar o equilíbrio certo com a vida privada. O trabalho pode ser uma fonte de forte desconforto, por isso não deve ser subestimado e é importante fazer todos os possíveis para que seja o justo compromisso entre as aspirações e as reais competências pessoais - concluiu -. Na Bíblia, Deus exorta o homem a trabalhar e a comer o pão com o suor do seu rosto (Gênesis 3:19). Não ter emprego é muito negativo e completamente denegrido; da mesma forma, a psicologia contemporânea destaca como não ter trabalho é frustrante e leva à depressão, precisamos nos sentir úteis, nos sentirmos parte ativa da sociedade em que vivemos". O evento de dois dias aconteceu no Centro Protestante de Oullins, nos subúrbios ao sul de Lyon. ...

Ler artigo
“A responsabilidade como exercício da liberdade”

“A responsabilidade como exercício da liberdade”

Roma (NEV), 29 de maio de 2020 – “Para atravessar o tempo atual, é preciso pensar em termos de responsabilidade. As regras jurídicas intervêm na ausência ou ausência de sentido de responsabilidade, mas quando limito uma das minhas liberdades por um bem maior, exerço uma escolha de responsabilidade e nessa escolha faço uma transição da limitação da liberdade para o exercício da liberdade. A história do coronavírus deveria ter nos ensinado que há muitos aspectos da vida individual que estão ligados a um interesse geral, coletivo, e que se morre de individualismo”. Como Gustavo Zagrebelskyex-presidente do Tribunal Constitucional, em entrevista a Paulo Emílio Landique será transmitido no próximo episódio do Protestantesimo, transmitido no domingo, 31 de maio, por volta das 8 da manhã, no RAI2. "Direitos e saúde" será o tema analisado pela coluna editada pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) que vai explorar as regras e protocolos que estão marcando a vida dos italianos durante a chamada Fase 2, e vai contar como também a realidade das Igrejas, de suas comunidades, da minoria evangélica na Itália, se transformou depois da experiência do coronavírus. “Que liberdades estamos dispostos a abrir mão em nome de valores maiores, como o direito à saúde e ao bem comum?” pergunta o protestantismo. As respostas a esta questão serão construídas através de um percurso que põe em jogo, para além da entrevista a Zagrebelsky, a história da assinatura dos protocolos que as várias comunidades religiosas nacionais assinaram com o governo, assinados para os evangélicos pelo pastor Luca Maria Negro presidente da FCEI; uma reflexão dos líderes das igrejas evangélicas italianas e europeias sobre o futuro da igreja e a história da reabertura da igreja valdense em Florença após o bloqueio. “Nossa Constituição prevê a possibilidade de limitar, por questões de segurança e saúde, o direito de circular e circular. Essas restrições, que restringem a liberdade individual para o bem altruísta maior, devem ser razoáveis, propositais e temporárias. O Parlamento terá de zelar por isso”, concluiu Zagrebelsky. No estúdio junto com o apresentador, Cátia Barãoo pastor da igreja valdense na Piazza Cavour em Roma, Marco Fornerone. ...

Ler artigo
Abruzzo.  Cultura, música e dança em nome da diversidade

Abruzzo. Cultura, música e dança em nome da diversidade

Roma (NEV), 10 de agosto de 2022 - A associação "Amigos da Igreja Valdense de San Giovanni Lipioni" está organizando dois dias sobre diversidade. A nomeação é para os dias 13 e 14 de agosto em San Giovanni Lipioni, na província de Chieti. São dois dias de festa, para sublinhar a riqueza da diversidade. Além do culto de abertura, está prevista uma conferência intitulada “Diferente de quem?”. Palestrante, Prof. Carlos Mônaco, que falará sobre igualdade e diversidade na história do Ocidente. Seguido por um show de dança e percussão do Senegal. No domingo, 14 de agosto, está programado um workshop Salento pizzica. A exposição “Waldensian experience in San Giovanni Lipioni” também pode ser visitada, até 28 de agosto. No culto, agendado para sábado, dia 13 de agosto, pelas 10h30, será dedicado um momento à memória de Gianna Scicloneisso com Carmen Trobia em 1967 abriu o caminho para a ordenação pastoral de mulheres. A pastora Sciclone faleceu em junho passado. O comunicado da iniciativa diz: “Não se pode entender a diversidade sem definir a igualdade. Todos os homens e mulheres nascem iguais. Somos todos iguais perante a Lei – explica Franca Nini, porta-voz do comitê organizador -. Igualdade implica igual dignidade e igualdade de oportunidades sem distinção de nacionalidade, sexo, crença religiosa, opinião política, condições pessoais e sociais. Só existe uma raça humana." Serão dois momentos de agregação e diversão, conclui Ninni, “mas também de reflexão sobre o tema da diversidade, visando unir e enriquecer a comunidade”. Segue abaixo o programa completo. sábado, 13 de agosto de 2022 10h30 – Culto. Celebre o pastor Luke Elders, com uma lembrança da pastora Gianna Sciclone. c/o Centro Cultural Municipal, antiga Igreja Valdense, Piazza Largo del Popolo, San Giovanni Lipioni (CH) 21h30 – Intervenção de Carlo Monaco, escritor e ensaísta, ex-professor de história e filosofia na Universidade de Bolonha, sobre o tema “Diverso Da Chi? Considerações sobre igualdade e diversidade na história do Ocidente”. Praça Largo del Popolo, San Giovanni Lipioni (CH). 22h30 – Espetáculo de dança e percussão da África Ocidental do grupo “Sunu Africa”. Ritmos, danças, canções e símbolos do Senegal num espetáculo envolvente e colorido. Praça Largo del Popolo, San Giovanni Lipioni (CH). Domingo, 14 de agosto de 2022 21h30 – Oficina Pizzica Salentina, líder Rita Mônaco. Praça Largo del Popolo, San Giovanni Lipioni (CH). De 13 a 28 de agosto, a exposição "Experiência Valdense em San Giovanni Lipioni" estará aberta no Centro Cultural Municipal, antiga Igreja Valdense. Para informações contacte o número 393 2757821 ou 339 7905435 ou envie mensagem na página do Facebook ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.