Construindo na rocha.  O culto das mulheres de Vanuatu

Construindo na rocha. O culto das mulheres de Vanuatu

Foto tirada de worlddayofprayer.net

Roma (NEV/CELI), 2 de março de 2021 – Faltam poucos dias para o Dia Mundial de Oração (PMM). A Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) também explora os temas e o contexto desta importante nomeação. O GMP hoje envolve um movimento ecumênico cristão cada vez mais amplo para as mulheres.

O tema deste ano é “Edificar sobre a rocha”, do versículo do Evangelho de Mateus no capítulo 7. “Raramente esta resolução foi tão sentida como no início deste 2021 – escreve Nicole Steiner no site do CELI -, exatamente um ano após a eclosão da pandemia de coronavírus na Itália, quando ainda não vemos o fim da emergência”.

É “mais uma ocasião para convidar à oração compartilhada e à solidariedade – continua Steiner -. Quando o tradicional cântico de encerramento ‘O dia que deste, Senhor, acabou’ for entoado, ao final desta celebração que abrange mais de 150 países, muitas almas sentirão um raio de esperança penetrar”.

As mulheres de Vanuatu, um arquipélago do Pacífico na orla oriental do Mar de Coral, prepararam textos e canções para esta oração compartilhada que “dá a volta ao mundo”. E que também oferece ajuda concreta para projetos solidários, com uma arrecadação dedicada.

O Comitê Italiano para o Dia Mundial de Oração foi fundado em 1999. Ana Rosa Lier da Comunidade Evangélica Luterana de Bolzano, bem como da Rede de Mulheres CELI, sempre foi uma de suas forças motrizes.


Vanuatu – foto de arquivo GMP

Leia o artigo completo do CELI AQUI.

Para informações sobre o evento italiano clique AQUI.

Baixe o Culto Online de Mulheres de Vanuatu com membros do Comitê Executivo de todas as regiões do mundo.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Apelo histórico católico-ortodoxo-anglicano pelo futuro do planeta

Apelo histórico católico-ortodoxo-anglicano pelo futuro do planeta

Foto Albin Hillert/CEC Roma (NEV), 9 de setembro de 2021 – Pela primeira vez na história, o papa Franciscoo Patriarca Ecumênico Bartolomeu e o Arcebispo Anglicano de Canterbury Justin Welby assinar uma declaração conjunta pedindo às pessoas que cuidem do futuro do planeta. Os líderes da Igreja Católica Romana, da Igreja Ortodoxa Oriental e da Comunhão Anglicana lembram a urgência da sustentabilidade ambiental, seu impacto na pobreza e a importância da cooperação global. No apelo, o Papa Francisco, o Patriarca Ecumênico Bartolomeu e o Arcebispo Justin Welby exortam todos a fazerem sua parte na escolha da vida para o futuro do planeta. Os líderes cristãos estão convidando as pessoas a orar durante esta temporada litúrgica conhecida como a "Tempo da Criação" para os líderes mundiais antes da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP26) em novembro. A declaração diz: "Pedimos a todos, seja qual for sua fé ou visão de mundo, que se esforcem para ouvir o clamor da terra e de seus pobres, examinando seu comportamento e fazendo sacrifícios significativos pelo bem da terra que Deus nos deu. ." O comunicado conjunto faz um claro alerta: “Hoje estamos pagando o preço… amanhã pode ser pior – e conclui -: Este é um momento crítico. O futuro dos nossos filhos e o futuro da nossa casa comum dependem disso”. Os três líderes cristãos se manifestam contra a injustiça e a desigualdade, dizendo: "Estamos diante de um julgamento severo: a perda da biodiversidade, a degradação ambiental e a mudança climática são as consequências inevitáveis ​​de nossas ações, já que consumimos avidamente mais recursos do que o planeta pode aguentar. Mas também enfrentamos outra injustiça profunda: as pessoas que sofrem as consequências mais catastróficas desses abusos são as mais pobres do planeta e foram as menos responsáveis ​​por provocá-los”. A declaração apela não só à oração, mas também ao trabalho conjunto para um uso responsável dos recursos, colocando as pessoas antes dos lucros e orientando a transição para um sistema justo e economicamente sustentável. Leia o declaração conjunta ...

Ler artigo
Martin Luther King em Tor Bella Monaca

Martin Luther King em Tor Bella Monaca

Aprendo o que vivo, Roma - janeiro de 2023. Foto Bimbo Aquilone Roma (NEV), 26 de janeiro de 2023 – “Se vivo na lealdade, aprendo a justiça. Se vivo em aprovação, aprendo a aceitar. Se vivo na aceitação, aprendo a encontrar o amor no mundo”. Estas são as palavras de apresentação do projeto "Aprendo o que vivo" que está a decorrer no Istituto Comprensivo "Melissa Bassi" de Tor Bella Monaca, distrito de Roma, em algumas classes IV e V elementares. Foto Criança Pipa "Professor" por um dia, ontem, o editor da agência de notícias NEV-Evangélica Elena Ribet ofereceu aos meninos e meninas uma aula-jogo sobre Martin Luther King. Pastor batista, líder do movimento pelos direitos civis e ganhador do Prêmio Nobel da Paz, King foi inspirado pelos princípios de não-violência de Gandhi. Os Estados Unidos comemoraram recentemente o Dia de Martin Luther King. Este ano, entre outras coisas, marca o 60º aniversário do famoso discurso "Eu tenho um sonho" (I have a dream). “Gostaria de agradecer especialmente aos meninos e meninas da escola Bassi. Com suas palavras, suas perguntas e suas emoções me proporcionaram um dia maravilhoso – declara o jornalista -. Obrigado também aos professores pela preciosa colaboração e pela presença. Esta é a escola do presente: uma escola já projetada no futuro e com raízes na história individual e coletiva, atenta e aberta à troca. Obrigado, então, a todas as pessoas que contribuíram para esta experiência, à Associação Bimbo Aquilone e aos referentes. A escola na Itália tem seus momentos de glória e seus momentos de abandono – continua Elena Ribet. Se, por um lado, a Câmara avançou com o projeto de lei das competências não cognitivas, para uma escola que ensine empatia e criatividade, por outro ainda estamos na retaguarda na Europa. Do abandono escolar precoce, com quase 13% de abandono escolar (dados de setembro de 2022. Leia mais sobre as causas aqui). Aos investimentos. A Itália gasta 15% menos que a média em educação. Sem falar na construção de escolas (tornando os prédios escolares seguros, eficiência energética e acesso a serviços básicos). O caminho é uma subida, como anunciou a Legambiente no recente lançamento do XXII Relatório Nacional sobre a qualidade dos edifícios e serviços escolares. A boa vontade dos particulares é extraordinária, porém é necessária uma visão de futuro por parte do Estado”, conclui. Ao final das aulas, a jornalista fez uma pequena homenagem aos meninos e meninas. Uma cópia do CD de música protestante “Da bimbo a bimbo. Canções de ontem e de hoje", produzida pelo Serviço de Educação e Educação da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), sob a direção artística do Maestro Charles Lella, Ministro de Música da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI). E o livro de receitas "Dai-nos hoje também o pão de ontem", para não desperdiçar pão seco, com as receitas de Clara Manfredi. Este último, editado pela Globalization and Environment Commission (GLAM) da FCEI e também disponível em pdf. aprendo o que vivo O projeto está ativo há vários anos nas escolas romanas, graças à Associação Bimbo Aquilone. É um projeto de legalidade e educação para a cidadania que trabalha a sensibilização para os direitos da criança e a prevenção do bullying. Destinado a escolas de ensino fundamental e médio, o projeto Aprendo o que vivo já contou com o apoio de 8 por mil da Igreja Evangélica Luterana da Itália (CELI). Esta edição é produzida com verbas ministeriais e com o contributo e parceria de várias realidades e associações. Entre os temas abordados: respeito pelos outros, diversidade como fonte de riqueza, mas também cyberbullying, direitos da criança e sua defesa. Em encontros anteriores, o jornalista Alfredo Sprovieri falou sobre direitos humanos e diversidade cultural. Enquanto você os defende Frances Aliberti E Daniela Barbuscia propôs a aula "Juntos com Bull: vamos contrastar o fenômeno do bullying e do cyberbullying". Para saber mais Todos os artigos do NEV sobre o projeto. A página FB de Aprendo o que vivo. Acesse o NEV FACTSHEET sobre Martin Luther King e o movimento pelos direitos civis. Nesta página do Spotify, uma série de comícios e discursos públicos do pastor batista, ganhador do Prêmio Nobel da Paz. Aqui a entrevista de 15 de janeiro de 2021 a Paulo Nasopor ocasião da publicação do livro "Martin Luther King, uma história americana" (ed. Laterza). ...

Ler artigo
Pluralismo religioso, fundamentalismos, democracias – Nev

Pluralismo religioso, fundamentalismos, democracias – Nev

Milada Vigerova, antiespalhamento Roma (NEV), 3 de fevereiro de 2023 – A conferência está agendada para sexta-feira, 17 de fevereiro, das 9h30 às 16h30 no Salão da Igreja Valdense na via Marianna Dionigi, 59 em Roma e sábado, 18 de fevereiro, das 9h30 às 12h30 na Biblioteca Jurídica Central da Palácio da Justiça (entrada pela Piazza Cavour), também em Roma. Promovido pela Fundação Lelio e Lisli Basso, o Confronti Review and Study Centre, a Central Legal Library, a revista Questione Giustizia e a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. “Perguntamo-nos se é verdade que a nossa legislação ainda não está alinhada com a europeia (e com as nossas próprias disposições constitucionais), no que diz respeito aos direitos e liberdades que devem ser reconhecidos às religiões, e às convicções morais e filosóficas”, explicam os organizadores da iniciativa. Entre os palestrantes: Giuliano Amato, Kristina Stoeckl, Alberto Melloni, Daniele Garrone, Roberto ZaccariaE Valdo Spini. Participarão da mesa política com os parlamentares para tratar do tema da lei de liberdade religiosa: Elena BonettiAção-IV, Maria Domingas CastelloneMovimento 5 estrelas, Alexandre CattaneoVai Italia, Cecília D'EliaPartido Democrático, José De CristofaroEsquerda italiana, Ricardo Mageu, +Europa, Lúcio MalanIrmãos da Itália. O programa completo abaixo: Na sexta-feira, 17 de fevereiro, no Salão da Igreja Valdense, as saudações iniciais são confiadas a necessidades de jacintoPresidente de Seção, Corte de Cassação ea Daniele GarronePresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (Fcei). O contexto internacional verá as intervenções de Frank Hippolytuspresidente da Fundação Lelio e Lisli Basso, Paulo Naso FCEI, Centro de Estudos Comparados, Universidade Sapienza, e Kristina StoecklUniversidade de Innsbruck. O segundo painel, 'Fé e religião: uma dialética crescente', será confiado a Fausto Tortoravice-presidente da Fundação Lelio e Lisli Basso, Giancarlo GaetaProfessor de História do Cristianismo Antigo, Universidade de Florença, Simone Gaboriaupresidente honorário do Tribunal de Apelações de Paris, James Marramaoprofessor emérito de filosofia da Uni Roma 3, coordenador do comitê científico da Fundação Lelio e Lisli Basso.Após o almoço continuaremos com o terceiro painel, 'A União Europeia e o caso italiano', confiado a Giovanni I. GiannoliConselho de Curadores da Fundação Lelio e Lisli Basso, Ilaria ValenziCentro de Estudos Comparados e Fundação Bruno Kessler, Pamela HarrisUniversidade John Cabot e Maurizio AmbrosiniUniversidade de Milão. O dia será encerrado com o painel 'A laicidade procurada no cotidiano', organizado por Cláudio Paravatidiretor do Centro de Comparações de Revisão e Estudo, Tobias ZeviConselheiro para Políticas de Patrimônio e Habitação de Roma e Carla Fermariellovereador da cidade de Roma. Seguem-se as intervenções dos representantes das confissões religiosas. Convidou os representantes das Igrejas membros da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, Alexandre BenedettiBahá'í, Fabrício D'AgostinoIgreja da Cientologia, Noemi Di SegniUnião das Comunidades Judaicas Italianas, Maria Ângela FalaMesa Inter-religiosa de Roma, Daniela GenanFederação Italiana para o Judaísmo Progressista, Hamsananda GiriUnião Hindu Italiana, Yassine LaframUnião das Comunidades Islâmicas na Itália, carmim napolitanoFederação das Igrejas Pentecostais, Adele Orioli, União dos Ateus e Agnósticos Racionalistas, Yahya PallaviciniComunidade Religiosa Islâmica Italiana, Joshua PapagnaObra das Igrejas Cristãs dos Irmãos, Ricardo PlatiSoka Gakkai Instituto Budista Italiano, Abdellah RedouaneCentro Cultural Islâmico da Itália, David RomanoIgreja Adventista do Sétimo Dia, Philip SciannaUnião Budista Italiana, Remo SicardiA Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Siluan ȘpanBispo da Diocese Ortodoxa Romena da Itália, representante da Comunidade Sikh. Os trabalhos prosseguem no sábado, 18 de fevereiro, na Biblioteca Jurídica Central do Palácio da Justiça, com a apresentação de Frank Hippolytus, Presidente da Fundação Lelio e Lisli Basso. Continuamos com o primeiro painel A lei que não existe? editado por Julian Amatopresidente emérito do Tribunal Constitucional, Alexandre FerrariUniversidade de Insubria, Júlia Pasquali CerioliUniversidade de Milão, Albert Melloneu, secretário do FSCIRE, Valdo Spinipresidente da Fundação Irmãos Rosselli e Roberto Zaccaria, constitucionalista, presidente do Conselho Italiano para os Refugiados. Moderado Ilaria ValenziCentro de Estudos e Revista Confronti e Fundação Bruno Kessler. Será obrigatório ser credenciado para acesso ao Palácio da Justiça, um esse link. Seguir-se-á o painel 'A lei a votar', onde intervirão, Elena BonettiAção-IV, Maria Domingas CastelloneMovimento 5 estrelas, Alexandre CattaneoVai Italia, Cecília D'EliaPartido Democrático, José De CristofaroEsquerda italiana, Ricardo Mageu, +Europa, Lúcio Malan, Irmãos da Itália. Moderado Cláudio Paravatidiretor Comparações revista e centro de estudos. AQUI o flyer do evento Para participar na conferência de 18 de fevereiro no Palácio da Justiça, é necessário inscrever-se neste link: Para mais informações: FACTSHEET 17 de fevereiro para os valdenses ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.