Mudança no topo da Comissão de Igrejas para Migrantes na Europa

Mudança no topo da Comissão de Igrejas para Migrantes na Europa

Fiona Kendall com um pequeno beneficiário dos Corredores Humanitários

Roma (NEV), 19 de outubro de 2020 – No dia 16 de outubro, a Comissão das Igrejas para os Migrantes na Europa (CCME) realizou sua assembleia geral. Como previsto, o colega Fiona Kendallassessor jurídico da FCEI sobre relações com instituições e igrejas europeias, integrou a direção da instituição e foi nomeada vice-moderadora.

Advogada, nasceu na Escócia e viveu entre a Escócia, França, Inglaterra e Itália, trabalha para a FCEI desde janeiro de 2018 e em particular para o programa de migrantes e refugiados da Federação, Mediterranean Hope.

“É um grande privilégio ter sido eleita – declara Fiona Kendall – para o Comitê Executivo do CCME e servir como vice-moderadora. O CCME tem a vantagem única de representar as vozes das comunidades protestantes, anglicanas e ortodoxas de toda a Europa. Tem um papel extremamente importante a desempenhar na articulação da nossa perspectiva sobre a migração. A sua estreita relação com instituições europeias, organizações não governamentais internacionais e ONG proporciona uma plataforma essencial para o lobbying e análise de políticas. O foco do CCME em todos os aspectos da jornada migratória, desde a passagem segura até o direito à vida familiar, política de asilo e esforços anti-discriminação, corresponde claramente ao da FCEI. Fornecer uma perspectiva italiana ao CCME e compartilhar uma perspectiva coletiva com o FCEI nos ajudará a colaborar de maneira ainda mais eficaz nessas questões no futuro.”

Devido à emergência sanitária, a assembléia do CCME foi realizada por escrito, com os membros votando antecipadamente.
O Conselho Cristão da Noruega e a Fundação Mesa Redonda Armênia foram aceitos como membros do CCME. A assembleia também aprovou o orçamento para 2021 e estendeu o atual programa de trabalho até o próximo ano.
Depois de renunciar à diretoria anterior e adotar seu relatório de atividades e finanças de 2017, a assembleia também elegeu uma nova diretoria para o período 2020-23. Goos Mindermannomeado pelo Conselho Holandês de Igrejas, foi eleito moderador e presidente, enquanto o novo conselho é composto por: P. Iakovos Andriopoulos (Igreja da Grécia), Sabine Dressler (EKD Alemanha), Dana Gabriel (AIDRom – Associação Ecumênica de Igrejas da Romênia), Fiona Kendall (Federação das Igrejas Protestantes da Itália), Ulla Siirto (Igreja Evangélica Luterana da Finlândia, apoiada por membros nórdicos do CCME). Além disso Dana Gabriel e Fiona Kendall foram nomeadas vice-moderadoras.
Comentando sobre sua eleição, o novo moderador do CCME, Goos Minderman, disse: “Estou realmente honrado por ter sido eleito novo moderador do CCME, a Comissão das Igrejas para Migrantes na Europa. Fortalecer a voz de tantas igrejas sobre migrantes, refugiados e anti-racismo é uma grande responsabilidade. Estou ansioso para trabalhar com o novo Comitê Executivo, o escritório em Bruxelas, o Conselho Mundial de Igrejas, o Conselho Mundial de Igrejas e as muitas pessoas nas igrejas que cuidam dos migrantes todos os dias. Vamos tentar fazer o máximo pelos corredores humanitários, pelos direitos das famílias, para mudar a narrativa sobre a migração e na luta diária contra o racismo”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

um documento ecumênico com uma incrível força motriz

um documento ecumênico com uma incrível força motriz

Martin juge. Foto FLM/Albin Hillert Roma (NEV), 28 de junho de 2019 – Em 26 de junho foi realizada em Roma uma oração ecumênica de ação de graças pelo 20º aniversário da Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação (JDDJ), documento assinado em 31 de outubro de 1999 em Augsburg (Alemanha) por representantes da Federação Luterana Mundial (WLF) e da Igreja Católica Romana, e posteriormente adotada pelo Conselho Metodista Mundial (2006), pela Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (2017) e pela Comunhão Anglicana (2017). Entre os participantes da cerimônia estava o pároco Martin Jungeatual secretário-geral da FLM, a quem fizemos algumas perguntas. Qual é o conteúdo e significado da Declaração Conjunta sobre a Justificação pela Fé? A Declaração Conjunta (JDDJ) recompôs a maior controvérsia teológica que há séculos divide católicos e luteranos, a respeito da doutrina da justificação pela graça mediante a fé. Claro que houve também outros fatores políticos, econômicos e sociais que levaram à divisão do cristianismo ocidental no século XVI. No entanto, a questão de como a salvação chega aos seres humanos por meio de Jesus Cristo foi aquela em torno da qual a divisão ficou mais clara. Com o JDDJ, luteranos e católicos encontraram uma base consensual e retiraram as sentenças com as quais se acusaram no passado. Podemos afirmar que o JDDJ é um marco no caminho para a unidade dos cristãos. No discurso que proferiu durante a celebração ecumênica, o senhor também falou do método de diálogo utilizado para redigir o JDDJ, o "consentimento diferenciado". Sobre o que é isso? O "consenso diferenciado" é um método de diálogo que permite definir um consenso de base sólido, sem contudo silenciar ou ignorar as diferenças que ainda persistem. A JDDJ expressa o consenso de católicos e luteranos em torno de “verdades básicas” cuja afirmação nos permite dizer que as condenações do passado não podem ser aplicadas ao ensino atual das duas confissões sobre a doutrina da justificação. Ao mesmo tempo, o JDDJ destaca o que ainda divide as duas confissões sobre o mesmo tema, sem comprometer o consenso alcançado. Quanto mais conscientes estivermos da amplitude da base comum sobre a qual repousa a nossa fé cristã, mais será possível encarar a diversidade do outro como um desafio à nossa própria identidade e ao nosso modo de ser Igreja. Na sua opinião, vinte anos depois, quais são os resultados mais importantes alcançados por este documento? Acho que ninguém que o assinou há vinte anos teria imaginado a incrível força motriz por trás desse documento. Sem o JDDJ, por exemplo, nunca teria sido possível continuar o diálogo até a redação, em 2013, do documento "Do conflito à comunhão", no qual católicos e luteranos olham para sua história para deixar os conflitos para trás e progredir o caminho de 'unidade. Sem a JDDJ nunca teríamos chegado à comemoração conjunta dos 500 anos da Reforma Protestante que reuniu em Lund (Suécia), em 2016, o Papa Francisco e os expoentes da FLM. No entanto, não há apenas isso, mas ainda mais. O que? O fato de que este documento, nascido em 1999 como texto bilateral, se tornou hoje um documento multilateral que constitui a base teológica para o diálogo e o testemunho comum de católicos, luteranos, metodistas, reformados e anglicanos. Estas cinco confissões cristãs se reuniram em março passado na Universidade de Notre Dame (EUA) para elaborar uma declaração na qual reafirmam "as verdades básicas sobre a doutrina da justificação contidas no JDDJ, enfatizando como a mensagem da graça de Deus é mais urgente e necessárias no mundo em que vivemos". Espero que os frutos que o JDDJ nos permitirá colher ainda sejam muitos. ...

Ler artigo
Roma.  Luteranos e católicos convergem 500 anos após a excomunhão de Lutero

Roma. Luteranos e católicos convergem 500 anos após a excomunhão de Lutero

Roma (NEV), 21 de junho de 2021 - De 23 a 27 de junho, uma delegação de luteranos alemães estará em Roma para uma série de encontros e palestras ecumênicas. O anúncio foi feito pela Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) e pela Igreja Evangélica Luterana Unida da Alemanha (VELKD). A ocasião, desta vez, é para o 500º aniversário da excomunhão de Lutero. No entanto, é uma série de compromissos que fazem parte de um caminho comum de longa data. Teve uma de suas etapas importantes na comemoração conjunta católico-luterana da Reforma, realizada em 2016 em Lund, na Suécia. A Comemoração fazia parte das comemorações mundiais do 500º aniversário da Reforma Protestante. A delegação, que chegará a Roma nos próximos dias, representa o Comitê Nacional Alemão da Federação Luterana Mundial (FLM) e o VELKD. É composto pelo bispo Frank-Otfried julho (presidente da seção alemã FLM) e pelos bispos VELKD Ralph Meister E Karl-Hinrich Manzke (este último, responsável pelas relações com a Igreja Católica). Quinta-feira, 24 de junho, os bispos se reunirão Kurt Koch, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Além disso, estão programados encontros com representantes da comunidade de Sant'Egidio, do Movimento dos Focolares, do CELI e com o enviado da Embaixada da Alemanha à Santa Sé. A viagem terminará com um culto na Igreja Luterana no domingo, 27 de junho, no qual a Santa Ceia será presidida por Dom Ralf Meister e o sermão será proferido pelo Cardeal Koch. “Com a viagem a Roma continuamos uma longa série de diálogos baseados na confiança e na abertura ecumênica e nos relacionamos com os encontros anteriores – declarou o bispo Manzke -. São conversas que, neste momento, são particularmente necessárias. Falar sobre a Igreja Evangélica Luterana na Alemanha e no mundo e ouvir nossa igreja católica irmã leva à compreensão mútua e fortalece as relações ecumênicas”. Entre os temas que a delegação abordará estão os desafios e a situação do diálogo ecumênico internacional e as possibilidades de ações comuns. Além disso, os estudos do grupo de trabalho ecumênico "Juntos à mesa do Senhor", sobre o qual o VELKD formulou um parecer. Finalmente, a excomunhão de Lutero em 1521 e seu significado para a situação ecumênica hoje. Sobre este assunto, o Vaticano e a Federação Luterana Mundial anunciaram uma declaração conjunta. Vá para a guia NEV: FORMA. Martinho Lutero (1483-1546) ...

Ler artigo
Economia de água doméstica, segundo vídeo da jovem Glam

Economia de água doméstica, segundo vídeo da jovem Glam

foto de Geetanjal Khanna, unsplash Roma (NEV), 13 de julho de 2022 - "Glam spot" é o título da iniciativa que a Comissão de Globalização e Meio Ambiente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália concebeu e criou para aumentar a conscientização sobre a questão da economia doméstica de água. Aqui está o segundo vídeo da série: E neste link o primeiro. artigo anteriorDe norte a sul, proposto pelas 4 Conferências Distritais Metodistas e ValdensesPróximo artigoCom os pés no chão Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.