Água, seca e arredores

Água, seca e arredores

Foto de Aaron Lee – Unsplash

Torre Pellice (TO), 24 de agosto de 2022 – Começa hoje com a introdução assinada por Maria Elena Lacquaniti, coordenadora da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), um ciclo de insights sobre água, seca e entorno. A ocasião é a aproximação do “Tempo da Criação”, um período litúrgico ecumênico global que começa todos os anos em 1º de setembro e termina em 4 de outubro, e que deu seus primeiros passos com a Assembleia Ecumênica Europeia de Graz (Áustria) em 1997.

“Para onde foi a água do planeta Terra?” pergunta Lacquaniti. O documento fala da crise hídrica, sim, mas também de propostas. Palavras-chave: mudanças climáticas; fator de poluição; dispersão e desperdício; transição energética; opções políticas e administrativas.

Direção a seguir: a da justiça climática e econômica. Até o momento, escreve GLAM, “grandes intervenções foram introduzidas na Austrália e na América. A primeira aprovou uma das leis ambientais mais ambiciosas do mundo. A resolução compromete-se a reduzir as emissões de gases nocivos em 43% em relação aos níveis de 2005, até 2030, ou em apenas oito anos (Repubblica.it 04/08/22). A segunda com a Inflation Reduction Act aprovada pelo Senado (lei de redução da inflação), que prevê a destinação de mais de 400 bilhões e uma série de intervenções que levam à redução pela metade das emissões das empresas até 2030”.

As igrejas são chamadas a fazer a sua parte.

Baixe aqui o documento completo: Água e seu entorno – INTRO

Para saber mais:

O Dossiê GLAM para a Temporada da Criação sobre o tema da empatia. Idéias homiléticas, meditações, liturgias, materiais e percepções disponíveis para todas as pessoas interessadas em celebrar o período litúrgico ecumênico que ocorre entre 1º de setembro e 4 de outubro.

Vídeos jovens GLAM para água.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Ceia do Senhor aberta a todos

Ceia do Senhor aberta a todos

Ilustração retirada do número 9 da "Hospitalidade Eucarística" Roma (NEV), 26 de junho de 2019 - O grupo ecumênico que redigiu o boletim "Hospitalidade Eucarística" propôs um documento intitulado "A Ceia do Senhor", escrito pelo pároco e teólogo valdense Paulo rico juntamente com o padre católico e teólogo João Ceretipara definir os pontos de convergência essenciais a respeito da Ceia do Senhor. O documento - datado de 25 de maio e co-assinado por párocos, pastores, teólogos e sacerdotes - propõe alguns pontos comuns sobre a compreensão da Ceia do Senhor, com base nos quais os redatores acreditam que "é possível para todo cristão batizado, em a obediência à própria consciência e a plena solidariedade com a própria Igreja, para sermos acolhidos como convidados em todas as mesas cristãs onde se celebra a Ceia do Senhor». A Ceia do Senhor que, na esfera católica, é definida principalmente como a Eucaristia e, na esfera protestante e evangélica, a Santa Ceia. Entre os pontos salientes do texto, o conceito de que a Ceia pertence precisamente ao Senhor e não às igrejas e, portanto, é Jesus quem a convida e preside; a consideração de que "as diferentes doutrinas de interpretação dos gestos, palavras e presença de Jesus na Ceia têm todas o seu significado e valor próprios, mas não são constitutivas da Ceia"; o fato de que representa "um momento de união entre os cristãos e, portanto, não pode ser ocasião de divisão". Aqui estão os nomes dos co-signatários: maria bonafedepastora valdense; Daniele Garroneteólogo valdense e conselheiro da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), André Grilloteólogo católico; Lydia Maggipastor batista; Carlos Molariteólogo católico; Fredo OliveroPadre católico; Emmanuel Paschettopastor batista; José Platãopastor valdense, Antonieta Poderosateólogo católico; Felice ScaliaPadre católico; Antonio Squitieripastor metodista; Kirsten Thielepastor luterano. É possível aderir à Declaração Conjunta divulgada na folha "Hospitalidade Eucarística" pelos dois teólogos, enviando um e-mail para [email protected] especificando sobrenome e nome, estado civil ou religioso, igreja cristã de referência, município de residência, endereço de e-mail para o qual as comunicações devem ser enviadas (que não serão publicadas em nenhum caso). Você pode especificar o pedido de anonimato no e-mail pelo nome e possivelmente pela ordem religiosa; a adesão neste caso constará apenas no total numérico dos recebidos. Baixe o documento completo aqui Ceia do Senhor. O folheto "Hospitalidade Eucarística" é editado por Margarida Ricciuti (valdense) e Pedro Urciuoli (católico), como parte do grupo ecumênico "Partir o pão" nascido em 2011 em Turim, que inclui indivíduos protestantes e católicos. O grupo envolve também igrejas, mosteiros e paróquias e está aberto a todos os interessados ​​em praticar a recepção recíproca da “Santa Ceia Protestante” e da “Eucaristia Católica” nas igrejas; em 2017 também propôs um questionário sobre o tema. ...

Ler artigo
Mântua, uma cidade ecumênica em evolução graças ao novo Concílio de Igrejas

Mântua, uma cidade ecumênica em evolução graças ao novo Concílio de Igrejas

foto Pixabay Roma (NEV), 18 de janeiro de 2022 – Abre hoje a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC). Neste contexto, importantes nomeações serão realizadas em Mântua, incluindo a eleição da Presidência do novo Conselho de Igrejas. Uma entidade cidadã ecumênica que representa a realidade ecumênica existente, mas que pretende consolidar atividades e oportunidades de intercâmbio. Falamos sobre isso com a pastora Ilenya Goss, pastor da igreja valdense de Mântua e Felonica. Formado em filosofia e medicina-cirúrgica, Goss é membro da Comissão de Bioética das Igrejas Batista, Metodista e Valdense. Ela também é teóloga e musicista. No primeiro domingo do Advento (28 a 21 de novembro) houve a assinatura do Estatuto pelos representantes das 4 Igrejas fundadoras deste novo Concílio. A presidência será eleita em 23 de janeiro. Pastor Goss explica: “Na primeira semana do Advento de 2021, as Igrejas cristãs presentes em Mântua e na região de Mântua se reuniram por meio de seus representantes, convidados da Igreja Ortodoxa Romena de Mântua, para ler o Estatuto que institui o Conselho das Igrejas Cristãs de Mântua”. A componente valdense, cuja igreja está presente em Mântua desde a segunda metade do século XIX, deu uma contribuição fundamental para a redação deste Estatuto. A igreja valdense, de fato, "está empenhada na redação deste texto, que foi depois submetido aos demais participantes do Concílio das Igrejas Cristãs" e aprovado por todos os presentes, ou seja, "pelos delegados que cada um dos as igrejas-membro tem desejado enviar neste momento fundacional”, explica o pastor novamente. No dia 23 de janeiro, por ocasião da vigília ecumênica organizada no âmbito do SPUC, será realizada a eleição do Conselho da Presidência. “No momento temos quatro igrejas cristãs participantes – continua Goss -. Eles são os fundadores desta nova realidade ecumênica, que quer se dotar de uma institucionalidade para poder trabalhar com mais liberdade e dar continuidade ao trabalho ecumênico nesta cidade”. Estamos falando da Igreja Valdense, da Igreja Católica, da Igreja Ortodoxa Romena e da Igreja Ortodoxa do Patriarcado de Moscou. Há também uma igreja pentecostal que, relata o pároco, “queria estar presente como observadora. De fato, o Estatuto prevê a possibilidade de serem igrejas observadoras. Naturalmente essas igrejas, mesmo que indiquem um de seus deputados, têm voz consultiva, mas não deliberativa”. Em suma, trata-se de um “trabalho que está, de facto, em continuidade com os trabalhos anteriores que já estão presentes na área há muitos anos”. Essa roupagem mais “institucional” fará com que “as pessoas comprometidas com o ecumenismo possam se mover, mudar de interesses ou, em todo caso, não ser sempre as mesmas, mas haverá um elemento de estabilidade e solidez. As várias atividades podem ser incluídas neste quadro, com uma possível mudança de pessoas e intérpretes, para que a atividade ecumênica não fique presa a interesses individuais, mas permaneça uma realidade coletiva permanentemente presente – concluiu o Pastor Goss -. Esperamos poder dar continuidade a este trabalho, com uma presença que pode ser informativa, formativa, diaconal, mas também cultural e teológica, neste território”. os compromissos sábado 22, Estudo da Bíblia organizado pela Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) com o pároco Ilenya Goss e don Roberto Fiorini. Evento online; link para entrar: [email protected] domingo, 23, vigília de oração ecumênica organizada pelo Conselho das Igrejas Cristãs de Mântua. Aos 18, presencialmente, na igreja paroquial de San Giorgio Bigarello. Você pode acompanhar o encontro no canal YouTube da paróquia de San Giorgio Martire Mantua. Isto é seguido pela reunião do Conselho Mundial de Igrejas para eleger o Comitê Presidencial. domingo 30à tarde, a marcha pela paz participou e foi apoiada pela igreja valdense de Mântua. Para saber mais Leia também o'entrevista em Notícias da semana para Samuel Bignotti, jovem sacerdote delegado da diocese de Mântua para o ecumenismo e o diálogo inter-religioso. O Conselho com seu Estatuto - explica Bignotti no artigo - "retrata em extrema síntese a realidade ecumênica da cidade e da província […] A forma do Concílio de Igrejas é defendida por várias fontes. Sentiu-se e sente-se a necessidade de um lugar de encontro 'igual' que possa garantir uma certa continuidade da ação ecumênica”. ...

Ler artigo
Refugiados, recém-chegados com corredores humanitários

Refugiados, recém-chegados com corredores humanitários

Desenho de Francesco Piobbichi, equipe, programa Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) Roma (NEV), 28 de março de 2023 – Chegarão ao aeroporto de Fiumicino na quinta-feira, 30 de março, com um voo de Beirute, 58 refugiados e refugiadas sírios que viveram muito tempo nos campos de refugiados do Líbano ou em moradias precárias na periferia de Beirute. Trata-se de famílias que nos últimos meses sofreram uma grave deterioração das suas condições de vida devido à grave crise política, económica e social que assola o país. Entre eles 24 menores que, devido à situação das suas famílias, não puderam frequentar a escola, e alguns que necessitam de cuidados médicos urgentes. Sua entrada na Itália é possível graças aos corredores humanitários promovidos pela Comunidade de Sant'Egidio, a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália e a Tavola Valdese, em acordo com os Ministérios do Interior e das Relações Exteriores, que desde fevereiro de 2016 trouxe para o nosso país, só do Líbano, 2.486 pessoas. Ao todo, mais de 6.000 refugiados chegaram à Europa pelos corredores humanitários.As histórias de quem já chegou mostram que é possível não só salvar quem corre o risco de cair nas mãos dos traficantes de pessoas como também iniciar caminhos de integração. Num momento em que salvar vidas humanas parece cada vez mais urgente, como recordou também o Papa Francisco na recente audiência aos refugiados que chegaram graças aos corredores humanitários, modelo iniciado por Sant'Egidio e pelas Igrejas Protestantes, depois replicado com outras associações como bem, viu, ao contrário, a solidariedade cresce, graças à generosidade de muitos italianos – alguns dos quais até ofereceram suas casas para hospitalidade – e ao seu compromisso voluntário e gratuito.As famílias que chegarem serão acolhidas em várias regiões italianas e iniciarão um caminho de integração: para os menores com a entrada imediata na escola, para os adultos com a aprendizagem da língua italiana e, uma vez obtido o estatuto de refugiado, a entrada no mundo do trabalho . A nomeação para acolher os refugiados e um conferência de imprensa eles são definidos às 12 horas quinta-feira, 30 de marçocom chegada para jornalistas até às 11 horas na porta 5 do Terminal 3 partidas de Fiumicino ser acompanhado ao local da conferência.eles vão intervir marco impagliazzopresidente da Comunidade de Sant'Egidio, marta bernardinicoordenadora do programa migrante da Federação das Igrejas Evangélicas, Manuela Vinayem nome do Tavola Valdese, responsável pelo Otto per mille da igreja valdense, juntamente com representantes dos Ministérios do Interior e das Relações Exteriores.É necessário inscrever-se até quarta-feira, 29 de março, às 13h00, enviando um email para [email protected] o jornal e anexando cópia de um documento de identificação (não o cartão profissional). É possível utilizar o estacionamento de vários andares (será entregue um bilhete especial de saída no ato do credenciamento) ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.