100 anos da Igreja Hussita Tchecoslovaca: aberta, gratuita, democrática

100 anos da Igreja Hussita Tchecoslovaca: aberta, gratuita, democrática

Foto Karel Cudlin / Igreja Hussita Tchecoslovaca

Roma (NEV), 15 de janeiro de 2020 – A Conferência das Igrejas Europeias (KEK) expressou seus mais calorosos votos à Igreja Hussita da Tchecoslováquia, que é seu membro aderente.

“É inspirador para nós testemunhar os 100 anos da Igreja Hussita Tchecoslovaca a serviço de Deus e da humanidade”, disse o secretário geral do CEC, Jørgen Skov Sørensen.

“Com nossos irmãos e irmãs na República Tcheca, celebramos esta data juntos, agradecendo pelas contribuições históricas feitas à unidade cristã e à liberdade evangélica por esta igreja membro. Enviamos nossas orações por sua jornada ecumênica continuada”, acrescentou.

Fundada em 1920, a Igreja Hussita Checoslovaca professa a antiga tradição do cristianismo primitivo, de Cirilo e Metódio, e refere-se aos ensinamentos de Jan Husda Reforma, da João Amós Comeniusdo movimento modernista e da herança espiritual e humanística de Tomáš Garrigue Masaryk.

No dia 11 de janeiro, uma celebração foi realizada na igreja de São Nicolau em Praga. Mais estão planejados

A Igreja Hussita da Checoslováquia, no contexto do seu aniversário, aprovou o documento “Igreja e sociedade”, que entre outras coisas sublinha a sua característica de Igreja aberta à sociedade, aos valores da liberdade e da democracia, “consciente da sua proximidade vínculos com o judaísmo e a necessidade de buscar o entendimento entre as religiões e desenvolver o diálogo com a sociedade, que muitas vezes rejeita a religião a priori”.

A Igreja Hussita da Tchecoslováquia, diz o documento, cuida do mundo “na proclamação do Evangelho, por meio da pregação e do trabalho missionário, difundindo o conhecimento da Bíblia e cultivando o pensamento religioso, promovendo a teologia acadêmica, por meio da diaconia, atividades caritativas e sociais” com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas, também por meio da educação e de atividades culturais.


Jan Hus (1370-1415) foi um teólogo e mártir. Chegando a Constança com um salvo-conduto imperial para apresentar suas teses de reforma da igreja perante o Concílio reunido na cidade alemã, Hus foi preso, declarado herege e queimado na fogueira em 6 de julho de 1415. Considerado um expoente do chamado Primeira Reforma – isto é, a que precedeu a Reforma Protestante do século XVI e que incluiu também o movimento valdense medieval -, Jan Hus continua sendo uma figura chave na história da Boêmia e da Europa, tanto do ponto de vista cultural – por sua teologia, ideias filosóficas e educacionais – e históricas/políticas.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Migrantes, SAE: “Revogar os acordos Itália-Líbia”

Migrantes, SAE: “Revogar os acordos Itália-Líbia”

Desenho de Francesco Piobbichi, operador do "Mediterrâneo Esperança", programa de refugiados e migrantes da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália Roma (NEV), 13 de outubro de 2022 - "Não podemos aceitar que nosso país mantenha vivos acordos que de fato favorecem a interceptação e captura de migrantes, repulsão, negação do direito de asilo e detenção arbitrária nos campos de concentração líbios onde a violência, o estupro e torturas são perpetradas, e onde muitos e muitos morrem justamente por causa do tratamento desumano. Por esta razão, pedimos ao governo italiano que revogue imediatamente o Memorando de Entendimento entre a Itália e a Líbia, estipulado por Minniti-Gentiloni em 2 de fevereiro de 2017 e tacitamente renovável a cada três anos". A SAE, Secretaria de Atividades Ecumênicas informa em nota.“Este acordo – prossegue o texto –, no seu segundo triénio, voltará a expirar em fevereiro de 2023 e, não havendo ato de revogação até ao próximo dia 2 de novembro, será tacitamente renovado de novo”. O Conselho de grupos locais da Secretaria de Atividades Ecumênicas da SAE reuniu-se em Roma no dia 9 de outubro de 2022 e votou por unanimidade duas moções: uma dirigida ao Presidente da República e ao Presidente do Conselho de Ministros, a outra a Monsenhor Erio Castellucci, presidente do Comitê Nacional do Caminho Sinodal da Igreja Católica na Itália, e para informação ao Cardeal Matteo Zuppi, presidente da CEI, e a Monsenhor Derio Olivero, presidente da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo da CEI. A moção enviada ao Estado é a relativa ao Memorando de Entendimento entre a Itália e a Líbia. A moção enviada à Igreja Católica constata "a completa ausência de referências ao caminho ecumênico na Síntese nacional da fase diocesana do Caminho Sinodal da Igreja Católica na Itália, que contém apenas referências limitadas a pessoas de outras fés ou religiões" ; pede atenção a este tema e oferece a sua colaboração para criar "momentos e ocasiões em que se viva e tematize a dimensão ecuménica da Igreja". Quanto aos acordos com a Líbia, prossegue o documento, "não podemos ficar indiferentes face à perpetuação de uma situação de grave injustiça que vê de um lado o bem-estar económico, a sociedade da abundância e do desperdício, edo outro, a desnutrição, a miséria e a fome – declaram -. Animados e animados pelo sentido da justiça e pelo espírito de solidariedade, denunciamos estes graves desequilíbrios que levam à morte tantas mulheres e homens, raparigas e rapazes, forçados a atravessar fronteiras clandestinamente ou amontoados em barcos para escapar à pobreza, à perseguição e à das guerras". Seguem os textos das duas moções aprovadas pela SAE. A SAE é uma associação leiga e interconfessional, que em 1966 foi formalmente constituída como associação sob a presidência da fundadora Maria Vingiani. Desde 1964 organiza uma sessão anual de verão de formação ecumênica, da qual são publicados os Atos. Geralmente é acompanhado por uma conferência anual de primavera mais curta. Ele foi um dos promotores da época para o judaísmo (1989) e do documento para casamentos inter-religiosos entre católicos e valdenses-metodistas (1998). Em setembro de 2021, foi eleita Erica Sfreddavaldense, primeiro presidente evangélico da associação, que tomou posse oficialmente em janeiro de 2022. ...

Ler artigo
O pré-sínodo da Federação das Mulheres Evangélicas

O pré-sínodo da Federação das Mulheres Evangélicas

Roma (NEV), 5 de agosto de 2021 – O Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense está de volta e os compromissos habituais que animam também os dias que antecedem o evento. A FDEI (Federação das Mulheres Evangélicas na Itália) organiza em especial o Pré Sínodo FDEI - FFEVM (Federação das Mulheres Evangélicas Valdenses e Metodistas) no dia 21 de agosto de 2021 às 17h na plataforma zoom da Reforma. A mesa redonda, explicam os promotores, “será um momento de reflexão e confronto com um olhar para o futuro”. O tema escolhido pela FDEI e pela FFEVM para o pré-sínodo é: “Mulher e trabalho, dignidade e desenvolvimento sustentável. Como proceder, que caminho seguir, num contexto em que o trabalho se transforma e se vislumbra um lento esvaziamento de direitos? Quais podem ser as novas formas de proteção e quais são os desafios que enfrentamos?”. Eles participarão do debate Shqiponja Dostichefe do departamento de imigração da CGIL Roma e Lazio, Simona Menghinidiretor de comunicação da Oracle Italia, Antonella Visintin, coordenador da GLAM, Comissão de Globalização e Meio Ambiente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. Moderado Doriana Giudiciespecialista em direitos da mulher no mundo do trabalho e na sociedade. ...

Ler artigo
Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Lea Schlenker, Foto CEC Roma (NEV), 17 de junho de 2022 – Estas são as últimas notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK). CEC à presidência francesa da UE: "Envolver as igrejas para trazer paz à Ucrânia" Num encontro híbrido em Bruxelas com a Presidência francesa do Conselho da União Europeia, o CEC sublinhou a necessidade de reforçar o compromisso das comunidades religiosas locais na concretização da paz na Ucrânia. A CEC pode construir pontes para promover a reconciliação e a paz. Para saber mais, leia o artigo aprofundado sobre Reforma AQUI. Relatório da Conferência sobre o Futuro da Europa Um futuro democrático e justo para a Europa. Esta é uma das questões que preocupam as igrejas membros da CEC. Daí o engajamento direto na Conferência sobre o futuro da Europa. O secretário-geral do CEC Jørgen Skov Sørensenfala sobre isso aqui: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=nvpe8V4LbHA[/embed] Lea Schlenker, Foto CEC Lia Schlenker. Em que Europa querem viver as novas gerações de crentes? Lea Schlenker, da Igreja Evangélica na Alemanha, é membro do Conselho Executivo do CEC. Ela também desempenha o papel de Conselheira da Juventude. Em uma de suas reflexões, ele fala sobre os desafios e oportunidades que as novas gerações de crentes estão expressando hoje e sobre como o CEC ouve suas vozes e seus pedidos. Pandemia, guerra, a importância da presença e da escuta dos jovens, são alguns dos temas que o seu estudo aborda. Leia aqui. O treinamento KEK chega à Finlândia para garantir comunidades mais seguras e fortes O CEC, juntamente com a Igreja Ortodoxa da Finlândia, organizou um briefing e treinamento para líderes e funcionários da igreja sobre a proteção de locais de culto. O evento decorreu no âmbito do projeto Safer and Stronger Communities in Europe (SASCE), financiado pelo Fundo de Polícia Interna da Comissão Europeia. O curso foi ministrado pela Secretária Executiva de Direitos Humanos do CEC, Elizabeta Kitanovic. O evento também contou com a presença de representantes da Igreja Evangélica Luterana e da comunidade muçulmana da Finlândia. Entre os tópicos que surgiram: as novas propostas legislativas sobre a proibição do abate ritual, circuncisão, liberdade de religião e crença, os relatórios do serviço de segurança finlandês, os riscos potenciais para a sociedade finlandesa devido a ameaças terroristas e de extrema direita. Falou-se também de minorias étnicas e religiosas, da cultura do cerco e do suprematismo branco, que incita à violência e ao colapso social. Leia aqui. Os Conselhos Nacionais das Igrejas Europeias discutem os trabalhos e a Assembleia da CEC Em reunião virtual, os responsáveis ​​dos Conselhos Nacionais das Igrejas Europeias reuniram-se com o Secretário Geral da CEC, Jørgen Skov Sørensen, e o Secretário Executivo, Katerina Pekridou, para discutir o futuro e, em particular, a próxima Assembleia da CEC em Tallinn. Falou-se do papel da teologia ecumênica, que transcende as fronteiras privadas, nacionais e confessionais. Também, da significativa contribuição das igrejas no discurso público e para o bem comum. Para saber mais, clique aqui. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.