A Assembléia-Sínodo Batista, Metodista e Valdense em Torre Pellice começa hoje

A Assembléia-Sínodo Batista, Metodista e Valdense em Torre Pellice começa hoje

Torre Pellice (Turim), 21 de agosto de 2022 – O Sínodo das igrejas valdenses e metodistas em Torre Pellice (Turim) foi oficialmente aberto hoje, domingo, 21 de agosto, com o culto presidido pelos pastores Daniele Bouchard e Lino Gabbiano. sessão conjunta com o Extraordinário Assembléia da União Cristã Evangélica Batista na Itália (UCEBI).

“Somos chamados e chamados a esperar contra a esperança […] Não queremos, não podemos estar satisfeitos com as tragédias que vivemos. Sem subestimar de forma alguma a sua gravidade, nem os descartar como se não nos dissessem respeito, devemos reagir, devemos enfrentá-los, não nos é permitido ceder ao desespero […] Olhar para frente com otimismo não é ingenuidade, é fé conjugada com o futuro”, assim uma passagem do sermão de adoração (aqui o texto completo proferido esta manhã).

Além disso, ao final do culto de hoje, Sara Heinrich foi ordenada pastora.

Pastora Sara Heinrich, consagrada no domingo 21 de agosto de 2022

Cerca de 200 delegados e convidados de toda a Itália chegaram à Torre Pellice, na província de Turim. Esta é a quinta sessão conjunta das igrejas batista, metodista e valdense; a última aconteceu há 15 anos, em 2007.

Além dos trabalhos, estão previstas diversas iniciativas, entre as quais a noite pública marcada para amanhã, segunda-feira, 22 de agosto, intitulada “Paz e pacifismo no diálogo”. A sessão conjunta será encerrada em 23 de agosto, enquanto os trabalhos sinodais continuarão até 26 de agosto.

Muitas saudações ecumênicas e internacionais chegaram ao Sínodo. Em particular, o Conselho Executivo da Conferência das Igrejas suíças, o Exército de Salvação, o bispo de Pinerolo e o presidente da Comissão de Ecumenismo e Diálogo da CEI, Derio Olivero, enviaram sua mensagem e votos de felicidades para o Sínodo.

Chegou também uma mensagem do Papa Francisco: “Espero que o olhar de Jesus possa iluminar cada vez mais as nossas relações, facilitando caminhadas intensas e fraternas. Somos seus discípulos que ele, bom pastor, deseja ver plenamente unidos. Perante o mundo, hoje marcado por divisões, marcado por guerras, onde a indiferença e o egoísmo parecem prevalecer, cabe-nos testemunhar a beleza e a fecundidade do acolhimento, da partilha e do amor.

Aqui o programa completo da semana.

Mais informações também em: www.rbe.it – www.riforma.it

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Federação das Igrejas Evangélicas, novo Presidente e Conselho eleitos

Federação das Igrejas Evangélicas, novo Presidente e Conselho eleitos

Roma (NEV/CS28), 30 de outubro de 2021 – A XX Assembleia da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) elegeu hoje, sábado, 30 de outubro, o novo presidente e o novo Conselho da FCEI. Daniele Garrone O novo presidente é Daniele Garronenascido em 1954, pastor valdense, desde 1988 professor de Antigo Testamento na Faculdade de Teologia Valdense, ex-membro do Conselho da FCEI nos últimos três anos. Além do presidente, o Conselho é composto por: Richard Kofi Ampofo (Metodista), Maria Antonieta Caggiano (luterana), Pedro Ciaccio (Metodista), Free Ciuffreda (valdense), Sara Comparatti (batista), Luca Longo (Exército da Salvação). “Por um lado, as tarefas da Federação são dadas e as linhas de compromisso definidas – declara Daniele Garrone -. Teremos que "dar conta da esperança que há em nós" (1 Pedro 3:15), "abrir a boca em favor do mudo, em defesa de todo o desamparado" (Prov 31:8), "buscar o bem da cidade" (Jr 29.7). É o que tentamos fazer com a nossa reflexão e com a nossa testemunhocom o serviço e projetos para i migrantesnossa presença no espaço públicoo compromisso com eu direitos e para proteção deambiente. Trata-se de continuar este caminho, em tempos difíceis, para as nossas igrejas e para o país, guiados por uma visão que não é uma fantasia nossa, mas um dom que recebemos”. Hoje, sábado, 30 de outubro, a eleição foi realizada na igreja luterana da via Sicilia, em Roma, na sequência da constituição da XX Assembleia da FCEI e da primeira reunião do novo Conselho da FCEI. Pela manhã também foi realizada uma mesa redonda pública, intitulada "Diferentes vozes, desafios comuns", da qual participaram Emanuela Del ReRepresentante Especial da UE para o Sahel, Daniele GarroneFaculdade Valdense de Teologia, Shahrzad Houshmand Zadehteólogo muçulmano, Marco Impagliazzo, presidente da Comunidade de S. Egidio, Yassine Laframpresidente da União das comunidades e organizações islâmicas na Itália (UCOII), Marco TarquínioDiretor de vir, Lia Tagliacozzoescritor e jornalista (vídeo mensagem), Cláudio ParavatiDiretor de comparar, como moderador do debate. A reunião foi encerrada com uma meditação do presidente cessante da FCEI, pároco Luca Maria Negro. A Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI), nascida em 1967, é uma estrutura aberta, a serviço de todo o evangelicalismo italiano. Reúne as denominações “históricas” do protestantismo italiano e algumas igrejas da área pentecostal-carismática. No geral, uma população de cerca de 65.000 pessoas.Os membros fundadores da FCEI são a União Batista Evangélica Cristã (UCEBI), a Igreja Valdense, a Igreja Metodista, a Igreja Luterana, a comunidade ecumênica de Ispra-Varese (posteriormente incorporada à Igreja Luterana). Nos anos seguintes à sua fundação, o Exército de Salvação, a Comunhão das Igrejas Livres, a Igreja Apostólica Italiana e a comunidade da Igreja de Santo André da Escócia se juntaram à Federação. Também participam da Federação como “observadores” a União das Igrejas Adventistas do Sétimo Dia (UICCA) e a Federação das Igrejas Pentecostais (FCP); enquanto a Igreja Cristã de Rho (MI) é um "membro aderente". ...

Ler artigo
16 dias para superar a violência, 8º dia.  Entre desejos e desilusões

16 dias para superar a violência, 8º dia. Entre desejos e desilusões

Foto Sammie Vasquez - Unsplash Roma (NEV), 2 de dezembro de 2022 - Publicamos, em fascículos e dia a dia, as reflexões do livrinho "16 dias contra a violência" editado pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) a partir de 25 de novembro, Dia Internacional da a Eliminação da violência contra a mulher, até 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. Para rever a apresentação oficial do dossiê, clique aqui. DIA 8: 2 DE DEZEMBRO Jovens mulheres entre desejos e desilusões SOLICITARdiscutircomo defenderigual dignidadetrabalhando entremulheres jovens ehomens? Em 2022 na Itália o problema não está sóser mulher é ser mulherjovem. Felizmente, certamente estamosnuma situação de privilégio dado queestamos localizados no Norte do Mundo e na Europapa e ser mulher branca e capaz é umbenefício adicional.Mas ser uma mulher jovem significa quealém das dificuldades dadas pelo nosso gêneroos dados pessoais são somados, portanto ias entrevistas de emprego que apoiamos são para empregos precários e mal pagos e, além disso, nos perguntam se queremos ser mães ou se já somos. Esta situação não é surpreendente dado que o salário mínimo em Itália é uma utopia e a licença de paternidade é de apenas dez dias, é lei desde 2012 e deixou de ser "experimental" apenas desde o ano passado. Neste momento o problema não é simplesmente a disparidade salarial entre homens e mulheres – lembremo-nos, ela existe!-, mas conseguir um contrato que preveja um salário correspondente à carga horária, que inclui doença e férias. Também porque sem tudo isso como você pode ir morar sozinho e se sustentar? Todas as jovens que conheço para sobreviver costumam juntar dois ou mais empregos e tambémos poucos que conseguiram o tão almejado contrato permanente ainda não ganham o suficiente para poder viver por conta própria. Dada a sociedade capitalista em que vivemos, a liberdade da mulher passa pela independência econômica, e lutar por um mercado de trabalho justo e equitativo também ajudaria os jovens, o que não faz mal. VERSÍCULO BÍBLICO “Ai daquele que edifica a sua casa sem justiça e os seus aposentos sem equidade; que faz o seu próximo trabalhar de graça, não lhe paga o salário” (Jeremias 22:13). COMENTE O profeta Jeremias anuncia que quem conhece a Deus conhece a justiça e vive colocando-a em prática. Assim, ele acusa veementemente aqueles que não respeitam o trabalho do próximo, aqueles que não trabalham de acordo com a justiça. Diante da situação em que muitas vezes as mulheres são obrigadas a fazer múltiplos trabalhos para sobreviver, sem contratos que protejam a licença-maternidade e doença, denunciar injustiças e invocar a justiça de Deus pode parecer pusilânime, uma forma de lamentar-se descontente. No entanto, sem sentir pena de nós mesmos, podemos ter a certeza de que Deus está do lado de quem se comporta de acordo com a justiça, de quem reivindica a sua dignidade. ORAÇÃO Nosso Deus, nos dê a chancepara viver segundo a tua justiça,deixemo-nos inspirar por eleresistir e lutar diante decada abuso, cada cancelamentode direitos que protegem o trabalhode tudo. Você nos deu em JesusCristo a derrubada de todosordem constituída, você nos colocou comotestemunhas da tua ressurreiçãofilho mesmo antes de seus discípulos-lá, ainda nos dê sabedoria e tenacidadeenfrentar cada injustiça, cadahumilhação e qualquer desvalorizaçãodo seu trabalho. deixe o preçodo trabalho de tantas mulheres não éfrustração, ressentimento, fadiga eaflição; mas pode ser motivode orgulho, alegria e satisfaçãopessoal. Amém. A cartilha “16 dias para vencer a violência” pode ser baixada na íntegra em formato PDF (clique no link abaixo): 16 dias FDEI 2022 (disponível também em alemão, inglês e espanhol). Falamos de Irã, Afeganistão, Argentina, mas também de trabalho; dos jovens; de contracepção, aborto, prevenção; de política. E de felicidade. A publicação contra a violência contra a mulher também pode ser encontrada em encarte no semanário Riforma. “16 Dias Contra a Violência” é uma campanha internacional anual que começa em 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, e termina em 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. O Conselho Mundial de Igrejas (CEC) também está se juntando à campanha com várias iniciativas. ...

Ler artigo
Metodistas, compromisso além da Cop26 e equidade na vacinação

Metodistas, compromisso além da Cop26 e equidade na vacinação

foto de Fateme Alaie, unsplash Roma (NEV), 21 de outubro de 2021 – Meio ambiente e equidade nas vacinas no centro da última sessão geral do Conselho Metodista Europeu, realizada nos dias 14 e 15 de outubro. O presidente da Associação das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), o pároco Mirella Manocchio que, desde 2020, é membro do Executivo do Conselho Metodista Europeu. Em primeiro lugar, o corpo metodista endossou um documento, um apelo à equidade na vacinação, no qual se define como “Vital que os países mais ricos do mundo ponham fim a todo o açambarcamento e nacionalismo de vacinas”. “Diferente de outras vezes, nos concentramos nos temas da pauta com o apoio de pessoas competentes do setor – explica Mirella Manocchio - . Em particular, no que diz respeito à justiça climática: está em andamento um projeto de defesa e conscientização, "Justiça climática para todos", concebido pela igreja metodista britânica, que envolve jovens e várias igrejas na Europa e no mundo, inclusive na Itália. Um dos nossos operadores estará presente em Glasgow; o objetivo é trazer solicitações precisas e claras para a reunião. Os jovens explicaram assim como está a decorrer este processo e qual será o documento final que será submetido à Cop26, recurso que subscrevemos”. Precisamente nos dias 6 e 7 de novembro em Glasgow estão previstas várias iniciativas públicas e simbólicas, bem como a celebração de alguns cultos, novamente por iniciativa dos jovens metodistas. “Desde 2019 – explica Manocchio – desenvolvemos dez pontos, também voltados para as igrejas locais, sobre um compromisso ecológico preciso e pela justiça ambiental. Continuemos, portanto, neste caminho que já começou: o compromisso das igrejas é ir além de Glasgow, continuar e implementar a conscientização das comunidades para a proteção do planeta e a luta contra as mudanças climáticas”. E o clima é também um tema ligado a um segundo fil rouge do encontro metodista: o diálogo inter-religioso, pelo qual as igrejas metodistas estão constantemente empenhadas, por “construir pontes” e diálogo. Os demais convidados que compareceram ao encontro, além dos jovens do projeto Climate Justice for all, inclusive da Itália Irene Osei Abrade fato eles eram Reynaldo F. Leão Netocoordenador da comissão de diálogo inter-religioso do Conselho Metodista Mundial, e o rabino Frank Dabbaque faz parte do conselho consultivo da Eco-Peace Friends of the Middle East. “Na frente migratória e refugiada, compartilhamos experiências, como a virtuosa iniciada na Itália pela FCEI, Tavola Valdese e S. Egidio, de corredores humanitários, e suas possíveis declinações em outros países da UE”, continua Manocchio. Ele também participou da reunião Leslie Griffithspastor metodista emérito, eurodeputado e membro do Comité do Conselho Europeu para os Migrantes, Refugiados e Deslocados. “Também discutimos as perspectivas futuras de nossas igrejas na era pós-covid e o uso de plataformas online, mídias sociais, para organização de culto e atividades eclesiásticas em geral, mas também para evangelização – conclui Manocchio -. Um desafio e uma oportunidade ao mesmo tempo, que exige uma visão clara da fé também para evitar o uso incorreto ou excessivo dessas ferramentas”. A próxima reunião do conselho será realizada na primavera, enquanto a sessão acontecerá no próximo ano, entre setembro e outubro, presencialmente. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.