Diálogo entre a Igreja Católica e a Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa

Diálogo entre a Igreja Católica e a Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa

Foto PCPCU/CPCE, Basel, abril de 2022

Roma (NEV), 10 de maio de 2022 – A primeira sessão de diálogo entre o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (PCPUC) e a Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa (GEKE/CCPE) aconteceu em abril passado em Basel, na Suíça. Este é um processo que começou em 2018.

A reunião aconteceu no palácio episcopal da Catedral de Basel, a convite da Igreja Evangélica Reformada da cidade de Basel, e coordenada pelo secretário cessante do GEKE Martin Friedrich.

O objetivo do diálogo é a elaboração de um documento com o título provisório “Auf dem Weg zu einem gemeinsamen Verständnis von Kirche. Vergewisserung, Vertiefung, Ausblick” [In cammino verso una comprensione comune delle Chiese. Confronti, approfondimenti, prospettive].

Os objetivos desta primeira sessão foram aprofundar o conhecimento mútuo e identificar temas e ações para o futuro. A segunda sessão está marcada para Augusta, no início de novembro.

O GEKE foi fundado em 2003 como um corpo ecumênico continental que reúne 106 igrejas luteranas, metodistas, reformadas e unidas de mais de 30 países europeus, representando cerca de 50 milhões de cristãos protestantes. Sua história, no entanto, tem suas raízes no período da Reforma.

O diálogo com a Igreja Católica, até poucos anos atrás, era construído principalmente em encontros bilaterais com as diversas confissões. O encontro de Basileia representa uma novidade no panorama ecumênico mundial.

As igrejas do Concorde de Leuenberg

Como é bem sabido (aqui o arquivo NEV que fala sobre isso em detalhes), no século XVI os dois principais ramos da Reforma – os luteranos e os reformados – estavam divididos quanto ao entendimento da Ceia do Senhor. Martinho Lutero acreditava que Cristo estava corporalmente presente nos elementos do pão e do vinho. Huldrych Zwinglio em vez disso, ele acreditava que a presença de Cristo era espiritual. Durante muito tempo, as duas famílias protestantes não se reconheceram em plena comunhão. A divergência amenizou-se ao longo dos séculos e encontrou solução em 1973 com a formulação e assinatura do chamado “Acordo de Leuenberg”.

O fato de as igrejas de Concordia e da Igreja Católica se encontrarem é, portanto, um passo a mais no diálogo.

“O Concorde de Leuenberg é um exemplo concreto (e talvez único) de ‘unidade na diversidade’ – continua o perfil aprofundado -. Graças a ela, hoje, as igrejas autônomas e independentes reconhecem mutuamente seus ministros do culto, a validade dos sacramentos, praticam a intercomunhão e acolhem os fiéis de outras igrejas em suas comunidades”. Este documento expressa “uma compreensão comum do evangelho e da administração dos sacramentos compartilhada pelas igrejas que assinaram o acordo. Cumprindo assim os dois únicos requisitos que, segundo a teologia protestante, determinam a unidade da Igreja. Com base no que afirma a Confissão de Augsburgo (1530), quando se chega a um acordo sobre a pregação do Evangelho e a celebração dos sacramentos, segue-se automaticamente a comunhão eclesial, para além das diferentes estruturas, ritos e tradições de cada Igreja”.

A Igreja Evangélica Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense e a Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) também aderem ao Acordo de Leuenberg.

Para ver a composição das delegações católica e protestante presentes em Basileia em abril, clique AQUI (leia mais em alemão, inglês, italiano e francês).

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Experimente a Ceia do Senhor juntos

Experimente a Ceia do Senhor juntos

Roma (NEV), 24 de setembro de 2018 - A apresentação do volume "Viver juntos a Ceia do Senhor" será realizada no sábado, 29 de setembro, editada pela Coordenação Milanesa 9 de março e pelo pároco batista Ângelo Reginato. "Este é o sentido do nosso profundo desejo de partir não só a Palavra, mas também o Pão: oferecer a um mundo que constrói muros e teme o testemunho de um convite gratuito dirigido a todos, sem autorização de residência e sem comissões ministeriais, para participar e partilhar o dom do seu amor», lê-se na primeira página do livrinho publicado pela o relógio de sol no colar páginas outras. O livro reúne reflexões, documentos e esperanças de crentes no Evangelho, de diversas confissões, que desejam celebrar juntos a memória da ceia do Senhor. Eles participam da apresentação, que tentará responder à pergunta se é possível trilhar um caminho comum Mira Bozzinio presidente da Fundação Arché José Bettoniresponsável pela Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) de Milão Elza Ferrario e O próprio Angelo Reginato, pároco da Igreja de Lugano. Encontro às 9h30 em Milão no Corso Garibaldi 116, na sala da biblioteca paroquial, seguido de debate. Existem várias iniciativas ecumênicas sobre hospitalidade eucarística, como por exemplo a do grupo "Spezzare il pane", que promove a hospitalidade eucarística desde 2011, para criar uma rede de intercâmbio de informações e experiências. ...

Ler artigo
Bruxelas/UE.  3 milhões de euros para proteger locais de culto

Bruxelas/UE. 3 milhões de euros para proteger locais de culto

Foto CEC Roma (NEV/KEK), 6 de maio de 2021 – A Conferência das Igrejas Europeias (KEK), juntamente com o Centro de Segurança e Crise (SACC) do Congresso Judaico Europeu (EJC), Faith Matters e União Budista Europeia, recebeu uma subvenção de 3 milhões de euros da Comissão Europeia para a protecção dos locais de culto na Europa. Essa parceria inter-religiosa, que representa comunidades cristãs, muçulmanas e judaicas em toda a Europa, é chamada de “Comunidades mais seguras e fortes na Europa” (SASCE). É a primeira vez que quatro organizações religiosas europeias trabalharão juntas em um projeto conjunto financiado pela Comissão Européia para melhorar a segurança. “Estamos muito satisfeitos por fazer parte desta importante iniciativa – disse o Secretário-Geral da CEC Jørgen Skov Sørensen -. Juntamente com outros parceiros religiosos, esperamos contribuir com nossa experiência e conhecimento na área de proteção de locais sagrados e locais de culto na Europa." “É um trabalho importante, tendo em vista os ataques a locais religiosos nas últimas décadas. A questão é muito preocupante para nossas igrejas-membro”, acrescentou. O projeto O projeto SASCE visa aumentar a segurança dentro e fora dos locais de culto, bem como entre as comunidades. As quatro organizações desenvolverão ferramentas para fortalecer a conscientização sobre segurança e o gerenciamento de crises. Uma rede coordenará cursos de treinamento e briefings para comunidades religiosas. Campanhas de comunicação também serão ativadas. Finalmente, o projeto pretende promover a confiança e a cooperação entre a sociedade civil e as autoridades nacionais. O Grupo Focal de Direitos Humanos da CEC desempenhará um papel fundamental na implementação do projeto. À frente do grupo, o Secretário Executivo do CEC, Elizabeth Kitanovic. Uma publicação sobre a proteção de locais sagrados e locais de culto será lançada em breve. Esta publicação servirá de base temática para a próxima Escola de Verão CEC 2021 sobre “Direitos Humanos e Liberdade de Religião ou Crença e Segurança”. O projeto é financiado pelo Fundo de Segurança Interna da Comissão Europeia “ISF-P” e terminará em 2023. Saiba mais sobre as atividades de direitos humanos da CEC Para maiores informações: Naveen QayyumChefe de comunicação KEK [email protected] – Facebook: www.facebook.com/ceceurope – Twitter: @ceceurope ...

Ler artigo
Emilia Romagna, as igrejas evangélicas abrem uma assinatura

Emilia Romagna, as igrejas evangélicas abrem uma assinatura

Foto: Proteção Civil Roma (NEV), 19 de maio de 2023 - "Mais uma vez vemos as pesadas consequências da mudança climática em nosso país - declara o pároco Daniele Garrone, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, que expressou proximidade “aqueles que tiveram que deixar suas casas ou viram seu trabalho comprometido. Acima de tudo, proximidade e solidariedade com aqueles que hoje choram seus entes queridos. Esperamos que todos possam ser salvos graças aos esforços dos socorristas, cujo compromisso é mais do que precioso. Então – continuou Garrone – será uma questão de reconstrução, com entusiasmo e previsão. Um esforço do qual as igrejas evangélicas pretendem participar”. Para contribuir para ajudar a população da Emilia Romagna, a FCEI abriu uma assinatura, é possível fazer uma transferência bancária com o motivo "Assinatura da Emilia Romagna" para a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália - Via Firenze 38, 00184 Roma, IBAN : TI 26 X 02008 05203 000104203419 ou via PayPal, aqui: Aqui estão algumas vozes e testemunhos das igrejas protestantes das áreas afetadas pela enchente. artigo anteriorEscuta, diagnóstico e tratamentoPróximo artigoApelo às Igrejas Europeias para o Dia Mundial do Refugiado Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.