31 de outubro, Dia da Reforma

31 de outubro, Dia da Reforma

16 de junho de 2019, Genebra (Suíça). Comemoração dos 20 anos da JDDJ

Roma (NEV), 28 de outubro de 2019 – 31 de outubro de 1517 Martinho Lutero ele afixou suas 95 teses no portal da igreja do Castelo de Wittenberg, evento que se convencionou considerar o início da Reforma Protestante.

Em todo o mundo, no dia 31 de outubro, são realizadas iniciativas e serviços para celebrar o Dia da Reforma. As igrejas reformadas, também na Itália, organizam um culto para o “Domingo da Reforma” para a ocasião. Com base nas necessidades de cada comunidade, isso cai no domingo antes ou depois de 31 de outubro. As doações arrecadadas durante os cultos do “Domingo da Reforma” das igrejas valdenses, metodista e batista serão doadas à Sociedade Bíblica da Itália (SBI). A SBI é a filial italiana da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira (SBBF), que nasceu em 1804 em Londres com o objetivo de divulgar a Bíblia e que em poucos anos se expandiu para envolver centenas de comerciantes, oficiais, funcionários administrativos, parlamentares e diplomatas de várias igrejas também na Alemanha, Rússia, Holanda, Suécia, Estados Unidos, França, Grécia…

O convite para apoiar a SBI também foi estendido à Federação das Igrejas Pentecostais (FCP).

Eric Noffke, professor de Novo Testamento na Faculdade Valdense de Teologia em Roma e presidente da SBI, falou no semanário Riforma sobre o tema da necessidade da leitura bíblica para a vida dos crentes e das igrejas, enfatizando como os grandes reformadores do século XVI “pôr-se em guarda contra a teologia das obras” e recordando como “não basta ser animado pelas melhores intenções, pelo contrário, às vezes pode ser contraproducente”. Nesse sentido, a Bíblia representa uma “bússola” para agir “porque assim como a ação é ineficaz sem a orientação das Escrituras, não pode haver uma fé no amor de Deus que permaneça passiva e inerte diante dos desafios deste mundo”.

A Federação Luterana Mundial (FLM), por sua vez, pediu o uso, para o Dia da Reforma, da liturgia ecumênica usada em Genebra para o 20º aniversário da Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação (JDDJ). O convite é dirigido a todas as igrejas que assinaram o JDDJ: Luterana, Católica, Metodista, Anglicana e Reformada. A liturgia inclui orações, hinos e leituras da Bíblia, extratos do JDDJ e outros documentos.

O JDDJ é um acordo histórico, resultado de mais de três décadas de diálogo ecumênico entre a Federação Luterana Mundial (FLM) e a Igreja Católica Romana. Inicialmente assinado por luteranos e católicos em 1999, o JDDJ efetivamente resolveu um dos principais conflitos da Reforma e pôs fim às suas respectivas excomunhões. Nos anos seguintes, também reuniu membros do Conselho Metodista Mundial (WMC), da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (WCRC) e da Comunhão Anglicana.

A liturgia ecumênica está disponível online em inglês, alemão, espanhol e francês.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Por volta de 10 de outubro, contra a pena de morte

Por volta de 10 de outubro, contra a pena de morte

Roma (NEV), 7 de outubro de 2022 - Em vista do XX Dia Mundial contra a Pena de Morte, celebrado em 10 de outubro, a Ação dos Cristãos pela Abolição da Tortura (ACAT Itália) relança a campanha global Coalizão Mundial. Este dia, explica a ACAT, “une o movimento abolicionista global. Também mobiliza a sociedade civil, líderes políticos, advogados, opinião pública para apoiar o apelo à abolição universal da pena de morte. O dia encoraja e consolida a consciência política e geral do movimento global contra a pena de morte". Vinte anos de mobilização mundial se passaram. Agora “é o momento de considerar e celebrar as conquistas que o movimento abolicionista alcançou. Agora, mais do que nunca, os atores abolicionistas devem continuar trabalhando pela abolição completa da pena de morte em todo o mundo, para todos os crimes”. No dia 10 de outubro de 2022, ainda ilustra a organização cristã, o Dia Mundial será dedicado à reflexão sobre a relação entre o recurso à pena de morte e a tortura ou outros tratamentos ou penas cruéis, desumanos e degradantes. “Os tipos de tortura e outros maus-tratos sofridos durante a longa espera pela pena de morte são vários e numerosos – continua ACAT -. A tortura física ou psicológica foi aplicada em muitos casos durante os interrogatórios para extrair confissões de crimes graves. O fenômeno do corredor da morte contribui para o declínio psicológico de longo prazo na saúde de uma pessoa. As duras condições de vida no corredor da morte contribuem para a deterioração física. Uma possível antecipação da data da execução causa angústia. Por fim, os métodos de execução causam uma dor insuportável aliada ao sofrimento vivenciado pelos familiares e pessoas que têm relações próximas com o executado”. Outro aspecto, muitas vezes subestimado, é o da discriminação com base no sexo, gênero, condição social, idade, orientação sexual, status de minoria religiosa e étnica e muito mais. Estas discriminações, que atingem pessoas mesmo fora dos contextos restritivos, podem “agravar ainda mais o tratamento cruel, desumano e degradante de pessoas condenadas à morte” conclui a ACAT. A PENA DE MORTE EM NÚMEROS(Estatísticas da Anistia Internacional) 110 estados aboliram a pena de morte para todos os crimes. 7 estados aboliram a pena de morte para crimes comuns. 27 estados são na prática abolicionistas. 55 estados ainda aplicam a pena de morte. Os 5 países que mais executaram no mundo em 2021 são, na ordem: China, Irã, Egito, Arábia Saudita e Síria. 28.670 pessoas foram condenadas à morte em todo o mundo no final de 2021. UM GATO A ACAT é uma associação cristã ecumênica. Cometida contra a tortura e a pena de morte, ela trabalha ao lado de todos aqueles que têm os mesmos objetivos e promovem os Direitos Humanos. Fundada formalmente na primavera de 1987, graças à contribuição da igreja valdense de Roma e do movimento "Renascimento Cristão". A filial italiana da Ação dos Cristãos pela Abolição da Tortura se inspira no pastor valdense Túlio Vinay. Vinay foi um dos primeiros na Europa a denunciar a violência sofrida pelos presos políticos no Vietnã. Desde o início, a ACAT optou por operar em uma base ecumênica, reunindo protestantes, católicos, ortodoxos e outras confissões cristãs dispostas a rezar e agir juntos. ACAT adere à Federação Internacional FIACAT. ...

Ler artigo
Protestantes na “Espiritualidade de Turim”

Protestantes na “Espiritualidade de Turim”

Roma (NEV), 21 de setembro de 2020 - "A respiração parada do tempo suspenso, a respiração curta da surpresa, a expiração profunda que libera alívio, a respiração vital da liberdade e do recolhimento": Espiritualidade de Turim, um projeto do Círculo de Leitores Foundation, retorna de 24 a 27 de setembro de 2020 para quatro dias de investigação em torno da "respiração", ato que inerva todas as tradições filosóficas e espirituais. Não faltarão vozes, experiências e testemunhos protestantes na revista. Sexta-feira, 25, às 18h, no Templo Valdense da capital piemontesa, será realizado "Quem pode falar sobre a respiração", um momento de discussão entre o escritor Giampiero Comolli, os teólogos Daniel Garrone, pastor, estudioso da Bíblia, professor da cadeira de Antigo Testamento da Faculdade Valdense de Teologia e membro do Conselho da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI), e Brunetto Salvaranio médico paliativo José Narettomoderado pelo jornalista Emmanuela Banfoeditado pelo Centro Cultural Protestante. Outro encontro organizado em colaboração com o Centro Cultural Protestante será o encontro intitulado "Girando o fôlego", um diálogo sobre Paulo Celan E Thomas Bernhard com o germanista Louis Reitaniapresentado pelo filósofo Frederico Vercellone. O debate está marcado para domingo, 27, às 15h30, no Museo del Risorgimento, em Turim. Aqui o programa completo da revista. "A esfera de plástico-bolha escolhida como imagem orientadora do festival - explicam os organizadores no comunicado de lançamento do evento - pretende aludir precisamente a esta dupla natureza da respiração: uma vulnerabilidade a envolver e a guardar, a protegê-la dos choques desta tempo, e a beleza etérea de uma pérola feita de ar. E olhando mais de perto, até mesmo o ritmo com que nos apropriamos do mundo e o processamos tem o duplo ritmo da respiração: uma inspiração, para trazer o exterior para dentro de nós, e uma expiração, para transformar o que pegamos”. ...

Ler artigo
75º Festival de Locarno.  Júri ecumênico premia Contos da Casa Púrpura

75º Festival de Locarno. Júri ecumênico premia Contos da Casa Púrpura

Roma (NEV), 16 de agosto de 2022 – O Prêmio Ecumênico do Júri em Locarno vai para o filme “Contos da Casa Púrpura”, dirigido por Abbas Fahdel. o filme com Nour Ballouk (título original "Hikayat elbeit elorjowani" é filmado entre Líbano, Iraque e França. O festival de cinema aconteceu de 3 a 13 de agosto. O júri ecumênico formado pela INTERFILM (parte protestante) e SIGNIS (parte católica) concedeu o prêmio com esta motivação: “O filme nos oferece a perspectiva pessoal e poética de um casal de artistas sobre a história e o presente de um país dilacerado. Ao mesmo tempo, mostra que a vida cotidiana continua. E que a arte e a beleza têm um papel fundamental nisso”. O júri ecuménico distinguiu ainda o filme “Tengo sueños eléctricos”, realizado por Valentina Maurel, (Bélgica, França, Costa Rica). O filme acompanha a trajetória de uma jovem adolescente que vive em uma família dominada e abalada por separações e violência, mas também pelo amor. Membros do júri ecumênico: Anne DagallierFrança Linde FröhlichAlemanha Lukáš JirsaRepública Tcheca (presidente) Anne-Beatrice Schwabsuíço O Júri Ecumênico O Júri Ecumênico está presente no Festival de Cinema de Locarno desde 1973. Indicado conjuntamente pela INTERFILM, entidade protestante internacional para o cinema, e pela Signis, associação católica mundial de comunicação, seleciona obras que destacam valores religiosos, humanos e sociais. O prêmio consiste em 20.000 francos suíços para a distribuição do filme, doados pelas igrejas reformadas e pela Igreja Católica da Suíça. INTERFILM Fundada em 1955 por numerosas associações de filmes protestantes na Europa. Em colaboração com o parceiro católico SIGNIS, organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes (Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim). Em Veneza, os júris da SIGNIS e da INTERFILM são separados. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.