16 dias para superar a violência, 7º dia.  O telhado de vidro da política

16 dias para superar a violência, 7º dia. O telhado de vidro da política

Foto Ivan Vranic / Unsplash

Roma (NEV), 1º de dezembro de 2022 – Publicamos, em fascículos e dia a dia, as reflexões do livrinho “16 dias contra a violência” editado pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) a partir de 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação de violência contra a mulher, até 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. Para rever a apresentação oficial do dossiê, clique aqui.


DIA 7: 1º DE DEZEMBRO

O teto de vidro da política quebrou na Itália?


SOLICITAR
discutir

E na nossa
perguntou se há um
telhado de cristal
o?

Na Itália, temos a primeira primeira-ministra mulher (ou devemos dizer primeira-ministra, como você deseja?!).
Pouco mais de 76 anos se passaram desde que as mulheres puderam se expressar com o voto: era o referendo sobre a monarquia e havia quem temesse a emoção do voto
de mulheres. Não foi assim. Tivemos muitas mulheres válidas como “mães constituintes” e muitos artigos de nossa Constituição que sancionam os direitos das mulheres são escritos graças a elas. Então, durante vários anos, as mulheres no parlamento trabalharam para ter leis a favor das mulheres, mães e trabalhadoras. Até à grande época das reformas dos anos 70 (igualdade salarial, direito de família, 194, abolição do crime de honra, lei da violência sexual, etc.).
E então? As mulheres têm aparecido em várias profissões, além daquelas tradicionalmente atribuídas a elas (professoras, professoras, enfermeiras), até a recente primeira mulher, Samantha Cristoforetti, a dirigir uma estação espacial internacional. No entanto, durante anos, o telhado de vidro sobre as cabeças das mulheres parece ter engrossado com uma tendência de parar e ir. Primeira mulher primeira-ministra e apenas 6 mulheres nomeadas de 24 ministros e nenhuma em cargos-chave. Pela primeira vez em 20 anos, menos mulheres são eleitas para o parlamento
em 31%. Nessas eleições ruins, os homens cerraram fileiras e as mulheres foram marginalizadas. Por que? Porque quando as coisas ficam difíceis, os difíceis vão embora? E se outros valores pudessem ser afirmados como a concretude, o diálogo, a escuta? É aqui que temos que recomeçar, rejeitando visões, papéis e métodos que ainda são todos masculinos


VERSÍCULO BÍBLICO

Jesus estava em Betânia, na casa de Simão, o
leproso; enquanto ele estava à mesa, entrou uma mulher que tinha um vaso de alabastro cheio de óleo perfumado, de grande valor, e derramou o óleo sobre a cabeça dele. Alguns, indignados, diziam: «Por que se fez esse desperdício de óleo? Este óleo poderia ter sido vendido por mais de trezentos denários e dado aos pobres.’ E eles estavam com raiva dela. (Marcos 14, 3-5)

COMENTE


Uma mulher invade uma sala só de homens e faz um gesto súbito e impróprio que os irrita: desperdiça óleo precioso para ungir a cabeça de Jesus.Muitas outras coisas poderiam ter sido feitas com o dinheiro desse óleo.

Duas lógicas: de um lado um gesto gratuito, cheio de fé e de previsão, de outro o incômodo do desperdício, incapaz de apreender o valor daquele gesto. Surpreendentemente, Jesus intervém nesta situação e concorda com ela
Mulher: “Deixa ela em paz! Por que você a está incomodando? Ele fez uma boa ação para comigo. Porque você sempre tem os pobres com você; quando quiseres podes fazer-lhes bem; mas você não me tem para sempre.”
Duas lógicas, uma silenciosa declaração de fé
e o outro incapaz de apreendê-lo, que vê apenas o útil e para por aí. Quanto desprezo por essa mulher pesou nessa atitude?
E se fosse um homem, teria sido o mesmo? Nós não sabemos. Sabemos apenas que Jesus diz: “Em verdade vos digo, onde quer que o Evangelho seja pregado em todo o mundo, o que ela fez também será contado em memória dela”.


ORAÇÃO

Senhor, quantos gestos de
mulheres na história foram
condenado ou silenciado apenas
por que mulheres? É você, com
teu filho Jesus, que nos dás o
coragem para realizar muitos gestos
mesmo contra a aprovação dos homens,
para um futuro diferente de homens e mulheres.

Amém.


A cartilha “16 dias para vencer a violência” pode ser baixada na íntegra em formato PDF (clique no link abaixo): 16 dias FDEI 2022 (disponível também em alemão, inglês e espanhol).

Falamos de Irã, Afeganistão, Argentina, mas também de trabalho; dos jovens; de contracepção, aborto, prevenção; de política. E de felicidade.

A publicação contra a violência contra a mulher também pode ser encontrada em encarte no semanário Riforma.


“16 Dias Contra a Violência” é uma campanha internacional anual que começa em 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, e termina em 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. O Conselho Mundial de Igrejas (CEC) também está se juntando à campanha com várias iniciativas.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Trabalhar ilegalmente ou não trabalhar?  Essa é a questão…

Trabalhar ilegalmente ou não trabalhar? Essa é a questão…

Foto por rawpixel - Unsplash Roma (NEV), 24 de março de 2023 – A apresentação do segundo papel do Relatório 2023 Família (Net) Trabalho, "Workshop sobre casa, família e trabalho doméstico". Promovido pela Assindatcolf e editado, nesta parte, pelo Centro de Estudos e Investigação Idos, o relatório centra-se na necessidade familiar de mão-de-obra estrangeira no sector dos cuidados e assistência ao domicílio. Entre os palestrantes também Júlia Gori, oficiais de projeto do programa de refugiados e migrantes da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), "Esperança do Mediterrâneo", representando a campanha "Fui estrangeiro" à qual a própria FCEI adere. “Ficou claro que na Itália, em termos de políticas de entrada, existe um paradoxo antigo – diz Gori -. Por um lado, o mercado de trabalho italiano precisa de mão de obra. Por outro lado, os decretos de fluxo não prevêem cotas para o setor doméstico e, no fundo, a rigidez e a miopia dos mecanismos de entrada na Itália para quem procura trabalho geram essencialmente uma imigração irregular”. Trabalho doméstico, trabalho não declarado Alguns dados relativos ao setor doméstico. “Estima-se que 50% dos trabalhadores do setor doméstico sejam ilegais; de todos os trabalhadores ilegais, 1 em cada 4 trabalha no setor doméstico. E 70% dos residentes regulares são estrangeiros, principalmente de fora da UE”, explica Giulia Gori. A escassez de trabalhadores masculinos e femininos também afeta o setor agrícola, onde são necessárias 100.000 pessoas. O setor turístico-hoteleiro (segundo Federalberghi, há 50.000 desaparecidos). As pequenas e médias empresas, segundo o Confartigianato, em 2022 tiveram dificuldade em encontrar 1,4 milhões de trabalhadores (43% dos recrutamentos esperados). Há também 20.000 transportadores rodoviários desaparecidos. A máquina administrativa está "perpetuamente com falta de pessoal e continuamente bloqueada por um nível muito alto de burocracia", escreve Gori novamente. Passados ​​quase 3 anos, portanto, “cerca de 40.000 trabalhadores ainda aguardam a obtenção de autorização de residência, assim como muitos empregadores e famílias aguardam finalizar a contratação e estabilizar a relação laboral com estas pessoas. Obviamente insustentável." O decreto "Cutro" e os pedidos de um estrangeiro Gori analisa em seguida o "Decreto Cutro" em detalhe, sublinhando os seus aspectos positivos e críticos, nomeadamente o facto de que "o último decreto de fluxo introduz pela primeira vez a 'Verificação prévia da indisponibilidade dos trabalhadores italianos' para realizar um trabalho específico antes de contratar um trabalhador estrangeiro". Ao encerrar sua fala, Giulia Gori retoma as reivindicações da Campanha Eu Fui Estrangeira, ou seja, “a superação do mecanismo de cotas. A introdução de uma autorização de procura de emprego de doze meses, que facilita as reuniões entre trabalhadores estrangeiros e empregadores italianos. Introduzir um canal adicional de entrada de patrocinadores, que permite apoiar a entrada de um estrangeiro de forma a permitir a sua entrada no mercado de trabalho mediante um conjunto de garantias iniciais. Criação de um mecanismo permanente de regularização a título individual contra contrato de trabalho. No caso dos cuidadores, a única forma de poderem regularizar a sua situação e sair do trabalho não declarado”. O projeto de lei de iniciativa popular proposto por Ero Straniero está de volta à pauta, com o texto mais uma vez articulado na agenda de trabalho da Comissão de Assuntos Constitucionais da Câmara. Os direitos de todos, para não perder todos “É um novo e importante passo – comenta Gori -, mesmo que a caminhada certamente ainda seja longa, mas acreditamos firmemente que é preciso olhar para a política migratória italiana de forma honesta, pragmática, sobretudo colocando os direitos em o Centro. Os direitos de todos, porque no sistema atual todos estamos perdendo: trabalhadores, empregadores, famílias, empresas, a economia e nossa humanidade. Não é por acaso que o subtítulo da Campanha Ero Straniero é 'HUMANIDADE QUE FAZ O BEM'. O objetivo é transformar a imigração em uma oportunidade para todas as pessoas”. O Relatório 2023 promovido pela Assindatcolf será apresentado na íntegra em novembro deste ano e está dividido em 4 capítulos, cada um dos quais foi confiado a um dos parceiros do projeto: Censis, Effe (European Federation for Family Employment & Home Care), Fondazione Employment Consultant Studies e Idos Study and Research Centre. Leia o discurso completo: Family Net Work por Giulia Gori.docx. Leia o comunicado de imprensa final de Assindatcolf: ...

Ler artigo
“a urgência da ação ligada à vida de fé”

“a urgência da ação ligada à vida de fé”

Roma (NEV), 29 de setembro de 2020 - A Assembleia anual da Federação Batista Europeia (EBF) foi realizada nos dias 24 e 25 de setembro, reunindo cerca de 150 delegados das Uniões e Convenções Batistas da Europa, Oriente Médio e Ásia em uma plataforma digital Central. Ele esteve presente pela Itália Cristina Arquidiácona, pároco da Igreja Batista de Milão, parte da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI), secretário do Departamento de Teologia. Durante os trabalhos, o Arcediago foi eleito para um segundo mandato, juntamente com Martin Rothkegel da faculdade teológica de Elstal (Berlim), no comitê executivo do Instituto Teológico de Estudos Batistas com sede em Amsterdã. Muitos temas e testemunhos das duas jornadas, inclusive os da União Batista da Bielo-Rússia, onde o compromisso não violento das igrejas resiste em “uma situação política feita de sequestros, espancamentos, torturas”, escreve Cristina Arcidiacono em sua reportagem sobre Riforma. isto. E, novamente, atualizações sobre Lesbos, Moria, Líbano e em geral sobre os esforços das igrejas pelos direitos humanos e pela justiça. Compartilhar essas histórias, declara o pároco, “nos faz perceber a urgência da ação ligada à vida de fé”. Nesse sentido, o Conselho da EBF votou pela constituição de uma "comissão de migração" de apoio aos Sindicatos, com o objetivo de "colocá-los e trabalhar em conjunto com os diversos órgãos que já atuam na área", como, por exemplo, o Comissão de Igrejas para Migrantes na Europa (CCME) e Fórum Batista de Ajuda e Desenvolvimento (BFAD). Falou-se também da teologia como vida, das diferentes formas de viver a liderança, da fé e da emergência do coronavírus. Leia a reportagem de Cristina Arcidiacono em Riforma.it CONSELHO EBF ONLINE Concluímos com sucesso dois dias de Conselho EBF online. Somos tão encorajados e inspirados por… Publicado pela European Baptist Federation na sexta-feira, 25 de setembro de 2020 ...

Ler artigo
Semana dos Direitos celebrada pelos batistas italianos

Semana dos Direitos celebrada pelos batistas italianos

O tema da Semana, que será celebrada de 6 a 11 de abril, é o direito à educação e à instrução. “Este ano – lê-se numa carta enviada às igrejas pelo Departamento – queremos chamar a atenção das comunidades para a questão do direito à educação e à instrução. O mundo inteiro tomou consciência dramaticamente da grande disparidade que ainda habita nossa sociedade. É difícil garantir o mesmo direito à educação para todos. Um direito que desempenha um papel fundamental na afirmação de todos os outros direitos. E isso de alguma forma os protege. De fato, muitos falam de paz e justiça. Mas devemos ser capazes de nos dar cursos de formação, um caminho, uma escola que eduque homens e mulheres para a paz e a justiça”. Devido à pandemia, o aniversário também acontecerá eletronicamente este ano. “Mas isso não deve nos desanimar”, escreve novamente o Departamento de Evangelização. Uma série de materiais será publicada para a ocasião no site do Semeador (ilseminatore.net) e na página da revista no Facebook (Il Seminatore). Semana dos Direitos. Plano Em particular, entre os muitos conteúdos compartilhados, destacamos: dois artigos sobre o papel da educação e formação no projeto de professores protestantes Fabricio Oppoe Stephen Meloni. o testemunho de Yacouba Coulibaly, responsável por projetos de desenvolvimento em alguns países africanos. Uma meditação bíblica sobre Isaías 1, 17 pelo pastor Lucas Reina. As entrevistas em vídeo feitas a três teólogas envolvidas na formação. Em particular, um Frances Nuzzoleseconsultor de trauma especializado em teologia pastoral e psicoterapia. na pastora Gabriela Lio, presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). Finalmente, alla pastora Lydia Maggi, responsável pela Pastoral Bíblica Itinerante da UCEBI. Para os mais pequenos, o vídeo tutorial musical da música Gam Gam Gam, produzida pelo Maestro Emanuel abril. Além disso, um quadro comemorativo especial "Semana dos Direitos 2021 UCEBI" estará disponível para ser incluído em seu perfil no Facebook. Uma exposição virtual dos desenhos que os meninos e meninas nos enviaram sobre o tema "Escola dos Sonhos!" estará aberta aos visitantes. Terça-feira, 6 de abril, ao vivo no Facebook e YouTube pelos pastores Abril Máximo E Anna Maffei. Tema: o direito à educação e à formação. (Transmissão na página do Facebook do Semeador às 20h55. Simultaneamente, na página do Facebook do Pastor Aprile e no canal do YouTube da Igreja Batista Milan Pinamonte). Extensão MLK Pastor Martin Luther King (cujo aniversário de morte cai no domingo deste ano da Páscoa) em um de seus artigos ele escreveu: StSomos inclinados a permitir que nosso pensamento seja invadido por legiões de meias-verdades, preconceitos, e propaganda. Neste ponto, muitas vezes me pergunto se a educação está cumprindo seu propósito ou se não. A grande maioria das chamadas pessoas instruídas não pensa de forma lógica e cientificamente. Mesmo a imprensa, os tribunais, as campanhas eleitorais e o púlpito, em muitos casos, não estão lá. eles oferecem verdades objetivas e imparciais. Salvar o homem do lodo da propaganda é uma das principais objetivos da educação. A educação deve permitir a peneiração e a pesagem das evidências, discernir o verdadeiro do falso, o real do irreal e o fato da ficção. […] Devemos lembrar que inteligência não é suficiente. Inteligência mais caráter: este é o objetivo da verdadeira educação. A educação abrangente oferece não apenas um poder de concentração, mas objetivos dignos sobre os quais focar. Se não tomarmos cuidado, nossas faculdades produzirão um bando de propagandistas tacanhos, anticientífico, ilógico, acostumado a ações imorais. Estejam alertas, irmãos! Cuidado, professores! ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.