Reino Unido.  1450 assinaturas contra as políticas de migração de Downing Street

Reino Unido. 1450 assinaturas contra as políticas de migração de Downing Street

A Delegação em Downing Street

Roma (NEV), 7 de abril de 2023 – Mais de 1.450 líderes cristãos britânicos assinaram um carta que define a lei de imigração ilegal do governo de rishis Sunak como “incompatível com a crença cristã de que todo ser humano foi criado à imagem de Deus”.

A carta, entregue no passado dia 4 de abril ao número 10 de Downing Street, expressa a perplexidade dos signatários de uma lei que, em vez de “honrar a dignidade humana”, pretende “deter, punir e rejeitar milhares de pessoas em busca de segurança”. causando “danos imensuráveis ​​a pessoas já vulneráveis”.

Segundo as estatísticas oficiais, duas em cada três pessoas que atravessam o Canal da Mancha em barcos improvisados ​​têm o seu pedido de asilo aceite, sinal de que são mais do que refugiados legítimos. Com o novo projeto de lei, no entanto, será efetivamente impossível para essas pessoas apresentarem um pedido de asilo simplesmente porque chegaram à Grã-Bretanha por meios ilegais, porque serão automaticamente detidas e expulsas.

“Nesta Semana Santa – declarou o pároco Steve Tinningresponsável pelos assuntos públicos daUnião Batista da Grã-Bretanha – mais de 1450 líderes cristãos dizem que a lei de imigração ilegal de forma alguma representa os valores cristãos de compaixão, hospitalidade e misericórdia. Ameaça a detenção de crianças inocentes, não oferece nenhuma obrigação de fornecer rotas seguras para aqueles que fogem da guerra e da perseguição, criminaliza e pune vítimas inocentes”.

“Diante do projeto de lei do governo do Reino Unido, é essencial lembrar que a grandeza de nossa nação não está em nos afastarmos dos necessitados, mas em abraçar nossa humanidade compartilhada e nos comprometer a cuidar de todos”, disse a pastora Tessa Henry Robinsonnovo moderador do Igreja Reformada Unida.

A carta foi entregue ao primeiro-ministro por uma delegação composta por Steve Tinningzione, além de Tinning e Henry Robinson, pelo pároco David Hardmanresponsável pelos assuntos públicos da Igreja Metodista Britânicade Ricardo Reddiediretor do Departamento de Justiça e Inclusão de Igrejas Juntas na Grã-Bretanha e Irlandae pelo pastor Ben Aldousresponsável pela missão e evangelização de Igrejas Juntas na Inglaterra.

A cerimônia das novas “Comunidades Santuário” de Brighton e Hove; à direita, ao fundo, o pastor Boghal

As posições de expoentes cristãos contra as políticas migratórias do governo são cada vez mais frequentes. Como aconteceu no último dia 12 de março, durante a cerimônia de reconhecimento de “santuário comunitário” às igrejas metodistas do circuito de Brighton e Hove por seu compromisso com a hospitalidade solidária e inclusiva.

No sermão, o pastor Inderjit Boghalfundador de movimento da cidade santuárioEle disse: “Esse reconhecimento ocorre porque nosso governo está tornando cada vez mais difícil para aqueles que procuram refúgio entrar no Reino Unido. Pedir asilo não é crime, mas criminalizar as pessoas por tentarem chegar a um lugar seguro é definitivamente um crime contra a humanidade”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Cuidar de pacientes em relação à religião

Cuidar de pacientes em relação à religião

Roma (NEV), 12 de abril de 2019 - Cuidar dos doentes significa cuidar da pessoa, em todos os seus aspectos, inclusive religiosos. É por isso que a Autoridade de Saúde Social do CTO Gaetano Pini realiza um curso de formação dirigido a profissionais de saúde, mas aberto a toda a população intitulado: “Acompanhamento da pessoa que sofre e da família nos cuidados de saúde nas três religiões monoteístas e na espiritualidade budista”. No dia 15 de abril, das 14h às 18h, representantes de diversas religiões se sentarão à mesa para conversar com profissionais de saúde e cidadãos e explicar como cuidar dos pacientes, conforme sejam cristãos, islâmicos, judeus ou budistas. O encontro é organizado pela Capelania e Gabinete de Formação da ASST Gaetano Pini-CTO e pelas Associações AILS e ALOMAR, em colaboração com o Grupo Juntos para Cuidar de Nós, nascido do encontro de realidades sanitárias e religiosas Colégio IPASVI de Enfermeiras Milan -Lodi-Monza e Brianza, Biblioteca Ambrosiana, Associação Médica Judaica e Comunidade Religiosa Islâmica Italiana Após cumprimentos do Dr. Francesco Laurelligerente geral da ASST Gaetano Pini-CTO, intervirá Rav Alfonso ArbibRabino Chefe da Comunidade Judaica de Milão, Daniela DiCarlopastora valdense, Abd al-Sabur TurriniDiretor Geral da Comunidade Religiosa Islâmica Italiana (Coreis), Tenzin Khentsevenerável monge budista de tradição tibetana, Mons. Pierfrancesco Fumagallimédico da Ambrosiana. “Muitas vezes encontramos doentes e famílias de diferentes religiões no mesmo quarto que se encontram convivendo durante o período de internação no mesmo ambiente. Por isso, considero importante ajudar os profissionais de saúde a entender como cuidar das pessoas como um todo e aprender a fazer a ponte entre as diferentes religiões, cada uma com suas especificidades e implicações também no tratamento de patologias, em o nome da integração", explica padre Simone, capelão da ASST Gaetano Pini-CTO. ...

Ler artigo
Concílio Ecumênico perguntou, discurso do moderador

Concílio Ecumênico perguntou, discurso do moderador

Mme Agnes Abuom, moderadora do Comité central du Conseil œcuménique des Églises Foto: Ivars Kupcis/COE Roma (NEV), 10 de fevereiro de 2022 – Em seu discurso de abertura na sessão do Comitê Central do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) ontem, 9 de fevereiro, a moderadora Agnes Abuomrefletiu sobre os destaques dos últimos oito anos, lembrando as vítimas relacionadas ao COVID-19 e celebrando a esperança gerada pela 11ª Assembleia do Conselho, a ser realizada em Karlsruhe, na Alemanha.“No que diz respeito ao movimento ecumênico, houve uma ampliação e aprofundamento do diálogo” – disse -. Aprofundamos os diálogos bilaterais, que são uma intercomunhão, mas também ampliamos o número de grupos com os quais nos relacionamos, como o movimento pentecostal”. O moderador então analisou o caminho percorrido pelas igrejas diante e durante a pandemia. “A maioria das pessoas, graças a Deus, entendeu a necessidade de continuarmos nossas atividades online. Temos tomado decisões online e, a meu ver, essa mudança está nos levando a uma direção muito positiva."Abuom disse que encontrou um espírito de coesão, trabalho em equipe, coleguismo e apoio nas comunidades e igrejas evangélicas. “A pandemia dividiu as pessoas e certamente exacerbou os conflitos existentes. Por isso o tema “O amor de Cristo conduz o mundo à reconciliação e à unidade” é divino”, concluiu. artigo anteriorEntrevista com Daniele Garrone, Presidente da Federação das Igrejas Protestantes na ItáliaPróximo artigoFrança. Candidatos ao Eliseu pressionados pelos protestantes Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
Conferência Migrantes e religiões.  Oração Ecumênica em Roma

Conferência Migrantes e religiões. Oração Ecumênica em Roma

Oração ecumênica no contexto da conferência "Migrantes e religiões". Roma, 19 de novembro de 2019 Roma (NEV), 20 de novembro de 2019 - A oração ecumênica foi realizada ontem à noite em Roma, na abadia de Tre Fontane, como parte da conferência "Migrantes e religiões". Mais de 250 pessoas se reuniram para rezar e cantar juntas em nome da partilha e da unidade espiritual, respeitando a diversidade e os dons mútuos de cada um. O pastor batista supervisionou a liturgia ecumênica Luca Maria Negro, presidente da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Muitos representantes religiosos ecumênicos participaram da liturgia, incluindo Monsenhor Ambrogio Spreafico e don Juliano Savinadiretor do Escritório Nacional para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso (UNEDI) da Conferência Episcopal Italiana (CEI). Também estiveram presentes o vice-presidente da FCEI, Christiane Groebeno presidente da União Batista Cristã Evangélica da Itália (UCEBI) John Archdeacono pastor Jens Hansen e Coordenador do Programa de Refugiados e Migrantes da FCEI, Mediterranean Hope (MH), Paulo Naso. Entre as leituras, o texto de don Tonino Bello “Perdoa-nos, irmão marroquino”, por ocasião do momento litúrgico da confissão do pecado. A pregação foi confiada à pastora Mirella Manocchiopresidente da Obra das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI). A celebração ecumênica foi concluída com o gesto simbólico "a luz de Cristo", ou seja, a construção de uma cruz de luz, com o acendimento de algumas velas. A animação musical, com órgão e voz, teve a curadoria do Maestro Alberto Annarillido Ministério da Música da UCEBI. A conferência, que se encerra hoje, foi promovida, planejada e organizada pelo Escritório Nacional para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso (UNEDI) da Conferência Episcopal Italiana (CEI), juntamente com representantes das igrejas cristãs na Itália: Administração paroquial do Patriarcado de Moscou na Itália, Arquidiocese Ortodoxa da Itália e Malta do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, Igreja Apostólica Armênia da Itália, Igreja da Inglaterra, Diocese Ortodoxa Copta de São Jorge Roma, Diocese Ortodoxa Romena da Itália, Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ( FCEI), com a participação da União das Igrejas Adventistas do Sétimo Dia (UICCA). Veja a galeria de fotos da oração ecumênica de 19 de novembro de 2019. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.