O Cinema na Praça está de volta

O Cinema na Praça está de volta

Roma (NEV), 1º de junho de 2022 – De 3 de junho a 31 de julho, volta a Roma “Il Cinema In Piazza”, o evento com entrada gratuita todas as noites às 21h15, distribuído entre o centro e os subúrbios, organizado pela Associazione Little America , agora em sua oitava edição. Este verão, o festival de cinema ao ar livre acontecerá na Piazza San Cosimato em Trastevere, no Parque Cervelletta em Tor Sapienza e no Parque Monte Ciocci em Valle Aurelia.

Uma edição que cresce em termos de países representados (dos Estados Unidos ao Japão, das Filipinas ao Chile) e convidados de todo o mundo: “No palco, ou melhor, nos palcos – explica Valério CarocciPresidente da Pequena América – nomes do calibre de vão subir Wes Anderson, David Mamet, Pawel Pawlikowski, Kiyoshi Kurosawa, Work Diaz, Fanny Ardant, Volker Schlöndorff, Ladj Ly, Jan Komasa, Wolfgang Becker, Iram Haq, Michael Radford, Cristian Mungiu, Mathieu Kassovitz. Uma presença, deles, que é sinal de uma necessidade renovada por parte dos autores de um contacto direto com os espectadores, depois da paragem imposta pela pandemia”.

Juntamente com os convidados internacionais, muitos também os italianos, que vão animar “Il Cinema in Piazza”: Pietro Castellitto, Valerio Lundini, Carlo Verdone, Francesca Archibugi, Serena Dandini, Stefania Sandrelli, Bebe Vio, Martin Castrogiovanni, Dori Ghezzi, Luca Marinelli, Francesca Serafini, Giordano Meacci, Valentina Bellè, Anna Pavignano, Don Ciotti, Marco Tullio Giordana, Alessandro Redaelli E Ruggero Melis e Antonio Rezza E Flavia Mastrella, Micaela Ramazzotti, Paolo Virzì, Esmeralda Calabria, Francesco Piccolo, Luca Bigazzi E PARAScanio Celestini.

Para inaugurar o evento, na sexta-feira, 3 de junho, na Piazza San Cosimato, a projeção de “I Predatori”, estreia atrás das câmeras de Pedro Castellito (melhor roteiro no Festival de Cinema de Veneza na seção Orizzonti, David di Donatello de melhor novo diretor), na presença do autor e do apresentador, autor e comediante Valério Lundini.

A inauguração do Parque Cervelletta, na quinta-feira, 9 de junho, é confiada a uma noite – em colaboração com a revista Confronti – na qual as famílias dos Giulio Regeni E Mário Paciolla. A intenção é “refletir sobre os lados obscuros do poder e relembrar suas vítimas”, graças também à exibição, pela primeira vez em tela grande na Itália, de “O Dissidente”, documentário de Bryan Fogel dedicado à figura do jornalista Jamal Khashoggi.

No palco, junto com o advogado Alessandra Ballerini, alguns representantes da sociedade civil que há muito estão próximos das famílias, incluindo Ascânio Celestini e o jornalista e sindicalista Joseph Giulietti.

Na sexta-feira, 8 de julho, na Piazza San Cosimato, será exibido o documentário “Lybia: No Escape From Hell” do jornalista e documentarista Sara Creta, que relata as condições dos migrantes presos em campos de detenção na Líbia. Organizado em conjunto com Confronti e Médicos Sem Fronteiras, no palco, além do diretor e editor da revista mensal Cláudio Paravatioperadora da Msf e Michael Magokprotagonista do documentário, além de testemunha direta do que está acontecendo naquele país.

Embora seja uma história de empoderamento feminino contada no filme “O que as pessoas vão dizer” de Iram Haq, exibido na sexta-feira, 1º de julho, durante uma noite na Piazza San Cosimato, mais uma vez organizado em colaboração com a revista Confronti. Noite em que, juntamente com o realizador, estará presente o jornalista e mediador cultural Ejaz Ahmad e o pesquisador e escritor Giorgia Serughettiespecialista em questões de gênero, teoria política e migrações.

Estão programadas duas homenagens, em primeiro lugar aquela dedicada ao Pier Paolo Pasolinimais um elemento nas comemorações do centenário do nascimento do intelectual: quinta-feira, 23 de junho, no Parco della Cervelletta, o diretor Marco Túlio Giordana em diálogo com Don Ciotti em torno de uma das obras-primas do poeta-diretor, “O Evangelho segundo Mateus”. E então, na presença de Dori Ghezzi, Luca Marinelli, Valentina Bellè, Francesca Serafini E Giordano Meaccia exibição da versão cinematográfica de “Fabrizio De André – Principe libero”, quinta-feira, 16 de julho, para recordar o grande cantor e compositor genovês.

Aqui o programa completo da revista.

Cinema in Piazza acontece sob o patrocínio do Parlamento Europeu e do Ministério da Cultura, com o apoio do Ministério das Políticas da Juventude, da Região do Lácio, do Organismo Regional RomaNatura, da Câmara de Comércio de Roma e com o patrocínio da capital Roma cidade. O projeto é possível, entre outros patrocinadores, graças à contribuição do Otto per Mille da Igreja Valdense. A Confronti é o media partner da edição de 2022.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Bouchard, um mestre do século XX.  Artigo de Paolo Naso sobre Confronti

Bouchard, um mestre do século XX. Artigo de Paolo Naso sobre Confronti

Roma (NEV/Confronti.it), 29 de julho de 2020 – Quem já teve contato com o mundo protestante italiano pelo menos já ouviu falar do pastor valdense George Bouchard, desapareceu em Torre Pellice em 27 de julho. Desde os primeiros movimentos que anunciaram a convulsão política e cultural de 68, até os anos em que a chamada Primeira República desmoronou tristemente, Bouchard foi o protagonista e por vezes diretor da presença protestante no espaço público italiano. Fá-lo com sua cultura teológica nitidamente barthiana e com seu sentimento político formado nos duros anos da ocupação fascista, apurado por intensos estudos no difícil pós-guerra e amadurecido no contexto das lutas operárias dos anos 60 e 70 . Não é por acaso que, nessa conjuntura, encontrou-se como pároco em Milão com a tarefa de sustentar um projeto original de raízes em uma das áreas periféricas e populares da cidade, Cinisello Balsamo: menos celebrada que a vizinha Sesto San Giovanni - depois "Stalingrado da Itália" – mas com uma caracterização política análoga. Hoje definitivamente perdido em benefício da Liga e da sua base social composta por números de IVA desenfreados e pensionistas que têm medo dos imigrantes. Naquele lugar e naquela época do século passado, Giorgio, Toti Rochat e outros jovens protestantes fundaram uma "comuna" que logo acabou acolhendo também católicos e não crentes. Para a cidade foi um projeto social ainda hoje lembrado, mas para Giorgio e aquele grupo de crentes foi uma forma de viver concretamente a sua fé cristã e evangélica numa época cultural que submeteu a duras críticas não só as convenções "burguesas" mas também os costumes e tradições religiosas. Das salas barulhentas e lotadas da Comuna, Giorgio logo se viu ocupando cargos importantes em Roma e na Torre Pellice, capital do valdismo e Genebra da Itália, segundo a generosa e retórica definição de De Amicis. Não foi apenas uma mudança sociológica - do proletariado metropolitano para a classe média protestante - mas também de papel. A Igreja que o elegeu Moderador da Mesa Valdense em 1979 sabia que estava escolhendo uma personalidade forte – simpática, mas às vezes também rochosa – e com uma visão precisa do papel do protestantismo na sociedade italiana. Suas referências eram o protestantismo mundial - mais tarde caracterizado por um interesse preciso pelos Estados Unidos -, as social-democracias europeias, éticas reformadas para serem repensadas sem perder o sentido primário de "vocação" de Deus. Um livro essencial dele, a esse respeito, permanece Espírito protestante e ética do socialismopublicado coincidentemente por Com Nuovi Tempi em 1991. Neste sentido, juntamente com outros - gostaria de mencionar os nomes de Mário Miegge E Sérgio Aquilante com quem entre altos e baixos, consentimentos e dissensos, sempre houve um grande respeito intelectual e escuta mútua - desempenhou um papel preponderante na desprovincialização do protestantismo italiano. Historiador por paixão, Giorgio evitou a retórica da história das perseguições e contestou a tese do "excepcionalismo" valdense na história nacional. Pelo contrário, juntamente com Giorgio Spini, confiou-nos a tese do papel ativo da componente valdense na história europeia e nacional, desde a Primeira Reforma às perseguições do século XVIII, do Risorgimento à Resistência, da oposição à centrismo "democrata-cristão" às lutas civis dos anos 70. A transição para a categoria interpretativa do protestantismo como "componente" e não mais como "minoria" - inspirada na ideia gramsciana segundo a qual a hegemonia cultural não coincide com a maioria numérica - foi essencial para liderar a batalha pelas Ententes, como conhecido, aprovado em 1984, em plena era Crax. Naquela conjuntura, sua Igreja não estava unida e, ao contrário, ocorreu uma dolorosa divisão destinada a se repetir em 1993 e em 2001, quando o Sínodo das igrejas metodista e valdense decidiu acessar o sistema de distribuição de oito por mil e, posteriormente, , à distribuição de quotas não expressas. Bouchard, convencido de que o objetivo do primeiro acordo nos termos do art. 8º da Constituição merecesse alguma mediação e até algum compromisso, sentiu o peso liderança que lhe foi confiado e o interpretou com coerência, mesmo à custa de fraturas na Igreja. Na ocasião, ele também renunciou às críticas, certamente ingênuas e às vezes exageradas, daqueles valdenses - entre eles muitos jovens na época - que viam no acordo uma vulnus ao separatismo secular entre o Estado e as confissões religiosas e rejeitou o próprio instrumento jurídico por ter sido concebido como uma reparação pela renovação da Concordata. Décadas depois, não tenho dúvidas de que Bouchard estava certo e errados seus críticos que, como eu, não entenderam a natureza excepcional daquela transição política. Bouchard também foi tecelão da unidade do evangelicalismo italiano: ferrenho defensor da integração entre valdenses e metodistas, foi um dos promotores da Federação das Igrejas Evangélicas (Fcei) da qual, entre 1988 e 1994, foi presidente. Nesse cargo fortaleceu sua ideia de uma “frente protestante” que, ao agregar a complicada diáspora evangélica, pudesse promover uma alternativa evangélica na Itália. Um projeto excessivamente ambicioso, talvez irreal, dado o fosso que se cavava entre o protestantismo histórico e a galáxia, especialmente em questões éticas evangélico. Mas foi um projeto estratégico, uma ideia orientadora lançada com paixão e coragem na tentativa de indicar um caminho para que a componente protestante da sociedade italiana tivesse um papel público e significativo. Um protestante versátil e valdense, Bouchard também era um homem de diálogo, e o nascimento desta revista é em grande parte devido a ele. Comparardo qual foi um grande apoiador quando o cabeçalho se abriu ao mundo das fés e do intercâmbio intercultural e inter-religioso. Bouchard foi um homem do século XX, um século muito longo, marcado pelo peso de pesadas e condicionantes ideologias, mas também enriquecido por visões de longo prazo que hoje nos faltam. Para muitos de nós foi também mestre de vida, de pensamento e de fé. E, como deve ter adivinhado ao escrever seu último livro confiado à redação de sua esposa Piera Egidi (Mestres. Encontros significativos na vida de Giorgio BouchardNuova Trauben 2020), o melhor professor é aquele que deixa seus alunos seguirem seu próprio caminho, mesmo sabendo que eles não poderão refazer aquele que ele percorreu e indicou. ...

Ler artigo
Dia Mundial do Refugiado, todas as iniciativas dos protestantes

Dia Mundial do Refugiado, todas as iniciativas dos protestantes

Uma família refugiada da Ucrânia chega à fronteira de Vama Siret, na Romênia. Localizada ao norte de Siret e mais ao sul a cidade de Suceava, a travessia conecta a Romênia com a vila ucraniana de Terebleche e mais ao norte a cidade de Chernivtsi. Após a invasão da Ucrânia pelos militares russos a partir de 24 de fevereiro de 2022, mais de meio milhão de refugiados fugiram pela fronteira ucraniana para a Romênia. Foto: Albin Hillert/WCC Roma (NEV), 14 de junho de 2022 – O Dia Mundial do Refugiado é celebrado na segunda-feira, 20 de junho. São muitas as iniciativas promovidas por todo o terceiro setor e várias também são organizadas pelo mundo protestante. No que diz respeito à Federação das Igrejas Evangélicas, em particular, e seu programa de migrantes e refugiados, Mediterrâneo Esperança, a Casa das Culturas de Scicli com a CGIL e em colaboração com as realidades do terceiro setor que fazem parte do Pacto de Solidariedade Scicli, com o Integrado O projeto de serviços para a autonomia socioeconômica dos titulares de Proteção Internacional, e com o patrocínio do Município de Scicli, está organizando um evento de um dia a ser realizado na Villa Comunale Penna no município da província de Ragusa. “Existem mais de 70 milhões de refugiados, requerentes de asilo e deslocados internos em todo o mundo que fogem da guerra e da perseguição. Todos obrigados a abandonar tudo e todos em busca de novas certezas em outros países. Refletir sobre a sua situação, conhecer as suas histórias e as suas dificuldades, não ficar indiferente e procurar agir, no dia-a-dia, para acolhê-los e respeitar os seus direitos”, são, por isso, alguns dos objectivos do Dia Mundial do Refugiado. Durante o Dia em Scicli, serão promovidas atividades didáticas e recreativas para crianças, entretenimento e também momentos de reflexão sobre as "Rotas migratórias e estratégias de acolhimento e integração" para aprofundar o tema também em relação ao território siciliano. “Agora mais do que nunca – lê-se na apresentação da iniciativa – é necessário promover caminhos de plena inclusão em todos os âmbitos da sociedade, desde o trabalho ao estudo e à saúde dos forçados a fugir dos seus países de origem”. O dia começará com um workshop criativo e interativo "Construindo a paz" com curadoria dos operadores da Coop. A Soc. Acting destina-se a todas as crianças e jovens que queiram participar. Compromisso às 11 horas em frente à Câmara Municipal de Scicli. Um momento de reflexão, com curadoria da CGIL e da Mediterranean Hope - Casa delle Culture, envolverá entidades e associações envolvidas na área. Serão explorados os temas dos projetos dedicados aos corredores humanitários e apoio psicológico aos que fogem do seu próprio país. eles vão intervir Federica Brizi, gerente de recepção de corredores humanitários para Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Evangélicas, Clemente SabbaCoordenadora do MEDU – Médicos pelos Direitos Humanos da Sicília, Ahmed Echigerente do projeto Emergência em Ragusa, Ana Caratozzolochefe da CPIA Ragusa e Giuseppe Scifo, secretário geral da CGIL Ragusa. A noite no Villa Penna será encerrada com uma apresentação de música popular com “Carmelo Errera e os Scacciadiavoli”. A participação nas oficinas e a entrada na Villa Penna são gratuitas e gratuitas. Em Roma, em particular, em Casale Garibaldi, a Diaconia Valdense, Casale Garibaldi – comum no trabalho, Arco Solidário OnlusMédicos Sem Fronteiras, Intersos, BINÁRIO15 organizam um momento de partilha e confronto junto com os cidadãos e os refugiados do território. A partir das 17h30 exposição fotográfica, histórias solidárias, concerto ArabJazz com os 66 KIF, aperitivo. “Todos os anos – explica a Diaconia Valdense em nota à imprensa – é uma oportunidade de convidar as pessoas a conhecerem nossas atividades de trabalho com requerentes de asilo e refugiados por meio de momentos de encontro e contação de histórias”. O Dia Mundial do Refugiado foi celebrado pela primeira vez em 20 de junho de 2001 e foi criado para comemorar o 50º aniversário da aprovação da Convenção relativa ao Estatuto dos Refugiados assinada em Genebra pela Assembleia Geral das Nações Unidas. ...

Ler artigo
Relatórios GLAM

Relatórios GLAM

Um enquadramento do vídeo realizado no âmbito do projeto "terra terra" em colaboração entre EIIS, Parlamento Europeu, YouTube: rios infiltrados e rios atmosféricos, plantas-mãe, ecossistemas fluviais, ciclos hidrogeológicos, agricultura sintrópica, European Great Deal e muito mais mais 28 de junho de 2023 - Segundo episódio do serviço "La GLAM sinaliza". Dirigido pela Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), em colaboração com a agência de notícias NEV, consiste na divulgação de notícias e informações sobre, em particular, a Criação e a proteção do meio ambiente. TerraTerra: a água é plantada “Eu planto água. Se tenho dúvidas planto árvores, se tenho muitas dúvidas planto muitas árvores”. Os "Amigos da floresta" compartilham 7 estratégias para proteger os recursos hídricos: 40% da água é reciclada nas florestas e a água aumenta onde há árvores. Círculo Ártico sem gelo até 2030? Um Ártico sem gelo teria impactos enormes tanto nas sociedades humanas quanto nos ecossistemas. Ele fala sobre isso no il Fatto Quotidiano Lucrezia Parpaglioni citando pesquisas publicadas na Nature Communications. Imagem retirada de A Política Ambiental da Igreja Reformada Unida Comunidades mais verdes graças a comportamentos atentos a viagens, construções, consumos e investimentos. A Igreja Reformada Unida ativou sua Política Ambiental em janeiro de 2023, adotada na Inglaterra, Escócia e País de Gales. Leia o documento completo: Política Ambiental da URC para a Igreja Reformada Unida Temporada da Criação 2023 sobre justiça e paz Apresentação em vídeo dos materiais litúrgicos para o Tempo da Criação 2023: "Que fluam a justiça e a paz". Líderes religiosos de todo o mundo falam sobre como orar, agir e se engajar por um meia-nóia ecológica. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=9F1i609k5Ko[/embed] Rumo a uma “teologia do companheirismo” O Conselho Mundial de Igrejas (CEC) fala de "teologia de companheirismo". Coisas? Teologia da proximidade? De amizade? Da inter-relação? De reciprocidade? De fazer amigos? Em espanhol, eles traduziram “compañerismo”… Vamos tentar investigar melhor esse conceito lendo o artigo completo de Fernando Enns traduzido para o italiano por Antonella Visintin (as notas estão presentes apenas na versão em inglês). ITA – Companheirismo – Para uma teologia ecumênica do companheirismo PT – Companheirismo – Enns 2022 – Rumo a uma teologia ecumênica do companheirismo Para saber mais: Relatório sobre as Conversas Ecumênicas na 11ª Assembleia do CMI | Conselho Mundial de Igrejas (oikoumene.org) Conversas Ecumênicas_Web.pdf (oikoumene.org) ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.