Igreja Batista de Ohio nomeia pastor transgênero

Igreja Batista de Ohio nomeia pastor transgênero

Roma (NEV), 3 de outubro de 2019 – A Peace Community Church (PCC), uma igreja batista em Ohio, nos Estados Unidos da América, nomeou o pastor transgênero como líder da comunidade Erica Saunders. A comissão encarregada de selecionar o guia pastoral examinou 16 candidatos, depois reduziu para 5 e finalmente para 2. “Ambos os candidatos eram muito fortes, mas Erica se destacou como uma candidata com qualidades únicas – relata Baptist News -. Brilhante, compassivo, cheio de fé e guiado pelo espírito.”

Erica Saunders, formada em 2019 pela Wake Forest University School of Divinity, foi ordenada ao ministério do evangelho na primavera passada pela Wake Forest Baptist Church e foi empossada como pastora da Peace Community Church em Oberlin, Ohio, em 1º de julho. Saunders começou o processo de mudar sua apresentação de gênero em seu primeiro ano de seminário.

A Peace Community Church, fundada como a primeira igreja batista de Oberlin em julho de 1866, é afiliada à Baptist Peace Fellowship of North America, à Association of Welcoming & Affirming Baptists, à Alliance of Baptists e às American Baptist Churches of the Rochester/Genesee Region. É assim que o PCCh é descrito hoje, como uma “congregação pequena, mas ativa e voltada para a ação”.

Saunders disse que estava “agradecida pelo testemunho evangélico da Peace Community Church. Com a ajuda de Deus, juntos podemos seguir o exemplo de Cristo e criar uma comunidade marcada pela paz constante, amor inclusivo e justiça radical, não apenas em Oberlin”.

A igreja, que adotou o nome Peace Community Church em 2000, tomou uma decisão consensual de receber pessoas LGBTQ desde 2005.

Oberlin é uma cidade de cerca de 8.600 residentes a 35 milhas a sudoeste de Cleveland e abriga o Oberlin College, fundado como uma escola cristã pelos presbiterianos em 1833. Esta escola produziu três vencedores do Prêmio Nobel e vários vencedores de prêmios (Pulitzer, Academia, Grammy, Tony , Emmy e Globo de Ouro) e é classificado como um dos campi mais LGBTQ-friendly da América.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

As mulheres libertam o sagrado

As mulheres libertam o sagrado

Foto Adista Roma (NEV), 26 de junho de 2020 - O semanário de informação independente "Adista" relata em um dossiê "o caminho nada fácil que levou as mulheres das Igrejas cristãs não católicas ao acesso a ministérios e pastorados, ainda excluídas da Igreja de Roma" . Uma história multifacetada da qual emergem as tentativas de desmantelar estruturas e privilégios machistas, autoritarismo e clericalismo. “Os companheiros de viagem deste número da Adista – lê-se na apresentação –, pela ordem em que aparecem os seus ensaios, são o pastor valdense Alexandre Esposito; o luterano Gabriela Woller; o pastor batista Cristina Arquidiácona; Maria Vitória Longhitanopresbítero da Convocação das Igrejas Episcopais na Europa; Basil Petràdecano da faculdade de teologia da Itália central; David Romanodiretor do Departamento de Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa da União Italiana das Igrejas Adventistas do Sétimo Dia (UICCA)”. A imagem inteiramente masculina de Deus "influencia não só as práticas religiosas, mas também as culturas, o bom senso e as práticas cotidianas" escrevem novamente os editores, que nos convidam a investigar a palavra bíblica "a partir de uma leitura mais cuidadosa, crítica, historicista das Escrituras", o que significa também "contextualizar e libertar a mensagem bíblica das superestruturas culturais do passado, das 'traduções' inadequadas e insuficientes que derivam de uma má compreensão dos textos, para tornar as religiões não mais dogmáticas, fechadas e separadas dos recintos do sagrado ' (sempre declinado no singular masculino), mas inclusivo e plural”. O dossiê faz parte da série de números especiais da Adista intitulado "As Igrejas face à violência de género" e pretende explorar temas como os preconceitos e os instrumentos de repressão e exclusão das mulheres na Igreja e na sociedade, os "carismas" femininos e a presença feminina no púlpito, na pregação da Palavra ou na administração dos sacramentos, elementos que tornam visível "a diferença dos corpos, presença muitas vezes perturbadora - sobretudo aos olhos católicos e por ocasião das celebrações ecumênicas - porque manifesta a existência de um ministério não mais vinculado ao corpo masculino e à masculinidade de Jesus e da Igreja". O dossiê também foi compartilhado na página do Facebook da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). ...

Ler artigo
Ucrânia.  Cessar-fogo e negociações agora, convocação da Cúpula dos Povos

Ucrânia. Cessar-fogo e negociações agora, convocação da Cúpula dos Povos

Roma (NEV), 12 de junho de 2023 – A Cúpula Internacional pela Paz na Ucrânia intitulada "Se você quer paz, construa a paz" terminou ontem em Viena, Áustria. Na Cúpula Internacional dos Povos também representantes da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) e do Interfaith Centre for Peace (CIPAX). Cerca de 400 pessoas de 40 países reuniram-se trazendo a voz de movimentos, redes pela paz e ONGs, incluindo a Emergência. Quarenta e oito horas antes do início da conferência global de paz, a reserva do local anfitrião foi abruptamente cancelada. Acusado de "suspeita de propaganda", a iniciativa, no entanto, ocorreu apesar das tentativas de censura. Na declaração final, os organizadores pedem a paz por meios pacíficos, um cessar-fogo imediato e negociações. “Somos uma coalizão ampla e politicamente diversa que representa movimentos pela paz e a sociedade civil, incluindo crentes, em muitos países. Estamos firmemente unidos na crença de que a guerra é um crime contra a humanidade e que não há solução militar para a crise atual”, diz o documento. A referência a "representantes de fés" ​​foi apoiada por Maria Elena Lacquaniticoordenadora do GLAM, da Christine Mattiello E Luciano Ardesirespectivamente presidente e vice-presidente da CIPAX, ed. Eric Luzzetti da Igreja Baptista, para sublinhar o empenho de mediação que as religiões podem (e devem?) realizar para a resolução dos conflitos a todos os níveis. Por fim, a Cúpula convida a sociedade civil de todos os países a se unir em uma semana de mobilização global de sábado, 30 de setembro a domingo, 8 de outubro de 2023. Abaixo segue a íntegra da Declaração. Paz por meios pacíficos. Cessar-fogo e negociações agora! Nós, os organizadores da Cúpula Internacional da Paz na Ucrânia, conclamamos os líderes de todos os países a apoiar um cessar-fogo imediato e negociações para acabar com a guerra na Ucrânia. Somos uma coalizão ampla e politicamente diversa que representa movimentos pela paz e a sociedade civil, incluindo pessoas de fé, em muitos países. Estamos firmemente unidos na crença de que a guerra é um crime contra a humanidade e que não há solução militar para a crise atual. Estamos profundamente alarmados e tristes com a guerra. Centenas de milhares de pessoas foram mortas e feridas, e milhões estão deslocadas e traumatizadas. Cidades e vilas em toda a Ucrânia, assim como o ambiente natural, foram destruídos. Mortes e sofrimento muito maiores ainda podem ocorrer se o conflito escalar para o uso de armas nucleares, um risco que é maior hoje do que em qualquer outro momento desde a crise dos mísseis cubanos. Condenamos a invasão ilegal da Ucrânia pela Rússia. As instituições criadas para garantir a paz e a segurança na Europa falharam e o fracasso da diplomacia levou à guerra. Agora, a diplomacia é urgentemente necessária para acabar com o conflito armado antes que ele destrua a Ucrânia e coloque a humanidade em perigo. O caminho para a Paz deve assentar nos princípios da segurança comum, do respeito internacional pelos direitos humanos e da autodeterminação de todas as comunidades. Apoiamos todas as negociações que possam fortalecer a lógica da paz em vez da ilógica da guerra. Afirmamos nosso apoio à sociedade civil ucraniana na defesa de seus direitos. Comprometemo-nos a fortalecer nosso diálogo com aqueles na Rússia e na Bielo-Rússia que arriscam suas vidas para se opor à guerra e proteger a democracia. Convidamos a sociedade civil de todos os países a se juntar a nós em uma semana de mobilização global (sábado, 30 de setembro a domingo, 8 de outubro de 2023) para um cessar-fogo imediato e negociações de paz para acabar com esta guerra. Viena, 11 de junho de 2023 "Todos devemos fazer a nossa parte para cumprir a tarefa da paz"(Albert Einstein) A Cimeira tem entre os seus organizadores o International Peace Office (IPB), Codepink, Assembleia do Fórum Social Mundial, Transform Europe, Europe4Peace, International Federation of Reconciliation (IFOR), Peace in Ukraine, Campaign for Peace Disarmament and Common Security (CPDCS). . Entre os organizadores e apoiadores locais: Action Alliance for Peace, Active Neutrality and Nonviolence (AbFaNG), Institute for Intercultural Research and Cooperation (IIRC), WILPF Austria, ATTAC Austria, IFOR Austria, ...

Ler artigo
O G20 das religiões – Nevada

O G20 das religiões – Nevada

Foto de Joshua Eckstein, unsplash Roma (NEV), 13 de setembro de 2021 - O "G20 das religiões", o Fórum Inter-religioso, está em andamento em Bolonha, no qual numerosos líderes políticos, ministros, membros de igrejas e, entre eles, também vários representantes das comunidades protestantes de todo o mundo. Qual é o significado desta nomeação – que o NEV lhe contará mais nos próximos dias, através de entrevistas a alguns dos protagonistas? “Esse G20 de religiões – explica o professor Paulo Naso, coordenador da comissão de estudos de diálogo e integração da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, que moderou esta tarde uma sessão temática sobre migrantes e refugiados – confirma a ideia de que o diálogo inter-religioso vai além das fronteiras das religiões. Ou seja, torna-se pré-requisito essencial para a construção de políticas de inclusão, integração e proteção dos direitos humanos. Nesse sentido, pede-se também um novo empenho às comunidades de fé, chamadas a sair de seus particularismos para dar vida a projetos concretos de acolhida e integração, como, por exemplo, os corredores humanitários. Mas numa época em que os direitos fundamentais são violados em tantas partes do mundo e grupos inteiros são perseguidos por motivos de natureza política, religiosa ou de gênero, seria realmente importante um compromisso compartilhado pelas várias comunidades de fé para, ao contrário, afirmar a importância da uma plataforma comum para defender os direitos de todos os homens e mulheres”. Paulo Naso #FCEI @Medhope_FCEI apresentar agora @Marco_europa @santegidionews à sessão temática intitulada “Um imperativo do G20: apoiar #refugiados e forçado #migrantes" para o @IF20org #G20InterfaithForum sobre a #corredores humanitários #direitos humanos #refugiados #migrantes pic.twitter.com/z3czc5F5J2 — Agência NEV (@nev_it) 13 de setembro de 2021 A cerimônia de encerramento do fórum está marcada para amanhã, terça-feira, 14 de setembro, às 16h, no Palazzo Re Enzo, na capital da Emilia. Participará o Presidente do Conselho de Ministros, Mario Draghiserá presidido por Romano Prodiex-presidente da Comissão Europeia, com as saudações finais, entre outras, do Cardeal e Arcebispo de Bolonha, Mateus Maria Zuppi. eles vão intervir Elly Schlein, Vice-presidente da Região Emilia-Romagna; Rav Richard Di SegniRabino Chefe de Roma; Mohamed Abdel-SalamSecretário Geral da Comissão Superior da Fraternidade Humana; Najla Kassab AbouusawanPresidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas; Bernard SpitzPresidente dos Assuntos Europeus e Internacionais da MEDEF; Antonio Tajaniex-presidente da Comissão Europeia. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.