“Não à superação das leis do mercado”

“Não à superação das leis do mercado”

Roma (NEV), 23 de março de 2023 – “Não podemos e não queremos desviar o olhar das injustiças que se perpetuam ao nosso lado; porque acreditamos que mudar de rumo é certo, necessário, possível”. Com estas palavras, a igreja valdense de Florença anuncia sua “presença solidária” ao lado dos trabalhadores de QF ex Gkn, que convocaram uma manifestação nacional para sábado, 25 de março.

A disputa surgiu há dois anos: no centro estão os funcionários da fábrica Campi Bisenzio, a poucos quilômetros de Florença, cuja alienação pela multinacional Gkn anunciou em julho de 2021. Desde então, como explica Angelo Mastrandrea neste extenso artigo no Il post , os trabalhadores têm estado em “assembléia permanente”, desde que receberam via email da empresa, que é propriedade do fundo inglês Melrose desde 2018, a comunicação do início do processo de despedimento. Não se desmobilizaram quando, a 23 de dezembro de 2021, o empresário Francesco Borgomeo assumiu a empresa, com o plano de a converter para a construção de motores elétricos. Agora desde fevereiro passado a empresa está em liquidação, com um liquidante substituindo outro e o Coletivo de Fábrica pede uma comissão parlamentar no Gkn e que sejam pagos salários que não veem há 6 meses.

Enquanto isso, depois de um ano e meio de “controle permanente, luta, expectativas, esperanças traídas e mais de cinco meses de salários não pagos, não nos resta outra alternativa senão assumir a ex-fábrica de Gkn de forma cooperativa”, escreve o trabalhadores. E “a fábrica deve sobreviver criando uma alternativa apenas com a força dos mais de 300 trabalhadores que foram despedidos a 9 de julho de 2021 e de todos os solidários que se juntaram a nós”. Daí o plano de reindustrializar a antiga GKN por baixo e fazê-lo de forma sustentável, através da produção de painéis fotovoltaicos, baterias e bicicletas de carga com reduzido impacto ecológico, com uma campanha de crowdfunding:

“Não à deificação idólatra do Mercado – lê-se no panfleto divulgado pela igreja valdense da capital toscana -. Afirmamos que Jesus de Nazaré e não o mercado é o Senhor da história, por isso nos opomos ao poder excessivo das leis do mercado em cujo altar são imolados os direitos e a vida dos trabalhadores e suas famílias. Manifestamos assim o nosso firme desacordo com as práticas de relocalização que seguem o único critério da procura de maiores lucros sem qualquer consideração pelos interesses dos territórios. Afirmamos fortemente a convicção de que a mudança é certa, necessária e possível”.

Aqui o apelo dos trabalhadores com todas as adesões.


Para saber mais:

Insorgiamo.org

“Novo Desafio de Gkn”, Itália jacobina23/03/2023

“O caso Gkn, os trabalhadores no parlamento”, o poster.

As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

A nova edição do Dossiê Estatístico de Imigração

A nova edição do Dossiê Estatístico de Imigração

Foto do Centro de Estudos e Pesquisa IDOS Roma (NEV), 18 de outubro de 2022 – Está de volta o encontro com a apresentação do Dossiê Estatístico de Imigração 2022. O evento será realizado no dia 27 de outubro, às 10h30, no Nuovo Teatro Orione, em Roma, e será aberto com a introdução do moderador da Mesa Valdense, Alessandra Trotta, cuja fala será seguida da projeção de um vídeo. O conteúdo do Dossiê será então ilustrado por Luca Di Sciullopresidente do Centro de Estudos e Pesquisas IDOS. Entre as prévias do Dossiê Estatístico de Imigração 2022 publicadas nos comunicados de imprensa do IDOS, lemos trechos de um relatório sobre o que deu errado no acolhimento de ucranianos e sobre a situação dos trabalhadores imigrantes na Itália. “Se eles pudessem não apenas trabalhar mais horas regularmente – declara em comunicado de Sciullo – dado que o subemprego muitas vezes esconde um black job contextual, mas também o acesso a profissões mais qualificadas, com contratos mais estáveis ​​e proteção efetiva, seria valorizado um potencial ainda hoje mortificado, embora extremamente precioso nesta fase de crise global. Um potencial que beneficiaria, além dos imigrantes, todo o sistema do país, pois diminuiria a economia subterrânea e a evasão, aumentaria ainda mais a arrecadação em impostos e contribuições, tornaria a economia italiana mais transnacional e competitiva”. Estão programados discursos aprofundados de vários convidados. Entre eles, o jornalista Eleanor Camillio professor de sociologia das migrações Maurizio Ambrosini, Paulo de Nardis, presidente do Instituto de Estudos Políticos “S. Pio V” que encerrará o evento e Cláudio Paravatidiretor do Centro de Estudos e da revista Confronti e apresentador do Protestantismo, para coordenar a apresentação. O Dossiê será apresentado, assim como em Roma, simultaneamente em todas as regiões e províncias autônomas, a entrada é gratuita e um exemplar do volume será distribuído gratuitamente a cada participante. A programação completa da iniciativa está disponível neste link. ...

Ler artigo
4 de dezembro, domingo da Diaconia para os corredores universitários

4 de dezembro, domingo da Diaconia para os corredores universitários

Foto ACNUR/Valerio Muscella Roma (NEV), de 16 de novembro de 2022 a 4 de dezembro de 2022 será o "Domingo da Diaconia". A nomeação anual dedicada à arrecadação da arrecadação para a Comissão Sinodal para a Diaconia (CSD-Waldensian Diaconia) envolve todas as igrejas metodistas e valdenses, por ocasião do culto dominical. Quem quiser apoiar a iniciativa pode ir a todas as igrejas metodistas ou valdenses da Itália e participar do culto no domingo, 4 de dezembro. Este ano a arrecadação irá apoiar o projeto "corredores universitários", UNIversity CORridors for REfugees (UNICORE), dedicado ao direito dos refugiados ao estudo. Foto ACNUR/Michele Cirillo Ainda esta manhã, o grupo de beneficiários da quarta edição do projeto "corredores universitários" chegou a Fiumicino. São 13 alunas e 38 alunas, refugiadas residentes nos Camarões, Malawi, Moçambique, Níger, Nigéria, África do Sul, Zâmbia e Zimbabwe, que tiveram a oportunidade de chegar a Itália de forma regular e segura para continuarem os seus estudos em 33 universidades italianos. A seleção parte das próprias universidades com base no mérito acadêmico e na motivação. A chamada, publicada em abril de 2022, oferece agora a possibilidade de frequentar um programa de mestrado de dois anos. 8 alunos são acolhidos pela Diaconia Valdense, juntamente com outros 12 alunos que chegarão nas próximas semanas. "Desde 2019, a Diaconia Valdense, por meio dos Serviços de Inclusão, vem colaborando com o Ministério das Relações Exteriores, ACNUR - Agência da ONU para Refugiados, Caritas Italiana, Gandhi Charity, Centro Astalli e algumas universidades italianas em um projeto em favor de estudantes refugiados - lemos no comunicado de imprensa referente ao Domingo da Diaconia -. Além disso, uma vasta rede de parceiros locais assegura o apoio necessário durante os dois anos do mestrado, promovendo a integração de estudantes e alunas na vida universitária e social da área em que são acolhidos”. Graças a este projeto, explica a Diaconia Valdense, "os estudantes que não têm possibilidade de continuar seus estudos no país em que encontraram proteção, podem aproveitar uma via de entrada regular e segura na Itália, obtendo um visto por motivos de estudo, e podem encontrar apoio e apoio para a entrada na vida académica e orientação para os serviços locais”. A UNICORE continua o objetivo da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) de fortalecer os canais regulares de entrada de refugiados. O objetivo é alcançar uma taxa de matrícula de 15% em programas de ensino superior em países de primeiro asilo e países terceiros até 2030. alguns números Nascido em 2019, o projeto envolveu um total de 71 alunos e mais de 20 universidades. O primeiro ano, em fase “piloto”, envolveu 6 alunos e 2 universidades. Em 2020, participaram 20 estudantes de ambos os sexos e 11 universidades. Em 2021, os números mais que dobraram: 45 participantes e 24 universidades. Para o ano de 2022, a UNICORE envolve 33 universidades italianas e mais de 50 estudantes masculinos e femininos. “Além de organizar todos os aspectos logísticos, desde a pré-partida até a formatura, a Diaconia Valdese apoia estudantes e alunas em toda a sua jornada, dando suporte para a inclusão social e para enfrentar este desafio completamente novo e altamente desafiador – conclui o comunicado de imprensa -. Com a coleta coletada no domingo, 4 de dezembro, as igrejas poderão apoiar e fortalecer o compromisso da Diaconia Valdense em favor de jovens e alunas que vêm de uma história de conflito e desenraizamento, para dar um pouco de novo vigor a essa chama que alimenta as esperanças de um futuro de trabalho e paz através do estudo nas universidades italianas”. ...

Ler artigo
jovens e mulheres lugar de teologia

jovens e mulheres lugar de teologia

Roma (NEV), 18 de outubro de 2018 – “Meu convite é ousar plenamente sua abertura para ouvir aqueles que não são ou não foram ouvidos o suficiente, aqueles que normalmente estão fora da liderança da igreja, mas neste Sínodo foi trazida para dentro, mesmo para o centro, ainda que não no processo de tomada de decisão: os jovens e as jovens, estes últimos no seu ser jovem e no seu ser mulher. De fato, a juventude traz a promessa do que é novo e ainda não existe, e a mulher hoje é portadora de tal potencial que ainda não está livre para se expressar plenamente” são as palavras do pastor valdense Marco Forneronedelegado da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR) na XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, convocada por Papa Francisco em Roma. O Sínodo reúne mais de 250 bispos, arcebispos e cardeais católicos de todos os continentes, tem como título “Jovens, fé e discernimento vocacional”. Iniciado em 3 de outubro passado, terminará em 27 de outubro com um documento final e conta entre os participantes uma delegação de jovens com idades entre 18 e 29 anos e oito observadores ecumênicos (5 protestantes e 3 ortodoxos). Fornerone participou ontem do briefing na Sala de Imprensa do Vaticano em Roma junto com o prior da Comunidade Ecumênica de Taizé (França), Irmão Alois Loeserao abade geral da Ordem de Cister Mauro Giorgio Giuseppe Lepori e ao bispo de Reykjavík David Bartimej Tencer, da Islândia. São muitos os temas em cima da mesa, entre os quais a necessidade de uma pastoral juvenil que envolva os próprios jovens, visto como uma bênção, na busca do equilíbrio entre tradições e desafios digitais, entre liberdade e fé, necessidades espirituais em um ambiente hedonista e consumista contexto . “Vários temas foram mencionados: sexualidade, família, secularização, relações sociais... Acho importante lembrar que a realidade é mais importante que a ideia – disse Fornerone no Sínodo dos Bispos -. O mundo em que estamos, simplesmente, é; sua realidade deve ser reconhecida em sua importância. É a este mundo, ao que existe, que devemos recorrer, não ao que gostaríamos que o substituísse, que é precisamente uma ideia. Também isto é discernimento e os jovens, filhos e filhas deste tempo, estão entre os mais competentes para o compreender, podendo assim acompanhar a Igreja no reconhecimento e interpretação dos sinais dos tempos… lugar, ou seja, os jovens – e as mulheres! – como fonte de teologia junto com os pobres”. Entre os observadores ecumênicos presentes ao Sínodo, também o pároco metodista da Ponte Sant'Angelo, em Roma Tim Macquiban representando o Conselho Metodista Mundial (WMC). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.