Otto per mille Waldensian, diretrizes para 2023 publicadas

Otto per mille Waldensian, diretrizes para 2023 publicadas

Claudio Schwarz, unsplash

Roma (NEV), 14 de novembro de 2022 – Foram publicadas hoje as diretrizes para participar da Chamada Otto per Mille (OPM) valdense e metodista de 2023, que será aberta de 5 a 27 de janeiro de 2023. Conforme declarado em um comunicado à imprensa em ChiesaValdese.org, todas as associações que desejam apresentar um pedido de financiamento para suas iniciativas de solidariedade na Itália e no exterior, portanto, têm a oportunidade de consultá-las, para preparar um projeto e documentação conforme as diretrizes elaboradas pelo Tavola Valdese. Está também disponível um documento de perguntas e respostas a perguntas frequentes, para esclarecer as dúvidas mais comuns. No site www.ottopermillevaldese.org, na página “Enviar um Projeto”, você pode ler esta e outras informações para participar da chamada.

“Nunca como neste momento – declarou Manuela Vinay, chefe do Gabinete Otto per Mille de Tavola Valdese – sabemos da importância do apoio que podemos oferecer ao nosso e aos outros países. Por esta razão decidimos não alterar a abordagem aberta que sempre caracterizou a nossa Chamada, tentando simplificar alguns aspectos para facilitar a participação”.

A União das Igrejas Metodistas e Valdenses contribui, como outras confissões religiosas, para a distribuição dos fundos Otto per Mille IRPEF e optou por destinar todas as contribuições que lhe são devidas exclusivamente para apoiar intervenções sociais, assistenciais, humanitárias e culturais, na Itália e no exterior: “Para isso, explica Manuela Vinay, todos os anos oferecemos a todos a oportunidade de apresentar propostas para obter uma contribuição econômica; a seleção de projetos ocorre com base no único critério de compartilhar nossos valores e princípios de solidariedade, sem preconceitos de natureza ideológica, política ou confessional. Em 2022 foram selecionados mais de 1.500 projetos, para os quais se destinaram um total de cerca de 45 milhões de euros, num total de quase 5.000 candidaturas submetidas à nossa aprovação”.

Os 8×1000 podem ser atribuídos por todos os contribuintes a uma das entidades religiosas com as quais o Estado italiano tenha assinado um acordo, ou ao próprio Estado. O 8×1000 funciona mesmo como um voto, porque é dividido entre o Estado e as entidades religiosas, na proporção das escolhas feitas.

“A consciência de viver em tempos particularmente difíceis em que o egoísmo parece prevalecer – acrescenta Vinay – nos faz pensar quais são as razões dessa deriva, sejam anos de falta de bons exemplos ou má administração. Há quem tenha encontrado “boas razões” para defender espaços, bens, direitos, erguer muros em detrimento de outras pessoas que já nem sequer são percebidas como seres humanos, mas parecem ter se tornado definições abstratas, mais fáceis de atropelar. Esta mentalidade generalizada e penetrante afeta a Itália, mas também outros países com um efeito disruptivo que fecha a possibilidade de estarmos “próximos” dos nossos vizinhos mais ou menos distantes. Para nós crentes é impossível não pensar que direitos, paz, fraternidade, alívio, hospitalidade podem se tornar palavras incômodas. Eles são a base da nossa razão de existir e como igrejas estaremos sempre próximos dos necessitados e daqueles que dedicam suas vidas ao bem do próximo. Neste contexto complexo – conclui o responsável do OPM valdense -, em que as soluções aparecem distantes e as boas intenções infelizmente não tão próximas, queremos, como todos os anos, acender uma luz e oferecer o nosso apoio a muitas realidades que vivem cada dia em seu próprio território o mais alto sentido da vida. Ou seja, aquela que só faz sentido se vivida na relação com o outro, dedicando-se a partilhar os valores nos quais nos reconhecemos”.


Para qualquer outra informação:

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

19 de maio em Roma um momento de espiritualidade compartilhada contra a guerra

19 de maio em Roma um momento de espiritualidade compartilhada contra a guerra

Roma (NEV), 15 de maio de 2023 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) e o Interfaith Centre for Peace (CIPAX) continuam sua jornada inter-religiosa no âmbito das iniciativas da Europa pela Paz . “Para lembrar que a guerra, todas as guerras devem acabar, que queremos paz, justiça e desarmamento, mesmo nuclear, propomos um novo momento de espiritualidade compartilhada” escrevem as duas siglas. Encontro em Roma, sexta-feira, 19 de maio de 2023, das 18h às 19h30, na Igreja Evangélica Batista Cristã na via del Teatro Valle, 27. Outras iniciativas: Domingo, 21 de maio, 23, é realizada a Marcha da Paz Perugia Assis, à qual a CIPAX adere, com a Europa pela Paz. “Em preparação para a Marcha, mesmo para aqueles que por diversos motivos não poderão participar, queremos continuar nosso caminho de espiritualidade compartilhada que nos viu juntos em vários momentos desde que a Rússia invadiu a Ucrânia – escreve CIPAX -. Somos contra a guerra na Ucrânia, pelo cessar-fogo, negociações, uma conferência internacional pela paz e a favor de uma cultura de não violência e de ações concretas de preparação para a paz. Acreditamos firmemente que as crenças não devem ser usadas para justificar guerras, violência e violações dos direitos fundamentais”. Europa pela Paz: "continua a mobilização pelo cessar-fogo, pela negociação, pela solução política e não violenta da guerra na Ucrânia, juntamente com o pedido de desarmamento nuclear global". ...

Ler artigo
Semana de oração pela unidade dos cristãos: “Trataram-nos com bondade”

Semana de oração pela unidade dos cristãos: “Trataram-nos com bondade”

O encontro na Golden Gate de Giotto (c. 1303-1305), afresco na Capela Scrovegni em Pádua, escolhido para acompanhar o tema da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2020 “Eles nos trataram com bondade”. Imagem wikipedia Roma (NEV), 25 de dezembro de 2019 – Em todo o mundo estão se preparando a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC), que acontecerá de 18 a 25 de janeiro. Tema de 2020: “Eles nos trataram com bondade” (Atos 28, 2). Igrejas evangélicas e protestantes, também na Itália, estarão presentes e ativas em inúmeras iniciativas para este evento ecumênico global promovido conjuntamente pela Comissão de Fé e Constituição do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), que reúne as principais Igrejas Evangélicas, Anglicanas e Ortodoxas denominações do mundo e o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (PCPUC). O tema deste ano é inspirado na passagem bíblica relativa ao naufrágio do apóstolo Paulo em Malta (Atos 27.18 - 28.10). “Uma história de providência divina e ao mesmo tempo de acolhimento humano: é o que nos propõem as Igrejas cristãs de Malta e Gozo, que preparamos o material para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos deste ano”, lê-se no documento do SPUC . A introdução é assinada pelo presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), pároco Luca Maria Negropara igrejas protestantes, pelo bispo de Frosinone-Veroli-Ferentino Ambrogio Spreaficopresidente da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da CEI, da Igreja Católica e do Metropolita Gennadiosarcebispo ortodoxo da Itália e Malta e exarca para o sul da Europa do Patriarcado Ecumênico, pela parte ortodoxa. A história de que falamos está relatada no final do livro dos Atos dos Apóstolos e se passa em Malta e no mar tempestuoso que a rodeia. “A hospitalidade – escrevem os cristãos de Malta – é uma virtude altamente necessária na busca da unidade entre os cristãos. […] Nossa própria unidade como cristãos se revelará não apenas na hospitalidade mútua, por mais importante que seja, mas também no encontro amoroso com aqueles que não compartilham nossa língua, nossa cultura e nossa fé”. O documento introdutório refere-se às várias iniciativas das igrejas para o acolhimento dos migrantes, entre as quais o Manifesto de Acolhimento da FCEI e o projeto ecuménico dos corredores humanitários. Para saber mais: Vigílias de oração, celebrações ecumênicas, estudos bíblicos, conferências, reuniões, trocas de púlpitos e outras iniciativas estão previstas durante o SPUC. O material preparatório pode ser baixado do site do Escritório Nacional para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso (UNEDI) da Conferência Episcopal Italiana (CEI) NESTE LINK. No documento, além de propostas litúrgicas e orações, encontram-se datas importantes da história da oração pela unidade dos cristãos de 1740 até os dias atuais, bem como a lista de assuntos do SPUC a partir de 1968. O texto é dirigido a todas as igrejas e comunidades cristãs. As liturgias podem ser integradas com outros textos e as orações da celebração ecumênica, a música e outros materiais propostos podem ser usados ​​para o próprio discernimento ou para inspirar a reflexão e a meditação. O objetivo do SPUC é reunir crentes “que oram em outras partes do mundo para construir uma unidade maior e mais visível da Igreja de Cristo”, como afirma o guia proposto pelo CEC e PCPUC. O SPUC foi instituído em 1908 nos Estados Unidos pela Igreja Episcopal Paul Wattson. ...

Ler artigo
tudo começa com uma casa aberta e um coração aberto

tudo começa com uma casa aberta e um coração aberto

Foto retirada de chiesadimilano.it Roma (NEV), 16 de maio de 2019 – O evento ecumênico promovido pelo Conselho das Igrejas Cristãs de Milão, "Juntos pela Europa", foi realizado no dia 9 de maio em Milão. 19 igrejas cristãs presentes, protestantes, católicas e ortodoxas, e numerosos movimentos e associações. Entre as presenças protestantes, os párocos Anna Maffei, Cristina Arquidiácona, Anne Stempel-De Fallois E Dorothee Mackda qual extraímos trechos do discurso, inspirados no texto dos Atos 16,11-15. “O que vem à mente quando você pensa na Europa e no cristianismo? Quando você reflete sobre o relacionamento deles e sua história comum? – pergunta-se Mack em sua meditação -. Cada igreja, cada movimento poderia contar sua própria história, seus primeiros passos no continente europeu, em muitos lugares, em muitas cidades, em muitos países diferentes. Hoje, porém, parece-me importante recordar 'o início dos primórdios' da história do cristianismo aqui na Europa”. O início é colocado por Mack em Filipos, no norte da Grécia, na casa de um empresário, comerciante de púrpura, na casa de Lídia, como lemos na Bíblia. “É claro que também era necessária a presença do apóstolo Paulo e seus companheiros e colaboradores. Foram necessárias pessoas multiculturais e interculturais como Paulo, pessoas que conheciam bem tanto a cultura judaica quanto a grega, que sabiam falar línguas diferentes e se sentiam pertencentes a culturas diferentes”. Foto retirada de chiesadimilano.it O verdadeiro protagonista do livro dos Atos, que narra a história do cristianismo primitivo, é o espírito santo, diz a pastora, que impele Paulo e seus seguidores a "ultrapassar fronteiras e barreiras para chegar à Europa e falar de Jesus Cristo a um grupo de mulheres reunidas em oração à beira do rio perto da cidade de Filipos… Para Lídia, a primeira cristã na Europa, é óbvio: depois da abertura do coração, vem a da casa. Lydia obriga esses homens estrangeiros, da Ásia Menor e do Oriente Médio, a ficarem em sua casa. Lídia acolhe com o coração a fé cristã e pratica o acolhimento destes estrangeiros – prossegue na sua reflexão -. O cristianismo chegou à Europa graças a casas abertas como a de Lídia. Graças ao acolhimento e hospitalidade praticados por você e por muitos outros. Acolhida e hospitalidade são, portanto, as raízes do cristianismo na Europa. Tudo começa com uma casa aberta e um coração aberto." Ao encerrar seu discurso, Dorothee Mack também lembrou o trabalho realizado nos últimos 13 anos pelo Fórum das Religiões que “nos últimos meses refletiu em conjunto sobre a importância da hospitalidade como um valor fundamental presente em todas as religiões”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.