Milão, a livraria Claudiana entre as lojas históricas

Milão, a livraria Claudiana entre as lojas históricas

Roma (NEV), 18 de outubro de 2022 – A Livraria Claudiana de Milão é uma das 35 novas ‘lojas históricas’ premiadas ontem pela Prefeitura da capital lombarda. ‘Oficinas históricas’ são atividades comerciais que operam há pelo menos 50 anos no mesmo setor de produtos. Ontem, segunda-feira, 17 de outubro de 2022, foi realizada a tradicional cerimônia de premiação no Palazzo Marino, na presença do prefeito, José Salae o Conselheiro para o Desenvolvimento Econômico, Alessia Cappello.

O município milanês, com resolução de 2004, estabeleceu o Registro de Lojas Históricas “[…] com o objetivo de proteger e defender as atividades comerciais e artesanais com fortes raízes urbanas que confiram valor a bens culturais e em risco de extinção”.

Ontem, portanto, às mais de 500 atividades comerciais já inscritas neste Registo, juntaram-se mais 35, algumas com mais de cem anos de história. A livraria Claudiana, em Milão, é a única do grupo e foi apontada pelos participantes da cerimônia como um dos mais importantes centros culturais da cidade.

Todo o grupo que atualmente trabalha na livraria da via Francesco Sforza (Martina Bianchi, Samuele Carrari, Rebeca Malla) E Samuele Bernardinilivreiro histórico da Claudiana, que a comandou por mais de quarenta anos.

“A livraria Claudiana de Milão abre suas portas na cidade no final de 1968 – declara Samuele Carrari – por isso, em 2019, passados ​​os 50 anos necessários, achamos importante declinar, mesmo que simbolicamente, a importância dessa atividade através a inscrição em tal registo. Sempre reconhecida e apreciada como um polo secular e de diálogo, aberto a todos e todas aqueles que desejam “combater o analfabetismo religioso, que muitas vezes antecipa o analfabetismo democrático”, a livraria sempre teve importância na cidade. Mas é em momentos difíceis como os que enfrentamos nos últimos anos – a instrução da prática remonta a 2019, pouco antes do início da pandemia, com tudo o que significou e ainda hoje significa – que símbolos como estes (as livrarias Claudiana também foram recentemente inscritas no Cadastro de Biblioteca de Qualidade do Ministério da Cultura, DDG n. 561 de 01.08.2022) elas servem para lembrar que lugares como a nossa biblioteca são importantes, pedaços da nossa cidade: devem por isso ser frequentado e vivido, resistindo à tentação, quando não ao medo real, de ficar encerrado em casa”.

Ontem, acrescenta, “também significou muito para quem lá trabalha na livraria e, sendo uma livraria também o espelho de quem a vive, o que só podia ser um símbolo torna-se agora um importante reconhecimento, até porque foi feito pelos representantes dos cidadãos. O que faremos agora é partilhar este momento com todos aqueles que apoiaram (e apoiam) a biblioteca nos últimos anos, talvez com um dia de festa, através do qual fique ainda mais evidente a importância dos nossos lugares e a energia com que defendemos eles”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Redefinir nossas dívidas conosco

Redefinir nossas dívidas conosco

Foto de Ehud Neuhaus, de unsplash.com Roma (NEV), 12 de outubro de 2020 – Você se endividou devido à crise econômica ligada à emergência de saúde da Covid? Perdeu o emprego, não consegue mais pagar o aluguel ou as contas? “Redefinir a dívida” (“redefinir” a dívida) é a nova campanha lançada no Reino Unido há alguns dias por igrejas protestantes, grupos religiosos e organizações seculares em conjunto. O pedido é dirigido ao governo do Reino Unido e, como se depreende do próprio nome da iniciativa, trata-se precisamente do cancelamento das dívidas que as pessoas estão contraindo ou já acumularam nos últimos meses. Segundo os iniciadores da campanha, na Grã-Bretanha, 19% das famílias, ou seja, quase uma em cada cinco, pediram dinheiro emprestado para comprar alimentos ou outros bens essenciais. Seis milhões de pessoas seriam deixadas para trás com pagamentos de aluguel, impostos municipais e contas domésticas. E 174.000 inquilinos foram ameaçados de despejo durante o bloqueio. Em suma, a crise econômica resultante da emergência sanitária não é igual para todos e afetou especialmente as camadas já mais vulneráveis ​​da população. “Para o quinto mais pobre das famílias”, lê-se no relatório produzido pela rede “Redefinir a dívida”, “em média, os rendimentos caíram 15 por cento, ou £ 160 por mês”, nos últimos meses. Daí a proposta de convocar um “jubileu”, para anular estas dívidas que se vão acumulando e que obviamente terão também impacto no futuro da sociedade inglesa. A referência é ao jubileu bíblico, durante o qual as dívidas eram perdoadas e as terras eram devolvidas aos que as haviam perdido. O projeto foi notavelmente promovido pela União Batista, a Igreja da Escócia, a Rede Ecumênica de Ação da Igreja contra a Pobreza, a Igreja Metodista e a Igreja Reformada Unida. “Pedimos ao Chanceler (ou seja, ao Ministro das Finanças, ed) que crie um Fundo do Jubileu, para reembolsar e anular a inevitável dívida Covid das famílias no Reino Unido”, lê-se no portal da iniciativa. Para os cidadãos britânicos, a campanha pede participação ativa. Como? “Escreva para o seu deputado hoje e peça-lhe para escrever para o chanceler. Ele levanta essas preocupações sobre a dívida doméstica da Covid-19 e seu impacto nas famílias mais pobres. Descubra como o governo pretende abordar esta questão premente. Precisamos garantir que todos tenham uma base sólida para enfrentar o futuro." O portal dedicado a esta iniciativa inclui também vários vídeos curtos nos quais são contadas e exemplificadas histórias pessoais de cidadãos britânicos que sofreram as consequências do bloqueio. Empregados de limpeza demitidos ou deixados em casa por suas empresas, motoristas desempregados, trabalhadores precários que não conseguem sobreviver. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=n3TQqAtfWfg[/embed] "Cabe ao governo resolver os problemas estruturais da nossa economia que geram injustiça e pobreza - explicam os promotores da campanha #ResetTheDebt no site - . E o que estamos vivendo é exatamente essa situação”. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo
Bolonha.  Pontes de paz, religiões e culturas em diálogo

Bolonha. Pontes de paz, religiões e culturas em diálogo

Roma (NEV), 11 de outubro de 2018 – Haverá também o moderador da Mesa Valdense, pároco Eugênio BernardiniE Paulo Nasocoordenadora do Mediterranean Hope (MH) – programa para refugiados e migrantes da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), na 32ª etapa do “espírito de Assis”, inaugurado em 1986 por João Paulo II e levado adiante pela Comunidade de Sant' Egidio, que este ano completa cinqüenta anos de atividade. A conferência consistirá numa Assembleia Plenária de abertura no Centro de Congressos da Feira na tarde de domingo, dia 14 de outubro, e numa série de painéis temáticos que decorrerão no centro da cidade na manhã dos dias 15 e 16. A Cerimônia Final acontecerá na Piazza Maggiore na tarde de terça-feira, 16 de outubro. Muitos temas serão abordados nos vinte e cinco painéis esperados, todos caracterizados por uma criteriosa seleção de personalidades em diálogo, tanto religiosas como seculares: a Europa e a sua crise, a solidariedade entre gerações, o diálogo inter-religioso, o ambiente, o desarmamento, o papel da crentes diante das guerras, da violência generalizada na América Latina. Eugenio Bernardini intervirá numa mesa redonda subordinada ao tema “Desarmar conflitos”, enquanto Paolo Naso participará no painel “Migrações e o futuro: corredores humanitários”. Entre as personalidades importantes presentes Ahmad Muhammad Al-TayyebGrande Imã de Al-Azhar; Berenice Kingpastor batista e filha de Martin Luther King. ...

Ler artigo
Faculdade Valdense.  “Estude teologia.  Por que?  Para quem?”

Faculdade Valdense. “Estude teologia. Por que? Para quem?”

Roma (NEV), 6 de abril de 2021 – O encontro ao vivo intitulado “Estudar teologia. Por que? Para quem?". É assim que a Faculdade Valdense de Teologia se apresenta neste "zoom-talk", dando voz ao aluno Marco Agrícolaao aluno Shangli Xupara Floriana Bleynatmembro do Conselho da Faculdade, e ao estudante Magdalena Bredendiek do Centro Melanton. No zoom ao vivo e na página do Facebook da revista "Confronti", a iniciativa integra a coluna "Teologia e sociedade", coluna de aprofundamento e debate editada por Fulvio FerrarioReitor da Faculdade Valdense de Teologia, e Christine SimonelliPresidente da Coordenação dos Teólogos Italianos (CTI). A Faculdade Valdense A Faculdade Valdense de Teologia é o instituto mais antigo da Itália para o estudo universitário de teologia evangélica. Representa um extraordinário ponto de encontro e diálogo, em um contexto de intercâmbio acadêmico de prestígio com outras universidades públicas e pontifícias. Fundada em 1855 em Torre Pellice (TO), mudou-se primeiro para Florença, depois para sua atual sede em Roma. A oferta de formação teológica da Faculdade Valdense é dividida em 4 cursos de graduação (graduação em teologia, especialização em teologia, doutorado em pesquisa em teologia – área histórica, sistemática/ecumênica; graduação em ciências bíblicas e teológicas). A oferta completa-se com mais duas oportunidades de formação: cursos certificados com a duração de dois anos e a possibilidade de ingresso como “auditor”. Os graus conferidos pela Faculdade são reconhecidos pelo Ministério das Universidades e da Investigação Científica (MIUR) e inseridos no projeto europeu Erasmus. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.