Encerramento do Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense

Encerramento do Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense

Torre Pellice (TO), 25 de agosto – O Sínodo das igrejas Valdenses e Metodistas fechará suas portas amanhã, sexta-feira, 26 de agosto, com o habitual culto de encerramento, marcado para as 17h30.

O conteúdo do debate vai desde compromissos sociais e de saúde até cultura e hospitalidade humanitária. O foco de hoje foram os temas de trabalho e relações ecumênicas e internacionais, especialmente em vista da 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) agendada para Karlsruhe, Alemanha, de 31 de agosto a 8 de setembro.

Forte é o compromisso no terceiro setor e na cooperação internacional graças aos fundos Otto por mil das igrejas metodistas e valdenses. A confiança no Otto per mille Valdensian está crescendo: as assinaturas dos contribuintes estão de fato aumentando, o que levou ao financiamento 1557 projetos na Itália e no mundo, com um aumento de 34% em relação ao ano passado. Eles eram foram atribuídos cerca de 45 milhões de euros, graças às 570.000 assinaturas dos contribuintes que escolheram alocar os oito por mil para os valdenses.

Com os recursos alocados, a Igreja Valdense (União das Igrejas Valdense e Metodista) financia projetos sustentáveis ​​e transparente, criado por centenas de associações de diferentes orientações culturais e religiosas, cujos resultados podem ser avaliados e verificados por qualquer pessoa. Anualmente é publicado um relatório dos recursos recebidos e dos projetos financiados.

Também estão marcadas para amanhã, sexta-feira, 26 de agosto, as eleições dos 7 membros do Conselho Valdense – o órgão executivo máximo das igrejas metodista e valdense composto por 7 membros eleitos pelo Sínodo ano a ano, incluindo o Moderador – e dos principais metodistas. Por volta das 16h00 está agendado o discurso de encerramento do Moderador eleito, seguido da conferência de imprensa de encerramento. Os colegas jornalistas estão convidados a participar presencialmente, em Torre Pellice (TO), ou ao vivo nos canais protestantes e em especial na página do Nev no Facebook e no rbe.it.

Mais informações também em: www.rbe.it – www.riforma.it – www.chiesavaldese.org

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Igreja Batista OPM, “Multiplicar a esperança por mil”

Igreja Batista OPM, “Multiplicar a esperança por mil”

Roma (NEV), 22 de abril de 2023 – "Multiplicar a esperança por mil": este é o lema da campanha Otto per mille Baptist 2023. Estamos falando do compromisso da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) para fins de saúde , humanitário, social. Todos os anos, a UCEBI continua a aplicar 100% dos fundos recebidos "com extremo rigor, destinando-os - até ao último cêntimo - exclusivamente a intervenções sociais, assistenciais, humanitárias e culturais, em Itália e no estrangeiro", lê-se no site da batistas. Entre os projetos ativos, financiados com os recursos do Otto per mille, podemos ajudar idosos, mulheres vítimas de violência, meninos e meninas. Entre as atividades realizadas pela UCEBI com os fundos Otto per mille, um projeto dos Médicos Sem Fronteiras contra a violência contra as mulheres, a casa de repouso GB Taylor em Roma, apoio às atividades da Associação Italiana de Pessoas com Síndrome de Down (AIPD) – Onlus de Pisa e o projeto Medical Hope da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) para assistência médica a refugiados sírios no Líbano e na Itália. Quem são os batistas? “Para explicar de forma simples podemos dizer: os cristãos da igreja de Martin Luther King”. É o que afirma o site da UCEBI, membro da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Fundada em 1956, recolhe o legado da União Batista Apostólica Cristã (UCAB), fundada em 1884 pelas missões inglesas e americanas que chegaram à Itália na década de 1860, por sua vez herdeiras dos anabatistas e da chamada Reforma Radical da Inglaterra de 1600. Aqui todas as informações da Receita Federal em 2, 5 e 8 por mil. As imagens escolhidas para a campanha publicitária Otto per mille battista: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=4G4eh_lWwIc[/embed] ...

Ler artigo
A memória não é apagada

A memória não é apagada

Foto de Camila Cataldi Roma (NEV), 24 de janeiro de 2023 – “Precisamos dar um bom exemplo. É possível e desejável para o bem de todos fazer alguma coisa, não olhar para o outro lado. E para concretizar as ideias precisamos nos unir”. Vera Vigevani Jarach, "Partidário da Memória", expoente das Madres de Plaza de Mayo, jornalista e ativista, foi protagonista hoje de um encontro com estudantes do ensino médio romano, organizado com a contribuição de Otto per mille da Igreja Valdense, União das Igrejas Metodistas e valdenses e em colaboração com a Associação 24 Marzo. Uma oportunidade de reflexão sobre o tema da memória, no dia e para o dia 27 de janeiro, Dia da Memória, de fato, e sobre o uso cuidadoso das fontes e a coleta de testemunhos. A reunião foi moderada por Valério Cataldijornalista da Rai e presidente da Associação Carta di Roma, e apresentado pela saudação de Marco Forneronepároco da Igreja Valdense na Piazza Cavour em Roma, que sediou a nomeação. No centro do diálogo, a experiência de Vigevani Jarach, que narrou sua vida até a realidade dos migrantes, dos “novos desaparecidos no mar Mediterrâneo”. Desde criança judia obrigada a emigrar para a Argentina, até a luta com as Mães da Praça de Maio: “Não éramos heroínas, só queríamos saber onde estavam nossos filhos. E nós estávamos com medo." Na sala adjacente ao templo valdense onde ocorreu o encontro, também foi montada uma exposição de objetos pertencentes às vítimas do naufrágio de 3 de outubro de 2013 em Lampedusa. A memória de Lampedusa. (Foto de Camilla Cataldi) Valerio Cataldi com Vera Vigevani Jarach Pastor Marco Fornerone Foto de Camila Cataldi Para saber mais: ...

Ler artigo
Os pentecostais na Itália: leituras, perspectivas, experiências

Os pentecostais na Itália: leituras, perspectivas, experiências

Foto James Barr / Unsplash Roma (NEV), 3 de dezembro de 2019 - A conferência de dois dias intitulada "Pentecostais na Itália: leituras, perspectivas, experiências", promovida pela Faculdade Pentecostal de Estudos Religiosos, começa na quinta-feira, 5 de dezembro, em Battipaglia (Salerno). A Agência NEV entrevistou o pastor carmim napolitanoDecano da Faculdade e Presidente da Federação das Igrejas Pentecostais (FCP). Como nasceu esta conferência e quais são os seus objetivos? A conferência insere-se no interesse da Faculdade Pentecostal, que desde a sua criação tem promovido o estudo do mundo pentecostal tanto numa perspectiva confessional como numa perspectiva de investigação académica. Em 2008, por exemplo, por ocasião do primeiro centenário da presença pentecostal na Itália; e depois em 2015, ano em que nos concentramos no movimento pentecostal da Campânia, onde a presença é mais significativa. Ainda em 2015, 80 anos depois da circular Buffarini-Guidi contra os pentecostais, refletimos sobre aquele gravíssimo ato de intolerância religiosa que atingiu este movimento eclesial durante o fascismo. Esta conferência foi criada para fazer um balanço da situação dos estudos sobre o movimento pentecostal. Paralelamente ao nosso interesse, outras universidades e instituições acadêmicas, religiosas ou não, também têm feito análises e pesquisas sobre os pentecostais, ora se cruzando conosco, ora de forma independente. A conferência de estudo que propusemos visa, portanto, reunir todos aqueles que estão envolvidos neste tema na Itália. Iremos nos comparar segundo perspectivas internas e externas, também em nível internacional, para uma leitura atenta e proativa do pentecostalismo, que é considerado um fenômeno religioso significativo em todo o mundo Qual é o número de pentecostais na Itália? Além da Federação das igrejas pentecostais, existem as Assembléias de Deus e um componente substancial de igrejas independentes que elevam o número de pentecostais italianos, segundo as estatísticas, para cerca de 300.000 pessoas. A estas deve-se acrescentar a linha de igrejas pentecostais nascidas após os fenômenos migratórios, que se estima reunir mais de 100.000 pessoas na Itália. O total representa um número significativo, mesmo em comparação com outros países europeus. Existe homogeneidade no pentecostalismo italiano? Há uma certa homogeneidade nas redes que conectam as diferentes áreas do movimento. As várias denominações reúnem temas que apresentam particularidades diversificadas sobretudo no que diz respeito às modalidades litúrgicas ou características doutrinárias menos relevantes. Do ponto de vista da estrutura jurídica e da organização interna as igrejas do FCP são bastante próximas. As igrejas de origem migrante são caracterizadas por elementos culturais específicos que afetam a prática pastoral e a interpretação teológica. É também por isso que não estamos falando de uma igreja pentecostal, mas de um movimento, para identificar uma denominação caracterizada por um determinado tipo de espiritualidade, independentemente de origem ou distribuição geográfica. Quais são as relações com as outras igrejas protestantes e evangélicas italianas? O FCP mantém estreitas relações de amizade e colaboração, desde a sua criação, com a Federação das Igrejas Protestantes em Itália (FCEI), da qual é membro observador. Atualmente ocupa a vice-presidência da Comissão das Igrejas Evangélicas para as Relações com o Estado (CCERS), na qual está envolvida há vários anos. Também mantivemos diálogos teológicos com as igrejas valdenses, metodistas, batistas e adventistas. Entre os palestrantes da conferência "Os pentecostais na Itália: leituras, perspectivas, experiências", estão acadêmicos e especialistas, incluindo Paulo Naso da Universidade de Roma La Sapienza, o teólogo valdense Paulo ricoo pastor David Romanodiretor do Instituto Adventista de Cultura Bíblica (IACB) “Villa Aurora” e Ilaria Valenziassessor jurídico da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), para o Centro Studi Confronti – Fondazione Kessler. Os trabalhos serão abertos na câmara municipal do município de Battipaglia no dia 5 de dezembro às 15h (Piazza Aldo Moro) e continuarão no dia 6 no centro de congressos do hotel San Luca (SS 18 Tirrena Inferiore, n.18). A conferência contou com o patrocínio da Região da Campânia e do Município de Battipaglia, bem como do FCP. Para mais informações: www.fcpitalia.org Descarregue aqui o folheto ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.