RBE-TV chega.  Um canal digital terrestre junta-se à Rádio Beckwith

RBE-TV chega. Um canal digital terrestre junta-se à Rádio Beckwith

Roma (NEV), 14 de setembro de 2022 – Uma TV além do rádio. Este é o slogan da Rádio Beckwith Evangelica (RBE) para o lançamento da nova emissora de TV.

“A partir de 19 de setembro de 2022, terá início a nova programação da RBE-TV, a televisão da RBE. Este é mais um passo na busca por linguagens que combinem rádio, televisão e web com o objetivo de contar o território piemontês e suas interconexões com o mundo, por meio de palavras e imagens”, escreve a equipe editorial.

“A TV representa uma culminação do trabalho feito nos últimos anos no campo do vídeo – continua a nota –, mas também um novo desafio para continuar a construir uma perspectiva no cenário da mídia que inclua a narrativa consciente do mundo das igrejas protestantes na Itália “.

A RBE-TV transmite no canal digital terrestre 87 no Piemonte, nas províncias de Turim, Cuneo e Asti, com uma programação parcialmente coincidente com a do rádio e parcialmente autônoma, oferecendo formatos culturais e informativos específicos.

RBE, uma longa história

A Rádio Beckwith nasceu em 1984. Vinculada desde o início à Igreja Evangélica Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense, seu trabalho sempre contou com atenção à área local, atividades culturais, juvenis e assistenciais.

O emissor leva o nome do English General Charles John Beckwithveterano da batalha de Waterloo. Benfeitor, ajudou na cultura e educação nos vales valdenses na primeira metade do século XIX. Seu nome está associado, entre outras coisas, ao “Escolas de Beckwith”. Construídas às centenas, em várias aldeias dos vales, essas escolas garantiram a alfabetização de toda a população valdense em poucos anos, criando um exclusivo no panorama italiano da época.

No site da RBE lemos novamente: “A RBE nasceu na onda da difusão das rádios livres a partir de 1976, como compromisso e passatempo de um grupo de meninos. Nos primeiros anos, a transmissão era limitada à vila de Torre Pellice, onde a rádio estava sediada, e nos anos seguintes expandiu-se para todo o Vale de Pellice e a área de Cuneo. O tempo de difusão passa ao longo dos anos de algumas horas iniciais para os atuais 24/7, graças ao investimento gradual e contínuo em pessoal e novas tecnologias, como o streaming, ativo desde 2004, ou o digital terrestre desde 2010”.


A Radio Beckwith Evangelica é propriedade da associação cultural sem fins lucrativos “Francesco Lo Bue”. Para saber como e onde ouvir a RBE, clique AQUI.

Abaixo, o spot de lançamento da RBE-TV:

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Secretário-geral do CMI visita protestantes italianos

Secretário-geral do CMI visita protestantes italianos

Roma (NEV), 15 de dezembro de 2010 - "O Conselho Mundial das Igrejas não é simplesmente um escritório com sede em Genebra, mas uma comunhão, e hoje estou com vocês para viver e expressar tudo o que nos une na fé comum em Cristo". Assim, o pastor Olav Fykse Tveit saudou a comunidade reunida na manhã de 5 de dezembro para o culto dominical na igreja metodista de Roma, a segunda etapa de seu fim de semana italiano. Depois de se encontrar com o Papa Bento XVI em audiência privada no dia anterior, Tveit se reuniu de fato com as igrejas protestantes italianas que são membros do CMI. “Agradecemos a Tveit por ter participado de um de nossos cultos, num momento em que a comunhão entre os crentes se aprofunda em torno da palavra de Deus”, disse o pastor Massimo Aquilante, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), retribuindo a saudação de Tveit durante o culto. O secretário-geral do CMI pregou sobre o texto adventista de Lucas 12:35-40. "Observar - disse Tveit - significa não apenas esperar, mas estar ciente do que está acontecendo ao nosso redor". Se então a nossa expectativa é a do Senhor Jesus que se apresenta todos os dias no rosto de cada ser humano que procura ajuda e salvação, "então a nossa vigilância consiste em estar ao serviço de cada ser humano que espera a nossa ajuda". Portanto, vigiar significa "saber acolher o estrangeiro, o irmão e a irmã migrantes que vêm de países distantes muitas vezes com o seu fardo de dor, violência e humilhação". O acolhimento foi um dos temas várias vezes referidos no encontro com os representantes das igrejas evangélicas italianas que continuou com um almoço comunitário na igreja valdense na via IV de Novembro, onde o Pr. Tveit e a delegação que o acompanhou – composta, entre outros, pelo pastor Martin Robra, diretor do programa do CMI sobre ecumenismo no século XXI, pelo pastor John Gibaut, diretor da Comissão de Fé e Constituição do CMI, e por mons. Gosbert Byamungu, do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos - reuniu, além do presidente da FCEI, Aquilante, vice-moderadora do Conselho Valdense, Daniela Manfrini, presidente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), Alessandra Trotta, e a presidente do Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI), Christiane Groeben. O Conselho Mundial de Igrejas é a maior comunhão de igrejas cristãs do mundo, reunindo 349 igrejas evangélicas, ortodoxas e anglicanas de todos os continentes, representando mais de 560 milhões de cristãos. A Igreja Católica não faz parte do CMI, embora colabore com suas instituições, em particular com a Comissão Fé e Constituição. ...

Ler artigo
igreja luterana.  Tudo pronto para o #saledellaterratour

igreja luterana. Tudo pronto para o #saledellaterratour

Roma (NEV/CELI), 5 de abril de 2023 – Uma van está vagando pela Itália. Parafraseando um incipit muito famoso, poderíamos assim começar a história do caminho que parte do Evangelho de Mateus. Você é o sal da terra Mateus 5, 13 É um passeio que pára, este ano, em seis comunidades luteranas de norte a sul para descobrir aqueles cristais de sal que, fundindo-se nas realidades onde nos encontramos, de alguma forma devolvem sabor aos territórios e à vida das pessoas. Territórios, línguas, lugares e, sobretudo, o compromisso de traduzir o Evangelho na vida cotidiana. A música, o apoio à fragilidade dos últimos, dos sem-abrigo como na recuperação de pessoas que tiveram de lidar com as prisões da sua pátria, a cultura e a arte, sinais desta prática. […] O #saledellaterratour é uma viagem para descobrir o sabor e a luz que a palavra de Deus pode devolver à vida dos lugares. Regenerador, simples, imediato. De Génova para Milãode Ispra Varese para Nápolespassando através torre anunciada E Florença. Etapas de uma jornada de pesquisa e descoberta. E que você pode acompanhar nas redes sociais da Igreja Luterana: Facebook, IG e… em breve também em YouTube. Leia tudo no site da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI). ...

Ler artigo
Uma aula (e concerto) de Martin Luther King

Uma aula (e concerto) de Martin Luther King

Roma (NEV), 16 de março de 2022 – Uma lição – concerto sobre Martin Luther King. Para mantê-lo, a partir de seu livro “Martin Luther King. Uma história americana” (Ed. Laterza) será o professor Paulo Nasocom música e vozes de Alberto Annarilli E Elisa Biason, com a participação do coral Voz da Graça. O encontro, organizado pela revista e centro de estudos Confronti, acontecerá no sábado, 19 de março, às 17 horas, no grande salão da Faculdade de Teologia Valdense, na via Pietro Cossa 44, em Roma. “Numa história envolvente e apaixonante – explicam os promotores -, Paolo Naso reconstrói a história de Martin Luther King a partir de seu assassinato em Memphis em 4 de abril de 1968 com letras e músicas que levam o espectador a compartilhar as emoções daqueles anos. A história centra-se no King mais "radical", menos conhecido e celebrado e, por isso mesmo, incompatível com o ícone tranquilizador e inofensivo que o inseriu no establishment político e uma historiografia apologética que acabou por congelar King à imagem de o enésimo e solitário herói americano. Pelo contrário, a história adota a tese de Ella Baker - uma das primeiras colaboradoras de King - segundo a qual "não foi Martin quem criou o movimento, mas o movimento criou King". E por isso a sua ação deve situar-se no quadro de um movimento mais amplo e articulado. As dez canções propostas não são uma simples ajuda musical, mas constituem um fio condutor da história que leva o espectador a partilhar a música e as emoções daqueles anos. Os ritmos e letras dos negros espirituais executados, por exemplo, integram-se perfeitamente com a pregação, retórica e ação de King e do Movimento dos Direitos Civis. Por outro lado, nos anos das marchas de protesto e sit-ins, outros gêneros musicais "profanos" também se destacaram, recuperando canções de luta do início dos anos 1900, como a conhecida e famosa We Shall Supere. Mas foram também os anos das canções de protesto contra a guerra, assinadas por autores que marcaram época: Bob Dylan, Joan Baez, Peter, Paul e Mary… Por fim, as fotos projetadas no fundo constituem uma terceira trilha da história e ilustram a coragem, a criatividade, a esperança, mas também a injustiça e a violência daqueles anos”. Para mais informações, evento fb: Segue abaixo o flyer do evento: ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.