Procura-se jovens para conferência de paz em Paris

Procura-se jovens para conferência de paz em Paris

Roma (NEV), 7 de junho de 2019 – Você tem até 21 de junho para enviar sua candidatura para participar da Conferência de Paz 2019, que será realizada em Paris, França, de 10 a 12 de setembro.

A Conferência das Igrejas Europeias (KEK) convida os jovens das suas igrejas-membro a enviarem as suas perguntas e documentos através do formulário disponível para download nesta página. O CEC facilitará a formação ecumênica e a experiência internacional de cinco pessoas selecionadas entre 18 e 30 anos. Entre os requisitos, preferencialmente conhecimento de inglês e francês, forte motivação e entusiasmo.

Os organizadores selecionados terão um papel especial na condução da conferência, auxiliando o coordenador e a equipe em diferentes áreas de trabalho, como gestão do programa e da plenária, comunicação e mídia, orientação e informação sobre as sessões.

A CEC cobrirá os custos de alimentação e acomodação, enquanto os custos de viagem, passaporte, visto e outras despesas pessoais serão pagos pelo candidato e/ou pela igreja proponente, corpo ecumênico ou conselho nacional a que pertença.

O comparecimento é obrigatório de segunda-feira, 9 de setembro de 2019, na hora do almoço, até quinta-feira, 12 de setembro de 2019, à tarde. Os voluntários trabalharão em contato direto com o pessoal do KEK coordenado por Charlotte (Charlie) Belot e são encorajados a ouvir e participar nas diferentes sessões plenárias, seminários e fóruns.

A Conferência de Paz realiza-se no contexto do 60º aniversário da CEC e explorará a Conferência de Paz de Paris de 1919 no seu centenário, identificando os seus legados no passado europeu e global, para chegar à procura de novas e criativas formas de construir paz no século 21. A conferência terá lugar noInstituto Protestante de Teologia em Paris.

As inscrições devem ser enviadas para [email protected] até 21 de junho de 2019. Os resultados das seleções serão anunciados até segunda-feira, 28 de junho. Para mais informações, clique aqui.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

RBE-TV chega.  Um canal digital terrestre junta-se à Rádio Beckwith

RBE-TV chega. Um canal digital terrestre junta-se à Rádio Beckwith

Roma (NEV), 14 de setembro de 2022 – Uma TV além do rádio. Este é o slogan da Rádio Beckwith Evangelica (RBE) para o lançamento da nova emissora de TV. “A partir de 19 de setembro de 2022, terá início a nova programação da RBE-TV, a televisão da RBE. Este é mais um passo na busca por linguagens que combinem rádio, televisão e web com o objetivo de contar o território piemontês e suas interconexões com o mundo, por meio de palavras e imagens”, escreve a equipe editorial. “A TV representa uma culminação do trabalho feito nos últimos anos no campo do vídeo – continua a nota –, mas também um novo desafio para continuar a construir uma perspectiva no cenário da mídia que inclua a narrativa consciente do mundo das igrejas protestantes na Itália ". A RBE-TV transmite no canal digital terrestre 87 no Piemonte, nas províncias de Turim, Cuneo e Asti, com uma programação parcialmente coincidente com a do rádio e parcialmente autônoma, oferecendo formatos culturais e informativos específicos. RBE, uma longa história A Rádio Beckwith nasceu em 1984. Vinculada desde o início à Igreja Evangélica Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense, seu trabalho sempre contou com atenção à área local, atividades culturais, juvenis e assistenciais. O emissor leva o nome do English General Charles John Beckwithveterano da batalha de Waterloo. Benfeitor, ajudou na cultura e educação nos vales valdenses na primeira metade do século XIX. Seu nome está associado, entre outras coisas, ao "Escolas de Beckwith”. Construídas às centenas, em várias aldeias dos vales, essas escolas garantiram a alfabetização de toda a população valdense em poucos anos, criando um exclusivo no panorama italiano da época. No site da RBE lemos novamente: “A RBE nasceu na onda da difusão das rádios livres a partir de 1976, como compromisso e passatempo de um grupo de meninos. Nos primeiros anos, a transmissão era limitada à vila de Torre Pellice, onde a rádio estava sediada, e nos anos seguintes expandiu-se para todo o Vale de Pellice e a área de Cuneo. O tempo de difusão passa ao longo dos anos de algumas horas iniciais para os atuais 24/7, graças ao investimento gradual e contínuo em pessoal e novas tecnologias, como o streaming, ativo desde 2004, ou o digital terrestre desde 2010”. A Radio Beckwith Evangelica é propriedade da associação cultural sem fins lucrativos “Francesco Lo Bue”. Para saber como e onde ouvir a RBE, clique AQUI. Abaixo, o spot de lançamento da RBE-TV: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=BNiH-lLYLMk[/embed] ...

Ler artigo
75 anos do Ente Spettacolo.  Há também a Associação de Cinema Protestante

75 anos do Ente Spettacolo. Há também a Associação de Cinema Protestante

Foto Noom Peerapong -Unsplash Roma (NEV), 20 de fevereiro de 2023 – A Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi", representada por seu vice-presidente, pároco Luca Barattoparticipou esta manhã da audiência papal pelo 75º aniversário da Fondazione Ente dello Spettacolo. Cerca de 160 pessoas presentes. Além de representantes da Fundação, expoentes religiosos, instituições e do mundo do cinema, incluindo Giuseppe Tornatore, Liliana Cavani, Antonio Albanese, James Poretti (do trio Aldo, Giovanni e Giacomo), Gianni Riotta. A audiência foi aberta com a saudação do presidente da Fundação, dom David Milani, seguido por uma intervenção do Papa Francisco. “Gosto da obra que você faz, da obra de cinema, da obra de arte, da obra de beleza como grande expressão de Deus, que sempre foi deixada de lado, ou pelo menos no canto. Os livros de teologia falam muito sobre verum, de verdade; eles falam sobre o bônus; de beleza, de beleza, nem tanto […] Aquela beleza que nos salvará, como alguém disse; aquela beleza que é harmonia, obra do Espírito Santo […] tudo é diferente, tudo parece contraditório, mas a harmonia é superior a tudo. E seu trabalho segue o caminho da harmonia”, disse Francisco em seu discurso. Para saber mais e ver algumas fotos clique aqui. Fundada pela Conferência Episcopal Italiana em 1947, a Fondazione Ente dello Spettacolou divulga e promove a cultura cinematográfica na Itália. “A história em palavras e imagens tem cada vez mais peso na comunicação e nas relações da sociedade contemporânea e a Fundação propõe-se como um espaço de reflexão e mediação dos seus significados”, lê-se no site da Fundação. Entre suas atividades: crítica, treinamento, planejamento, comunicação, organização de eventos, workshops, exposições e festivais. Há vários anos, a Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi" colabora com a Fundação no âmbito do Tertio Millennio Film Fest (TMFF), um festival de cinema de diálogo inter-religioso que envolve as comunidades católica, protestante, judaica, islâmica, hindu e budista . De fato, o TMFF conta com o patrocínio de três Dicastérios da Santa Sé e de várias entidades e organizações, entre as quais o próprio "Roberto Sbaffi". Associação de cinema protestante "Roberto Sbaffi" Fundada em 2003, a Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi" é constituída por cinéfilos, nomeadamente de várias denominações evangélicas. Ele é membro de INTERFILM, organização fundada em 1955, que reúne delegados de associações de cinema protestantes da Europa, mas também ortodoxos, anglicanos e judeus. Em colaboração com seu parceiro católico SIGNIS, a INTERFILM organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes, como Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim, Locarno. Em Veneza, os júris da SIGNIS e da INTERFILM são separados. ...

Ler artigo
Dia do clique, eu era estrangeiro: cotas do governo são insuficientes

Dia do clique, eu era estrangeiro: cotas do governo são insuficientes

Roma (NEV), 29 de março de 2023 – Aproximadamente 245.000 pedidos foram recebidos ontem por ocasião do dia do clique para a entrada de trabalhadores estrangeiros na Itália, três vezes o número de cotas previstas pelo decreto de fluxo do ano passado, ou seja, 82.705. Relativamente às pessoas que não vão ser incluídas neste contingente, está em curso uma reflexão que levanta a hipótese de canais preferenciais para quem já se candidatou: quem não regressar poderá não ter de repetir a candidatura e tem lugar reservado. O governo, inclusive, está discutindo a abertura de mais um clickday nos próximos meses, diante de um novo decreto de fluxos. “Como amplamente previmos e repetimos há poucos dias, no dia do clique de ontem, as quotas definidas para a entrada de trabalhadores e trabalhadoras de países terceiros para 2023 esgotaram-se em poucos minutos e dois terços das candidaturas enviadas pelos empregadores Dito de forma ainda mais clara - apoio às entidades promotoras da campanha Fui estrangeiro, que inclui também a FCEI - mais de 240.000 empregadores têm apresentado regularmente pedidos de entrada e contratação de tantos estrangeiros, mas apenas um terço deles, cerca de 82.000, poderão efectivamente vir trabalhar no nosso país, apesar de existirem empresas e empregadores individuais que precisam destes números. A mesma situação havia surgido no ano passado e no passado. Então, vamos voltar a perguntar ao governo: por que repetir que quer focar nas entradas regulares e depois limitar o acesso à única via de entrada legal para o trabalho que a legislação prevê?” “Como sublinha o documento que a campanha enviou nos últimos dias à primeira Comissão do Senado no âmbito da apreciação do decreto-lei dos fluxos migratórios, não basta simplificar o procedimento de entrada e permitir a rápida contratação de trabalhadores e trabalhadoras ” continuam as organizações que promovem a campanha. "Se não forem enfrentadas as questões que o atual sistema apresenta - e que conhecemos há vinte anos - é impossível, por um lado, atender às reais necessidades do mundo produtivo e, por outro, permitir que homens e mulheres trabalhadoras venham trabalhar para o nosso país com todas as salvaguardas e garantias. Por que não dar ao empregador a possibilidade de contratar pessoas do exterior a qualquer momento, sem a necessidade de definir um dia de clique? Poderíamos começar com a introdução da figura do patrocinador com a possibilidade de apoiar a entrada de estrangeiro para permitir o ingresso no mercado de trabalho, mediante garantias, evitando assim, entre outras coisas, sobrecarregar os escritórios, prefeituras e polícias sede em particular, que já está perpetuamente com problemas e com falta de pessoal. É certo que o decreto em tramitação no Parlamento prevê no art. 2 que os pedidos que excedam as cotas podem ser examinados no âmbito dos decretos posteriores. Mas quanto tempo levará para abrir uma nova janela? Que resposta damos aos empresários do sector do turismo que precisam de começar a época balnear dentro de um mês e têm pessoal suficiente? Ou para as muitas construtoras em um momento de máximo comprometimento? Ou, ainda, às dezenas de milhares de trabalhadores que têm apenas esta loteria disponível para poder entrar na Itália e trabalhar sem riscos? Por estas razões, a campanha elaborou “algumas emendas ao decreto em discussão no Senado, apresentadas por várias forças políticas e que pedimos ao governo e à maioria que aprovem. Primeiro, no art. 1, a definição das cotas para cada ano não deve ignorar o que aconteceu no ano anterior, de modo a refletir as necessidades reais dos setores produtivos e dos trabalhadores e trabalhadoras que esperam poder entrar regularmente na Itália. É ainda necessário garantir aos empregadores cuja candidatura não se enquadre inicialmente nas quotas estabelecidas, a possibilidade de proceder ao recrutamento em prazo curto e definido, introduzindo o prazo de 30 dias para a adoção de novo decreto dedicado aos pedidos que excedam o dia do clique enviado nos primeiros dez dias contados do início da transmissão Dentre as medidas de simplificação previstas no art. 2, propõe-se inserir uma intervenção para proteger trabalhadores e trabalhadoras. Como também já foi feito no passado, é necessário prever que nos casos de não finalização do recrutamento por motivos imputáveis ​​exclusivamente ao empregador, seja emitida ao cidadão estrangeiro uma autorização de residência para aguardar emprego, que dê a possibilidade de encontrar outro trabalho e convertê-lo em uma autorização de trabalho. Devem então prever-se as disposições já estabelecidas em junho de 2022, entre as intervenções de simplificação do governo Draghi sobre o decreto de fluxos, que é a possibilidade de permitir o acesso ao processo de recrutamento de pessoas já presentes na área e imediatamente disponíveis para trabalhar. Não há como, de fato, contratar e legalizar uma pessoa que já está na Itália, mas está sem documentos e talvez trabalhe ilegalmente, a não ser por meio de uma anistia, como aconteceu muitas vezes nos últimos vinte anos. Para essas pessoas, o decreto de fluxos é a única maneira de regularizar sua situação, mesmo com o custo de sair e voltar da Itália. Esta prática deveria ser ultrapassada em primeira instância com a alteração proposta, sem prejuízo da nossa proposta de introdução de um mecanismo de regularização individual e sempre acessível face à disponibilidade de emprego, que permitiria resolver o problema da irregularidade ser enfrentado a montante".“Reiteramos – concluem as entidades promotoras da campanha – que não basta remodular os decretos de fluxo que, mais uma vez, se têm revelado ineficazes. Para obter uma gestão eficaz da entrada no trabalho no nosso país, são necessárias reformas orgânicas que tomem nota do que está a acontecer na realidade não só no que diz respeito às necessidades do nosso mercado de trabalho, mas também no que diz respeito às expectativas de uma vida melhor no nosso país dos trabalhadores e trabalhadoras e suas famílias”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.