Os desafios das igrejas em meio à covid, emergências sociais e comunicação

Os desafios das igrejas em meio à covid, emergências sociais e comunicação

Roma (SSSMV04), 23 de agosto de 2021 – O trabalho do Sínodo das igrejas metodistas e valdenses ganhou vida. O corpo decisório máximo de valdenses e metodistas está ocorrendo de forma mista (presencial e online), após um ano de paralisação por conta da pandemia. Ao todo, foram convocados 180 deputados e deputadas, 50 dos quais reunidos na Torre Pellice, no coração dos vales valdenses na província de Torino.

Na mesa de debate, os temas que mais debatem são a vida da Igreja e o seu futuro, a pandemia como oportunidade de renascimento e reprogramação, os direitos humanos, a proteção das minorias, o compromisso social de luta contra a pobreza. Além disso, foram discutidas as relações com o Estado, corredores humanitários e migrações, a situação no Afeganistão. E ainda: de Next Generation (esta noite às 20:45 da noite pública) e do protagonismo europeu, sem descurar os temas da pastoral, das vocações, da teologia e do ecumenismo. As igrejas metodista e valdense mantêm vivo o seu papel no espaço público: desde o financiamento de projetos sociais, culturais e assistenciais, na Itália e no exterior, até os serviços diaconais e o cuidado das almas. O Sínodo expressa assim a vida das Igrejas, em resumo: oração, ação, partilha.

Terça-feira, 24 de agosto e quarta-feira, 25 de agosto, às 18h30, resumo imprensa web ao vivo do Sínodo. Conectar www.rbe.it


Explore o Sínodo 2021

(NEVCS/21)

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Hospitalidade eucarística e medo do ecumenismo

Hospitalidade eucarística e medo do ecumenismo

Roma (NEV), 24 de maio de 2021 - Na edição de maio da "Hospitalidade Eucarística", um Kirchentag especial fala sobre o terceiro Congresso da Igreja Ecumênica (Ökumenischer Kirchentag - ÖEKT). O Kirchentag ecumênico aconteceu de 13 a 16 de maio em Frankfurt. Em parte presencial, em parte numa plataforma virtual, esta importante nomeação viu os protestantes como co-presidentes Bettina Limperg e o católico Thomas Sternberg. “Nos dias que antecederam o Kirchentag – lê-se no boletim – houve rumores de que a hospitalidade eucarística seria praticada publicamente nas celebrações conclusivas, fortemente invocada pelos cristãos alemães, tanto católicos como protestantes, também devido à grande difusão dos casamentos interconfessionais” . Ele havia intervindo diretamente sobre o assunto Georg Batzingpresidente da Conferência Episcopal Alemã. Em vários momentos, o Terceiro Kirchentag representou uma forte unidade de propósitos, apesar das polêmicas e indicações contrárias vindas de algumas partes católicas e do Vaticano. Neste número de "Hospitalidade Eucarística" estão disponíveis alguns artigos publicados na imprensa alemã, traduzidos pelo Luterano Gisela Salomão. Esta é uma série de insights que fornecem uma visão geral do ambiente no campo ecumênico, especialmente na Alemanha, e dos desafios enfrentados. Algumas concluídas, outras por concluir, no caminho da partilha. As diferenças na interpretação da comunhão não impediram que protestantes, católicos e ortodoxos se apresentassem, por exemplo, juntos no altar durante o Kirchentag. “A participação recíproca na Ceia do Senhor é um elemento de dissensão teológica essencial na relação entre católicos e protestantes” continua uma das percepções. Várias igrejas e autoridades religiosas pedem a superação do "medo do ecumenismo". Ainda há muitas perguntas sem resposta. É uma questão de dogmas, mas também de consciência, que envolve teólogos, crentes individuais e casais mistos. Não é mais apenas uma questão de doutrina, mas de fé. Baixe aqui Hospitalidade Eucarística - nº 28 - maio de 2021 “Hospitalidade Eucarística” é um boletim cujas páginas refletem sobre a aceitação recíproca da “Santa Ceia Protestante” e da “Eucaristia Católica”. A edição de maio de 2021 está disponível em pdf, cortesia dos editores Margarida Ricciuti (valdense) e Pedro Urciuoli (Católico). ...

Ler artigo
Pluralismo religioso, fundamentalismos, democracias – Nev

Pluralismo religioso, fundamentalismos, democracias – Nev

Milada Vigerova, antiespalhamento Roma (NEV), 3 de fevereiro de 2023 – A conferência está agendada para sexta-feira, 17 de fevereiro, das 9h30 às 16h30 no Salão da Igreja Valdense na via Marianna Dionigi, 59 em Roma e sábado, 18 de fevereiro, das 9h30 às 12h30 na Biblioteca Jurídica Central da Palácio da Justiça (entrada pela Piazza Cavour), também em Roma. Promovido pela Fundação Lelio e Lisli Basso, o Confronti Review and Study Centre, a Central Legal Library, a revista Questione Giustizia e a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. “Perguntamo-nos se é verdade que a nossa legislação ainda não está alinhada com a europeia (e com as nossas próprias disposições constitucionais), no que diz respeito aos direitos e liberdades que devem ser reconhecidos às religiões, e às convicções morais e filosóficas”, explicam os organizadores da iniciativa. Entre os palestrantes: Giuliano Amato, Kristina Stoeckl, Alberto Melloni, Daniele Garrone, Roberto ZaccariaE Valdo Spini. Participarão da mesa política com os parlamentares para tratar do tema da lei de liberdade religiosa: Elena BonettiAção-IV, Maria Domingas CastelloneMovimento 5 estrelas, Alexandre CattaneoVai Italia, Cecília D'EliaPartido Democrático, José De CristofaroEsquerda italiana, Ricardo Mageu, +Europa, Lúcio MalanIrmãos da Itália. O programa completo abaixo: Na sexta-feira, 17 de fevereiro, no Salão da Igreja Valdense, as saudações iniciais são confiadas a necessidades de jacintoPresidente de Seção, Corte de Cassação ea Daniele GarronePresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (Fcei). O contexto internacional verá as intervenções de Frank Hippolytuspresidente da Fundação Lelio e Lisli Basso, Paulo Naso FCEI, Centro de Estudos Comparados, Universidade Sapienza, e Kristina StoecklUniversidade de Innsbruck. O segundo painel, 'Fé e religião: uma dialética crescente', será confiado a Fausto Tortoravice-presidente da Fundação Lelio e Lisli Basso, Giancarlo GaetaProfessor de História do Cristianismo Antigo, Universidade de Florença, Simone Gaboriaupresidente honorário do Tribunal de Apelações de Paris, James Marramaoprofessor emérito de filosofia da Uni Roma 3, coordenador do comitê científico da Fundação Lelio e Lisli Basso.Após o almoço continuaremos com o terceiro painel, 'A União Europeia e o caso italiano', confiado a Giovanni I. GiannoliConselho de Curadores da Fundação Lelio e Lisli Basso, Ilaria ValenziCentro de Estudos Comparados e Fundação Bruno Kessler, Pamela HarrisUniversidade John Cabot e Maurizio AmbrosiniUniversidade de Milão. O dia será encerrado com o painel 'A laicidade procurada no cotidiano', organizado por Cláudio Paravatidiretor do Centro de Comparações de Revisão e Estudo, Tobias ZeviConselheiro para Políticas de Patrimônio e Habitação de Roma e Carla Fermariellovereador da cidade de Roma. Seguem-se as intervenções dos representantes das confissões religiosas. Convidou os representantes das Igrejas membros da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, Alexandre BenedettiBahá'í, Fabrício D'AgostinoIgreja da Cientologia, Noemi Di SegniUnião das Comunidades Judaicas Italianas, Maria Ângela FalaMesa Inter-religiosa de Roma, Daniela GenanFederação Italiana para o Judaísmo Progressista, Hamsananda GiriUnião Hindu Italiana, Yassine LaframUnião das Comunidades Islâmicas na Itália, carmim napolitanoFederação das Igrejas Pentecostais, Adele Orioli, União dos Ateus e Agnósticos Racionalistas, Yahya PallaviciniComunidade Religiosa Islâmica Italiana, Joshua PapagnaObra das Igrejas Cristãs dos Irmãos, Ricardo PlatiSoka Gakkai Instituto Budista Italiano, Abdellah RedouaneCentro Cultural Islâmico da Itália, David RomanoIgreja Adventista do Sétimo Dia, Philip SciannaUnião Budista Italiana, Remo SicardiA Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Siluan ȘpanBispo da Diocese Ortodoxa Romena da Itália, representante da Comunidade Sikh. Os trabalhos prosseguem no sábado, 18 de fevereiro, na Biblioteca Jurídica Central do Palácio da Justiça, com a apresentação de Frank Hippolytus, Presidente da Fundação Lelio e Lisli Basso. Continuamos com o primeiro painel A lei que não existe? editado por Julian Amatopresidente emérito do Tribunal Constitucional, Alexandre FerrariUniversidade de Insubria, Júlia Pasquali CerioliUniversidade de Milão, Albert Melloneu, secretário do FSCIRE, Valdo Spinipresidente da Fundação Irmãos Rosselli e Roberto Zaccaria, constitucionalista, presidente do Conselho Italiano para os Refugiados. Moderado Ilaria ValenziCentro de Estudos e Revista Confronti e Fundação Bruno Kessler. Será obrigatório ser credenciado para acesso ao Palácio da Justiça, um esse link. Seguir-se-á o painel 'A lei a votar', onde intervirão, Elena BonettiAção-IV, Maria Domingas CastelloneMovimento 5 estrelas, Alexandre CattaneoVai Italia, Cecília D'EliaPartido Democrático, José De CristofaroEsquerda italiana, Ricardo Mageu, +Europa, Lúcio Malan, Irmãos da Itália. Moderado Cláudio Paravatidiretor Comparações revista e centro de estudos. AQUI o flyer do evento Para participar na conferência de 18 de fevereiro no Palácio da Justiça, é necessário inscrever-se neste link: Para mais informações: FACTSHEET 17 de fevereiro para os valdenses ...

Ler artigo
19 de julho de 1620 – 19 de julho de 2020. Culto para recordar o “Sagrado Matadouro”

19 de julho de 1620 – 19 de julho de 2020. Culto para recordar o “Sagrado Matadouro”

A fachada da igreja valdense na via IV novembro em Roma. Foto da Wikipédia Roma (NEV), 15 de julho de 2020 - Um serviço de comemoração presidido pelo pároco valdense será realizado em Roma no domingo, 19 de julho Rio Emanuelexatamente 400 anos após o massacre conhecido como o "Sagrado Matadouro de Valtellina". “Relembraremos este episódio da nossa história durante o culto” escreveu o pastor Fiume na primeira página do boletim julho-agosto “Protestantes em Roma”, enviado aos membros e simpatizantes da comunidade valdense que se reúne na via IV novembro 107 em Roma . O culto do próximo dia 19 de julho, que como todos os domingos do período de verão acontecerá às 11h junto com a comunidade francófona, será realizado respeitando as medidas sanitárias e de segurança indicadas pela Junta Valdense e pelas autoridades. A agência de notícias NEV publicou um arquivo intitulado O "matadeiro sagrado" de Valtellina (19 de julho de 1620), editado pelo próprio Emanuele Fiume, no qual o pastor e estudioso refaz as etapas históricas do extermínio religioso de centenas de protestantes ocorrido em julho de 1620. Acesse o CARD. Para mais informações sobre o culto e sobre a igreja valdense na via IV de novembro em Roma clique AQUI ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.