Turim, chamada aberta para bolsas de estudo 2022

Turim, chamada aberta para bolsas de estudo 2022

Roma (NEV), 31 de julho de 2022 – A Igreja Valdense de Turim lançou uma chamada para inscrições para a atribuição das seguintes bolsas de estudo:

  • 4 bolsas «FAV (Fondo Artigianelli Valdesi)», de € 500,00 cada, destinadas a alunos do ensino secundário (3º, 4º e 5º ano).
  • 1 Bolsa «Ettore Graziani», de € 500,00. Em memória do irmão Ettore Graziani e sustentado pela família, destinado a alunos do ensino médio (3º, 4º e 5º ano).
  • 4 bolsas «FAV (Fondo Artigianelli Valdesi)», de € 1.800,00 cada, destinadas a estudantes universitários.
  • 1 Bolsa «Lea Vinay», no valor de € 1.800,00. Em memória da irmã Leah Vinay e apoiado pelo Consistório da Igreja Valdense de Turim, destinado aos alunos do Conservatório de Turim matriculados em cursos acadêmicos.
  • 1 bolsa “Beppe Molinari, doutor em Alba”, de € 1.800,00. Em memória do irmão Beppe Molinari e sustentado por sua família e pelo fundo FAV. Destina-se a alunos do curso de licenciatura em Medicina (ou profissões de saúde).
  • A última bolsa, «YWCA – UCDG» (Young Christian Union), é de € 1.800,00. Apoiado por cônjuges Enrico e Mitzi Rusconidestina-se a alunos dos cursos de licenciatura em Medicina (ou profissões de saúde) ou Engenharia (ou área técnico-científica), preferencialmente em contacto com a YWCA – UCDG (a aguardar confirmação).

Na página dedicada lê-se: “O concurso para candidaturas a bolsas está aberto a quem o solicitar. No entanto, o desembolso do mesmo será decidido pela Comissão tendo em conta os resultados escolares, o rendimento desfavorável e a possível pertença a uma Igreja evangélica. As bolsas são reservadas para estudantes matriculados em Institutos localizados em Turim ou na Cidade Metropolitana de Turim”.

Detalhes

Mais informações, formulário de inscrição, requisitos e documentação necessária para participar podem ser encontrados em www.torinovaldese.org/bando-di-attribuzione-di-borse-di-studio-2022/

As solicitações preenchidas com todos os anexos necessários devem ser enviadas em formato digital para o endereço de e-mail [email protected] até as 12h00 de sexta-feira, 21 de outubro de 2022.

artigo anteriorEntrevista com Alessandra Trotta, moderadora do Conselho Valdense
Próximo artigoAgosto. 5 quilômetros pela justiça climática

Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Quem são os imigrantes?  – Neve

Quem são os imigrantes? – Neve

Roma (NEV), 27 de outubro de 2022 – Trazendo "Luta e verdade, a partir de palavras e dados". O escritor disse isso esta manhã Djarah Kan, na apresentação do 32.º “Dossiê Estatístico da Imigração 2021”, editado pelo Idos, em colaboração com o Confronti e o Instituto de Estudos Políticos “S. Pio V". A referência é justamente às análises contidas no relatório – 493 páginas, informações estatísticas e análises elaboradas por uma pluralidade de estudiosos, projeto apoiado pelo Otto per mille da Tábua Valdense. Uma ferramenta na “caixa de ferramentas” de qualquer pessoa, por diversos motivos, que lida com (ou quer entender) migração. Na reunião desta manhã, moderada por Cláudio Paravatidiretor do Confronti e apresentador do Protestantesimo on Rai Tre, compareceu, além de Kan, Luca Di Sciullo, presidente do centro de estudos e pesquisas IDOS, don Mussie Zerai (conectado do Canadá), padre e ativista eritreu, fundador da agência Habeisha, moderador da Mesa Valdense Alessandra Trottao jornalista Eleanor Camillio sociólogo da Universidade Estadual de Milão Maurizio Ambrosinio prefeito de Prato Mateus Biffonidelegar às políticas de Imigração e integração da Anci, em ligação de vídeo, Paulo de Nardis, presidente do Instituto de Estudos Políticos “S. Pio V". os números falam No que diz respeito aos migrantes que desembarcaram na Itália entre 2021-2022, segundo o relatório, "se olharmos para os fluxos migratórios rumo à Itália, as nacionalidades declaradas pelos migrantes são atribuíveis aos países que mais sofrem com a pressão das mudanças climáticas ". Entre 2021 e 2022 “entre os principais países de origem encontramos: Tunísia, Egipto, Bangladesh, Afeganistão, Síria, Costa do Marfim, Eritreia, Guiné, Paquistão e Irão”. No início de 2022 "havia 3.561.540 cidadãos extracomunitários a residir legalmente em Itália, um número que aumentou, face ao ano anterior (quando eram 3.373.876), de 187.664 unidades (+5,6%) e que, no entanto, continua ainda mais baixo do que os 3.615.826 no início de 2020 e os 3.717.406 no início de 2019. Quanto ao contributo dos migrantes para a economia, a análise apresentada “confirma também para 2020 um saldo positivo entre receitas e despesas atribuíveis à imigração: face a saídas de 28,9 mil milhões, as receitas ascenderam a 30,2 mil milhões, garantindo um saldo positivo de quase 1,3 mil milhões de euros ”. É um dos dados contidos no dossiê discutido esta manhã em Roma, no Teatro Dom Orione, e ao mesmo tempo em todas as regiões italianas. “A dimensão do saldo – explica o Relatório – diminuiu sem dúvida face a 2019, quando tínhamos assistido a um ganho de 4 mil milhões de euros para o Estado, mas sabe-se que a pandemia em parte agravou a fragilidade social e económica, em parte detonou novos. O valor das despesas durante o ano de 2020 aumentou assim, com particular destaque para as despesas com redes de segurança social, que quase duplicaram face a 2019. No entanto, refira-se que as escolhas metodológicas efetuadas seguiram um percurso de estimativa parcimonioso”. “Não há respostas fáceis para fenômenos complexos como #migrações. Interdependências entre mudanças climáticas, guerras” e a necessidade de sair. A intervenção do @Mode_Valdese na apresentação de #dossierestatísticoimigração @Confronti_CNT @8x1000Waldensian pic.twitter.com/qs7vmKSyJr — Esperança do Mediterrâneo (@Medohope_FCEI) 27 de outubro de 2022 “No geral, confirma-se o que emergiu dos Dossiês anteriores, segundo os quais os estrangeiros contribuem tanto para a estabilidade do tecido produtivo do país como para o seu sistema de proteção social, incluindo a educação”, conclui o texto. AQUI a lista de apresentações do Dossiê em andamento hoje em toda a Itália. AQUI o comunicado de imprensa CS_Hoje a apresentação do Dossiê Estatístico de Imigração 2022 ocorreu após a apresentação de Idos. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo
“Migrantes e Religiões”, uma conferência ecumênica em Roma de 18 a 20 de novembro

“Migrantes e Religiões”, uma conferência ecumênica em Roma de 18 a 20 de novembro

Roma (NEV), 15 de novembro de 2019 - Uma conferência ecumênica de estudos sobre o tema dos migrantes e das religiões. O Escritório Nacional para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso (UNEDI) da Conferência Episcopal Italiana (CEI) o promove novamente este ano, juntamente com os representantes das Igrejas cristãs na Itália. O evento acontecerá de segunda-feira, 18, a quarta-feira, 20 de novembro, no hotel Mercure na viale Eroi di Cefalonia, em Roma. O tema central da iniciativa será para esta edição "migrantes e religiões": queremos fazer um discurso positivo sobre a imigração - lê-se na apresentação do evento - evitando falsos des e apenas debates negativos, destacando o valor do imigrantes que se encontram em nosso país e também a contribuição que as religiões, em suas diversas expressões, dão para tornar possível a convivência na diversidade”. Pelo quarto ano consecutivo, o encontro, que contará com a presença de estudiosos e expoentes das diversas denominações cristãs, que inicialmente foi um momento de enfrentamento da CEI, tem caráter ecumênico. "Migrantes e religiões" será aberto na segunda-feira 18, após saudações de don Juliano Savinadiretor da UNEDI – CEI e a apresentação do Monsenhor Stefano Russosecretário-geral da CEI, a partir de um relatório sobre o tema principal do encontro, com as intervenções de Paulo Nasocoordenadora do Mediterranean Hope (MH), programa de migrantes e refugiados da FCEI e da Andrew Riccardi, fundador da Comunidade de S. Egídio. Terça-feira 19 será a vez de várias oficinas temáticas: da hospitalidade à prisão, aos direitos, das comunidades à relação entre as mulheres e o mundo religioso. Entre os inúmeros grupos de trabalho, o compromisso do MH será explorado em particular num painel ad hoc, “Construindo a hospitalidade”, no qual participarão como oradores marta bernardinioperadora da Mediterranean Hope, e Daniela Pompeiachefe da Comunidade de Sant'Egidio para serviços aos imigrantes. “O tema da conferência ecumênica nacional deste ano – comenta Luca Maria Negropresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, que falará no momento conclusivo da conferência, quarta-feira, 20, às 12h – é altamente atual: por um lado, será uma questão de reafirmar, como igrejas, nosso sim ao acolhimento imigrantes e, por outro, refletir sobre a urgência do diálogo inter-religioso em uma sociedade que se tornou plural também do ponto de vista das fés”. Aqui o programa completo do evento: Programma_MigrantieReligioni ...

Ler artigo
#ViaPacis: a meia maratona multirreligiosa

#ViaPacis: a meia maratona multirreligiosa

Foto Staccioli/FIDAL Roma (NEV), 26 de setembro de 2018 – Realizou-se no passado domingo a Meia Maratona Via Pacis de Roma, com a participação de 7.500 atletas. Nascido para promover a paz, a integração, a inclusão e a solidariedade, este ano contou com o patrocínio, entre outros, da Fundação Nelson Mandela, que o incluiu entre os eventos comemorativos do centenário do nascimento do líder sul-africano, Prêmio Nobel da Paz, que havia uma forte ligação com as igrejas metodistas. A medalha dos finalistas é dedicada a Nelson Mandela. No início da corrida estiveram presentes, juntamente com numerosas autoridades e o prefeito de Roma Virgínia Raggineta do Nelson Ndileka Mandela e representantes religiosos cristãos, muçulmanos, judeus, budistas, hindus e bahá'ís. Entre eles, Tim Macquibanpároco da igreja metodista de Ponte S.Angelo, Gertrude Wiedmer, Kirchmayer Ursula E Lauckner Alberti Maria da Comunidade Evangélica Luterana Alemã. “É uma bela iniciativa, esta meia maratona que viu um rio de gente passar diante dos locais de culto de diversas religiões, entre eles a sinagoga, a mesquita, a basílica de São Pedro e o templo”, declarou Marco Forneronepároco da igreja valdense na Piazza Cavour, que se instalou aqui apenas uma semana antes do evento esportivo, e acrescentou "no futuro seria bom estar envolvido mais diretamente". A Meia Maratona de Roma Via Pacis, em sua segunda edição, é promovida pela Roma Capitale e pelo Pontifício Conselho para a Cultura, dicastério da Santa Sé. Organizado pela Federação Italiana de Atletismo (FIDAL), conta com a colaboração de vários parceiros. Meia Maratona de Roma Via Pacis! Sofia Yaremchuk é a primeira mulher a cruzar a linha de chegada na via della Conciliazione #eu corro porque #viapacis pic.twitter.com/31hQpcoqtq — Roma Half Via Pacis (@RomeViaPacis) 23 de setembro de 2018 seu nome é Freedom, e hoje ele venceu a Meia Maratona de Roma Via Pacis! #eu corro porque #viapacis pic.twitter.com/Rzy4bJD655 — Roma Half Via Pacis (@RomeViaPacis) 23 de setembro de 2018 ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.