Mulheres da Palavra em Vicenza.  O ministério do pastor, diácono e pregadores

Mulheres da Palavra em Vicenza. O ministério do pastor, diácono e pregadores

Roma (NEV), 18 de agosto de 2020 – Apresentação do livro “Donne di Parola. Pastor, diácono e pregadores no protestantismo italiano”, publicado por Nerbini na série “Teologhe & teologie”.

Na apresentação do livro, editado pelo pároco Letícia Tomassone, o pároco da Igreja Evangélica Metodista de Pádua intervirá Danielle Santoroo teólogo Dario Viviane a própria Tomassone.

Mulheres da palavra. Pastor, diácono e mulheres pregadoras no protestantismo italiano

É “um livro multifacetado que ilustra o panorama das diferentes experiências de mulheres que vivem o seu ministério ‘ordenado’ nas Igrejas evangélicas históricas da Itália, mais de 50 anos após a ordenação dos primeiros pastores”, lê-se na página do Facebook do evento. Uma oportunidade para “reconhecer a diferença de gênero na relação com a Palavra pregada e com a pastoral, e fazer crescer todas as Igrejas na reflexão sobre o ministério da mulher”.

A participação no evento é gratuita e mediante reserva (pelo telefone 0444 321018 ou por mensagem Whatsapp – sem ligações – 347 0652236). Em cumprimento das disposições anti-covid em vigor, o acesso ao claustro é permitido com máscara, higienização das mãos e no cumprimento do distanciamento físico. O controle de temperatura aleatório será possível. Para mais informações acesse o evento no Facebook.

A apresentação é organizada por Livraria São Paulo Vicenza em colaboração com oEscritório de Peregrinação da Diocese de Vicenza.


Para mais informações, leia a versão completa da entrevista com a pastora valdense Letizia Tomassone foi ao ar, de forma resumida, no episódio do programa de rádio “Culto evangélico” da RAI Radio1 no domingo, 16 de agosto.


admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Redefinir nossas dívidas conosco

Redefinir nossas dívidas conosco

Foto de Ehud Neuhaus, de unsplash.com Roma (NEV), 12 de outubro de 2020 – Você se endividou devido à crise econômica ligada à emergência de saúde da Covid? Perdeu o emprego, não consegue mais pagar o aluguel ou as contas? “Redefinir a dívida” (“redefinir” a dívida) é a nova campanha lançada no Reino Unido há alguns dias por igrejas protestantes, grupos religiosos e organizações seculares em conjunto. O pedido é dirigido ao governo do Reino Unido e, como se depreende do próprio nome da iniciativa, trata-se precisamente do cancelamento das dívidas que as pessoas estão contraindo ou já acumularam nos últimos meses. Segundo os iniciadores da campanha, na Grã-Bretanha, 19% das famílias, ou seja, quase uma em cada cinco, pediram dinheiro emprestado para comprar alimentos ou outros bens essenciais. Seis milhões de pessoas seriam deixadas para trás com pagamentos de aluguel, impostos municipais e contas domésticas. E 174.000 inquilinos foram ameaçados de despejo durante o bloqueio. Em suma, a crise econômica resultante da emergência sanitária não é igual para todos e afetou especialmente as camadas já mais vulneráveis ​​da população. “Para o quinto mais pobre das famílias”, lê-se no relatório produzido pela rede “Redefinir a dívida”, “em média, os rendimentos caíram 15 por cento, ou £ 160 por mês”, nos últimos meses. Daí a proposta de convocar um “jubileu”, para anular estas dívidas que se vão acumulando e que obviamente terão também impacto no futuro da sociedade inglesa. A referência é ao jubileu bíblico, durante o qual as dívidas eram perdoadas e as terras eram devolvidas aos que as haviam perdido. O projeto foi notavelmente promovido pela União Batista, a Igreja da Escócia, a Rede Ecumênica de Ação da Igreja contra a Pobreza, a Igreja Metodista e a Igreja Reformada Unida. “Pedimos ao Chanceler (ou seja, ao Ministro das Finanças, ed) que crie um Fundo do Jubileu, para reembolsar e anular a inevitável dívida Covid das famílias no Reino Unido”, lê-se no portal da iniciativa. Para os cidadãos britânicos, a campanha pede participação ativa. Como? “Escreva para o seu deputado hoje e peça-lhe para escrever para o chanceler. Ele levanta essas preocupações sobre a dívida doméstica da Covid-19 e seu impacto nas famílias mais pobres. Descubra como o governo pretende abordar esta questão premente. Precisamos garantir que todos tenham uma base sólida para enfrentar o futuro." O portal dedicado a esta iniciativa inclui também vários vídeos curtos nos quais são contadas e exemplificadas histórias pessoais de cidadãos britânicos que sofreram as consequências do bloqueio. Empregados de limpeza demitidos ou deixados em casa por suas empresas, motoristas desempregados, trabalhadores precários que não conseguem sobreviver. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=n3TQqAtfWfg[/embed] "Cabe ao governo resolver os problemas estruturais da nossa economia que geram injustiça e pobreza - explicam os promotores da campanha #ResetTheDebt no site - . E o que estamos vivendo é exatamente essa situação”. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo
Mântua, uma cidade ecumênica em evolução graças ao novo Concílio de Igrejas

Mântua, uma cidade ecumênica em evolução graças ao novo Concílio de Igrejas

foto Pixabay Roma (NEV), 18 de janeiro de 2022 – Abre hoje a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC). Neste contexto, importantes nomeações serão realizadas em Mântua, incluindo a eleição da Presidência do novo Conselho de Igrejas. Uma entidade cidadã ecumênica que representa a realidade ecumênica existente, mas que pretende consolidar atividades e oportunidades de intercâmbio. Falamos sobre isso com a pastora Ilenya Goss, pastor da igreja valdense de Mântua e Felonica. Formado em filosofia e medicina-cirúrgica, Goss é membro da Comissão de Bioética das Igrejas Batista, Metodista e Valdense. Ela também é teóloga e musicista. No primeiro domingo do Advento (28 a 21 de novembro) houve a assinatura do Estatuto pelos representantes das 4 Igrejas fundadoras deste novo Concílio. A presidência será eleita em 23 de janeiro. Pastor Goss explica: “Na primeira semana do Advento de 2021, as Igrejas cristãs presentes em Mântua e na região de Mântua se reuniram por meio de seus representantes, convidados da Igreja Ortodoxa Romena de Mântua, para ler o Estatuto que institui o Conselho das Igrejas Cristãs de Mântua”. A componente valdense, cuja igreja está presente em Mântua desde a segunda metade do século XIX, deu uma contribuição fundamental para a redação deste Estatuto. A igreja valdense, de fato, "está empenhada na redação deste texto, que foi depois submetido aos demais participantes do Concílio das Igrejas Cristãs" e aprovado por todos os presentes, ou seja, "pelos delegados que cada um dos as igrejas-membro tem desejado enviar neste momento fundacional”, explica o pastor novamente. No dia 23 de janeiro, por ocasião da vigília ecumênica organizada no âmbito do SPUC, será realizada a eleição do Conselho da Presidência. “No momento temos quatro igrejas cristãs participantes – continua Goss -. Eles são os fundadores desta nova realidade ecumênica, que quer se dotar de uma institucionalidade para poder trabalhar com mais liberdade e dar continuidade ao trabalho ecumênico nesta cidade”. Estamos falando da Igreja Valdense, da Igreja Católica, da Igreja Ortodoxa Romena e da Igreja Ortodoxa do Patriarcado de Moscou. Há também uma igreja pentecostal que, relata o pároco, “queria estar presente como observadora. De fato, o Estatuto prevê a possibilidade de serem igrejas observadoras. Naturalmente essas igrejas, mesmo que indiquem um de seus deputados, têm voz consultiva, mas não deliberativa”. Em suma, trata-se de um “trabalho que está, de facto, em continuidade com os trabalhos anteriores que já estão presentes na área há muitos anos”. Essa roupagem mais “institucional” fará com que “as pessoas comprometidas com o ecumenismo possam se mover, mudar de interesses ou, em todo caso, não ser sempre as mesmas, mas haverá um elemento de estabilidade e solidez. As várias atividades podem ser incluídas neste quadro, com uma possível mudança de pessoas e intérpretes, para que a atividade ecumênica não fique presa a interesses individuais, mas permaneça uma realidade coletiva permanentemente presente – concluiu o Pastor Goss -. Esperamos poder dar continuidade a este trabalho, com uma presença que pode ser informativa, formativa, diaconal, mas também cultural e teológica, neste território”. os compromissos sábado 22, Estudo da Bíblia organizado pela Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) com o pároco Ilenya Goss e don Roberto Fiorini. Evento online; link para entrar: [email protected] domingo, 23, vigília de oração ecumênica organizada pelo Conselho das Igrejas Cristãs de Mântua. Aos 18, presencialmente, na igreja paroquial de San Giorgio Bigarello. Você pode acompanhar o encontro no canal YouTube da paróquia de San Giorgio Martire Mantua. Isto é seguido pela reunião do Conselho Mundial de Igrejas para eleger o Comitê Presidencial. domingo 30à tarde, a marcha pela paz participou e foi apoiada pela igreja valdense de Mântua. Para saber mais Leia também o'entrevista em Notícias da semana para Samuel Bignotti, jovem sacerdote delegado da diocese de Mântua para o ecumenismo e o diálogo inter-religioso. O Conselho com seu Estatuto - explica Bignotti no artigo - "retrata em extrema síntese a realidade ecumênica da cidade e da província […] A forma do Concílio de Igrejas é defendida por várias fontes. Sentiu-se e sente-se a necessidade de um lugar de encontro 'igual' que possa garantir uma certa continuidade da ação ecumênica”. ...

Ler artigo
Uma noite em um jantar com Desmond Tutu

Uma noite em um jantar com Desmond Tutu

Roma (NEV), 2 de janeiro de 2022 - 27 de maio de 1988 Desmond Tutu ele era um convidado da Faculdade Valdense de Teologia. O arcebispo anglicano da Cidade do Cabo esteve em Roma juntamente com uma delegação sul-africana que incluía algumas das figuras mais importantes na luta contra o apartheid: o pároco Frank Chicanena época Secretário-Geral do Conselho Sul-Africano de Igrejas (SACC), o Metodista Virgínia Gcabashevice-presidente da SACC, o pároco Sol Jacob. A delegação, recebida anteriormente no Vaticano, reuniu-se com alunos, professores e representantes das igrejas evangélicas italianas da Faculdade Valdense. O professor fez as honras na ocasião Paulo rico que, em entrevista concedida ao programa de rádio Culto evangélico neste domingo, 2 de janeiro, relembrou aquele acontecimento. Abaixo, uma versão da entrevista preparada para a agência NEV/Notícias Evangélicas. Professor Ricca, o que você aprendeu dessa reunião? Paulo rico Lembro-me de muitas coisas, principalmente da alegria que acompanhou todo o encontro. O que me pressionava naquele momento era que nossos estudantes de teologia conhecessem pessoalmente esse protagonista da fé cristã de nosso tempo. E isso certamente aconteceu durante o encontro oficial com os representantes das igrejas evangélicas italianas, mas sobretudo aconteceu à noite na Faculdade, quando convidamos Tutu para jantar. Ele veio e jantou com professores e alunos. Foi um grande jantar que, recordo, terminou com uma canção: levantamo-nos e cantámos juntos Nós devemos superar o hino de Martin Luther King. Foi um grande jantar e uma grande festa; uma alegria, poder encontrar um homem daquela estatura que mostrava claramente como é possível estar plenamente inserido nas lutas do mundo, proclamando uma clara confissão da fé cristã. Qual foi a mensagem que Tutu e os outros membros da delegação sul-africana trouxeram? Um cartaz dos tempos do apartheid na África do Sul Sublinharam essencialmente dois aspetos: a necessidade de justiça social e o fim do apartheid como sistema iníquo. Ainda me lembro de Sol Jacob, que foi um dos presentes, que disse que o apartheid não podia ser corrigido, tinha que ser abolido. Aqui, esta foi de certa forma a mensagem geral da reunião. Existem distorções na sociedade que não podem ser corrigidas, devem ser abolidas. O único remédio é radical, como em certas doenças que não se curam com canudos; em vez disso, precisamos intervir de forma radical. E assim é também no corpo da sociedade contemporânea. E esta mensagem foi sustentada por uma confissão de fé muito viva. Uma luta pela afirmação dos direitos humanos, mas partindo da mensagem da liberdade que Cristo dá ao ser humano. Deus é o libertador que nos liberta não só do apartheid, mas de todos os pecados, de todos os males internos e sociais. Na sua opinião, que legado Desmond Tutu deixa? A biblioteca da Faculdade Valdense O maior legado, a meu ver, está na proposta que Tutu fez de criar, após a queda do regime do apartheid, uma comissão chamada 'Verdade e Reconciliação' para reunir as vítimas e perpetradores dos terríveis anos de segregação. O que significou o estabelecimento dessa comissão? Ele quis dizer que não existe perdão barato. O perdão costuma ser tratado como uma mercadoria barata; em vez disso, o barato não é perdão 'criativo', ou seja, um perdão que criar Nova Condição. Perdão criativo é apenas o que passa pelo arrependimento e reconhecimento de culpa. Se não reconheces a tua culpa, não há perdão possível, pelo menos ao nível das relações pessoais. Assim, a ideia de que não há perdão barato parece-me ser o grande contributo de Desmond Tutu para todo o enorme problema das faltas sociais ou políticas, e da necessária reconciliação que, no entanto, tem um preço: o reconhecimento da culpa. Tutu foi muito firme em manter este ponto após a tragédia do apartheid que ceifou inúmeras vidas. Não há pecado, seja social ou pessoal, que não possa ser perdoado, tudo pode ser perdoado desde que haja reconhecimento de culpa. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.